BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: O FLU COMPROU A LUSA? SÓ RINDO PARA NÃO CHORAR - MARCOS GOMES



O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO - O FLU COMPROU A LUSA? SÓ RINDO PARA NÃO CHORAR! 
A pergunta que todos se fazem hoje é: foi o Flu que prostituiu a Lusa? Haveria outros suspeitos? 
Pra responder, voltemos à última semana do Brasileirão 2013. 
Exceto os tricolores, todos aguardam ansiosamente que o Campeão de 2012 caia. Dizem que o Flu tem uma dívida histórica com a Série B. Os próprios torcedores do time estão descrentes que ele vá se salvar. As chances de rebaixamento na última rodada são de 85%, pois o clube depende de resultados combinados. Os dirigentes já estão conformados, mas o mandatário do patrocinador master não. O jeito então é partir para uma "ação de bastidores"... 
Vamos imaginar as cenas desse filme de ficção? 

Cena 1: Reunião de emergência nas Laranjeiras, entre Diretoria e UNIMED.
Celso Barros diz ter um plano brilhante para melhorar as chances do Flu.
"Mala branca para o São Paulo vencer o Coritiba?", perguntam. 
"Muito fraco isso!", responde enigmático o Doutor. 
"Quem sabe também enviamos uma mala preta pro Bahia...", sugere outro dirigente.
"Que absurdo!", grita Dr. Mário Bittencourt.
Peter Siemsen, calado, contorce as mãos enquanto pigarreia compulsivamente.
"Não, não, melhor que isso: vamos pagar para a Portuguesa escalar um jogador irregular!", diz CB triunfante.
Todos se entreolham aturdidos, mas sem coragem de contrariar o imperador. Aí o estagiário, que nada sabe sobre as relações de poder no Laranjal, faz a observação que está na cabeça de todos: 
"Mas isso só vai diminuir nossa chance de cair de 85% para 70%!". 
Ao perceber a presença do intruso, o ditador brada: "70% é excelente! Quem deixou o fedelho entrar? Joguem o moleque no triturador e façam dele adubo para nosso gramado esburacado!".

Cena 2: O molambo derrapa na curva...
Plano posto em marcha para o domingo. Eis que André Santos (quem?) entra em campo contra o Cruzeiro - o urubu comete a mesma burrice que CB planejara para a Lusa no domingo! Foco na cara apavorada do novo estagiário, que solitário assistia ao jogo nas Laranjeiras. Ele dá um salto e corre para uma sirene. Soa um alarme em Álvaro Chaves. Ao fundo, som de celulares tocando.

Cena 3: Madrugada nas Laranjeiras - nova reunião de emergência.
Todo animado, Dr. Mário sugere ao tirano:"Podemos abortar a operação, pois com o erro do Fla nossas chances de cair pra Segundona já abaixaram para 70%. Nós obteríamos exatamente isso com a Lusa."
Rodrigo Caetano completa: "Isso! Que tal agora usar esse dinheirão para turbinar o interesse do SPFC em ganhar do Coritiba?"
"Não! Vamos motivar nossos jogadores oferecendo um bicho maior!", exclama um terceiro.
Com um soco na mesa, CB interrompe a discussão: "Nada disso! Agora com a Lusa também errando, nossa chance de cair vão diminuir mais 3%, indo para 67% - é fenomenal!"
Mesmo com o risco de ir parar no triturador, Peter não se contem e, aos prantos, exclama: "´Ó Excelso Barros, Senhor de nosso destino, esse erro duplo vai nos custar caro! Vai chamar a atenção da Imprensa! Ela nos detesta e logo descobrirá que fomos nós que compramos a Lusa! Sua audiência bovina virá em estouro contra nós! Os tricolores serão massacrados nas ruas!". 
Ao que CB responde com uma gargalhada de desdém: "Vai nada, Peter Pan!".
Com a mão trêmula levantada, o novo estagiário intervém: "Onipotente, desse jeito vamos é salvar nosso maior rival, pois o risco dele vai cair de 40% para apenas 7%!". 
Ao que o Semideus responde secamente do alto do Olimpo: "Tem problema não, eu também gosto do Flamengo!".

Cena final: 3ª feira à noite, nas Laranjeiras.
Um trator espalha adubo fresco no gramado das Laranjeiras. Ao fundo vê-se, por uma janela semiaberta do Salão Nobre, CB estourando um champanhe. Comemora a permanência na Série A diante de dirigentes cabisbaixos.
Historinha inverossímil essa, não? 
Pergunto então:
Valia ou não a pena para o Flu comprar a Lusa?
Para reduzir sua chance de rebaixamento tão pouco?
Para ajudar mais ao Flamengo que a si próprio?
Era melhor comprar a Lusa que o Bahia ou o juiz?
Dava para achar que para a mídia o Flu não seria o principal suspeito?
CLARO QUE NÃO!!!
Se você quer saber mais sobre como o erro da Lusa influiu nas chances de rebaixamento de Fla, Flu, Vasco, Criciúma e Coritiba (todos beneficiados), leia http://blogcoronelpaul.blogspot.com.br/2014/01/o-escandalo-do-brasileirao-quem-ganhou.html
MARCOS GOMES

#flalusagate 

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: TORCEDOR, ESTÃO ZOMBANDO DE VOCÊ



Os culpados são os caras da pasta, além do Fluminense, obviamente.
Prezados leitores, o torcedor é um apaixonado na mais ampla abrangência desse termo.
Uma paixão tão grande que não raro impede que ele veja o que está à sua frente, por maiores que sejam as evidências.
Isso é fato, mas a paixão, por maior que ela seja, não pode nos cegar, não pode nos emburrecer.
O que temos assistido a partir da última rodada do Brasileirão 2013 é um desfile de absurdos que demonstram de forma inequívoca que nos afastamos por completo da normalidade, o que significa que algo errado aconteceu, isso sem sombra de dúvida.
Quem ainda não enxergou isso, lamentavelmente, está completamente cego.
Vejamos:
1) Quatro sites publicaram que o jogador André Santos do Flamengo estava suspenso e não poderia jogar. Isso antes do jogo do Flamengo. Ele jogou. Nenhum dos quatro sites publicou qualquer informação sobre a violação do regulamento, a perda dos 4 pontos e o ingresso do Flamengo na luta contra o rebaixamento, sendo que isso era o maior furo do Brasileirão. Em face de um erro administrativo, o Flamengo que estava livre do rebaixamento, passou a ter no domingo 40% de chances de ser rebaixado. 
Isso é um comportamento normal da imprensa esportiva, deixar de dar um furo de reportagem?
2) Surge o caso da Portuguesa. A imprensa publica em todos os lugares possíveis e imagináveis que a Portuguesa, em razão de ter escalado Héverton, o qual estava suspenso, perderia 4 pontos e ser rebaixada no lugar do Fluminense. Por favor, pesquisem, primeiro saiu o caso da Portuguesa na imprensa, em seguida o caso do Flamengo. Por que primeiro noticiaram a Portuguesa, considerando que o caso do Flamengo ocorreu primeiro?
Isso é normal?
3) A imprensa fez uma pressão gigantesca contra o Fluminense culpando o clube pelo rebaixamento da Portuguesa. O Fluminense estaria promovendo uma "virada de mesa". A campanha foi tão intensa que torcedores foram hostilizados nas ruas do Rio de Janeiro. Pergunto: O Fluminense fez alguma ação para que a Portuguesa e o Flamengo fossem julgados no STJD? Não, nenhuma providência o Fluminense adotou nesse sentido. Além disso, bastava olhar a tabela para verificar que ao escalar Héverton, a Portuguesa salvou o Flamengo e não o Fluminense. Consultem a tabela nesse instante e constatem que o salvo foi o Flamengo. Como justificar a campanha da imprensa no sentido de que a Portuguesa foi rebaixada por culpa do Fluminense, tendo em vista que não existe qualquer fundamentação?
Isso é normal?
4) Tal mentira foi desconstruída nas redes sociais e começou a surgir a possibilidade de fraude na escalação de Héverton, algo completamente diferente da "virada de mesa" que estavam acusando indevidamente o Fluminense. Quem é colocado como culpado pela possível "compra" da Portuguesa? O Fluminense, mais uma vez. Quer dizer não importa o que tenha ocorrido de errado, o culpado é o Fluminense.
Isso é normal?
5) Em inúmeros artigos publicamos que matematicamente o Flamengo, após cometer o erro de escalar André Santos, era o clube mais interessado, o que tinha mais a ganhar com a escalação de Héverton. Isso é fato. Isso é inegável. Isso salta aos olhos. Por que a imprensa não toca nesse assunto?
Isso é normal?
6) Matematicamente, a chance de dois clubes errarem e escalarem dois jogadores suspensos na mesma rodada do Brasileirão é uma em cinco milhões, conforme estudos de um estatístico que publicamos. Obviamente, a chance do duplo erro é quase desprezível. Qual é a última que querem "vender" como verdade para os torcedores? Ocorreu um duplo erro.
É normal considerar que ocorreu um duplo erro com uma chance em cinco milhões? 
7) A culpa pela ocorrência desse improvável duplo erro seria dos funcionários da Portuguesa que cuidam de uma pasta onde ficam os dados dos jogadores lesionados, suspensos, a serem julgados, etc. Antes a culpa era do advogado que não comunicou a suspensão ao clube. Isso não colou. O que fizeram? Arrumaram novos culpados.
Isso é normal?
8) As Organizações Globo sofreriam um prejuízo gigante se Vasco e Flamengo fossem rebaixados para a série B, isso é fato. Aliás, não lembramos de um campeonato anterior onde dois clubes grandes do mesmo estado tivessem sido rebaixados. Isso é um prejuízo financeiro enorme nos âmbitos estadual e nacional. Imaginem no Rio Grande do Sul, o Grêmio e o Internacional estarem jogando a série B e a Globo, caso recuperasse o direito de transmitir a série B (atualmente a Rede TV detém o direito), tendo que transmitir para o Rio Grande do Sul os jogos da série A e os jogos do Grêmio e do Internacional na série B. Imaginem em Minas Gerais, isso acontecendo com relação ao Cruzeiro e ao Atlético. Imaginem em São Paulo, isso acontecendo com relação ao Corinthians e ao São Paulo. Pois é... Os sites do Globo e do Extra fazem parte dos 4 sites que não noticiaram o tratado no item 1.
A omissão na publicação pode ser considerada normal, diante desse quadro?
Prezados torcedores, estão zombando de vocês.
Colocarão a culpa no cara da pasta e continuarão dizendo por aí que foi o Fluminense que rebaixou a Portuguesa.
Sinceramente, consideramos que chegou a hora de dar um basta.
Torcedor não é palhaço.

