JORNALISMO INVESTIGATIVO

JORNALISMO INVESTIGATIVO
Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

segunda-feira, 8 de julho de 2024

quarta-feira, 3 de julho de 2024

MORTE DE POLICIAL - FRACASSO NA GESTÃO DA SEGURANÇA PÚBLICA



Hoje a população do Estado do Rio de Janeiro perdeu mais um policial,  alguém disposto a arriscar a própria vida em defesa dela.

Tal tragédia tem acontecido com uma frequência muito grande, sinalizando que algo continua muito errado na gestão da segurança pública.

Preservar a vida dos policiais e das pessoas inocentes deve ser o principal norteador do planejamento operacional.

Um policial ferido ou morto significa que a operação foi um completo fracasso.

Os gestores da segurança pública têm obtido sucessivos fracassos e os policiais seguem sendo assassinados.

Vale lembrar que o número de suicídios também é sinal dessa falência.

Repito, algo continua muito errado na gestão da segurança pública no Estado do Rio de Janeiro.

"G1

Capitão da PM morre após ser baleado na cabeça durante operação no Morro do Urubu

De acordo com as primeiras informações, o agente estava em uma operação do 3º BPM (Méier) quando foi atingido na cabeça.

Por g1 Rio

 

sexta-feira, 28 de junho de 2024

FLUMINENSE: CÉU E INFERNO




Em poucos meses a torcida do Fluminense Football Club caiu do céu e foi parar nas profundezas infernais, diante da diferença de desempenho entre o ano passado e o atual.

O péssimo momento no Brasileirão 2.024 materializa essa realidade, isso é indiscutível, afinal em doze rodadas conquistamos apenas seis pontos em trinta e seis disputados.

A mídia não perdeu tempo e logo após a derrota para o Vitória trouxe uma estatística que demonstra que nos pontos corridos isso é desempenho de futuro rebaixado.

Esqueceu que o Corinthians e o Grêmio estão conosco nessa situação difícil.

A mídia ama o Fluminense...

Nem o fato de termos avançado na Libertadores e na Copa do Brasil atenuam o nosso sofrimento, o que é explicável pelo fato de que cair para a série B sempre é uma tragédia gigante, inclusive financeira.

A preocupação é contagiante, escorre pelas arquibancadas e monitores de tv.

Eu estou preocupado e para amenizar esse quadro sonho com a volta dos gols do Cano, por exemplo.

Ele fazia gols em quase todos os jogos, fez mais de oitenta somando 2022 e 2023.

Quem sabe ele volta à boa fase...

Deixando claro que ele não tem culpa do presente tricolor, usando apenas a sua fase como um fator de comparação. Se ele OU OUTRO jogador tivesse feito um gol a mais para o Fluminense nessas doze rodadas, o clube teria dezessete pontos.

Eu confio na volta dos chutes e cabeçadas dos nossos jogadores que gerem os gols que tanto precisamos para a fase mudar.

Preocupado sim, desesperado não.

E, ainda faltam vinte e seis rodadas.

Saudações tricolores!

terça-feira, 25 de junho de 2024

O MEDO DO THIAGO PAMPOLHA, VICE DO GOVERNADOR CLÁUDIO CASTRO



Transcrição:

"DIÁRIO DO RIO

(.....)

Thiago Pampolha, governador em exercício do Rio de Janeiro, ter que fazer um Diário Oficial Extra que suspende pagamentos extraordinários e assumir que é para evitar eventual “casca de banana” do governador Cláudio Castro diz muito sobre a situação da política do estado do Rio". (Link)".

Juntos Somos Fortes!


terça-feira, 18 de junho de 2024

A GRAM E O HOMEM QUE NÃO CONSEGUE SAIR DO GOVERNO



O Estado do Rio de Janeiro tem se destacado pelos fatos negativos oriundos do campo da política fluminense.

Fatos inexplicáveis que refletem em todos os poderes e órgãos de controle, por exemplo.

Apenas para dar materialidade a tal estranheza, cito que no final de 2.021, o Executivo, o Legislativo e o alto comando da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar criaram uma gratificação (GRAM) que dois anos e meio depois ninguém sabe explicar a forma como ela é paga para uns e não é paga para todos.

A coisa é tão doida que os presos recebem a Gratificação de Risco da Atividade Militar.

Qual seria esse risco ao qual Bombeiros e Policiais Militares presos estariam expostos?

Nem o Executivo, nem o Legislativo, nem o Judiciário, nem o Ministério Público, nem o Tribunal de Contas do Estado conseguem esclarecer.

O certo é que todos conhecem essa e outras irregularidades no pagamento da GRAM, mas...

O caos é tão grande que um alto assessor do governador quer deixar o cargo, entretanto apesar dos esforços, continua "preso" na cadeira.

Acesse o link e conheça esse fato insólito.

Adianto que não é piada.

https://temporealrj.com/nem-a-justica-ajuda-a-demitir-victor-travancas/


Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 12 de junho de 2024

O FLUMINENSE ESTÁ "DOENTE", MAS É CURÁVEL




Em 2.024 o Fluminense Football Club ainda não conseguiu apresentar um futebol que represente a sua grandeza, isso é fato.

Especificamente no Brasileirão 2024 o desempenho tem sido pífio, um futebol que beira ao ridículo e com resultados que encaminham para ser rebaixado.

Em oito jogos conquistou seis pontos, ou seja, menos de um ponto por jogo, o que significa que está no rumoh inverso ao desejado.

Versões não faltam para o insucesso, elas povoam o mundo do futebol.

