BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

quarta-feira, 29 de março de 2017

"CRÍTICAS E SUGESTÕES (8) - OS MALES ATUAIS DA NOSSA VELHA PM - CORONEL PM REF HERRERA

Prezados leitores, publicamos o oitavo atigo da série "Críticas e Sugestões" de autoria do Coronel PM Ref Herrera.

"CRÍTICAS  E  SUGESTÕES  (8)
OS  MALES  ATUAIS  DA  NOSSA  VELHA  PM

  O fraco rei faz fraca a forte gente”
(LUÍS DE CAMÕES, poeta português)



Ninguém poderá negar a omissão, senão a cumplicidade, de nossos Comandantes com estapafúrdias ações e omissões de governo, em seus interesses político-partidários, por vezes não-republicanos, mesmo que venham a atingir duramente a própria Corporação. O malsinado Projeto UPP  é o mais marcante exemplo.
Ninguém poderá negar que muitos de nossos Oficiais descuram dos princípios de Chefia e Liderança e do solene juramento de ”tratar com bondade os que venham a ser meus subordinados”; ninguém poderá negar os meandros de corrupção interna corporis, que nunca discrimina Praças e Oficiais; ninguém poderá negar a constante atuação desumanizada, envolvendo fatores profissionais – talvez o repugnante cerne do descontentamento da tropa.
Ninguém poderá negar as péssimas condições de trabalho: armamentos e equipamentos deficientes, viaturas sucateadas, pesadas escalas de serviço, caótica assistência médica e social, precário sistema de previdência (sistema previdenciário diferente do militar federal).
Ninguém poderá negar a crônica defasagem de remuneração condigna comum a bombeiros e policiais militares.
Nossos Comandantes, entretanto, parecem omissos, como que sedados na zona de conforto das gratificações de cargos, que a tecnoestrutura governamental proporciona. Faz parte do jogo sujo da imunda política brasileira.
Mas, ainda assim, alguns Oficiais Superiores PM não aceitaram vender sua consciência. Para não sermos injustos, basta consultarmos os registros históricos.
Muito atual também, merece destaque a recente tragédia ocorrida no Jacarezinho. Eternamente deverão ecoar no íntimo de cada policial militar, as palavras (vídeo gravado em 2015) do heroico Soldado PM Michel de Lima GALVÃO, assassinado em 21/02/2017, quando em serviço na UPP: “Ser policial não é ser guerrilheiro, não é confrontar em desvantagem numérica, em desvantagem logística, em desvantagem operacional”.
Palavras que deveriam ser gravadas em placa, para ser aposta solenemente, no Quartel-General da PMERJ, em eterno clamor contra a omissão vergonhosa de nossos governantes.
Esse conjunto de situações adversas levam, sem dúvida, muitos Praças PM a se afastarem de seus comandantes, chegando mesmo a nutrirem sentimentos de desafeto e de ódio a superiores. Reação natural e humana; afinal, PM não é super-homem.
Por outro lado, nosso povo, quando observa a elite dirigente do país, acastelada nos três Poderes da República, constata pouca eficiência de gestão em todos os setores, sofrendo alta carga tributária dissociada por completo da boa prestação de serviços públicos. Acima de tudo, a população está conhecedora de cargos com polpudas remunerações, generosas mordomias e ricas maracutaias.
Não cabe ao Governo toda a despesa. Governos nada pagam, quem paga são os contribuintes; daí a carga tributária brasileira ser a maior no mundo.
E o policial militar – que também é povo, tem mãe, tem filhos para criar e contas a vencer, sendo mal remunerado e ainda desprestigiado na sociedade em defesa da qual arrisca a vida – não pode ficar imune, sendo afetado por essa tão trágica realidade.
Por natural consequência, gera-se espontaneamente o clima altamente corrosivo do amor corporativo, o que não convém a sociedade alguma, mormente a uma organização policial.
Não podemos ser hipócritas a ponto de fingir que tal situação não mantenha aquecido o caldeirão efervescente no seio da tropa. Nunca é demais repetir: quando os chefes perdem a vergonha, os chefiados perdem o respeito. Sem dúvida, a pior crise: velada, sub-reptícia, invisível quase. Mas real.
Em contraponto, também não se pode negar que todo clima de animosidade fica de  pronto relevado, e o entrosamento parece perfeito, quando se imiscuem Oficiais e Praças PM, e também policiais civis, para a prática de crimes, gerando privilegiado submundo marginal. Nunca chegam notícias de acentuada indignação, em semelhante tom, por parte dos mesmos críticos policiais militares. Parodiando a música popular, aí tudo “tá tranquilo, tá favorável”.
Entretanto, apesar da grave complexidade do problema, urge iniciar profunda análise de situação. Como sabemos, toda empresa vai mal, quando seu pessoal não está bem.
E, me desculpem, mas não é fazendo pesquisas de opinião que se resolverão os problemas. Penso que se torna necessário e urgente, em minha modesta opinião, que o Estado-Maior da PMERJ elabore estudos visando a propor, em questão primordial, o reordenamento da gestão dos recursos humanos, com foco na definição legal da carga horária de serviço, bem como na extinção de cargos comissionados de Comando e Direção.
Em segundo, elaborar Plano Diretor (Plurianual, ou outra denominação que se dê), de conteúdo estratégico, a ser adotado como Política de Estado, evitando ficar submetida a periódicos programas de Governo, no mais das vezes, imediatistas e de objetivos pouco republicanos.
Seriam ações necessárias, em obediência à própria missão constitucional, se considerado o caráter permanente de toda Polícia, sendo constituída por homens e mulheres que são profissionais.
Sob o risco de, não o fazendo, chegar-se a perigoso descontrole interno, com graves danos à Segurança Pública em futuro não tão distante. Não bastará o caráter draconiano de leis e regulamentos militares como fator de contenção.
Quem viver verá.
                                                 NELSON HERRERA RIBEIRO, Cel PM Ref, advogado e professor"                 