#flalusagate

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: A HISTÓRIA DA PASTA É INACREDITÁVEL



Prezados leitores, por favor, leiam esse trecho de uma matéria publicada no site do Globo Esporte, ontem, dia 30 de janeiro de 2014:

" (...) A apuração do MP até aqui levantou "fortes indícios", nas palavras de Senise Lisboa, de que funcionários da Portuguesa receberam "vantagens indevidas" para prejudicar o clube no caso. O presidente da Lusa, Ilídio Lico, disse desconfiar da postura de dois funcionários - inclusive contou isso ao MP.
Senise e Lico desconfiam de funcionários da Lusa por conta de os procedimentos internos do clube na última semana do Campeonato Brasileiro terem fugido ao padrão do resto do torneio.
Toda segunda-feira, o departamento de futebol da Portuguesa abre uma pasta _ uma pasta física, de papel mesmo_ na qual relaciona os jogadores que por algum motivo não poderão atuar na próxima rodada. 
Aparece ali quem está machucado, em tratamento, suspenso, com julgamento marcado no STJD ou tenha qualquer outro motivo que o impeça de atuar na partida seguinte. É com essa informação que a comissão técnica trabalha.
Na semana da última rodada do Campeonato Brasileiro, só o nome do atacante Gilberto estava na pasta. Héverton não. Por que não, se no dia 3 de dezembro o clube recebeu um e-mail da CBF avisando que o atleta seria julgado na sexta-feira, dia 6, dois dias antes da partida contra o Grêmio? (...)  (Leia a íntegra da reportagem)".

Prezados, não custa lembrar que na época seria jogada a última rodada do Brasileirão 2013.
Vamos avançar em outra matéria do Globo Esporte, mas dessa vez datada do dia 11 de dezembro de 2013, quando explodiu a notícia da perda de pontos. O trecho que destacamos contém uma declaração de Héverton e um arremate do colunista:

"(...) - Não estou sabendo de nada. Eu nem sabia que tinha julgamento. Eu achei que tivesse pego só um jogo, e cumpri (a automática) contra a Ponte. Ninguém da Portuguesa me falou nada. Tanto é que o Gilberto foi suspenso e não participou do jogo - disse Héverton, lembrando o exemplo do centroavante que não enfrentou o Grêmio, na última rodada, justamente por estar suspenso. Vale ressaltar que o julgamento de Gilberto foi na segunda-feira, quatro dias antes do de Héverton (...) (Leia a íntegra da reportagem)".

"Vale ressaltar que o julgamento de Gilberto foi na segunda-feira, quatro dias antes do de Héverton"
Diante do exposto, concluímos que o nome de Gilberto estava na pasta em razão da Portuguesa saber com antecedência que ele seria julgado na segunda-feira, faz sentido.
O nome do Héverton não estaria em face de alguém ter recebido o email sobre o julgamento dele na sexta-feira e não ter colocado na bendita pasta, por isso o técnico e o restante da comissão técnica não sabiam que Héverton não podia jogar e o colocaram em campo.
Tudo resolvido, crime esclarecido: "prendam" os caras da pasta.
Alto lá, cara pálida!
Primeiro, como um jogador profissional, cumpre uma suspensão automática e não sabe que será julgado?
Héverton alegou que não sabia que tinha julgamento.
Héverton achou que tinha pego um jogo só.
Como ele achou que tinha pego um jogo só, se nem sabia se seria julgado?
Pior, como um clube tradicional como a Portuguesa pode achar que um jogador que cumpriu uma suspensão automática não seria julgado até a última rodada do Brasileirão?
Isso tá muito ruim.
Um jogador profissional sabe como funcionam as coisas do futebol.
Um clube profissional sabe como funcionam as coisas do futebol.
Vamos esquecer que querem nos enganar e vamos aceitar que os funcionários sabotaram a Portuguesa em troca do vil metal, não colocando o nome do Héverton na pasta.
A omissão dolosa dos funcionários faria com que a Portuguesa ficasse com 44 pontos, qualquer que fosse o resultado do jogo com o Grêmio.
O ardiloso esquema foi montado durante a semana que antecedeu a última rodada. 
Na luta contra o rebaixamento estavam:
Portuguesa = 47 pontos.
Internacional = 47 pontos.
Criciúma = 46 pontos.
Coritiba = 45 pontos.
Vasco = 44 pontos.
Fluminense = 43 pontos.
Em razão da ação fraudulenta dos funcionários da Portuguesa, a situação passou a ser a seguinte:
Internacional = 47 pontos.
Criciúma = 46 pontos.
Coritiba = 45 pontos.
Portuguesa = 44 pontos.
Vasco = 44 pontos.
Fluminense = 43 pontos.
Prezados leitores, o arranjo daria vantagem imediata ao Internacional, Criciúma e Coritiba, tendo em vista que a Portuguesa ficaria com menos pontos que esses clubes.
Será que foi um deles que comprou os funcionários?
No caso do Vasco, ele teria uma vantagem potencial, pois teria que vencer o Atlético Paranaense, pois se empatasse poderia ser ultrapassado pelo Fluminense, caso esse vencesse o Bahia. Portanto, o Vasco teria que comprar também o Atlético Paranaense, caso contrário, nada adiantaria subornar os caras da pasta.
Será que foi o Vasco que subornou os funcionários?
A situação do Fluminense é pior ainda, caso o Fluminense subornasse os funcionários, isso só evitaria o rebaixamento se ele  vencesse o Bahia, o Vasco empatasse ou perdesse, além disso, o Coritiba tinha que perder para o São Paulo. 
O Fluminense tinha que subornar os funcionários, o Bahia, o Vasco e o Coritiba.
Será que foi o Fluminense que comprou os funcionários?
Nós preferimos desconsiderar a história da pasta e insistir que a investigação deve começar pelo clube que mais vantagens obteria com a escalação de Héverton no domingo, após ter cometido um erro no sábado: o Flamengo.

#lusagate

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: ATENÇÃO FIFA ! ATENÇÃO CBF !



COMENTÁRIO POSTADO: 

"CBF vai pedir o auxílio da Fifa para resolver impasse com Lusa e Fla 
Coronel vamos ajudar a CBF e lembrar a FIFA que a liminar foi concedida ao torcedor Luiz Paulo Pieruccetti em processo contra a CBF
É o mesmo advogado do Flamengo neste processo logo abaixo: 
Processo: 0072000-27.2003.5.01.0038 - RTOrd
Autor: FELIPE MELO DE CARVALHO [Adv. Wanderlei Moreira da Costa (OAB: RJ 45281 -D)]
Réu: CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO [Adv. Luiz Paulo Pieruccetti Marques (OAB: RJ 89203 - D)].
Destinatário (s): Réu CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO, Aut FELIPE MELO DE CARVALHO.
Tomar ciência de que o depósito foi convolado em penhora.
Id: 1460027.
Edital de Intimação - 11/03/2013.

