BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

sábado, 30 de junho de 2012

POR QUE A "POLÍTICA" DE SEGURANÇA PÚBLICA DO GOVERNO SÉRGIO CABRAL FRACASSOU? - INTRODUÇÃO

A população do Rio vive o medo nas ruas

O presente artigo da início a uma série na qual procurarei demonstrar que após seis anos de governo, a “política” de segurança pública do governo Sérgio Cabral (PMDB) fracassou, apesar do grande apoio recebido por parte do governo federal, nos dois governos do PT, assim como, do apoio recebido da quase totalidade dos prefeitos do estado do Rio de Janeiro, sobretudo por parte de Eduardo Paes (PMDB), prefeito da Capital que gasta milhões de reais por mês no pagamento das gratificações dos Policiais Militares que atuam nas Unidades de Polícia Pacificadora, as famosas UPPs.
Tenho plena consciência sobre o quanto é ousado esse meu posicionamento sobre o fracasso, o quanto serei criticado, tendo em vista que grande parte da imprensa apregoa que a segurança pública melhorou no Rio de Janeiro, posicionamento igualmente adotado por parcela dos denominados especialistas no tema. Os defensores da gestão se prendem às ocupações policiais de comunidades carentes, o que na verdade foi a ampliação dos Grupamentos de Policiamento em Áreas Especiais (GPAE) e à diminuição de um ou outro índice criminal, números que são ótimos para a realização de trabalhos acadêmicos  e para publicação na imprensa, mas que não refletem a verdade das ruas, onde a insegurança da população é total. O cidadão fluminense se sente inseguro em qualquer lugar e em qualquer hora, eis a realidade que vivenciamos.
Sei que serei criticado e, como de costume, citado como um opositor ao governo, alguém que tem interesse político em falar mal do governador e do seu secretário de segurança. Sim, sou crítico ácido de ambos, mas isso não significa que estou agindo politicamente, apenas demonstra que tenho a capacidade de formular as minhas ideias, baseadas na minha experiência pessoal e nos fatos que chegam ao meu conhecimento, fatos esses que quase nunca são difundidos pelos principais meio de comunicação. Sou politicamente incorreto, não faço eco para erros, procuro ser técnico.
Aos detratores lembro que foram nas linhas desse espaço democrático que a partir de 2009 começamos a apresentar as contra-indicações das UPPs, defeitos que a mídia omitiu do grande público por anos e que só recentemente começou a divulgar timidamente. Portanto, antes de criticarem, melhor ler e avaliar.
Eu me esforçarei para escrever artigos sintéticos o suficiente para não desestimular a leitura, mas contendo os aspectos mais relevantes sobre o tema, os que me fazem afirmar que a “política” de segurança pública fracassou no Rio de Janeiro, os quais você poderá incorporar ou discordar, pois o meu objetivo primordial é provocar a discussão.
Nessa introdução devo logo fazer uma confissão no sentido de que o título do artigo (e dos próximos) é incorreto, foi usando para atrair leitores, considerando que não podemos dizer que nesses seis anos de governo, Sérgio Cabral (PMDB) conseguiu implantar uma política de governo para a área da segurança pública, como demonstrarei nos artigos que se seguirão. Nem pensar no estabelecimento de uma política de Estado, o que seria o correto, não se passou nem perto disso. Se você quiser começar a entender sobre a inexistência de uma política de governo, busque no google: “programa de governo Sérgio Cabral 2006”. O primeiro item que aparece é “Programa de Governo”, um arquivo em pdf. Baixe e leia a parte sobre a segurança pública. Compare com a realidade desses seis últimos anos e comece a entender por que não existe uma política de governo. Não existe nem um norte. Se você preferir um texto menor, leia a entrevista que o governador concedeu ao jornal O Globo (2006), na qual ele tratou também da segurança pública (Leia).
Por derradeiro, como manda a boa técnica, esclareço que não escreverei apenas sobre o que considero errado, destacarei os acertos, pois eles existem e citarei as dificuldades que o governador enfrentou nessa área sensível, obstáculos que começaram logo após a sua eleição em 2006 com a nomeação do secretário de segurança, um dos temas do nosso próximo artigo.
Juntos Somos Fortes!

O HOMEM QUE DESMORALIZOU A PATIFARIA - PERCIVAL PUGGINA

Prezados leitores, bom dia!
Tão logo começaram a circular pelo mundo as imagens de Lula e Maluf selando aliança política para beneficiar Haddad no pleito paulistano, a mídia disciplinada pelo PT começou a reprovar o comportamento de Lula. Não o fazer seria escandaloso. Mas era preciso reprovar como quem estivesse surpreso. Como se aquilo fosse uma grande novidade e uma nódoa incompatível com a alva túnica do seráfico ex-presidente. 
Do lado oposicionista, surgiram comentários no sentido de que se tratava de uma aliança entre iguais. Dizia-se que ambos se mereciam. Que seriam parceiros na escassez de escrúpulos. Que os dois seriam dotados de uma consciência maleável como massinha de moldar. Também essa foi minha primeira opinião, até assistir a um debate em que tal afirmação foi feita, recebendo a seguinte contestação de um representante do PT: "Não dá para comparar Lula com Maluf. Lula não é procurado pela Interpol!". Essa frase me levou a colocar os dois personagens nos pratos de uma balança mental das iniquidades. Instalei-os ali, enquanto sopesava as respectivas biografias, que, a essas alturas, enchiam as páginas dos blogs e sites da rede.
Resultado do teste: Maluf foi catapultado para cima enquanto Lula se estatelava embaixo. De fato, Lula não tem condenação criminal. Mas até mesmo na balança de um juízo moral tolerante, é infinitamente mais danoso do que seu parceiro. O que ele fez com a política, com a democracia, com os critérios de juízo dos eleitores e com as próprias instituições nacionais é pior, muito pior do que o prontuário criminal do seu parceiro na eleição paulistana. Os estragos de Maluf se indenizam em São Paulo, com dinheiro, e se punem com cadeia. Os de Lula levarão décadas para serem retificados na consciência nacional e nas instituições do país. 
A sociedade, em algum momento, emergirá da letargia produzida pelo carisma do ex-presidente e pela rede de mistificações em que se envolve. Compreenderá, então, que o modo de fazer política introduzido por Lula conseguiu desmoralizar a patifaria. Antes dele havia um certo recato na imoralidade. As vilanias eram executadas com algum escrúpulo. Quando alguém gritava que o rei estava nu, as pessoas olhavam para as partes polpudas do rei e se escandalizavam. Com Lula, as pessoas olham para o lado. Não querem ver. São como os julgadores de Galileu que se recusavam a olhar pelo telescópio com que ele lhes queria mostrar o universo: "Noi non vogliamo guardare perché se lo facciamo potremmo cambiare". Não olham porque mudar de opinião pode custar caro.
Então, o rei aparece no jardim, nu como uma donzela de Botticelli, e as pessoas olham para o Maluf, de terno e gravata com ar de escândalo. Se isso não é a desmoralização da moral, se a influência de Lula nos costumes políticos não nos submete, como cidadãos, aos padrões próprios de um covil de velhacos, então é porque - ai de mim! - em algum lugar do passado recente, perdi a visão e a razão.
* Percival Puggina (67) é arquiteto, empresário, escritor, titular do site www.puggina.org, articulista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país, autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia e Pombas e Gaviões.
Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 29 de junho de 2012

POR QUE FRACASSOU A "POLÍTICA" DE SEGURANÇA PÚBLICA DO GOVERNO SÉRGIO CABRAL

Marcha dos PMs e BMs
27 JAN 2008
Eles queriam mudar a segurança pública
o governo Sérgio Cabral os exonerou

O nosso próximo artigo tratará do fracasso completo da "política" de segurança pública do governo Sérgio Cabral (PMDB). Nele abordaremos os principais equívocos praticados na gestão da importante área e que no conjunto da obra resultaram no medo que a população do estado do Rio de Janeiro experimenta, sempre que precisa sair de casa.
O objetivo é promover a discussão, como fizemos desde a implantação da primeira UPP, sem encontrarmos eco na imprensa sobre as inúmeras contra-indicações do projeto. 
Não custa lembrar que identificando os erros poderemos redirecionar as ações, sendo esse o primeiro e o decisivo passo para a construção de uma política estadual de segurança pública, algo que ainda não existe no Rio de Janeiro.
Juntos Somos Fortes!