Juntos Somos Fortes!

VÍDEO - SECRETÁRIO ESTADUAL DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA DEVE SER UM INSPETOR PENITENCIÁRIO

Prezados leitores, o Coronel PM Ref Paúl faz novos comentários sobre a importância do Secretário Estadual de Administração Penitenciária ser um Inspetor Penitenciário de carreira.


 


Juntos Somos Fortes!

"PICCIANI, PODE ESPERAR, TUA HORA VAI CHEGAR!"



Prezados leitores, a frase que serve de título para esse artigo foi repetida incontáveis vezes em frente à ALERJ pelos servidores públicos e pelos militares (policiais e bombeiros), ao longo dos protestos contra o "pacote de maldades" do governador Pezão.
A hora parece estar chegando...

"Jornal O Dia
Jorge Picciani é alvo de mandado de condução coercitiva em operação da PF 
Polícia Federal também vai cumprir mandados de prisão contra cinco conselheiros e um ex-conselheiro do TCE 
29/03/2017 07:25:41 - ATUALIZADA ÀS 29/03/2017 08:16:21 
Rio - O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani (PMDB), é alvo de um mandado de condução coercitiva em uma operação da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira. O deputado será levado a depor na sede da PF. Pelo menos 150 policiais federais já estão no condomínio do deputado, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. 
Ao todo, a PF cumprirá 43 mandados nesta quarta-feira, como de busca, apreensão, bloqueios de bens e valores, no Rio, em Duque de Caxias e em São João de Meriti. Além disso, um ex-conselheiro, o atual presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), Aloysio Neves, Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio Alencar e José Maurício Nolasco são alvos de mandados de prisão. (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

CRISE NO RIO - EMPRÉSTIMO PARA PAGAR SERVIDORES E MILITARES PODERÁ SAIR EM 20 DIAS

deputado Jorge Picciani e o ex-governador Sérgio Cabral


Prezados leitores, qualquer articulação legal que esteja sendo feita para minorar o sofrimento dos servidores públicos e dos militares (policiais e bombeiros) do estado do Rio de Janeiro, deve ser considerada bem-vinda, diante do caos instalado.
Todavia, não podemos esquecer, antes que alguém receba os méritos em caso de sucesso na liberação do empréstimo, que o deputado Jorge Picciani, presidente da ALERJ, participa do grupo de culpados pela crise financeira instalada no Rio de janeiro, considerando que os deputados estaduais não cumpriram o seu dever de fiscalizar o Executivo e contribuíram assim para os malfeitos dos governos Sérgio Cabral e Pezão.