#flalusagate 

 Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: UMA GRANDE VITÓRIA E A HORA DA POLÍCIA AGIR

A Polícia Federal recebeu cópia da denúncia


Hoje, prezados leitores, a nossa mobilização conseguiu uma grande vitória, fruto do trabalho incessante de cada um nas redes sociais, uma luta de Davi contra Golias, para furar a blindagem que a imprensa colocou no possível envolvimento de alguém do Flamengo na negociação com a Portuguesa.
A pressão está ganhando uma dimensão tão grande que o Flamengo, através do seu presidente, acabou sendo obrigado a romper o silêncio e a falar por meio de uma entrevista.
Quem consegue interpretar o que lê percebeu que o presidente teve uma postura defensiva, muito diferente daquela que teve no calor dos acontecimentos, como demonstramos em artigo anterior, no qual publicamos as duas entrevistas. 
Além disso, ele foi profundamente infeliz quando tratou da matemática, pois é exatamente a análise matemática que coloca o Flamengo como foco das investigações, como demonstramos em inúmeros artigos e explicamos em vídeos.
Paralelamente, as teses defensivas apresentadas pelos torcedores do Flamengo nas redes sociais, desabam como castelos de cartas.
São ilações jogadas nas redes que não se encaixam com a realidade dos fatos.
São como um último suspiro, uma lamúria angustiante que via de regra vem acompanhada de palavras de calão.
É importante que todos os mobilizados percebam esse momento como sendo a hora de aumentar a pressão.
É hora de espalhar cada vez mais nas redes sociais que o Flamengo é o principal "suspeito", espalhar artigos e vídeos.
É hora de cobrar posicionamentos dos jornalistas esportivos a respeito da suspeição sobre o Flamengo, argumentos não faltam para nenhum dos mobilizados. Eles tem que se manifestar, não importa se contra ou a favor das nossas conclusões, mas eles precisam escolher um lado.
A imprensa tem que cortar na própria carne, ela que sempre cobra isso das outras instituições, como das polícias, por exemplo.
É hora de focar as investigações policiais no período entre o jogo do Flamengo no sábado e o início dos jogos de domingo.
É hora de tentar achar o elo Flamengo-Portuguesa.
Se o caminho correto é esse, nós não sabemos, mas os indícios indicam nessa direção, portanto, devem ser esgotados todos os recursos investigativos nesse período de tempo.
É hora de cobrar, em sede policial, dos editores-chefes dos sites do Lance!net, do Globo, do Extra e do Portal Terra uma explicação para o fato de não terem cumprido o dever de ofício de informar à população que o Flamengo perderia 4 pontos e que tinha entrado na luta contra o rebaixamento com 40% de chances.
É hora de ouvir todos os possíveis envolvidos, em sede policial, promovendo as acareações que se fizerem necessárias, caso surjam divergências.
É hora de chegar até a verdade.
É hora de moralizar o futebol brasileiro, passando a limpo esse "escândalo", doa a quem doer.
A Copa 2014 se aproxima rapidamente e com ela a imprensa internacional. Não tenham dúvidas de que denunciaremos o "escândalo" ao mundo, caso ele não esteja plenamente esclarecido até lá.

#flalusagate

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: DENÚNCIA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DO RIO DE JANEIRO - PROTOCOLOS



Prezados leitores, obtivemos nessa quinta-feira os números dos protocolos da 2a Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Consumidor da cópia da denúncia que encaminhamos à Polícia Federal, ao Ministério Público Federal - RJ e ao Ministério Público de São Paulo (Exmo Promotor Senise), assim como, dos artigos do "Blog do Paulinho": 
- Denúncia do "Blog do Paulinho" - Protocolo número 2014-00067172. 
- Denúncia do "escândalo do Brasileirão" - Protocolo número 2014-00067173.
A denúncia do Brasileirão foi incorporada ao Inquérito Civil número 62/2014.
A denúncia do "Blog do Paulinho" poderá ser apurada em apartado.

Juntos Somos Fortes!

MC PH LIMA FAZ DURAS CRÍTICAS AO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL E AO PREFEITO EDUARDO PAES

Prezados leitores, o MC PH Lima faz duras críticas ao governador Sérgio Cabral e ao Prefeito Eduardo Paes em rap:


Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: FLAMENGO COMEÇA CLARAMENTE A SE DEFENDER, MAS PRESIDENTE ERRA...




Presidente do Flamengo erra feio e afirma que "mas é matematicamente impossível que tenha havido participação do Flamengo".
É exatamente o contrário.
Matematicamente, o principal suspeito é o Flamengo, como já foi PROVADO no blog.
Prezados leitores, finalmente, a pressão nas redes sociais vez o Flamengo falar e começar a se defender claramente. A mobilização nas redes sociais precisa aumentar para que a imprensa comece a tratar o Flamengo como um dos "suspeitos" de comprar a Portuguesa.
Não podemos parar.
A entrevista do presidente do Flamengo é um sinal claro que a pressão está insuportável.
A entrevista foi publicada nesta quinta-feira (30 de janeiro de 2014), quase quarenta dias após os fatos terem acontecido.
No calor dos acontecimentos, leiam a entrevista do presidente do Flamengo, concedida no dia 12 de dezembro de 2013:

"ESTADÃO
Presidente do Flamengo vê 'tentativa de golpe' no STJD.
Dirigente exibe indignação até com o fato de que a Portuguesa poderá ser rebaixada
12 de dezembro de 2013 | 13h 23 
Agência Estado
RIO - Depois de o Flamengo ter anunciado na última quarta-feira, por meio de nota oficial, que estava "tranquilo" em relação ao risco de o time perder quatro pontos em julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), na próxima segunda, o presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, afirmou que vê uma "tentativa de golpe" em andamento após o término do Campeonato Brasileiro.
O dirigente exibiu indignação até mesmo com o fato de que a Portuguesa poderá ser rebaixada caso seja condenada com a perda de quatro pontos pela escalação irregular do meia Héverton, no último domingo, contra o Grêmio, no Canindé, na rodada final do Brasileirão. Expulso na partida contra o Bahia, pela antepenúltima rodada, ele foi punido com dois jogos de suspensão em julgamento na última sexta no STJD, mas acabou entrando em campo diante dos gremistas, após ter cumprido suspensão automática na rodada anterior (Leia mais)".

Primeiro, o presidente do Flamengo saiu em defesa da Portuguesa.
Na entrevista atual ele coloca o Flamengo à disposição do Ministério Público, uma evidente posição defensiva, tipo: pode ver, não temos nada com isso...
Até parece que alguém deixaria rastro de uma esquema dessas dimensões.
Alguém pagaria com dinheiro do clube, por exemplo, o "faz-me rir" da Portuguesa.
A entrevista é um ótimo sinal.
É um toque de "AVANÇAR!"

"GLOBO ESPORTE.COM
30/01/2014 13h35 - Atualizado em 30/01/2014 13h35
Presidente do Fla oferece apoio ao MP-SP: 'O torcedor merece a verdade'
Bandeira de Mello afirma que órgão tem de investigar a fundo circunstâncias que levaram a mudanças na classificação do Brasileiro de 2013 em julgamento no STJD
Por Vicente Seda
Rio de Janeiro 
Eduardo Bandeira de Mello presidente do Flamengo (Foto: Vicente Seda) Eduardo Bandeira de Mello manifesta apoio ao MP-SP nas investigações (Foto: Vicente Seda) O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, deu declarações de apoio à investigação que vem sendo conduzida pelo Ministério Público de São Paulo sobre as circunstâncias da escalação irregular do jogador Héverton, da Portuguesa, que resultou no rebaixamento do clube do Canindé. Nos últimos dias, o promotor que conduz o caso, Roberto Senise, afirmou ter indícios de que funcionários da Lusa podem ter recebido dinheiro para que o atleta fosse escalado. 
- Eu li a notícia e acho que isso tem de ser investigado a fundo mesmo. Se o MP precisar do Flamengo, terá colaboração total. O torcedor merece saber a verdade. Não fomos procurados mas, se formos, daremos todo o apoio - disse Bandeira de Mello 
O dirigente disse estar entristecido com declarações recentes do presidente do Fluminense, Peter Siemsen, sugerindo participação do clube na obtenção de uma das liminares contra a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) de punir com a perda de quatro pontos pela escalação irregular de André Santos na última rodada do Brasileiro de 2013. 
- O Flamengo não tem nada a ver com isso - frisou. 
Novamente indagado se a questão poderia afetar o clube da Gávea, Bandeira de Mello foi enfático: 
- Diante dessas notícias, é claro que surgem especulações. Mas é matematicamente impossível que tenha havido participação do Flamengo. É melhor o MP esclarecer logo isso tudo do que ficar esse disse que disse".