HERÓIS ENCARCERADOS EM BANGU 1 - NOVO CAPÍTULO


Hoje publiquei um novo artigo do livro online "Heróis Encarcerados em Bangu 1" (Leiam), nele explico como um Coronel PM, um ex-Corregedor Interno, acabou se transformando em "sindicalista" e jornalista amador na luta pela cidadania dos militares estaduais. Penso que esses esclarecimentos sejam importantes para demonstrar como foram arbitrárias as ações do governo estadual na repressão da mobilização dos heróicos Policiais Militares e Bombeiros Militares.
No próximo capítulo estaremos de volta à Cinelândia, um verdadeiro caldeirão de PMs e BMs mobilizados.
Juntos Somos Fortes!

UPPs - BOMBA! POLICIAL MILITAR É FERIDO DURANTE CONFRONTO EM COMUNIDADE PACIFICADA

As imagens que vocês verão foram transmitidas ontem no Jornal da Rede Bandeirantes e colocam mais lenha na fogueira dos boatos que circulam a respeito do fato de que nas comunidades pacificadas os PMs não podem circular livremente por toda comunidade, alguns espaços ainda pertencem aos traficantes de drogas. 
Os referidos boatos também têm sido reforçados com os casos de corrupção nas UPPs, os quais podem ser decorrentes de acordos para os PMs não atuarem nos locais onde funcionariam as bocas de fumo, em troca de propinas. 
O que não resta qualquer dúvida é que polícia e bandido não podem conviver no mesmo espaço, pois isso estimula a corrupção policial, como temos escrito nesse blog. Os efetivos das UPPs devem reprimir o tráfico de drogas em toda comunidade e em todas as comunidades ocupadas. Essa deve ser a missão, caso contrário, o poder nas comunidades com UPPs continuará sendo metade do governo e metade dos traficantes, enquanto a corrupção policial só tende a crescer. 
Juntos Somos Fortes!

GESTÃO DE UPAs - ESCÂNDALO DO RIO GRANDE DO NORTE PODE CHEGAR AO RIO DE JANEIRO

Prezados leitores, bom dia! 
Ouvi que o escândalo que estourou na área de saúde do governo do Rio Grande do Norte sobre a gestão das UPAs poderia alcançar o Rio de Janeiro, tendo em vista que a Associação Marca atua nos dois estados. 
Vamos aguardar. 
1) TRIBUNA DO NORTE:
Operação Assepsia: Justiça determina a prisão de nove pessoas por irregularidades na SMS Publicação: 27 de Junho de 2012 às 09:13 O Ministério Público do Rio Grande do Norte, por meio da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público da Comarca de Natal e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), deflagrou na manhã desta quarta-feira (27), com o apoio da Polícia Militar do Estado, a Operação Assepsia, que investiga a contratação de supostas organizações sociais pelo Município de Natal, com atuação na área da saúde pública. Ao todo, nove mandados de prisão foram expedidos. Estão entre os presos o secretário de Planejamento de Natal, Antônio Luna, e o ex-secretário de Saúde Thiago Trindade. Até o momento, somente dois estão foragidos: o procurador do município Alexandre Magno Alves de Souza (que informou que vai se entregar) e o empresário Tufi Soares Meres, que estaria no Rio de Janeiro. 
(...) 
São investigadas as contratações do Instituto Pernambucano de Assistência e Saúde - IPAS, entidade que primeiro administrou a UPA do bairro de Pajuçara, do Instituto de Tecnologia, Capacitação e Integração Social - ITCI, contratado para gerir o Projeto Natal contra a Dengue, e também da Associação Marca para Promoção de Serviços, atualmente responsável pelos contratos de gestão da UPA Pajuçara e dos Ambulatórios Médicos Especializados - AMES mantidos pelo Município de Natal (Leiam na íntegra).
Leiam a seguir o contido no site do governo do estado do Rio de Janeiro:
2) SITE DO GOVERNO D ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Selecionadas as OSs para gestão de UPAs do governo do estado
16/05/2012
O resultado do processo de seleção das Organizações Sociais (OSs) que farão a gestão de 26 Unidades de Pronto Atendimento saiu publicado na edição do Diário Oficial desta terça-feira, 15 de maio. As UPAs foram divididas em sete lotes agrupados por região do estado e, das nove OSs com qualificação para participar, seis foram selecionadas.
São elas: no lote Nova Iguaçu 1 (Cabuçu), Nova Iguaçu 2(Botafogo), Belford Roxo e Queimados, foi selecionado o Instituto Data Rio (IDR). No lote, São João de Meriti, Nilópolis e Mesquita, foi selecionada a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. No lote Duque de Caxias 1 (Parque Lafaiete), Duque de Caxias 2 ( Sarapuí), Magé, foi selecionada a Associação Marca Para Promoção de Serviços. No lote Copacabana, Botafogo, Tijuca, Jacarepaguá, foi selecionado o Hospital Maternidade Therezinha de Jesus. No lote Maré, Ilha do Governador, Irajá, Penha, Engenho Novo foi selecionada a Viva Comunidade. No lote Santa Cruz, Campo Grande 1, Campo Grande 2, foi selecionada a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. No lote, Bangu, Realengo, Marechal Hermes, Ricardo de Albuquerque, foi selecionado o Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Leiam na íntegra).
Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 28 de junho de 2012

RIO - COMUNIDADES PACIFICADAS - A POLÍCIA MILITAR NA BERLINDA


Ontem, as comunidades pacificadas e as suas UPPs estiveram na berlinda, sendo fontes de notícias para a imprensa.
Na comunidade do Fogueteiro surgiu a denúncia de que um jovem teria sido executado por Policiais Militares (Leiam) e na comunidade da Mangueira, 12 (doze) Policiais Militares da UPP foram presos acusados de extorsão (Leiam).
Nem tudo foram notícias ruins, isso é certo, pois o governo inaugurou duas novas UPPs no Complexo do Alemão e o secretário de segurança anunciou a instalação de uma UPP na Baixada Fluminense, não informando a data (Leiam).
As UPPs têm sido o carro chefe da propaganda do governo do PMDB do Rio de Janeiro e não deve ser diferente nas próximas eleições, quando o candidato à reeleição no município do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, deverá usar e abusar de visitar as UPPs e de colar seu nome a elas. Aliás, Eduardo Paes (PMDB) tem esse direito, afinal é ele quem com o dinheiro público paga as gratificações para os PMs das UPPs, que hoje somam mais de 4.000 homens e mulheres, efetivo de 8 (oito) batalhões da Polícia MIlitar. Cada PM recebe por mês R$ 500,00 de gratificação pagos pela prefeitura, algo da ordem de R$ 2.000.000,00 por mês e de R$ 24.000.000,00 por ano.
O pagamento dessas gratificações é o principal fator inibidor da instalação de UPPs em outros municípios, onde os prefeitos teriam que concordar em pagar esses valores. Como o secretário de segurança anunciou uma UPP na Baixada Fluminense, certamente as negociações devem estar em curso para que o prefeito do município se responsabilize por esse pagamento. Apenas para estabelecer um referencial, uma UPP com 200 PMs custará para a prefeitura com o pagamento das gratificações um total de R$ 100.000,00 por mês e R$ 1.200.000,00 por ano.
No concernente às denúncias de extorsão, elas surgirão de tempos em tempos nas UPPs, pois ela nascem de um erro de projeto que pode ser identificado no próprio discurso governamental no sentido de que as UPPs não visam acabar com o tráfico nas comunidades, mas sim retomar o território e coibir a exibição de armas. Isso faz com que ocorra uma convivência entre os Policiais Militares e o tráfico que continua existindo nas comunidades, como a mídia já noticiou algumas vezes. Tal coexistência é um prato feito para a corrupção policial, todos que militam na área da segurança pública conhecem tal verdade. Situação semelhante, por exemplo, ocorre nas ruas com relação ao jogo dos bichos, que funciona em cada esquina do Rio de Janeiro. O processso é idêntico e a corrupção policial se instala para não incomodar o bicho, como também ocorrerá nas UPPs para não incomodar o tráfico.
As UPPs têm vários aspectos positivos, mas também possuem inúmeras contra-indicações, como temos denunciado desde 2009 nesse espaço democrático, sem encontrarmos o eco necessário. Tal realidade chega a ser engraçada, considerando que quando um "estudioso" de segurança pública faz uma crítica idêntica ou semelhante a que fazemos há anos, a imprensa divulga. Temos destacado que outro erro de projeto das UPPs é a não prisão dos criminosos para a implantação das UPPs, pois só ocorre uma transferência entre comunidades e uma troca de atividade criminosa.  Pegue esses conceitos e compare com o conteúdo da matéria que O Globo online publicou sobre o aumento de alguns crimes (Leiam), certamente entenderá o nosso posicionamento.
Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR, O DESABAFO DE UMA POLICIAL MILITAR