"Jornal O Dia
Servidor: Empréstimo de R$ 3,5 bilhões ao Rio pode sair em 20 dias 
Presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB) disse ao presidente Temer que há risco de paralisação geral se débitos com servidores não forem quitados de imediato 
28/03/2017 19:16:46 - ATUALIZADA ÀS 28/03/2017 19:28:40 
PALOMA SAVEDRA
Rio - A articulação que o presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), vem fazendo em Brasília nesta quarta-feira pode resultar em uma solução rápida para os servidores estaduais. Em conversa com o presidente Michel Temer, Picciani fez um alerta: o Rio agoniza e, se em 20 dias, o empréstimo para pagar 13º, salários e gratificações da Segurança não sair, a situação sairá do controle.
A operação financeira que garantirá R$ 3,5 bilhões ao estado terá como garantia as ações da Cedae. E, segundo Picciani, Temer disse que assim que a Recuperação Fiscal for aprovada, tomará as medidas administrativas para acelerar o empréstimo, já que a União terá que dar aval para o crédito. O projeto de lei será votado amanhã na Câmara — já há acordo para aprovação — e a previsão é de que vá ao plenário do Senado na semana que vem (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 28 de março de 2017

FIM DOS TEMPOS - CIRO GOMES DIZ QUE RECEBERÁ "A TURMA DE MORO NA BALA"



Prezados leitores, o Brasil está uma bagunça.
Alguém tem que colocar as coisas e as pessoas nos seus devidos lugares.
Do jeito que vai...

"Jornal O Dia
Ciro Gomes diz que se Moro mandar prendê-lo 'receberá a turma dele na bala' 
Vídeo foi gravado em entrevista ao jornalista Luis Nassif 
27/03/2017 11:55:14 
Rio - Pré-candidato à presidência da República, o ex-ministro e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), atacou o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato. Em entrevista concedida ao jornalista Luis Nassif, do portal GGN, na última quarta-feira, Ciro criticou a condução coercitiva do blogueiro Eduardo Guimarães, feita no dia anterior (Leiam mais e assistam o vídeo)". 

Juntos Somos Fortes!

VÍDEO - RIO - A CRIMINALIDADE OCUPOU O LUGAR DO GOVERNO

Prezados leitores, o Coronel PM Ref Paúl comenta a omissão dos governos Sérgio Cabral e Pezão na área da segurança pública, o que fez com que a criminalidade ocupasse o espaço e crescesse em todo estado.
Os Policiais Militares têm sido as vítimas dessa omissão, assim como, toda a população do estado do Rio de Janeiro.







Juntos Somos Fortes!

RIO "PACIFICADO": A TRAGÉDIA DA EXECUÇÃO DOS POLICIAIS MILITARES



Prezados leitores, vivemos o pior dos mundos no estado do Rio de Janeiro.
A criminalidade cresceu nos governos Sérgio Cabral e Pezão, o que fez com que a violência ficasse inteiramente fora de controle.
Os Policiais Militares têm sido vítimas de um verdadeiro extermínio e a secretaria de segurança pública não consegue dar uma resposta para reverter esse processo macabro.

"Jornal Extra
27/03/17 06:00 
Quinze dos 42 policiais militares mortos no Rio este ano foram executados 
Rafael Soares 
Quinze das 42 mortes de policiais militares em 2017 têm sinais de execução. Entre as vítimas, há agentes atacados e fuzilados por diversos disparos durante a folga e cinco corpos encontrados em carros, quatro deles carbonizados. As execuções encabeçam um ranking elaborado pelo EXTRA com base nas investigações das mortes. Em seguida, vêm os policiais mortos por reagirem a um assalto, 14. Seis policiais foram mortos em serviço.
Na semana passada, dos quatro casos de mortes de PMs, três têm sinais de execução. Na segunda-feira, o soldado Eli Barbosa estava indo encontrar a mulher e os filhos na casa de sua sogra, numa região dominada por traficantes em Japeri, na Baixada. Ele foi encontrado próximo à casa, com cinco marcas de tiros pelo corpo. Na Vila Kennedy, Zona Oeste do Rio, o sargento reformado Gilmar Raposo teve sua casa invadida por criminosos, que o executaram com vários tiros. Na sexta-feira, em Cabo Frio, na Região dos Lagos, o subtenente reformado Dilson Medina Soares foi morto a tiros por dois homens num bar no bairro Guarani.
Entre os 15 PMs com mortes com sinais de execução, sete foram atingidos por diversos disparos, quatro tiveram seus corpos carbonizados, um foi encontrado morto dentro de um carro e três foram assassinados por grupos de criminosos dentro de casa (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

VÍDEO - A ADAPTAÇÃO DO SER HUMANO E O COMODISMO DO FUNCIONALISMO E DOS MILITARES

Prezados leitores, o Coronel PM Ref Paúl comenta nesse vídeo o comodismo que se abateu sobre o funcionalismo e sobre os militares do estado do Rio de Janeiro, diante do atraso nos pagamentos mensais e no pagamento do décimo-terceiro salário.