#flalusagate

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO - ASSISTA O VÍDEO - O FLAMENGO É O PRINCIPAL "SUSPEITO" DE TER "COMPRADO" A PORTUGUESA

Prezados leitores, em mais uma tentativa de nivelar conhecimento, optamos por fazer um novo vídeo para demonstrar que se a Portuguesa fez algum acordo com outro clube para colocar Héverton em campo, o principal "suspeito" de ter participado desse acordo é o Flamengo, conforme os inícios que comentamos no vídeo, aliás, o quarto vídeo da série.
É preciso que a torcida do Flamengo entenda que ninguém, está acusando o Flamengo, nós estamos mostrando fatos.
Acusado tem sido o Fluminense, sem nenhum fato para sustentar, desde que foi acusado de virar a mesa para escapar do rebaixamento, o que foi comprovado ser uma grande mentira e, atualmente, quando está sendo acusado de ter "comprado" a Portuguesa, ação ilícita que traria uma vantagem mínima, diante do enorme ganho que o Flamengo teria se fizesse o acordo.
A própria Portuguesa, participando do acordo com O Flamengo, não estaria automaticamente rebaixada. Na verdade ela estaria assinando um contrato de risco, como comentamos no vídeo.
É hora de deixar clubismos de lado e colocar os fatos na mesa para discussão, o que não pode é a imprensa continuar omitindo os fatos, sonegando informações para a população e deixando de cumprir o seu dever de ofício.
O vídeo tem 9 minutos de duração.

#flalusagate 

Juntos Somos Fortes!

UPPs: A PACIFICAÇÃO PROMETIDA NUNCA CHEGA...



Prezados leitores, a população fluminense já se acostumou com os inúmeros casos de tiroteios nas UPPs, não é mais novidade, tornou-se algo incorporado ao cenário carioca, isso porque só existem UPPs no município do Rio de Janeiro.
Nos últimos dias tiroteios ocorreram na "pacificada" Rocinha e no "pacificado" Complexo do Alemão.
Não podemos fugir dos fatos, a "pacificação" prometida está longe de ser uma verdade.
Além de não "pacificar" as comunidades carentes, o governo Cabral enfraqueceu o policiamento nas ruas do Rio.
O governo Cabral emprega nas UPPs um efetivo que se aproxima do efetivo de 20 (vinte) Batalhões de Polícia Militar: 10.000 PMs.
No intuito de permitir uma comparação relacionamos os Batalhões de Polícia Militar existentes no Município do Rio de Janeiro: 
- 1o, 2o, 3o, 4o, 5o, 6o, 9o, 14o, 16o, 17o, 18o, 19o, 22o e 23o Batalhões de Polícia Militar.
No município do Rio de Janeiro existem 13 (treze) BPMs convencionais. Não consideramos os batalhões especializados como BOPE e BPChoque.
Temos 13 (treze) BPMs realizando o policiamento ostensivo em TODAS as ruas da Capital Fluminense e 20 (vinte) BPMs nas comunidades carentes.
Isso explica a violência crescente nas ruas, orfãs de policiamento ostensivo.

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO - JUNIOR VANUCI DE VOLTA À CENA ?

Prezados leitores, lemos comentários no twitter que o senhor @JuniorVanucciMV tinha mudado de twitter e que tinha passado a utilizar o twitter @CantaeVibra
Um dos leitores do nosso blog deu um print em uma mensagem desse twitter para @jeffmanji , @blogdopaulinho e @portugae97 :

"e qnto a vídeo? já está nas maos da pessoa responsavel, com o dono da boiada e nao seus bois"
16:41 - 27 de jan de 2014


Embora não acreditemos na veracidade do contido na mensagem, torcemos para que nossa avaliação esteja errada e que ele tenha entregue a gravação ao Exmo Promotor Senise do MP-SP.
Se é verdade ou mentira, logo saberemos.
Nós apostamos que é mentira.

#flalusagate

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: ESPN ENTREVISTA O ADVOGADO OSVALDO SESTÁRIO



Prezados leitores, finalmente, alguém começa a contar a sua história...