 
Prezados leitores, bom dia!
Mensagem recebida:
"Prezado Cel Paúl,
Não há palavras que possam descrever com realismo tal aberração do episódio "Bangu 1". Covardia?!Vergonha?! Absurdo?! Qualquer tentativa de denominação seria pequena diante de tamanha insolência por parte do atual Governo do Estado.
Estamos vivendo um verdadeiro TOTALITARISMO em nosso Estado.
Sim, totalitarismo, pois não temos espaço para democracia, menos ainda para proteção dos direitos individuais e da dignidade da pessoa humana.
Sim, totalitarismo, pois querem nos proibir de pensar, criticar, expor ideias (vide as censuras feitas sobre as redes sociais), e querem nos obrigar a pensar em conformidade com o sistema!
Sim, totalitarismo, haja vista a verdadeira censura e controle dos meios de comunicação (revistas, jornais, rádio), onde se veiculam apenas informações pró-governo Sérgio Cabral. 
Sem contar o dinheiro público gasto  com propagandas governamentais sempre exaltando o Governo. Onde está o espaço para o contraponto? Simplesmente não existe nesse (des)governo.
Tenha certeza que a autoestima dos profissionais de segurança virou pó, lamentavelmente. Eu, por exemplo, sinto-me envergonhada por saber que estou de mãos atadas e boca vedada. Não posso tecer críticas, opiniões pessoais etc, nem mesmo na minha página do Facebook. Sinto-me uma covarde. Isso tudo porque tenho medo de perder o meu emprego, qual lutei para conquistar, alcancei com dignidade e ocupo com legitimidade.
Os profissionais em Segurança Pública não sentem segurança jurídica. Aí é que está o ponto que tanto me preocupa. A Justiça brasileira, em especial no Rio de Janeiro, está totalmente ao lado do Sérgio Cabral. O Judiciário está "legislando" por meio das suas aberrações jurisprudenciais. Uma vergonha! Da mesma forma, o Executivo não se vê obrigado a cumprir a lei, nem as decisões judiciais (e isso está ocorrendo em todas as esferas políticas). É muita certeza de impunidade.
Gostaria muito de poder postar isso tudo que estou escrevendo ao sr. na mídia, na Internet, etc, mas infelizmente não posso fazê-lo sem o anonimato. Triste, triste...
Quero que o sr saiba que muitos oficiais estão atentos a tudo que está acontecendo.
Muito obrigada por sua luta, Cel.
Respeitosamente,
Policial Militar"
Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 27 de junho de 2012

QUER COMPRAR O MARACANÃ? POR QUE EDUARDO PAES (PMDB) PERDERÁ A ELEIÇÃO?

Sérgio Cabral  Eduardo Paes
O Rio é uma festa

Ex-BLOG DO CESAR MAIA 
PRESIDENTE DO DEM-RIO LEMBRA FLEXA RIBEIRO NA CONVENÇÃO QUE LANÇOU A CHAPA RODRIGO-CLARISSA ! 
1. Na convenção de ontem, em que DEM e PR oficializaram a chapa a prefeito dos deputados Rodrigo e Clarissa e as chapas de Vereadores de cada um dos partidos, o presidente do DEM-RIO, ex-prefeito Cesar Maia, falando em nome do Partido, lembrou a derrota de Flexa Ribeiro para Prefeito do Rio/Governador da Guanabara, em 1965. 
2. Era uma eleição de reeleição —disse ele— onde o governador/prefeito Carlos Lacerda repetia sempre que era como se fosse a sua eleição, pois sua vitória pavimentaria seu caminho à Presidência da República. Lacerda, bem avaliado, contava como certa a sua “reeleição” através de seu secretário de educação e dono de colégio particular. Mas, no final, perdeu, vencendo Negrão de Lima. 
3. Por quê? Afinal, disse o presidente do DEM-RIO, o governo Lacerda teve apoio pessoal, com fotos e filmes, do presidente John Kennedy, na primeira parte do governo, incluindo grandes empréstimos para suas obras. Era referência do presidente Castelo Branco. E, em seu governo, foram feitas obras de verdade, como o Túnel Rebouças, o abastecimento de água do Guandu, o Aterro do Flamengo, etc.. Muito, muito, diferente de umas pracinhas e um túnel que foram feitos nestes últimos quase 4 anos, além de obras inacabadas que mal chegaram à metade, afirmou ele. E tinha bons índices de avaliação, aliás, maiores que os atuais. 
4. Ambos fizeram muita publicidade. Lacerda com filmes na TV, com acesso quase diário a TV e Rádios, com apoio aberto de parte significativa da imprensa. Um dos filmes —de 10 minutos—, realizado por Jean Manzon, tinha como título e slogan “O Rio Antes de Carlos Lacerda”, com imagens comparativas. A bem dizer, publicidade em boa medida, orgânica de Lacerda e..., inorgânica/virtual/editada, agora nestes últimos anos. 
5. Mas por que Lacerda (Flexa Ribeiro) perdeu a eleição? Por três razões, disse Cesar Maia. Primeiro, pela humilhação e violência impostas aos mais pobres, no processo de remoção de favelas. A segunda foi o voto contrário dos servidores públicos, que ficaram à margem das prioridades do governo e, em junho de 1965, chegaram a ter o pagamento de salários atrasado. Terceiro, pelo caos no trânsito, ao substituir os bondes —transporte de massa sobre trilhos— por lotações (micro-ônibus), cujos donos ainda são, HOJE, os principais controladores do sistema de ônibus, e introduzido pífios ônibus elétricos de grande capacidade. 6. E concluiu dizendo que a história política deve ser estudada em seus ensinamentos que permanecem num ciclo e, no caso, fatos que se repetiram de lá até hoje e que sempre levaram à derrota eleitoral políticos e governos que humilharam os pobres, desconsideraram os servidores públicos e o serviço público e deram aos ônibus o controle do transporte público. 
 * * *
TRÂNSITO: O PIOR DA RIO+20 ! 
1. Especialistas e autoridades ficaram assustados. O Trânsito na Rio+20 foi o caos completo. As passeatas no Centro só ajudaram a prefeitura do Rio as usar como desculpa. E na Linha Vermelha? E na Zona Sul? E na Barra? E o Centro nos dias ou horários sem passeata? 
2. O COI (Comitê Olímpico Internacional) deu nota 10 à gerência de tráfego no PAN-2007. Agora, a nota dada por quem ficou responsável por avaliar, com vistas à vinda do Papa em 2013, Copa-2014 e JJOO-2016, foi ZERO. 
3. Segundo os responsáveis vieram ao Rio para a Rio+20, 110 mil pessoas. Em 2013, para as Jornadas Católicas, virão —por baixo— 500 mil. Para os JJOO-2016 só entre atletas, equipes e jornalistas serão quase 40 mil. Imagine agregando os que virão assistir as centenas de modalidades. 
4. Por que não reconstituir a equipe de planejamento e gestão de tráfego do PAN-2007 e começar a trabalhar logo? Essa é uma emergência sob pena dos eventos serem diluídos pelo caos no trânsito. Na Rio+20, com passeatas, índios, seios, protestos de gênero, maconha..., o caos no trânsito fez parte da coreografia. Não será assim em outros eventos. 
* * *
ESTARRECEDOR: PMDB-PT MASSACRAM APOSENTADOS E VIÚVAS ! 
1. (Ilimar Franco - Panorama Político - Globo, 24) “O Ministro da Previdência, Garibaldi Alves (PMDB), fechou uma proposta de reforma, que prevê restrição de benefício aos pensionistas. Ela pretende reduzir as pensões do INSS para quem ficar viúvo de agora em diante, reduzindo em até 50% seu valor. Uma das regras prevê que um novo casamento extingue o direito à pensão.” 
2. (Ex-Blog) Esse será o maior arrocho salarial contra aposentados e pensionistas da história do Brasil e provavelmente do mundo todo. Nem o neoliberal mais radical proporia tamanho arrocho aos proventos e pensões. Mais uma iniciativa antissocial, anti-humana do PMDB-PT. 
* * *
CABRAL VENDE TUDO : BATALHÕES, DELEGACIAS, IMÓVEIS E ATÉ O MARACANÃ ! 
1. Em seu furor comercial e privatizante, Cabral colocou à venda imóveis, Batalhões da PM, delegacias, unidades de saúde..., e agora até o Maracanã. Bom negócio. O Estado investe 1 bilhão de reais para reformar e depois entrega o Maracanã por uns trocados. Quem será o amigo contemplado? Haverá festa em Paris para comemorar? E dança dos guardanapos? 
2. No Globo, na parte de Esportes, no dia 22/06, a secretaria — que, é bom lembrar, está ali como representante do prefeito da capital —, declarou em alto e bom som: “Quando o Maracanã estiver pronto já o concessionário privado terá sido escolhido”.
3. Como Cabral tem dito que entregará em janeiro de 2013, faltam apenas seis meses para a privatização do Maracanã. Seis generosos meses eleitorais. Este Ex-Blog vai publicar, em classificados de um grande jornal, na semana que vem, o nome do felizardo, antes mesmo do edital ser baixado. 
Juntos Somos Fortes!