Juntos Somos Fortes!

CRÍTICAS E SUGESTÕES ( 07 ) O PODER JUDICIÁRIO NO NOSSO PAÍS - CEL PM REF HERRERA

Prezados leitores, hoje publicamos o sétimo artigo da série "Críticas e Sugestões" de autoria do Coronel PM Ref Nelson Herrera Ribeiro.




"CRÍTICAS  E  SUGESTÕES  (7)
O  PODER  JUDICIÁRIO  NO  NOSSO  PAÍS    

Numa democracia pressupõe-se que o príncipe também se submeta às leis”
(SÉRGIO FERNANDO MORO, Juiz Federal)


Embora remotos guardiões de cada cidadão, por decorrência da garantia da chamada segurança jurídica, nossos tribunais só detêm a palavra “Justiça” na própria denominação; na prática, cada qual atua apenas como Tribunal do “Direito”, pois se limita à mera aplicação da lei, pouco importando se a sentença prolatada será justa ou não. O que é legal não deve ser necessariamente justo. Às vezes, até pode coincidir.
Por outro lado, o Supremo Tribunal Federal (STF), solene guardião das normas constitucionais, além de sua precípua jurisdição, também se permite criar normas, passando, na prática, a legislar. “Para suprir a omissão legislativa”, no dizer do Ministro CELSO DE MELO. Preocupante precedente.
Recentemente, por Resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), foi implantado o Projeto Audiência de Custódia em 01/02/2016, que visa a garantir a apresentação da pessoa detida a um Juiz de Direito, no prazo de 24 horas, nos casos de flagrante delito, para decidir pela manutenção ou relaxamento da prisão, ou decretar medida cautelar (prisão preventiva). O objetivo, sem dúvida, é nobre: observar os direitos humanos do preso e reduzir o número de prisões temporárias, que abarrotam o sistema penitenciário. Estranhamente, nada tratou dos direitos humanos das vítimas.
E, sobretudo, tem servido para avaliar a ação do policial, sopesando as condições da prisão do delinquente, no sentido de coibir a violência e o abuso de direito. Transforma assim, de fato, todo policial em verdadeiro refém da vontade do preso, que pode queixar-se ao juiz não só alegando ter sido agredido fisicamente, mas até sofrido “violência psicológica”. E, havendo queixas, coitado do policial!
A meu modesto ver, trata-se de tosco arremedo de Juizado de Instrução, mal copiado do Pacto de São José para o nosso sistema jurídico-penal. Aliás, como de resto, existem outras tantas adaptações no nosso ordenamento jurídico.
Exemplo maior: o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), legislação de 1º mundo para nossa desorganizada sociedade subdesenvolvida. Veio a agravar a caótica situação da Segurança Pública. “Eu sou dimenorjá se tornou expressão rotineira aos policiais nas ruas, dando azo a que a repressão se torne inconsequente. 
Curiosamente, no Brasil, existe o instituto do foro privilegiado, para seleta elite de políticos, extensivo a magistrados e procuradores. Uma garantia constitucional que, por si só, colide com a própria essência da Democracia. Sendo público e notório que, estatisticamente, apenas 1% dos réus em foro privilegiado foi condenado até hoje, pois muitos beneficiados pela prescrição ocasionada pelo longo decurso de tempo.
Daí assistirmos todos a essa ridícula “corrida de blindagem” em favor de apaniguados do governo. Já o Ministro EDSON FACHIN, relator da Lava-Jato no STF, declarou que ”o foro privilegiado é incompatível com o princípio republicano”. Em boa hora.