"ESPN
29/01/201408h00
PORTUGUESA
'Manoel da Lupa e Valdir Rocha me pediram para assumir a culpa do erro deles', diz Sestário 
Por Camila Mattoso, do ESPN.com.br 
Osvaldo Sestário, advogado da Portuguesa na Justiça Desportiva até o julgamento do meia Héverton, deve ser o último a depor no Ministério Público de São Paulo. Ele está entre os principais personagens investigados pelo órgão estadual, que tenta desvendar a escalação irregular na última rodada do Brasileiro, que rebaixou o clube para a segunda divisão. 
Irritado com as recentes declarações de Valdir Rocha, funcionário do jurídico do time paulista, que o acusa de mentir para a imprensa e de não ter passado as informações sobre a suspensão do atleta, Sestário decidiu contar a sua versão ainda mais detalhada sobre as conversas que teve com o agora ex-amigo e ex-colega de trabalho. 
"[Em dezembro] Me pediram mais uma vez para que eu ajudasse eles e assumisse a culpa. Me prometeram que iam me ajudar, falando da minha conduta. E eu disse que eu não poderia fazer, porque eu ia assumir um erro que eu não cometi, seria ruim para a minha carreira e também porque não ajudaria a Portuguesa. Eu até entendo esse lado deles, até pelo desespero da situação", diz Sestário, para o ESPN.com.br. 
"Uma coisa que eu ainda não tinha falado, porque eu estava preservando a amizade que eu sempre tive com o Valdir, até pela intimidade que ele tinha com a minha família, mas agora vou falar porque ele também está falando um monte de coisas, é que quando eu passei o resultado para ele, ele brincou e disse: 'o Héverton não tem problema, esse está indo embora, não joga nada, podia pegar dez ou vinte partidas' e falou para eu focar em colocar o Gilberto em campo", revela. 
Sestário garante que ajudará o Ministério Público de São Paulo a terminar a investigação e diz que vai convencer o promotor de que está falando a verdade e de que Valdir Rocha está mentindo. 
"O próprio promotor entrou em contato comigo. E eu pedi para ele falar com o meu sócio, que está tratando com ele. Nós estamos agendando uma visita, para que eu vá lá e seja ouvido. Acho importante isso, vou colaborar com tudo que o Ministério Público quiser. O promotor disse que já tem toda a história, só falta me ouvir". 
"São dez anos trabalhando para esse clube sem problemas de comunicação. O Valdir teve a oportunidade de falar no STJD sobre tudo isso e não falou. Agora ele vem a público e fala tudo isso. Tem um monte de coisas novas em relação ao depoimento dele. Lá ele disse que eu não errei. Eu vou demonstrar para o promotor com alguns exemplos. O técnico disse que não sabia nem mesmo que o Héverton seria julgado. Quando um jogador vai ser julgado e a sua pena mínima é de quatro jogos, o atleta acaba nem participando de treinos, de coletivo. Vou mostrar como as coisas funcionam na prática para ele ver", completou. 
Veja toda a entrevista na íntegra 
O Dr. Valdir Rocha, do jurídico da Portuguesa, te enviou um e-mail no dia 3 de dezembro avisando sobre o julgamento do Héverton (que seria no dia 6). Como foi isso?
Isso era praxe entre a gente. Eles receberam e me mandaram. Quando chegava isso, o nosso procedimento era de conversar no seguinte sentido: no julgamento do Gilberto (dia 2 de dezembro), eu pedi que ele viesse porque ele era importante para a equipe. Na verdade, quem faz essa avaliação é o clube, se vai mandar ou não. No caso do Gilberto, eles mandaram. No caso do Héverton, não. Fiz a defesa normal e durante o julgamento (do Héverton) o Valdir me ligou algumas vezes para saber do (pedido de efeito suspensivo) do Gilberto (que havia sido julgado e condenado dias antes), e eu logo já passei o resultado do Héverton. Uma coisa que eu ainda não tinha falado, porque eu estava preservando a amizade que eu sempre tive com o Valdir, até pela intimidade que ele tinha com a minha família e comigo, a gente tinha algumas brincadeiras, me chamava de ícone da Justiça Desportiva, essas coisas. O que eu nunca tinha falado, mas agora vou falar até porque ele também está falando um monte de coisas, é que quando eu passei o resultado para ele, ele brincou e disse: 'O Héverton não tem problema, esse está indo embora, não joga nada, podia pegar dez ou vinte partidas' e falou para eu focar em colocar o Gilberto em campo.
Você falou com ele no sábado?
Eu estava trocando de celular no sábado. Assim que eu vi que tinha algumas chamadas dele, quando eu instalei o chip no meu aparelho, nós conversamos um minuto ou um pouco mais. Ele queria saber se eu tinha novidades sobre o Gilberto. E eu não tinha nada. 
Bom, aí o Héverton jogou no domingo e você ficou sabendo que tinha alguma coisa errada na segunda-feira? 
Não, não. Eu fiquei sabendo na terça-feira, dia 10. Por volta das 17 horas, um amigo meu me ligou perguntando se eu tinha escalado o Héverton. Eu disse que não sabia. Eu liguei para a advogada que estava comigo no julgamento, que eu já mencionei algumas vezes, e pedi para ela ver. Ela me retornou e disse que sim. 
E como você ficou?
Na hora, eu fiquei em estado de choque. Sentei, tomei ar. Fiquei muito mal. São dez anos trabalhando para um clube que você sabe das dificuldades que tem nas decisões do árbitro, tribunais. Então, eu liguei para o Valdir Rocha. Perguntei sério, ele até brincou com esse negócio de ícone e tal, e eu falei que era sério e perguntei se eles tinham escalado o Héverton. E ele ficou alguns segundos de um jeito, repetindo o nome do Héverton, deu aquela titubeada e a ligação caiu. Eu tentei por três, quatro ou cinco vezes, mas não completava. Na sexta eu consegui e ele já estava ao lado do presidente, no viva voz. 
O que eles disseram?
E aí veio aquele desespero, eles perguntaram se a decisão não tinha sido errada, eu disse que não. É claro que eu também não estava com essa calma toda que eu estou te contando. Mas eles estavam preocupados e eu também, e começamos a pensar no que fazer. O Valdir apelou, falou que tinha três filhos e que a torcida da Portuguesa é violenta. Eu também não quis falar isso antes para preservar a amizade que eu tinha até então com ele. Mas como ele anda falando que eu estou mentindo, resolvi contar a versão completa. Ele, então, falou dos filhos dele. O Manoel da Lupa também falou que a torcida era violenta. Imagina três pessoas conversando sobre uma notícia bombástica. Ficamos pensando em mil ideias. 
Quais ideias?
Ah, desde o que fazer com o recurso, se eu não poderia assumir a culpa, eles sugeriram isso, mas eu disse que juridicamente não funcionaria. Foi ligação em cima de ligação. No dia seguinte eu vi que tinha uma matéria no seu veículo de comunicação e eu pedi providências ao presidente. Falei que isso não estava correto. A imprensa toda estava me ligando e eu não estava me manifestando e eu disse que não ia falar nada mesmo, porque a gente estava tentando pensar em uma solução para o problema. Eu quis saber o que tinha acontecido, perguntei se houve falha e ninguém falou nada diretamente. Eu fiquei para mim que houve um erro interno. Conversamos sobre isso para um eventual recurso. 
Você não quis falar com a imprensa no início...
Eu não me manifestei para a imprensa porque eu queria ter uma palavra em conjunto sobre o que estava acontecendo. Isso foi se estendendo, a Portuguesa chegou a mudar de versão. Até que eu liguei para o presidente e disse que eu ia ter de falar alguma coisa. Ele pediu para eu ajustar com o Valdir o que iríamos fazer. Até chegar o momento em que eu não aguentava mais a pressão, com eles falando que eu tinha errado e eu resolvi ligar para ele e dizer que eu ia me manifestar. Ele me contou então que tinham contratado um colega do Rio e que era para eu ligar para ele e ajustar com ele. Acabou que nem foi ele o advogado e foi o João Zanforlim. E a última vez que falamos foi para eu avisá-lo que eu tinha que falar alguma coisa porque estava sobrando para mim. Eu precisava me defender e eu comecei a falar sobre o caso. Eu posso afirmar que eu nunca mudei a minha versão e a Portuguesa mudou várias vezes. 
Essa foi a última vez que vocês conversaram?
Acho que foi essa sim. Nesses dias eles até me pediram mais uma vez para que eu ajudasse eles e assumisse a culpa. Me prometeram que iam me ajudar, falando da minha conduta. E eu disse que eu não poderia fazer, porque eu ia assumir um erro que eu não cometi, seria ruim para a minha carreira e também porque não ajudaria a Portuguesa. Eu até entendo esse lado deles, até pelo desespero da situação. Acho que foi uma das últimas, e eu disse que eu ia falar a minha versão. Depois foi só pela imprensa. Foi isso que aconteceu. 
O Ministério Público de São Paulo entrou em contato com você?
O próprio promotor entrou em contato comigo. E eu pedi para ele falar com o meu sócio, que está tratando com ele. Nós estamos agendando uma visita, para que eu vá lá e seja ouvido. Acho importante isso, vou colaborar com tudo que o Ministério Público quiser. O promotor disse que já tem toda a história, só falta me ouvir.
O MP acha que alguém ganhou com isso. O que você acha?
Eu não sei quais provas ele tem. É uma coisa investigativa dele e é o trabalho dele. Eu sempre acreditei que foi uma falha de comunicação. Eu não conseguia acreditar, pelo menos até então, porque parece que agora ele tem provas, naquelas teorias da conspiração. Isso nunca passou pela minha cabeça, não sei se por ingenuidade minha ou por falta de malícia. Eu não consigo ver, até fisicamente, como foi possível fazer isso em tão pouco tempo. Mas se ele tem provas eu acho ótimo e que se puna os culpados. 
Você chegou a receber alguma ligação de alguém do Flamengo?
Nunca. Nunca recebi.
E do Fluminense?
Nunca também. Conheço o Mario [Bittencourt], ele é meu amigo, jogamos 'peladas' juntos, mas nunca teve nada. 
Se o MP quiser seus registros telefônicos e extratos bancários, você está disposto a mostrar? Assim como eu já mostrei alguns documentos, eu abro o meu sigilo bancário, abro o da minha esposa, das minhas filhas e de quem for preciso para mostrar que não tenho nada com isso. 
Bem como suas ligações?
Sim, tudo. O que precisar.
Eles já pediram isso?
Não, oficialmente não.
Sua relação com a Portuguesa agora, não existe?
Eu tenho escutado muito pela imprensa. Mas oficialmente não recebi nada. Meu contrato era até o dia 31 de janeiro. Esse era o décimo ano de contrato. Tem até alguns processos pendentes. Mas oficialmente não houve ruptura. 
Há uma contradição entre a sua versão e a do Valdir. Ele diz que você não avisou. Como você acha que vai convencer o MP de que a sua versão é a verdadeira?
Primeiro é que são dez anos trabalhando para esse clube sem problemas de comunicação. O Valdir teve a oportunidade de falar no STJD sobre tudo isso e não falou. Agora ele vem a público e fala tudo isso. Tem um monte de coisas novas em relação ao depoimento dele. Lá ele disse que eu não errei. Agora fala um monte de coisas que vai ter de provar. Eu vou demonstrar para o promotor, que talvez não saiba exatamente como funciona as coisas no STJD, com alguns exemplos. O técnico disse algumas vezes que não sabia nem mesmo que o Héverton seria julgado. Quando um jogador vai ser julgado e a sua pena mínima é de quatro jogos, o atleta acaba nem participando de treinos, de coletivo, nada. Poderia ter até recebido férias. Vou mostrar como as coisas funcionam na prática para ele ver.
Você está tranquilo?
Muito tranquilo. Claro que tudo isso me perturbou muito. Eu sou uma pessoa muito calada, muito na minha. Eu sofri e estou sofrendo muito com isso. Ontem eu te disse que não falaria mais sobre isso, mas aí a gente vê uma pessoa que gozava da minha amizade falando um monte de coisas... Eu entendo que ele está tentando se preservar, mas eu também tenho o mesmo sentimento. É ruim estar o tempo todo com a foto exposta em um site, ter de se explicar o tempo todo. Isso é muito complicado. 
Você advoga para muitos clubes. Qualquer pessoa poderia errar, até por ter dois assuntos pendentes. Você assumiria? Olha, se fosse erro meu, eu seria o primeiro a assumir. O Valdir Rocha fala que era praxe que quando eu não falasse nada era um jogo ou advertência. Se o Gilberto que estava no mesmo artigo do Héverton pegou dois jogos, e ele compareceu no julgamento, não seria muito diferente com o Héverton. Eu lamento que tudo isso tenha acontecido. Acho que ele se concentrou no Gilberto e esqueceu do Héverton.
Você se sente constrangido de ir ao STJD agora?
Não, de maneira nenhuma. Eu já fui lá esse ano, depois do ocorrido, recebi apoio de todo mundo lá dentro. Quem me conhece sabe que não é à toa que eu estou ali. Falam até coisas pejorativas, quando você incomoda as pessoas é normal isso. Claro que tem sempre um abalo, uma vergonha. Tem clube que trocou de diretoria agora e eu tenho que explicar tudo de novo. Mas o que me revigora e me dá força é ouvir as coisas boas.
Com a CBF, alguém te ligou?
Recebi algumas ligações me dando apoio, que eles conhecem meu trabalho. 
Quem, por exemplo?
O Virgílio Elíseo foi um deles, faz tempo que eu convivo com ele e ele sabe do meu trabalho. 
Com tudo isso, você vai mudar seu método de trabalho? Olha, a vida é um aprendizado sempre. O que eu coloquei agora é que mesmo advogando há dez anos, mesmo com os usos e costumes, eu a partir de agora vou documentar tudo por escrito. 
Você tem mais trocas de e-mails com a diretoria da Portuguesa? Não, não. Tem um e-mail que o Valdir me mandou no dia depois do fato ocorrido, por volta do meio-dia, para saber sobre a questão de qual a tese a gente iria adotar para um eventual recurso. Até fiquei sabendo agora que tem um recurso, mas não fui eu que fiz. 
Por último, você deve entrar na Justiça, né? Quais são as teses que você está levantando? Vou pedir retratação por muitas coisas que foram faladas pela imprensa, alguns blogs. Vou pedir dano moral, por aquelas pessoas que falaram de mim pejorativamente. Vou pedir também responsabilidade civil e criminal.
Mas contra a Portuguesa tudo isso?
Também contra ela, mas individualmente também. Vou processar um a um.
Falou com a nova diretoria?
Ainda não.
Esse será seu depoimento no Ministério Público?
É, certamente. O que tem de novo aqui são algumas particularidades das minhas conversas. Mas depois que ele, Valdir, vai a público e começa a falar...
Vai levar mais algum documento?
O que for preciso".