UMA AMEAÇA À DEMOCRACIA - FENAPEF


FEDERAÇÃO NACIONAL DOS POLICIAIS FEDERAIS
Uma ameaça à democracia 
Causou estranheza à imensa maioria dos policiais federais a ameaça capitaneada pela Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) da possibilidade de greve de AGENTES e delegados durante o processo eleitoral do mês de outubro. O alerta sobre a “possível” greve foi feito pelo presidente da ADPF, Marcos Leôncio Ribeiro à presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia. 
Diante da ameaça feita pelo presidente da ADPF, a Federação Nacional dos Policiais Federais esclarece que não compactua com qualquer movimento corporativo que ameace colocar em xeque um bem tão precioso conquistado pelos brasileiros: A DEMOCRACIA.
Ao longo dos últimos anos esta Federação tem mergulhado numa luta por um país democrático e movido pela vontade de seus cidadãos. Neste sentido, não concordamos em fazer do instituto da eleição uma moeda de troca com vistas ao atendimento das legítimas aspirações sindicais.
Nossas lutas e greves históricas nos mostraram que a mobilização sindical não é feita com ameaças e bravatas. É feita, isso sim, por vontade, indignação, iniciativa e coragem.
Sabemos que vivemos uma encruzilhada nas negociações com o governo federal, à medida que se aproxima a reta final das negociações. Assim, diante de um impasse no diálogo com os entes governamentais, a Federação Nacional dos Policiais Federais, seus 27 sindicatos filiados e mais de 13 mil servidores representados podem exercer seu sagrado direito de protestar e reivindicar E ASSIM O FAREMOS SE FOR NECESSÁRIO.
No entanto, não nos parece honesto o presidente da associação dos delegados ameaçar um movimento grevista durante as eleições municipais incluindo em seu “movimento” os agentes de Polícia Federal. Ele não os representa, não fala por eles e sequer tem legitimidade para tanto.
Por fim, esclarecemos que encaminhamos ofício à ministra Cármem Lúcia recolocando os fatos em seu devido lugar. Ressaltamos a ela, o compromisso dos policiais federais com o País, com as eleições e com o povo brasileiro.
Estaremos de norte a sul do Brasil garantindo este pleito!
Marcos Wink
Presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais
Juntos Somos Fortes!

A HIPÓCRITA "GUERRA DO PARAGUAI" - MARIA LUCIA VICTOR BARBOSA

Prezados leitores, bom dia!
A HIPÓCRITA “GUERRA DO PARAGUAI” 
Maria Lucia Victor Barbosa 
26/06/2012
O Rio+20, é sabido, redundou num monumental fiasco de dimensões globais. A montanha pariu uma carta de intenções rasa como um pires e, para piorar, a presidente Rousseff não ficou bem na foto, especialmente quando foi criticada na “Cúpula de Mulheres”.
Na imensa Torre de Babel teve de tudo: mulheres nuas, índios de cocar e saiote de palha filmando e fotografando com filmadoras e celulares de avançada tecnologia, indefectíveis sem-terra sempre presentes em manifestações e não no cultivo do solo, adeptos da maconha livre, enfim, povos variados que, de algum modo, foram financiados para no Rio de Janeiro fazer turismo em favelas e festejar em casas noturnas e em restaurantes.
Não foi, porém, um carnaval sem alguns contratempos, pois numa espécie de antecipação do que vai ser a Copa de 2014, as delegações estrangeiras tiveram que enfrentar falta de estrutura no aeroporto Tom Jobim, ausência de recepcionistas que falassem inglês, lentidão no trânsito e uma série de confusões e desconfortos que, naturalmente, não foram experimentados pelos chefes de Estado, excluídos os mais importantes que tinham mais o que fazer e não vieram prestigiar o governo brasileiro. Os que compareceram gostaram da carta chinfrim, enquanto as ONGs se recusaram a assinar o insosso documento.
No entanto, a festa global teve um toque interessante. Cientistas se dividiram entre os que dizem que o mundo vai esquentar por conta da intervenção do homem que não cessa de jogar gás carbônico na atmosfera e os que falam numa nova era glacial e excluem a interferência humana nas catástrofes planetárias. Um instigante debate entre ideologia e ciência. Afinal, o cientista que previu as tremendas consequências do aquecimento global voltou atrás em suas teorias que lembravam o fim do mundo para o agrado de milenaristas e, também, de esquerdistas que com a queda do Muro de Berlim resolveram a empunhar a bandeira verde.
Não se pode deixar de mencionar a figura macabra presente ao evento: Mahmoud Ahmadinejad. O que teria o tenebroso personagem vindo fazer no Rio de Janeiro? Aproveitar para abraçar seu grande amigo Lula da Silva? Disseminar a ideia de uma ecologia atômica? Pregar seu terrorismo que iguala os infiéis na morte?
O abjeto presidente do Irã que nega o Holocausto tem em mente, em primeiro lugar, o extermínio de Israel. Em seu país, “democraticamente”, manda apedrejar mulheres, persegue minorias religiosas e homossexuais. Como é “democrático” não tolera a imprensa livre.  Dá “lições de democracia” quando prende, tortura e mata os que contestam suas barbaridades. Entretanto, esse ente abominável, que se mostra avesso aos direitos humanos, é idolatrado por Lula da Silva e seus companheiros que dizem que os problemas do Irã são questão de soberania.
Muito melhor aprender com os judeus sobre desenvolvimento sustentável. Isto porque, Israel é líder mundial em eficiência do uso da água, líder mundial inovador na área de alimentos, líder em tecnologia de energia solar e térmica. Assim, se houve alguma coisa séria e que fizesse a diferença nesse Rio+20, essa coisa foi a presença de representantes de Israel.
Quanto a hipócrita “guerra do Paraguai”, movida em estilo latino-americano, parece que o governo petista não aprendeu com a vexaminosa lição de Honduras. Quem não se lembra da embaixada brasileira transformada em picadeiro de Manuel Zelaya, o adepto de Chávez que tramava, a exemplo deste, conspurcar a Constituição de seu país a fim de se perpetuar no poder?
Acometida por amnésia histórica a presidente Rousseff se apressou em enviar o chanceler Patriota ao Paraguai com recomendação de que falasse grosso com o Congresso daquele país, o que fez cair por terra a teoria da soberania que é sempre apresentada quando o déspota é companheiro.
Cuba, com seu sanguinário e longevo regime castrista é tida pelo governo petista como intocável nação soberana. Chávez, o golpista por excelência, o brutal inimigo da liberdade de pensamento, recebe marqueteiros enviados por Lula para disputar mais uma eleição. Evo Morales, que expropriou a Petrobrás e tem tido problemas com revoltas populares é muito apreciado no Brasil. Cristina Kirchner, que está enterrando a economia argentina, reinventou a guerra das Malvinas para atrair as simpatias do seu povo e fez mais: suspendeu o Paraguai da reunião do Mercosul em Mendoza. Aliás, os nove integrantes do bloco aceitaram a decisão em nome da “ruptura democrática em Assunção”, apesar do impeachment de Lugo ter sido conduzido de acordo com normas constitucionais.
As sanções que o Brasil pretende impingir ao Paraguai em nome de um golpe que não existiu, demonstra a imitação do estratagema de Cristina Kirchner com sua fictícia guerra das Malvinas. Teríamos uma espécie de guerra do Paraguai para tentar distrair as atenções, uma vez que nossa economia segue velozmente ladeira abaixo.
 Contudo, para que não nos envergonhemos novamente é preciso que o Brasil respeite a decisão soberana do Paraguai e deixe que Lugo, em vez da pantomima do governo paralelo, siga sua verdadeira vocação aumentando a prole como um autêntico pai da pátria.
Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga. 
Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 26 de junho de 2012

PARAGUAI: POVO VAI PARA AS RUAS PROTESTAR CONTRA CORRUPÇÃO E PRESIDENTE SOFRE IMPEACHMENT

Os paraguaios foram para as ruas lutar contra a corrupção no dia 12 de junho de 2012, muito antes do processo de impeachment.
Por que os brasileiros não protestam nas ruas contra a corrupção?
BOL NOTÍCIAS: 
'Indignados' paraguaios marcham para protestar contra corrupção. 
12/06/2012 - 17h44 | do UOL Notícias.
ASSUNÇÃO, 12 JUN (ANSA) - Cerca de 10 mil pessoas se reuniram hoje na cidade de Capiatá, a 25 quilômetros ao leste de Assunção, no Paraguai, para protestar contra a corrupção.
A manifestação desta terça-feira foi marcada para aproveitar o feriado e a comemoração do 77º aniversário da Paz del Chaco. De acordo com a imprensa local, eles protestam contra o desvio de cerca de R$ 1,3 milhões de verbas municipais.
A marcha ocorre em meio a uma série de protestos que estão sendo realizados no interior do país, um mês após milhares de manifestantes autointitulados "indignados" conseguirem pressionar o Congresso para vetar uma lei que desviaria fundos públicos.
O projeto liberava US$ 35 milhões para que a Justiça Eleitoral contratasse funcionários para realizar inscrições para as próximas eleições. No entanto, vários parlamentares admitiram que a verba seria usada para financiar a atividade de seus operadores políticos.
Os 'indignados' paraguaios já conseguiram pressionar parlamentares para expor acusações contra ministros da Corte Suprema de Justiça, que conta hoje com sete integrantes acusados de corrupção e inaptidão para exercer seus cargos.
Juntos Somos Fortes!