E, com a devida vênia, ouso afirmar que, sob o suave manto diáfano da Lei, ocorrem outras incompatibilidades com o princípio republicano.
Em nossa tênue democracia, nada há mais incompatível com o princípio republicano do que as próprias prerrogativas geradas no Poder Judiciário: além de ser julgado por seus pares (pelo Conselho da Magistratura), a pena aplicada a todo magistrado condenado por cometimento de crimes será a sua mera aposentadoria, preservando sua remuneração integral e sem perda da função pública.
Em nosso ordenamento jurídico, criou-se o instituto da prescrição da ação penal, mesmo para os crimes hediondos, corrupção e até homicídios; ou seja, só se pode processar o criminoso em certo lapso temporal ou, como por reles mágica, o crime desaparecerá. Considerar extintos crimes contra a vida ou contra o patrimônio público, em quaisquer hipóteses, por certo, nunca será de interesse republicano.
Mais escabroso ainda é a prescrição da execução penal: mesmo após a condenação, se passar determinado tempo para que o Estado proceda à sua custódia, o réu ficará impune, ainda que, adiante, retorne à vida normal na sociedade.
Outra excrescência jurídica é o regime de progressão de pena. Na atualidade, o  Direito Penal adota rumos fundados na teoria da Defesa Social, do criminalista belga ADOLPHE PRINS (1845-1919) e revitalizada pelo magistrado francês MARC ANCEL (1902-1990), em sua teoria da Nova Defesa Social, que propõe a reformulação do sistema penal visando à reabilitação social do delinquente. Aliás, teoria muito humanista, porém logo se dilui na dura realidade das masmorras brasileiras. Então, em parca adaptação, surgiu como solução a gradação do cumprimento de pena. Na prática, procura camuflar a superlotação dos presídios, que desnuda a incompetência estatal em prover a custódia e o tratamento adequados à pretendida ressocialização.
Se considerarmos que, por notórias estatísticas, apenas 1% dos criminosos são realmente custodiados, a progressão de pena chega a representar lamentável escárnio com as vítimas e suas famílias.
Assassinos condenados a mais de 20 anos, em 6 já poderão estar livres, para ver passar o restante de sua condenação(?), em regime semiaberto (apenas dormindo na prisão) ou aberto (em prisão domiciliar), medidas “humanizadas” que visariam à pretensa ressocialização do apenado. A crônica policial está repleta de exemplos.
Contudo, curiosamente, nada ficou disposto quanto à segurança das famílias das vítimas, ou mesmo, das testemunhas de acusação. Nem em teorias acadêmicas nem em ações de governo.
Permito-me a triste suposição de essa espúria legislação ter sido toda proposta e aprovada no Congresso Nacional por aquela permanente “maioria de 300 picaretas”, a que se referiu o então deputado Lula, com os quais –  já Presidente travestido de “Lulinha paz e amor” – bem soube compor, para lograr as próprias ”picaretagens” e as conquistas não-republicanas a seus filhos. Hoje de notório conhecimento público.
A Justiça, no Brasil, precisa arrancar a venda dos olhos e passar a brandir fortemente sua espada. Com urgência.
NELSON HERRERA RIBEIRO, Cel PM Ref, advogado e professor"
Juntos Somos Fortes!