#flalusagate 

 Juntos Somos Fortes!

REVISTA FRANCESA DIZ QUE COPA NO BRASIL VIROU "FONTE DE ANGÚSTIA"



Prezados leitores, imaginem quando estourar o "Escândalo do Brasileirão" o que a imprensa internacional vai escrever....

RFI PORTUGUÊS 
FUTEBOL/ COPA 2014 - Artigo publicado em 28 de Janeiro de 2014 - Atualizado em 29 de Janeiro de 2014
Revista francesa diz que Copa no Brasil virou "fonte de angústia"
Capa da revista francesa France Football desta semana, 28 de janeiro de 2014 
Elcio Ramalho
A respeitada revista France Football chegou nesta terça-feira (28) às bancas alertando em sua manchete para os riscos que pairam sobre o Mundial do Brasil. Os atrasos na entrega dos estádios, a insatisfação da população e até as diferenças de clima entre as regiões durante o evento foram citados pela publicação para justificar os temores com a organização da Copa. “Medo do Mundial no Brasil”, escreve em sua manchete a revista. A cinco meses do pontapé inicial da Copa, o Brasil está longe de ser o lugar ideal imaginado pela Fifa para organizar a maior festa do futebol que, segundo a France Football, “se tornou uma fonte de angústia”.
Ilustrada com uma foto do acidente com a cobertura do Itaquerão em São Paulo no mês de novembro, a revista diz, em seis páginas, que os atrasos na entrega dos estádios, a alta vertiginosa dos preços, o risco de manifestações gigantescas e até as diferenças de clima entre as regiões fazem do Mundial uma preocupação para a Fifa a 140 dias da abertura da Copa.
A revista pondera o entusiasmo com a possibilidade de o Brasil conquistar em casa um inédito 6° título de campeão mundial. “A realidade já revelou o lado obscuro e menos glamuroso deste desafio”, escreve a France Football.
A revista revela que a organização do evento expõe duas faces diferentes: por uma lado, as exigências da Fifa, “às vezes desmedidas, normalmente inadequadas”, e, por outro, um país de crescimento econômico fraco, com problemas políticos, corrupção e uma alta de preços considera insuportável.
Como comparação, a publicação lembra que o Brasil investiu para construir ou renovar 12 estádios e com outras obras da Copa mais de 11 bilhões de euros, enquanto o orçamento do governo para a educação no país em 2013 foi de 12,8 bilhões. 
Até o super-herói Batman, personagem presente em diversos protestos e que se tornou símbolo da contestação social, parece ser impotente diante de tantos problemas, ironiza a France Football. Entre os desafios estão a aceleração para entrega dos estádios que faltam, limitar a ira dos brasileiros e até contornar as dificuldades que surgirão com as temperaturas diversas entre as regiões durante o Mundial.
A revista lembra as recentes declarações do presidente da Fifa, Joseph Blatter, de que nunca um país esteve tão atrasado na preparação de uma Copa do Mundo, e do secretário-geral, Jérôme Valcke, admitindo que a competição vai ser realizada sem infraestruturas totalmente instaladas e testadas.
Segundo a revista, o ritmo imposto na corrida contra o tempo para as obras já deixaram 4 vítimas fatais, em referência aos acidentes com as Arenas de Brasília, Manaus e São Paulo. Em sua reportagem, France Football estima que os compromissos entre governos locais e empreiteiras que se beneficiaram dos atrasos para cobrar preços exorbitantes foi extremamente prejudicial para o contribuinte brasileiro. “Os doze estádios foram financiados pelo Estado embora o compromisso tenha sido com fundos privados”, escreve a France Football.
“Latas de tinta”
Em relação a obras de infraestrutura, a revista afirma que os 600 mil turistas esperados no Brasil durante a Copa deverão transitar por aeroportos com “latas de tinta e andaimes pelos corredores” nos terminais, em referência aos atrasos nas principais portas de entrada para as cidades escolhidas como sedes da competição. Em Curitiba, cita a reportagem, o canteiro de obras não avançou 20% do que estava previsto.
Para a revista, não apenas os brasileiros que protestam nas ruas têm motivos para reclamar. Até os próximos jogadores que criaram o movimento "Bom Senso Futebol Clube" também saíram a campo para defender seus interesses, como um calendário de jogos menos carregado.
Sobre as diferenças de clima durante a Copa, France Football explica a seus leitores que mesmo sendo disputado no período de inverno, algumas cidades como Manaus e Recife preocupam pelo calor excessivo. Segundo a revista, as condições climáticas podem afetar a saúde dos jogadores e atrapalhar sua recuperação entre os jogos. 
Confiança demais 
Em entrevista concedida à revista, o presidente da Fifa confessa que a entidade possa ter tido uma confiança excessiva no Brasil para organizar o maior evento do futebol mundial. Blatter voltou a reafirmar que nunca um país teve tanto tempo, 7 anos, para realizar uma Copa e garantiu que a presidente Dilma Roussef prometeu a ele provar que “o país estará pronto”. 
Durante a entrevista o presidente da Fifa afirmou que “o orgulho não deve fazer esquecer os compromissos do governo com as obras de infraestrutura”. 

#flalusagate

Juntos Somos Fortes!

INTERVENÇÃO MILITAR NO BRASIL - GENERAL RR PAULO CHAGAS



EMAIL:
Intervenção Militar 
Caros amigos:
Seguindo um conselho do Sr Geraldo Almendra, e para que fique muito bem clara a minha posição neste movimento contra o comunismo no Brasil, gostaria que todos soubessem que SOU CONTRA uma intervenção militar na política brasileira da forma como vem sendo sugerida por um bom número de pessoas justificadamente desesperadas. 
Entendo que os militares têm o DEVER de participar da formação da opinião pública, da difusão da verdade histórica, da educação cultural do povo e da estruturação da norma moral e cívica pela força do argumento, evitando, a todo custo, ter que empregar o argumento da força. 
Não é boa tática ou estratégia a tomada de atitude sem a tomada prévia de posição. Este tem sido meu esforço junto aos meus camaradas detentores do bastão de comando, desde quando estava na ativa. 
Entendo que a simples leitura dos meus textos, a olho nú e não através de mira do fuzil, leva a esta conclusão, pois NUNCA preguei a intervenção militar em outros termos, embora, logicamente, não a exclua. 
Agradeço ao Sr Almendra por alertar-me para a possibilidade de estar sendo entendido de outra forma. 
Como desejei ao Sr Geraldo, desejo também a todos que se empenham de outras formas para livrar o Brasil dessa praga: Sucesso! Que ele faça com que nos encontremos na consolidação do objetivo final! 
Fraterno abraço a todos. 
General PChagas"

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: CONVERSA COM O CORONEL PAÚL - VÍDEO

Prezados leitores, assistam uma parte da conversa que tivemos anteontem no lançamento do livro "Pagar O Quê?":


 

#flalusagate 

Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

DIA 8 DE DEZEMBRO DE 2013, O DIA QUE O FLAMENGO CAIU PARA A SEGUNDONA



Prezados leitores, quase 4.000 visitantes já leram esse artigo que em forma de ficção demonstra claramente o que teria acontecido se a imprensa (O Globo, Extra, Lance e Portal Terra) tivesse cumprindo o seu dever de ofício e informasse à população através desses sites que o Flamengo seria punido com a perda de 4 pontos e que com 45 pontos tinha entrado na luta contra o rebaixamento, isso com 40% de chance de cair para a segundona.
No artigo, a imprensa cumpre o seu papel, noticia o fato.
Um artigo que monstra um caminho que não foi seguido, um caminho natural, que foi abortado com graves violações da ética para proteger o Flamengo.
Nesse ponto em referência, nasce a desconfiança, um sentimento que cresce a cada dia diante do fato da imprensa continuar blindando o Flamengo, não o colocando na discussão sobre a fraude que ocorreu na Portuguesa, conforme opinião do MP, quando ele foi o maior beneficiado com a escalação de Héverton.
Se você ainda não leu, não perca a oportunidade, acesse e leia nesse momento (Link).
Se já leu, indique para seus familiares e amigos, esse artigo que simboliza o começo de tudo.