A POLÍCIA FEDERAL FAZ CHANTAGEM?

Revista Veja

O GLOBO:
Coluna do Ancelmo Gois.
Jogo pesado.
Insatisfeito com o salário, um grupo dentro da Polícia Federal ameaça investigar pessoas próximas de Dilma.
Parece chantagem. E é.
Comento:
A velocidade do mundo determina que falte tempo para a leitura dos artigos com mais de vinte linhas publicados em jornais e revistas. Tal realidade tem feito prosperar as colunas que publicam notas breves e sobre temas variados. Isso faz com que a simples leitura das notinhas contidas nessas colunas renda assunto para o dia todo, sobre os mais diferentes temas. São notas informativas excelentes para iniciar uma conversação, mas que não formam opinião nos bons leitores, inclusive pela ausênca de subsídios para tal. Uma das colunas com esse perfil é a do jornalista Ancelmo Gois, publicada diariamente no jornal O Globo.
Hoje, entre a possível nudez de Vera Fischer e uma audiência a ser realizada na 21a Vara Criminal do Rio, o jornalista informa que o número de homicídios dolosos diminui no Rio de Janeiro e que um grupo da Polícia Federal poderá chantagear a presidente.
Longe de criticar o jornalista, pois como disse a coluna é informartiva, apenas isso, portanto, cumpre a sua finalidade. Penso que na direção da formação de opinião sobre o conteúdo da referida nota, devemos avançar não para a possibilidade da chantagem anunciada em troca de salários, mas sim em quem seriam as pessoas próximas à presidência da república que temeriam uma investigação da Polícia Federal. Isso sim é muito grave.  Outro aspecto relevante é destacar que os Policiais Federais que estariam reclamando dos baixos salários, integram a instituição policial brasileira que paga os melhores salários, superando em muito os salários pagos aos Policiais Militares e aos Policiais Civis do Brasil, excetuando os que integram a PMDF e a PCDF. Enquanto isso, no Rio governado por Sérgio Cabral, os policiais recebem os piores salários do país. Será que seria a hora da Polícia Civil ameaçar investigar as pessoas próximas ao governador?
Eu torço para que as duas coisas aconteçam, ou sejam, que os Policiais Federais consigam o aumento pretendido e que investiguem todas as pessoas próximas à presidente Dilma que estejam dando motivos para tal ação, lenvando todos e todas para os tribunais.
Juntos Somos Fortes!

BOLÍVIA: POLICIAIS EM GREVE



Ex-BLOG DO CESAR MAIA.
BOLÍVIA: SEGUE A GREVE, MOTIM E PROTESTOS DOS POLICIAIS!
(El País, 25) O acordo assinado entre o governo boliviano e dirigentes sindicais da polícia, na madrugada de domingo, não logrou acabar com a greve/motim policial que deixou o país sem agentes de segurança desde quinta-feira. A tropa rechaça o documento e decidiu seguir com os protestos. O governo, por sua parte, fala em uma conspiração contra o presidente Evo Morales.
Fotos do protesto (Link).
Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR – REGIME ADICIONAL DE SERVIÇOS (RAS)



Um leitor do nosso blog solicitou esclarecimentos sobre o RAS, assim sendo, publicamos um link para o decreto que trata do tema (Leiam).
Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR - PROEIS – MACAÉ



Prezados leitores, bom dia!
MENSAGEM RECEBIDA:
"Bom dia Coronel.
Eu sou PM e estou trabalhando no PROEIS, desde o mês de abril e até agora ninguém recebeu um centavo sequer.
A prefeitura de Macaé já informou que está pagando em dia a PMERJ só que a PM por motivo desconhecido não repassa os valores para os praças que já estão ficando desmotivados.
Muitos colegas deixaram suas seguranças que pagavam pouco mas era dinheiro certo e o PROEIS está mostrando ser duvidoso.
Gostaria de que o Sr. na medida do possível buscasse uma explicação para nós.
Um grande abraço!"
Comento:
O espaço está aberto para a PMERJ fornecer os esclarecimentos que julgar convenientes.
Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

POLICIAIS CAÇADOS EM SÃO PAULO E NO RIO DE JANEIRO

Sérgio Cabral e Eduardo Paes
O Rio é uma festa

A mídia tem destacado a caçada empreendida pelos criminosos de São Paulo aos Policiais Militares, uma afronta que deve ser tratada com a seriedade necessária pelo governo paulista.
Vale lembrar que no Rio de Janeiro a situação não é diferente, conforme evidencia o blog Pauta do Dia da jornalista Roberta Trindade (Leiam).
No Rio em 2012 um total de 31 (trinta e um) policiais foram assassinados no Rio de Janeiro.
Juntos Somos Fortes!

A RIO + 20 E A GARRAFINHA DE ÁGUA MINERAL

Baía de Guanabara

Ontem, eu caminhava pela Avenida Dom Hélder Câmara, antiga Avenida Suburbana, que corta o bairro do Cachambi. Em dado momento vi um jovem que atravessava a via e que ao alcançar o meio do trajeto, lançou uma garrafinha plástica com precisão no canteiro central. O mal educado agiu com toda naturalidade, deve fazer isso habitualmente, mas talvez tenha sido impulsionado também pelo fato de que as ruas da região são imundas, assim como, mal iluminadas e com calçadas em mau estado de conservação.
Na semana passada gastamos quase 200 milhões para organização da Rio +20, uma conferência mundial sobre o desenvolvimento sustentável. Uma grande festa, como gosta o brasileiro, mas sem qualquer efeito prático, denunciaram os especialistas.
Valeu a pena?
Será que vale a pena um país com milhões de miseráveis gastar tanto dinheiro para organizar um evento?
Será que vale a pena um país com uma péssima educação pública, incapaz de ensinar aos jovens um mínimo de cidadania, gastar tanto para fazer uma festa?
Penso que não?
Juntos Somos Fortes!

POR QUE A ALERJ NÃO INSTAUROU A CPI DA DELTA?


Prezados leitores, bom dia!
Por que a ALERJ não instautou a CPI da Delta?
Não existe mais qualquer justificativa, aliás, alguns consideram que existe uma, a qual me recuso a aceitar, ou seja, que a ALERJ só faz o que o governador quer, sendo inteiramente submissa.
Não existe democracia onde o executivo manda no legislativo, isso é inconcebível.
A CPI da Delta deve ser instaurada de imediato. 
REVISTA ÉPOCA:
Na trilha dos milhões da Delta ÉPOCA identifica no Rio de Janeiro uma rede de empresas sonegadoras de impostos. Uma delas recebeu dinheiro do esquema Cachoeira-Delta, seguindo o mesmo padrão adotado. pelo grupo no Distrito Federal HUDSON CORRÊA, MARCELO ROCHA E MURILO RAMOS. 
Desde que descobriu que R$ 40 milhões saíram das contas da construtora Delta, sediada no Rio de Janeiro, para empresas de fachada, a CPI do Cachoeira patina na investigação da lavagem de dinheiro. A apuração pode esbarrar até em caixa dois de campanhas eleitorais, possibilidade que tira o sono de muitos políticos. A Delta tinha contratos milionários com órgãos públicos. Em troca, pode ter desviado recursos do Erário para a corrupção. Enquanto a CPI não sai do lugar, ÉPOCA descobriu no Rio de Janeiro uma teia que sonegou R$ 300 milhões em Imposto de Renda e contribuições para a Previdência entre os anos de 2000 e 2004. Essa nova rede, até agora desconhecida dos parlamentares, está ligada a uma empresa fantasma já investigada pela CPI. A movimentação ilegal ocorreu dentro do período que a CPI se propôs a apurar: os últimos dez anos (Leiam).
Juntos Somos Fortes!