Ouso apresentar a minha: o elenco do Fluminense está doente.

A doença que tanto debilitou é fruto dos péssimos hábitos adquiridos.

Como nós adoecemos quando mantemos hábitos alimentares ruins para o nosso organismo, o elenco se viciou com hábitos que violam os preceitos fundamentais da boa tática futebolística.

Eu poderia citar vários, o que transformaria esse artigo em um pequeno livro, por tal razão citarei apenas um, o que é facilmente observado a olho nu, sem a necessidade de investigações.

Tendo por argumento a manutenção da posse de bola, o elenco (titulares e reservas) insistem, por exemplo, em tentar sair jogando sempre a partir da própria grande área.

Até aí a doença com a tática única seria um resfriado, mas fazem isso até quando o adversário cerca a área. Pior, fazem seguidamente, mesmo após terem perdido a bola no lance anterior.

A referida violação de preceito fundamental se tornou um hábito péssimo, daí surgiu uma doença grave que poderá nos levar a falência de múltiplos órgãos.

Para piorar o quadro esse não é o único vício ruim que o elenco adquiriu, eles serão objeto de futuros comentários.

A sorte é que a doença tem cura.

Basta mudar os hábitos respeitando todos os fundamentos táticos básicos, como aquele que ensina que quanto mais longe a bola estiver da nossa área, menor a chance de sofrermos um gol e quanto mais perto, maior essa chance.

O vício de sempre sair jogando da nossa área já passou o limite da teimosa e ingressou no universo da burrice.

Saudações tricolores!

terça-feira, 11 de junho de 2024

RIO: POLICIAIS CONTINUAM SENDO ASSASSINADOS



Um Policial Militar veio a óbito e outro foi gravemente ferido durante operação realizada nessa manhã no Rio de Janeiro.

Entra governo, sai governo e os policiais continuam sendo vítimas da gestão da segurança pública estadual.

Leia a notícia sobre o fato 

O título da matéria no G1 já deve ser alvo de reflexões.

Transcrição:

"Três morrem em operação da PM na Maré; em represália, tráfico fecha 3 vias expressas

Bandidos fecharam a Avenida Brasil, a Linha Vermelha e a Linha Amarela. Um ônibus foi incendiado na altura da Fiocruz. Os mortos são 2 suspeitos e 1 agente do Bope, segundo a PM.

Por Cristina Boeckel, Alice Portes, Jefferson Monteiro, Matheus Giffoni, Isabella Vilela, Thaís Espírito Santo, Maria Eduarda Barbosa*, g1 Rio e TV Globo

 

segunda-feira, 3 de junho de 2024

RIO DE JANEIRO - CRIME DOMINA O TERRITÓRIO

 



O noticiário dá conta diariamente do domínio territorial de partes do território do Estado do Rio de Janeiro por grupos criminosos armados com material bélico usado em guerras.

O fato, apesar de significar a falência completa do aparato estatal de segurança, acaba passando quase que despercebido diante da frequência das notícias e da diversidade de locais dominados.

Só aqueles milhões de pessoas subjugados acabam dando a importância devida.

Nós últimos dias o bairro da Ilha do Governador tem sido alvo dessas notícias em virtude das ações criminosas contra o denominado transporte alternativo.

Logo a Ilha do Governador que na década de 90 do século passado tinha sido escolhida para abrigar o Batalhão Escola de Polícia Comunitária, isso em virtude exatamente de suas características territoriais.

O projeto da polícia comunitária do comando-geral da época perdeu-se no tempo, resta impedir que se perca todo o domínio estatal sobre o território insular.

Vida que segue...

quarta-feira, 29 de maio de 2024

RIO DE JANEIRO: A CRISE CONTÍNUA E CRESCENTE NA POLÍTICA



Tenho a convicção que nenhum cidadão fluminense duvida da existência de bons políticos no Estado do Rio de Janeiro como um todo e em cada município em particular.

Eles existem!

A partir dessa realidade proposta surge um questionamento inevitável: existindo bons políticos, porque eles não conseguem revertem a degradação política que os noticiários evidenciam quase que diariamente?

Qual a resposta, leitor?

Eles são bons, porém inertes.

Eles são bons, porém não constituem a maioria.

Eles são bons, porém não são unidos para fortalecerem a minoria e resistirem contra os maus políticos.

Não sei.

Eles existem!

Apesar disso, a política fluminense continua conduzindo a população para o abismo do abandono total com a violação dos seus principais direitos constitucionais.

A política fluminense não promove o bem estar social, logo não cumpre sua destinação, ao contrário, segue na contramão.

Vida que segue nesse Rio de Janeiro do salve-se quem puder...


domingo, 26 de maio de 2024

RIO: UMA POPULAÇÃO DOMINADA PELO CRIME




Transcrição:

"Motoristas de aplicativo são obrigados a colar adesivo no veículo para comprovar pagamento de taxa a criminosos.

Outra forma de verificação é a inclusão em um grupo de whatsapp criado pelos traficantes. 'Se for parado por alguém, é só mostrar o grupo”, explica motorista.

Por Gabriel Barreira, Lucas Soares, RJ2

 

Criminosos estão cobrando taxas para permitir que motoristas de aplicativo rodem em ruas da Zona Norte do Rio.

Para se certificarem que o motorista efetuou o pagamento, os bandidos exigem que eles circulem com um adesivo colado no veículo. Só assim, eles podem trabalhar por ruas da região sem sofrer represálias (Leiam mais)".


Juntos Somos Fortes!