DEZENOVE POLICIAIS MILITARES ACUSADOS DE RECEBEREM PROPINA DO TRÁFICO DE DROGAS



Prezados leitores, o Bom Dia Rio da Rede Globo noticiou que no curso de uma investigação em curso na Polícia Civil, surgiu a acusação sobre 19 (dezenove) Policiais Militares estarem recebendo R$ 5.000,00 mensais como propina para não combaterem o tráfico de drogas na Ilha do Governador.
Isso é muito triste, caracteriza um "acordo com o inimigo", uma verdadeira "traição institucional", considerando que os traficantes de drogas são responsáveis pela morte de inúmeros Policiais Militares em todo estado do Rio de Janeiro.
Matéria no Gl (Link).


Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 27 de março de 2017

RIO: 34.000 FORAGIDOS FORA DAS CADEIAS



Prezados leitores, nada no estado do Rio de Janeiro funciona como deveria.
A captura de foragidos é um exemplo.
Temos mais de 30.000 foragidos.
Se todos forem capturados, o Rio de Janeiro não terá onde colocá-los, o sistema prisional não suportaria.
Tudo funciona mal.

"Jornal Extra
26/03/17 06:00 
Rio tem um sistema prisional só de foragidos da Justiça: são 34 mil pessoas procuradas 
Rafael Soares 
Se todos os foragidos da Justiça do Rio fossem capturados pela polícia de uma só vez, o estado teria que criar um novo sistema penitenciário somente para eles. Levantamento inédito feito pelo EXTRA, com base em informações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), revela que o Rio tem mais de 34 mil pessoas com mandados de prisão pendentes. As cadeias fluminenses têm cerca de 28 mil vagas, de acordo com dado de janeiro deste ano da Secretaria estadual de Administração Penitenciária.
Para chegar ao número de foragidos do estado, o EXTRA requereu ao CNJ o número total de mandados de prisão em aberto no Rio. A instituição compartilhou a base de dados que alimenta o Banco Nacional de Mandados de Prisão, uma ferramenta online de busca das ordens judiciais (www.cnj.jus.br/bnmp), referente ao estado do Rio. Como uma pessoa pode ter mais de um mandado em seu nome, foi preciso aglutinar todas as ordens judiciais que tivessem em comum o nome do procurado e de sua mãe — para diferenciar homônimos.
Assim, o levantamento chegou ao número final de 34.913 foragidos — que têm em seus nomes um total de 51.598 mandados expedidos pela Justiça. Os dados compartilhados pelo CNJ são referentes a 17 de março (Leiam mais)".

Juntos Somos Fortes!

VÍDEO - PARTIDO DA CAUSA OPERÁRIA PLANEJA EVITAR PRISÃO DO EX-PRESIDENTE LULA

Prezados leitores, assistam com muita atenção a esse vídeo, onde o senhor Rui Costa Pimenta, presidente do Partido da Causa Operária, descreve um planejamento para evitar que o ex-presidente Lula seja preso no dia 3 de maio quando será ouvido pelo excelentíssimo juiz Sérgio Moro.


video


Juntos Somos Fortes!

VÍDEO - SEAP - INSPETOR PENITENCIÁRIO PODERÁ SER NOMEADO SECRETÁRIO

Prezados leitores, o Coronel PM Ref Paúl comenta um "boato" que está circulando dando conta que diante dos problemas denunciados pela imprensa na SEAP, o governador Pezão estaria estudando nomear um inspetor penitenciário de carreira para a função de secretário, algo que se for concretizado tem tudo para melhorar a gestão.





Juntos Somos Fortes!

AOMAI - REUNIÃO URGENTE - AMANHÃ - 11:00 HORAS



Prezados leitores, o presidente da AOMAI está convocando todos os sócios para a reunião que será realizada amanhã, às 11:00 horas.
Aproveitamos para solicitar que os associados que sejam nossos leitores que façam contatos com os associados que conhecerem para avisá-los.
Os temas abordados são de extrema relevância e a participação dos associados é fundamental para que se obtenham as melhores decisões.

Juntos Somos Fortes!

FILHOS DE CABRAL E ADRIANA NÃO SÃO MELHORES QUE FILHOS DAS MILHARES DE "MARIAS"



Prezados leitores, o Poder Judiciário ao conceder o direito de prisão disciplinar à Adriana Ancelmo Cabral em razão do pai também estar preso e da existência de filhos menores (12 e 14 anos), acabou abrindo espaço para que milhares de presas espalhadas pelas penitenciárias e pelos presídios do Brasil solicitem igual tratamento.
Isso é justo, justíssimo.
Afinal, embora Cabral e Adriana estejam presos, os filhos menores não estão desassistidos pois a família tem um padrão de vida digno da realeza, portanto, com toda estrutura para cuidar das crianças e ainda, um irmão que é deputado, reunindo todas as condições de cuidar dos menores.
Milhares de presas não tem qualquer estrutura para cuidar de seu filhos menores, os quais ficam entregues à própria sorte nas comunidades carentes ou ficam aos cuidados de parentes e vizinhos que encontram dificuldades para prover a subsistência da própria família.
São esses menores abandonados, por exemplo,  que engrossam as fileiras do tráfico de drogas e que perambulam pelas ruas furtando, roubando, ferindo e matando para se apoderarem de um celular.
É preciso ser justo é estender o direito ou não concedê-lo a quem menos precisa dele. 
Os filhos de Cabral e Adriana não são melhores e não precisam de mais cuidados que os filhos das milhares de Marias que estão presas e que tem filhos menores que nem sabem quem é seu pai.

Juntos Somos Fortes!