domingo, 24 de junho de 2012

HERÓIS ENCARCERADOS EM BANGU 1


Prezados leitores, bom dia!
Nós, Policiais Militares que ficamos presos na penitenciaria conhecida como Bangu 1, combinamos escrever um livro sobre esse período de sofrimento, uma página de terror escrita na história da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Infelizmente, ainda não conseguimos reunir todos os relatos, o que é compreensível pois tanto os Oficiais, quanto os Praças, que foram torturados física e psicologicamente, estamos envolvidos em nossas defesas nos procedimentos administrativos disciplinares e no inquérito policial militar.
Ontem, objetivando animar os heróis encarcerados em Bangu 1, comecei a publicar uma narrativa sobre a maior violência já praticada por um comando geral contra seus próprios subordinados, isso em mais de 200 anos de história corporativa (Leiam).
Torço para que o principal objetivo seja alcançado e que todos concluam seus relatos, mas espero também despertar a indignação geral diante de tamanha violação de direitos e de prerrogativas e com isso aumentar as cobranças para que os responsáveis sejam devidamente responsabilizados.
Juntos Somos Fortes!

sábado, 23 de junho de 2012

AS ELEIÇÕES, OS POLICIAIS MILITARES E OS BOMBEIROS MILITARES


 
A luta nas ruas dos Policiais Militares e dos Bombeiros Militares do Rio de Janeiro para a obtenção de salários dignos e de adequadas condições de trabalho, começou em 2007 e está tendo continuidade nesses anos, com maior ou menor número de mobilizados. Nesses seis anos de luta aconteceram duas eleições (2008 e 2010) sem que os militares estaduais participantes da mobilização conseguissem vitórias por meio da eleição dos candidatos que integravam as mobilizações. As derrotas ocorreram em razão da falta de união dos integrantes das duas corporações, que não conseguiram se organizar para escolher os candidatos prioritários e para proporcionar a eles os votos necessários através do esforço de cada um. Os Bombeiros chegaram a experimentar uma mudança em 2010, quando começaram a organizar o processo eleitoral interna corporis e estiveram muito próximos de eleger um deputado federal pelo PV, o Capitão BM Lauro Botto, que é suplente e pode herdar uma cadeira na Câmara dos Deputados no caso de algum deputado federal do partido se eleger prefeito nas próximas eleições.  Por sua vez na Polícia Militar, os erros continuaram e nenhum candidato chegou perto de ser eleito.
Nos nossos tristes dias no Rio de Janeiro, a mobilização está sufocada e não conseguimos reunir uma dúzia de mobilizados nas ruas. Apesar dessa realidade, os mobilizados não podem desistir de eleger os seus representantes. Os Bombeiros precisam aprimorar o processo iniciado em 2010 e os Policiais Militares precisam dar os primeiros passos. É prioritário escolher os candidatos a serem apoiados em cada município, uma escolha que deve ser a mais criteriosa possível e partir para a conquista dos votos nos quartéis e nas ruas.
Organizados, venceremos.
Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR: SALÁRIOS JUSTOS E VENDA DAS FOLGAS


 
O governo estadual implantou dois programas na PMERJ (PROEIS e RAS) os quais em síntese têm como objetivo reforçar o policiamento nas ruas através do emprego de Policiais Militares que estão de folga, pagando uma gratificação por cada folga que os militares vendem. Assim o governo oficializou o “bico”, o segundo emprego. Sem dúvida, se comparamos a informalidade do “bico” por meio da prestação de serviço de segurança (via de regra) para particulares, com o “bico oficial” no qual o Policial Militar trabalha no segundo emprego atuando no policiamento ostensivo, a nova modalidade é vantajosa para todos: população, PMERJ e Policial Militar. A crítica que se faz é que o caminho correto seria pagar salários justos aos PMs para que eles pudessem usar as suas folgas para o descanso, o lazer e a convivência com seus familiares.
Diante dessa realidade, proponho uma reflexão.
Certamente, antes de implantar esse trabalho nas folgas, o governo fez um estudo para avaliar se os PMs suportariam essa sobrecarga de serviço, considerando o desgaste físico e emocional da atividade. O resultado só pode ter sido na direção de que os PMs suportarão, tanto que os programas foram implantados, existindo um limite máximo de doze serviços de oito horas por mês.
Pergunto:
Por que não reestruturar as escalas de maneira que os PMs tirassem por mês a soma dos serviços normais e das folgas vendidas, incorporando a gratificação no salário?
Segundo a mídia a SESEG informou que um Soldado PM ganha por mês cerca de R$ 1.600,00 e que vendendo doze folgas ele ganharia mais R$ 1.800,00. Portanto, alterando a escala ele trabalharia dentro do limite considerado adequado pelo governo e o salário dos Soldados da PMERJ passaria para R$ 3.400,00.
Parece um raciocínio simplório, mas esconde uma dura verdade.
Por que o governo não faz isso?
Qual seria o problema?
Fácil, o governo não quer pagar esse salário para todos os ativos e nem para os inativos.
O atual governo estadual a cada dia estabelece novos meios de pagar mais para poucos, relegando a maioria dos ativos e a totalidade dos inativos aos salários miseráveis.
Tropa dividida, tropa fraca.
Se você ainda tem alguma dúvida, procure um Coronel PM da ativa que reclame do governo estadual. Adianto que não vai achar um, tendo em vista que as gratificações recebidas são espetaculares.
Tropa dividida, tropa fraca.
Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR

Prezados leitores, bom dia!
 

Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 22 de junho de 2012

O IMPEACHMENT DE LUGO

REVISTA VEJA: 
Blog do Reinaldo Azevedo. 
22/06/2012 - às 19:28 hs. 
Destituição de Lugo é constitucional e democrática; diplomacia brasileira, mais uma vez, dá vexame.
Posso começar este novo artigo sobre a crise do Paraguai com o Artigo 225 da Constituição do país, que trata justamente do impedimento do presidente por mau desempenho? Vamos a ele:

El Presidente de la República, el Vicepresidente, los ministros del Poder Ejecutivo, los ministros de la Corte Suprema de Justicia, el Fiscal General del Estado, el Defensor del Pueblo, el Contralor General de la República, el Subcontralor y los integrantes del Tribunal Superior de Justicia Electoral, sólo podrán ser sometidos a juicio político por mal desempeño de sus funciones, por delitos cometidos en el ejercicio de sus cargos o por delitos comunes.
La acusación será formulada por la Cámara de Diputados, por mayoría de dos tercios. Corresponderá a la Cámara de Senadores, por mayoría absoluta de dos tercios, juzgar en juicio público a los acusados por la Cámara de Diputados y, en caso, declararlos culpables, al sólo efecto de separarlos de sus cargos, En los casos de supuesta comisión de delitos, se pasarán los antecedentes a la justicia ordinaria.
O resultado, como sabem, foi bem superior a dois terços. Na Câmara, a denúncia foi acolhida por 73 votos a 1; no Senado, sua deposição foi decidida por 39 votos a 4. Isso é sinal de que o presidente, com o seu governo sem eixo, em franca colaboração com forças criminosas, havia perdido apoio parlamentar. Foi destituído de acordo com a Constituição democrática do país. Se não apelar para o vale-tudo, transfere o poder para seu vice, Federico Franco, e pronto. Em abril de 2013, estão previstas as eleições gerais.
Não adiantou a pressão da Unasul, com destaque para o papel equivocado de sempre da diplomacia brasileira, que tentou intimidar o Parlamento paraguaio. Escrevi hoje um post sobre um entendimento muito particular que as esquerdas latino-americanas passarama ter do seja “golpe”. Se o sistema não lhes dá licença para transgredir as leis, então elas gritam: “golpe!” Uma ova!
No Paraguai, triunfou a lei. É tão evidente a vinculação de Fernando Lugo com os ditos sem-terra, convertidos em força terrorista, que os dias a mais  para a defesa não fariam diferença no mérito. No máximo, esticariam o tempo do impasse e dariam tempo para a articulação das tentações, estas sim, antidemocráticas que buscariam manter Lugo no poder na base do grito.
O melhor que este ex-bispo fazedor de filhos tem a fazer é cair fora sem resistência. O sistema democrático pode sobreviver sem ele. E que o novo presidente tenha coragem e força para apurar as circunstâncias do confronto que resultou na morte de 17 pessoas. O resultado da votação na Câmara e no Senado é muito expressivo. Os parlamentares não se deixaram intimidar pela pressão de governos do subcontinente ideologicamente alinhados com Lugo. Eles deveria ter-se lembrado — espero que o Itamaraty tenha feito a devida advertência a Dilma — que o Venezuela ainda não faz parte do Mercosul justamente porque o Senado paraguaio se nega a aceitar a companhia do Beiçola de Caracas.
Governos latino-americanos tentaram criar uma nova “Honduras”. Lembram-se da novela sobre a deposição do chapeludo Manuel Zelaya e da confusão armada por Celso Amorim? Pois é… Também naquele caso, um presidente eleito tentou atropelar a Constituição que o elegeu. E mereceu a devida resposta do Parlamento. Parlamento, reitero, que também representa a vontade do  povo.
Cumpre aos governos latino-americanos — ao do Brasil, em especial, em razão de sua natural liderança — apoiar o novo governo do Paraguai, que se constitui segundo as leis. E a diplomacia brasileira recebe mais uma lição depois de um novo vexame: é preciso pensar um pouco antes de sair atirando. Ficamos sabendo que Dilma considerava “golpe” a ação legal contra Lugo. E agora?
Um governo que não sabe distinguir legalismo de golpismo chama de golpe o que é legal e acaba sendo obrigado a declarar legal o que acha ser golpe.
Por Reinaldo Azevedo.
Juntos Somos Fortes! 