#flalusagate

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: CORONEL PAÚL EXPLICA EM VÍDEO OS MOTIVOS DO FLAMENGO APARECER COMO PRINCIPAL SUSPEITO









#flalusagate




Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO - QUEM GANHOU O QUE COM A QUEDA DA LUSA - MARCOS GOMES



Prezados leitores, transcrevemos um novo artigo do senhor Mauro Gomes, estatístico, como nos orgulha por ser nosso leitor.
Preliminarmente, solicitamos desculpas aos torcedores do Flamengo por colocá-los, mais uma vez, diante da clareza solar da matemática.

"Prezados Leitores, 
Com o Ministério Público cada vez mais próximo de comprovar que houve gente no Canindé obtendo vantagem com a escalação irregular de Heverton, a Imprensa teve que retirar o rótulo de "teoria da conspiração" que havia colado na suspeita tricolor. Anteriormente eu já havia postado nesse mesmo blog um artigo em que mostrava que o erro duplo de Portuguesa e Flamengo por si só já deveria levantar suspeitas, pois tinha uma chance em cinco milhões de ser obra de mero acaso (http://blogcoronelpaul.blogspot.com.br/2014/01/o-flamengo-e-o-rebaixamento-da_9.html). Precisou o Promotor Senise levantar a suspeita de suborno para a Imprensa parar de se fingir de surda. Paciência, antes tarde do que nunca!
Mas a pergunta natural que todos agora se fazem é: quem é o mandante do assassinato da antes inocente Luzinha?
Estranhamente, a maior parte da grande mídia não tem falado diretamente em nomes, o que por si só leva as pessoas a chegarem a suas próprias conclusões. E a conclusão mais natural para os seres que preferem economizar seus circuitos cerebrais (a maioria, infelizmente) é:
"Se a Imprensa disse antes que o Fluminense foi o principal beneficiado pela queda da Lusa, então isso deve ser obra da Unimed! Isso mesmo, para que esperar o final dessa novelal? Claro que o culpado é o mordomo! "
Com a conclusão fácil, vem a ira santa da massa acéfala:
"Finalmente agora poderemos pegar pelo colarinho o clube sórdido que escapou da Série B e jogá-lo na D! Que máximo! Vamos fazer uma Revolução Francesa no futebol brasileiro! Abaixo as regras antiquadas que oprimem os clubes fracos! Abaixo o STJD! Vamos cortar as cabeças dos burgueses, começando pela do torpe Fluminense!"
A quem não deseja simplesmente aderir à turba que ora se ajunta com tochas rumo às Laranjeiras, proponho um exercício de Matemática e Lógica. Sim, vamos dar uma chance para que essas que construíram nossa civilização nos falem.
Vamos começar nos despindo das paixões clubísticas, pois paixões embotam o raciocínio. Feito isso, vamos fazer a pergunta inicial que todo bom investigador faz: 
Quem ganhou o que com o crime?
Temos então de analisar o que cada um ganharia ou perderia com os erros de Flamengo e Portuguesa, individualmente e depois conjuntamente.
Isso vai dar um certo trabalho, mas creiam, é necessário.
Situação 1: Sem considerarmos os erros de Flamengo e Portuguesa, na manhã do domingo da 38º rodada tínhamos a seguinte classificação na parte de baixo da tabela: 
Flamengo-49
Portuguesa-48
Bahia- 48
Inter-47
Criciúma-46
Coritiba-45
Vasco-44
Fluminense-43
Vejam que exclui a Ponte Preta e Náutico, que já tinham levado duas das quatro vagas do rebaixamento. Sendo assim, os resultados necessários aos times e sua chance de rebaixamento eram os seguintes:
- Flamengo: matematicamente salvo.
- Portuguesa: matematicamente salva.
- Criciúma: só cairia se perdesse e Vasco e Coritiba vencessem juntos (chance de cair: 4%).
- Coritiba: vencendo estaria salvo; empatando ou perdendo cairia se Vasco ou Fluminense vencessem (chance de cair: 37%).
- Vasco: precisava vencer e torcer que ou Coritiba não vencesse ou Criciúma perdesse (chance de cair: 74%).
- Fluminense: precisava vencer e torcer para que nem Vasco nem Coritiba vencessem (chance de cair: 85%).
Situação 2: Vamos imaginar agora que só o Flamengo tivesse errado. Levando em conta os pontos que o Flamengo perderia, a situação antes dos jogos de domingo seria:
Portuguesa-48
Bahia- 48
Inter-47
Criciúma-46
Flamengo-45
Coritiba-45
Vasco-44
Fluminense-43
Como consequência, teríamos:
- Portuguesa: matematicamente salva.
- Criciúma: matematicamente salvo.
- Flamengo: cairia se acontecesse dois dentre os seguintes resultados: vitória do Vasco, vitória do Flu ou Coritiba não derrotado (chance de cair: 40%).
- Coritiba: vencendo estaria salvo; empatando só cairia se Vasco e Fluminense vencessem juntos, perdendo precisava que nem Vasco nem Fluminense vencessem (chance de cair: 22%).
-Vasco: bastava vencer; empatando ou perdendo estaria rebaixado (chance de cair: 67%).
- Fluminense: precisava vencer e torcer para que Vasco e Coritiba não vencessem juntos (chance de cair: 70%).
Situação 3: O Flamengo não escala jogador irregular no sábado e alguém decide comprar a Portuguesa. O malfeitor raciocinaria então em cima da seguinte tabela:
Flamengo-49
Bahia- 48
Inter-47
Criciúma-46
Coritiba-45
Portuguesa-44
Vasco-44
Fluminense-43
O sujeito chegaria então às seguintes conclusões:
- Flamengo: matematicamente salvo.
- Criciúma: matematicamente salvo.
- Coritiba: vencendo estaria salvo; empatando ou perdendo só cairia se Vasco e Fluminense vencessem juntos (chance de cair: 7%). 
- Portuguesa: precisava que o Vasco perdesse e o Flu não vencesse (chance de cair: 77%).
- Vasco: vencendo escaparia; empatando se salvaria se o Flu não vencesse (chance de cair: 44%).
- Fluminense: precisava vencer e torcer para que Vasco e Coritiba não vencessem juntos (chance de cair: 70%).
Situação 4: Flamengo erra no sábado e alguém decide comprar a Portuguesa:
Nesse caso, nosso Maquiavel teria diante de si uma tabela em que consideraria a perda de pontos dos dois clubes:
Bahia- 48
Inter-47
Criciúma-46
Flamengo-45
Coritiba-45
Portuguesa-44
Vasco-44
Fluminense-43
A conclusão a que ele chegaria seria que:
- Criciúma: matematicamente salvo.
- Flamengo: só cairia se Fluminense e Vasco vencessem e se o Coxa não perdesse (chance de cair: 7%).
- Coritiba: bastava empatar para se salvar; perdendo só cairia se Vasco e Fluminense vencessem juntos (chance de cair: 4%).
- Portuguesa: precisava que o Vasco perdesse e o Flu não vencesse (chance de cair: 77%).
- Vasco: vencendo escaparia; empatando se salvaria se o Flu não vencesse (chance de cair: 44%).
- Fluminense: bastava vencer (chance de cair: 67%).
Analisando em conjunto as 4 possibilidades, é possível chegar-se a algumas conclusões:
- Ao Criciúma bastava o erro do Flamengo ou da Portuguesa para garantir-lhe a série A.
- Se para o Flamengo a possibilidade de cair era nula antes de seu erro, ela passou a ser apreciável após escalar André Santos (40%). Mas se a Portuguesa também errasse, sua chance cairia bastante (apenas 7%).
- A chance de cair da Portuguesa era praticamente nula antes de seu erro, mas passou a ser alta após escalar Heverton (77%). O erro do Flamengo não melhorou sua situação.
- Para o Coritiba, o erro do Flamengo diminuiu suas chances de cair (de 37% para 22%), mas se fosse a Lusa que tivesse errado sozinha, seria mais interessante para o clube paranaense (chance de apenas 7%). Com Fla e Lusa errando juntos, o benefício foi só um pouco maior (chance de cair: 4%).