POLICIAIS MILITARES CAÇADOS EM SÃO PAULO

1) ÚLTIMO SEGUNDO:
Quatro policiais são mortos em São Paulo em uma semana.
Um policial militar foi morto na zona sul, na noite de ontem, e outro foi executado na manhã desta sexta, no Grajaú.
Agência Estado | 22/06/2012.
Quatro policiais militares foram mortos esta semana em São Paulo. O caso mais recente aconteceu na manhã desta sexta-feira (22), na região do Grajaú, na zona sul de São Paulo. Segundo a PM, por volta das 5h, o soldado Osmar Santos Ferreira, do 16º Batalhão, em Rio Pequeno, foi atingido por um tiro na cabeça após ser abordado por criminosos que estavam em um veículo na avenida Prefeito Paulo Lauro. Ele foi socorrido ao Pronto-socorro do Grajaú, mas não resistiu aos ferimentos. Os bandidos fugiram (Leiam). 
2) SBT Brasil.
Mais dois policiais militares são executados em SP. 
Publicado em 22/6/2012 às 20:10. 
Nos últimos dez dias, seis policiais foram mortos fora do horário de serviço. Dessa vez, Osmar Santos de Ferreira, de 32 anos, foi morto na zona sul da cidade. Quatro homens abordaram o soldado, enquanto ele pilotava sua moto, e o executaram. 
Já Paulo César Lopes foi baleado quando fazia compras em um supermercado. Além disso, bandidos atacaram duas bases móveis da Polícia Militar em M´Boi Mirim e Itaquera, zona leste de São Paulo (Assistam a reportagem).
Juntos Somos Fortes!

PROBLEMA BRASILEIRO: O BOM HUMOR


Prezados leitores, bom dia!
O brasileiro é muito bem humorado, isso é um fato. 
O brasileiro gosta de festa, isso é outro fato.
As brincadeiras fazem parte do nosso cotidiano, sendo um fator de agregação nos ambientes sociais, sempre que elas não descabam para o mau gosto. Um bom contador de piadas é um indivíduo de sucesso no seu grupo, um agente catalisador da amizade. Em contrapartida, os que se afastam desse comportamento jocoso acabam meio que discriminados. Somos brincalhões por natureza e isso acabou se transformando em um grande problema nacional, o hábito de fazer piada de tudo, não tratanto alguns temas com a seriedade que eles merecem.
O nosso bom humor faz com que transformemos o mundo do futebol, por exemplo, em uma fonte inesgotável de piadas. Vez por outra parece que vibramos mais com a derrota dos times adversários do que com a vitória do nosso time, isso em virtude da possibilidade de fazermos uma gozação. No Rio, flamenguistas parecem vibrar mais com as derrotas do Vasco do que com as vitórias do Flamengo e a recíproca é verdadeira.
O problema é que levamos esse comportamento alegre para os problemas mais sérios do Brasil e acabamos fazendo piadas.
Apelidamos o político mentiroso de Pinóquio, escrevemos artigos, fazemos charges, cartazes e faixas com a imagem do boneco, mas o político continua lá, mentindo.
Anunciamos que a CPMI do Cachoeira vai acabar em pizza, escrevemos artigos, fazemos charges, cartazes e faixas, enquanto isso a chance dos envolvidos saírem ilesos cresce diariamente, alimentando a impunidade.
No Rio vestimos ternos, colocamos guardanapos na cabeça e fomos para as ruas, andamos de bicicleta simulando passeios por Paris, mas tudo continua igual.
Hoje termina a Rio +20 sem qualquer resultado digno de elogio, gastamos quase 200 milhões de dinheio público para esse espetáculo inócuo e amanhã estaremos fazendo piada, como a elegante que O Globo publica hoje na sua capa com o título "joalheria", onde aparece uma foto com a senhora Marcela Temmer, mulher do vice Michel Temer, recebedo primeiras-damas durante um desfile de joias no Palácio Itamaraty, no Centro do Rio. 
Tudo acaba em gozação, infelizmente.
Vivendo nesse mundo circense, sofremos com toda sorte de problemas e não reagimos, pior, rimos.
No Rio de Janeiro a segurança, a educação e a saúde públicas são péssimas, mas não adotamos qualquer medida séria para revertermos o quadro.
Dizem que não existe mal dure pare sempre e bem que nunca se acabe, quem sabe nós comecemos a rir menos e a agir com a seriedade que os problemas determinam.
Brincamos com o mensalão, Lula não sofreu um processo de impeachment e o conjunto PT+PMDB continuou no poder.
Brincamos com as viagens de Sérgio Cabral (PMDB) para a Europa e a CPMI da Delta não foi instalada na ALERJ.
Quem sabe o impeachment no país vizinho não nos anime para tratar os problemas com a seriedade que eles merecem.
Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 21 de junho de 2012

RIO: POLICIAIS MILITARES RECEBEM SALÁRIOS MISERÁVEIS MAS PODEM VENDER SUAS FOLGAS


O Rio de Janeiro tem inovado em termos de segurança pública, isso ninguém pode duvidar.
Na área administrativa criamos a avaliação seletiva sobre a inservibilidade dos novos imóveis. Descobrimos que os próprios utilizados pela Polícia Militar que estão situados em áreas nobres, onde os imóveis e os terrenos são muito valorizados (Centro e Zona Sul do Rio de Janeiro) são obsoletos e devem ser vendidos. Interessante destacar que só descobrimos tal aspecto nas áreas nobres, vendendo o Quartel General (Centro) e estando em vias de vender batalhões da Zona Sul. Os próprios utilizados pela corporação e situados em áreas menos valorizados (Baixada Fluminense, por exemplo), esses não são obsoletos, penso que sejam tidos como modernos e eficientes. 
Além disso, vez por outra, ouvimos que a intenção é diminuir a atividade administrativa para priorizar a operacionalidade, mas continuamos aumentando as estruturas administrativas criando um comando intermediário para gerenciar as UPPs, por exemplo. As UPPs poderiam (deveriam) ser comandadas pelos comandantes dos batalhões operacionais, onde elas estão situadas, integrando o policiamento, isso sem aumento de estruturas e de custos. Seguimos na mesma direção ao acabar com o BPFMA e criando outro comando intermediário. Lembro que esses comandos intermediários distribuem uma série de gratificações para os Oficiais, aumentando sobremaneira os custos para os cofres públicos e de forma desnecessária.
Na gestão da área operacional as novidades mais recentes são muito interessantes no que diz respeito ao efetivo. Primeiro, para compensar os salários miseráveis pagos aos Policiais Militares, as escalas melhoraram, aumentando as folgas. O tempo foi passando, as UPPs viraram o principal "cabo eleitoral" do governo estadual, todos os novos Soldados formados no CFAP - 31 de Voluntários foram destinados para elas e os batalhões operacionais - cada um responsável por policiar vários bairros -, foram ficando cada vez com menos efetivo. Nessa realidade, veio a ideia brilhante no sentido de copiar um programa usado em São Paulo, no qual o PM vende a sua folga e participa do "bico oficial" trabalhando nas ruas, nascendo o PROEIS. Nos últimos dias diante ainda da falta de efetivo nos batalhões, criaram um novo programa o RAS, onde o PM também vende as suas folgas participando do "bico oficial". Sem dúvida, ideia brilhante, vender as folgas para "aumentar" o efetivo nas ruas.
Interessante destacar que apesar do efetivo da PMERJ estar sendo aumentado aos milhares, através da facilitação das provas do concurso, esses PMs não aparecem nas ruas, todos estão nas UPPs.
Vivemos a gestão da modernidade, na qual as folgas não servem para a recuperação física/mental do Policial Militar e para o seu convívio no seio familiar, elas servem para serem trocadas por dinheiro e para aumentar o efetivo nas ruas, não importando em que condições de desgaste o homem estará submetido.
Por derradeiro, não posso deixar de registrar o novo conceito de remuneração implantando no qual o Policial Militar recebe mais de gratificação (venda das folgas) do que de salário mensal.
É a PMERJ rumando para o futuro!
Só não nos perguntem onde iremos chegar...
Juntos Somos Fortes!

O RIO "PACIFICADO" PELAS UPPs

Prezados leitores, bom dia!
TERRA:
Criança é atingida por bala perdida em tiroteio no Morro do Fallet 20 de junho de 2012.
Uma menina de 10 anos foi atingida na perna durante um tiroteio entre policiais da UPP Coroa/Fallet/Fogueteiro e traficantes, por volta das 11h desta quarta-feira na comunidade Ocidental Fallet, em Santa Tereza, zona central do Rio de Janeiro. Os PMs estavam à procura de Lourival Vieira Cavalcante, conhecido como Val. 
Segundo a Polícia Militar, quando os PMs encontraram o criminoso, foram recebidos a tiros, e o bandido conseguiu escapar. A criança ferida foi atendida pelos policiais da UPP e encaminhada ao Hospital Municipal Souza Aguiar onde fará uma cirurgia para retirar o projétil. Ela não corre risco de morrer. 
A Polícia não conseguiu identificar de que arma partiu a bala que atingiu a menina. 
Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

RIO +20 - BOMBEIROS PARTICIPAM DE PROTESTO

 Bombeiros na ALERJ

A Rio +20 está sendo marcada por uma série de protestos no Rio de Janeiro e não foi diferente nesta quarta-feira. Os Bombeiros Militares participaram do protesto que reuniu várias mobilizações e que ocupou a Avenida Rio Branco (Leiam e vejam mais fotos).
Juntos Somos Fortes!

RIO "PACIFICADO": ARMAS E MUNIÇÕES DESVIADAS DE ÓRGÃOS PÚBLICOS

Prezados leitores, vejam com que facilidade se invadiu (tomou) um Quartel General:



SITE ÚLTIMO SEGUNDO - IG: 
Informações foram obtidas pela CPI da Alerj que investigou o tráfico de armas. Apenas 6% delas já foram recuperadas. 
Mario Hugo Monken, iG Rio de Janeiro | 20/06/2012 
Rio teve 1.580 armas desviadas de órgãos públicos entre 2000 e 2010. As instituições policiais estaduais e federais, além das Forças Armadas, tiveram ao menos 1.580 armas desviadas no Estado do Rio de Janeiro no período entre 2000 e 2010. 
As informações constam do relatório da CPI da Assembleia Legislativa (Alerj) que investigou o tráfico de armas no Estado e foi concluída em dezembro do ano passado. Todas os dados foram enviados aos parlamentares pelas corporações por meio de ofícios. A Comissão foi presidida pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL). 
Das 1.580 armas que foram subtraídas das polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, além da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária, Exército, Marinha e Aeronáutica, há informações de que apenas 96 foram recuperadas, ou seja, um percentual de apenas 6%. 
O número de armas desviadas de forças públicas, no entanto, é pequeno se comparado aos roubos ocorridos na iniciativa privada no período. Segundo o relatório, entre 2000 e 2010, foram subtraídas 7.332 armas (Leiam). 
Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR: DENÚNCIA SOBRE OS SOFRIMENTO DOS PMs QUE TRABALHAM NA RIO +20

Ontem, encaminhei para a Corregedoria Interna um email contendo denúncia anônima encaminhada para o blog a respeito das dificuldades que estariam sendo vivenciadas pelos Soldados do CFAP - 31 de Voluntários,  os alunos do Curso de Formação de Soldados, que estão sendo empregados desarmados e  vestindo o uniforme de educação física, no policiamento da Rio +20. A denúncia cita o emprego excessivo, as dificuldades de alimentação e de alojamento.
Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR: OS TRANSFERIDOS

Comentaristas chamaram a nossa atenção no sentido de que no último artigo que publicamos sobre as represálias desenvolvidas pelo governo estadual contra os Policiais Militares e Bombeiros Militares que lutavam por melhores salários no mês de fevereiro do corrente ano, esquecemos de citar os que foram transferidos de OPM ou OBM. Realmente, esquecemos, embora esse fato já tenha sido alvo de vários artigos no nosso espaço democrático.
As referidas transferências causaram e ainda causam inúmeros contratempos aos movimentados, sobretudo no aspecto financeiro em face das despesas em razão das distâncias entre os municípios. Algumas transferências foram revertidas pelo poder judiciário, mas muitos PMs e BMs ainda enfrentam dificuldades.
Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR: INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO INVESTIGA EXTINÇÃO DO BATALHÃO FLORESTAL

Prezados leitores, bom dia!
O GLOBO: 
MP investiga o fim do Batalhão Florestal da PM. 
Unidades de Polícia Ambiental substituirão quartel desativado. 
RIO - A promotora Rosani da Cunha Gomes está investigando, em inquérito civil público, se a desativação do Batalhão de Polícia Florestal da PM — que será transformado em Unidades de Polícia Ambiental (Upams) — vai prejudicar a fiscalização dos crimes ambientais no estado. Ela também quer saber se a medida prejudicará a gestão do meio ambiente no Rio. Para ecologistas, o governo estadual não deveria ter desativado postos do batalhão antes de montar uma nova estrutura de fiscalização, sobretudo no interior do estado. 
Rosani, que é titular da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Meio Ambiente da capital, disse não ter recebido qualquer explicação do comandante da PM, coronel Erir Costa Filho, ou do secretário do Ambiente, Carlos Minc, sobre a desativação do batalhão. Segundo ela, os depoimentos são fundamentais para orientar os próximos passos do MP. O decreto para a criação das Upams foi publicado anteontem. Por ele, os PMs dessas unidades receberão uma gratificação mensal mínima de R$ 500 mensais, num modelo semelhante ao das UPPs. Os benefícios serão pagos pela Secretaria do Ambiente. O secretário Carlos Minc afirmou que as novas unidades vão intensificar a fiscalização ambiental no estado (Fonte). 
Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 19 de junho de 2012

BRASIL: A CLEPTOCRACIA DESENVOLVE AÇÕES MAFIOSAS E AMEAÇA JUIZ


ESTADÃO.COM 
Juiz responsável pela Monte Carlo relata ameaças de morte e pede afastamento. 
Magistrado diz ter sido alertado sobre possibilidade de sofrer represálias nos próximos meses. 
Felipe Recondo, de O Estado de S. Paulo.
BRASÍLIA - O juiz federal Paulo Augusto Moreira Lima, que comandava a Operação Monte Carlo, relata ser alvo de ameaças de morte, revela que homicídios podem ter sido cometidos por integrantes do esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira e pede para ser tirado do caso (Leiam). 
Juntos Somos Fortes!

A RIO + 20 E A VERGONHOSA SITUAÇÃO DO RIO


1) UOL NOTÍCIAS: 
Rio+20: muro em UPP é derrubado para prefeito de Nova York ver a Baía de Guanabara.
Hanrrikson de Andrade. 
A visita do prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, à Unidade de Polícia Pacificadora do Chapéu-Mangueira/Babilônia, nesta terça-feira (19), fez com que a Prefeitura do Rio de Janeiro providenciasse, ontem, a derrubada de um muro em uma localidade conhecida como Rodinha, em um dos acessos às favelas da zona sul da cidade. O motivo? A autoridade americana irá ao local para ter uma visão panorâmica da Baía de Guanabara (Leiam). 
2) FOLHA.COM 
ONU dá dicas de segurança a estrangeiros na Rio+20. Marco Antônio Martins. As preocupações da ONU (Organização das Nações Unidas) na Rio+20 não se limitam à discussão sobre o futuro sustentável da humanidade. Passa também pela segurança de cerca de 50 mil estrangeiros, integrantes de delegações, esperados na cidade pelo Ministério das Relações Exteriores até o próximo dia 23. 
(...) 
As principais preocupações está com o chamado "crime de rua": assaltos ou furtos de objetos, joias, telefones celulares e documentos. Todos seguidos da maneira de agir caso seja vítima de algum deles. A dica é evitar o uso de qualquer um deles em público. Deve-se andar com pouco dinheiro escondido em bolsas presas à cintura. Mas as dicas não páram por aí. Os cuidados são tantos, um total de 20, que os estrangeiros não devem usar os serviços dos engraxates de rua, tão comuns no Centro da cidade. Caminhadas à noite ou no início da manhã nas praias devem ser deixadas de lado. Os criminosos se aproveitariam deste momento para atacar os turistas. 
Visitas à favelas também não são indicadas. A orientação foi dada mesmo com todas as comunidades localizadas na zona sul do Rio estarem ocupadas pelos projetos das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora). (Leiam).
Juntos Somos Fortes!