- Para o Vasco, o erro do Flamengo também diminuiu suas chances de cair, só que pouco (de 74% para 67%). Se a Lusa tivesse errado sozinha, a chance cairia bem mais (44%). O fato de o Fla também ter errado com a Lusa não melhorou em nada as chances cruzmaltinas de se salvar (44%).
- Já para o Fluminense, se tivesse acontecido só o erro do Flamengo ou só o da Portuguesa, sua chance de cair diminuiria a mesma coisa (de 85% para 70%). Com os dois errando juntos, a chance melhorou, mas ainda continuou muito alta (67%).
Sendo assim, do ponto de vista puramente matemático, pode-se dizer que Criciúma, Coritiba, Vasco e Fluminense se beneficiariam pelo erro de Portuguesa e/ou Flamengo, enquanto o Flamengo só pelo da Portuguesa. Portuguesa não teve nenhum benefício esportivo com isso, então se deve buscar uma motivação extracampo para um erro proposital.
Mas agora vamos começar a usar o bom senso para descartar algumas hipóteses.
Alguém em sã consciência acha que o Flamengo se venderia, se metendo numa enrascada a troco de nada? Ainda mais beneficiando Vasco e Fluminense? Não dá para crer nisso, não é mesmo?
Sendo assim vamos admitir que a Lusa é que possa ter-se vendido, inclusive porque agora já se admite que há fortes indícios disso. Dessa forma, os suspeitos de comprar a Lusa seriam Criciúma, Flamengo, Coritiba, Vasco e Fluminense.
Vamos olhar a situação de cada um:
O Criciúma foi o mais beneficiado pelo o erro da Lusa, pois viu seu risco de rebaixamento cair a zero. Mas admitindo que o erro do Flamengo não foi intencional, para que o time catarinense compraria a Lusa se o erro do rubro-negro no sábado já o garantia na Séria A? Valia a pena? NÃO!
O Flamengo fica em 2º lugar na escala de benefícios auferidos pelo erro da Portuguesa. Já que o clube da Gávea havia se atrapalhado, então, comprando a Lusa, conseguiria abaixar suas chances de cair de 40% para apenas 7%. Claro que o risco de desconfiarem da manobra era grande, mas certamente o Fla poderia contar com a simpatia da Imprensa para abafar o caso. Ademais, imaginem a hecatombe que seria para imagem e finanças do clube se o time fosse rebaixado por pura burrice de seus dirigentes! Aliás, prejuízo certo também para a Globo, Adidas, Peugeot, Caixa... Então se o risco de embarcar na escusa operação de salvamento era grande, o dano potencial pela queda era incomensurável! Valia a pena arriscar? SIM!
O Coritiba foi o terceiro que mais ganhou com a situação. Veja que se tivesse decidido comprar a Lusa, suas chances de cair iriam de 37% para apenas 7%. Supondo que isso fosse verdade, o time da capital paranaense certamente teria percebido que o erro do Flamengo no sábado o atrapalhava. Agora teria de decidir entre abortar a operação, se contentando com o risco de 22% que o erro do Fla já lhe proporcionara, ou ir adiante com a negociata, alcançando a chance de 4% de cair. O ganho marginal era pequeno, enquanto o risco aumentava muito. Será que um erro duplo, com possibilidade tão remota de acontecer, não levantaria suspeita? Valia a pena continuar? NÃO!
O Vasco seria o penúltimo colocado na lista de suspeitos, pois o erro do Fla também o teria atrapalhado. Se o Gigante da Colina fosse o autor da negociata com a Lusa, seria para melhorar suas chances de 74% para 44%, o que, convenhamos, é um ganho pequeno para um risco tão alto. Mas suponhamos que o desespero para não deixar o time cair pela segunda vez em cinco anos fosse tão grande que Dinamite entrou na aventura. Com tudo acertado com a Portuguesa para o domingo, eis que o Flamengo pisa no tomate no sábado. Ó pá, a chance do Vasco melhorou apenas de 74% para 67%, e o molambo ainda dificultou-lhe levar o plano adiante! Sim, porque o erro do Fla não lhe proporciona nenhum benefício adicional, pois pagando à Portuguesa, chegará aos mesmos 44% que obteria se o Urubu não tivesse atravessado seu caminho. Agora o ganho continua pequeno e a chance de ser descoberto aumentou enormemente. Vale a pena? NÃO!
Por último, o Fluminense. Exceto os tricolores, todos aguardam ansiosamente que o Campeão de 2012 caia, afinal ele tem uma dívida com a Série B (dizem). Os próprios torcedores do time estão descrentes que ele vá se salvar. As chances de rebaixamento na última rodada são de 85%, pois o clube depende de resultados combinados. A queda é mais que esperada há semanas.
Vamos imaginar as cenas desse filme de ficção?
Reunião de emergência nas Laranjeiras, entre a diretoria e a UNIMED. Eis que Celso Barros propõe agir nos bastidores para melhorar as chances do Flu. "Mala branca para o São Paulo vencer o Coritiba?", perguntam. "Não, melhor ainda, vamos pagar para a Portuguesa escalar um jogador irregular!", diz CB. Todos se entreolham aturdidos, mas sem coragem de contrariar o imperador. Aí o estagiário, que nada sabe sobre as relações de poder no Laranjal, faz a observação que está na cabeça de todos: "mais isso só vai diminuir nossa chances de cair de 85% para 70%!". Ao perceber a presença do intruso, o ditador brada: "70% é excelente! Joguem o moleque no triturador e façam dele adubo para nosso gramado esburacado!".
Plano posto em marcha para o domingo da última rodada. Mas eis que no sábado o Urubu se esborracha no Maraca, cometendo a mesma burrice que o Flu planejara para a Lusa no domingo. Nova reunião de emergência nas Laranjeiras. Todo animado, Dr. Mário Bittencourt sugere ao tirano: "Podemos abortar a operação agora, pois com o erro do Fla nossas chances já abaixaram para os mesmos 70% que obteríamos com a Lusa. Que tal usarmos esse dinheirão para turbinar o interesse do SPFC em ganhar do Coritiba?". "Nada disso", responde CB, "agora com a Lusa também errando, nossa chances de não cair vão diminuir mais 3%, indo para 67% - é fenomenal!". Mesmo com a chance de ir parar no mesmo triturador que o estagiário, Peter Siemsen não se contem e, em prantos, brada: "Onipotente, esse erro duplo vai chamar muita atenção! Toda a Imprensa nos detesta e dirá que fomos nós que compramos a Lusa! A audiência bovina virá atrás de nós! Os tricolores serão massacrados nas ruas!". Ao que CB responde com uma gargalhada de desdém: "Vai nada, Peter Pan!". Numa última tentativa, Dr. Mário apela: "Mas com isso vamos salvar também nosso maior rival!". E Dr. Celso impassível: "mas eu também gosto do Flamengo!".
Historinha inverossímil, não? Então, valia a pena ou não pro Flu comprar a Lusa? CLARO QUE NÃO!!!
Visto isso tudo, como investigadores aprendizes agora podemos ordenar nossa lista de suspeitos conforme o benefício que poderiam esperar do pretenso crime:
1- Flamengo;
2- Coritiba;
3- Criciúma;
4- Vasco;
5- Fluminense.
Vejam que esse é só o primeiro passo de uma boa investigação. Como esses dados estão todos à mão, é de se perguntar por que a Imprensa ainda não "juntou lé com cré". Obviamente, em função de outras informações que surjam, a ordem da lista pode até mudar, alguns suspeitos podem ser descartados e outros acrescentados. Mas por enquanto vou ficar por aqui...
Termino esse artigo com o seguinte provérbio chinês:
Aquele que não sabe, e sabe que não sabe, é humilde - ajuda-o!
Aquele que sabe, mas finge que não sabe, é mau - evita-o.!
Aquele que sabe, mas pensa que não sabe, está dormindo - desperta-o!
Aquele que sabe, e sabe que sabe, é sábio - segue-o!
Um abraço.
Marcos Gomes - estatístico"

#flalusagate

Juntos Somos Fortes!