Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

sábado, 24 de fevereiro de 2018

VÍDEO - UM EXEMPLO DO CONFORMISMO DOS HABITANTES DO RIO DE JANEIRO

Dizem que o ser humano consegue se adaptar às condições adversas.
O vídeo que circula nas redes comprova.


RIO - INSEGURANÇA - A CULPA É DOS GESTORES


sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

POLICIAIS MILITARES CEDIDOS VOLTARÃO PARA O POLICIAMENTO




Uma decisão acertada.
"O Globo
Interventor suspende empréstimo de policiais para outros órgãos no Rio" 

https://glo.bo/2EOYmP6

GENERAL RICHARD FERNANDEZ DEVERÁ SER NOVO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA DO RJ



"Site Último Segundo
Novo secretário de Segurança do Rio de Janeiro deverá ser um general da ativa
Por iG São Paulo * | 22/02/2018 22:12
General Richard Fernandez é um dos cotados para a Secretaria de Segurança; novo titular da pasta deverá ser anunciado na próxima terça-feira (27)
O novo secretário de Segurança do Rio de Janeiro será um general da ativa do Exército. Richard Fernandez Nunes é um dos nomes cogitados para ocupar o cargo da Secretaria Estadual de Segurança (Seseg), segundo confirmou, nesta quinta-feira (22), o Comando Militar do Leste (CML) - (Fonte)".

POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS MILITARES INATIVOS NÃO PERDERÃO PROVENTOS EM CASO DE EXCLUSÃO


Transcrevo comentário publicado sobre a perda dos proventos da inatividade dos Policiais Militares e Bombeiros Militares excluídos, informando que o projeto foi aprovado na ALERJ (Link): 

"Anônimo 
22 de fevereiro de 2018 17:38 
Não sou bacharel em Direito, mas costumo exercer o meu direito de pensar... 
Independente das Súmulas 055 e 056 do STF, as quais tratam da não submissão dos inativos aos regulamentos disciplinares (quem obedece súmula que não é vinculante?),JAMAIS PODERIAM RETIRAR OS PROVENTOS DE MILITARES DA RESERVA REMUNERADA E/OU REFORMADO, pois a questão previdenciária nada tem a ver com a questão ético-disciplinar. 
O sujeito pagou para ter "o seguro", e o Estado acaba ficando com o que pertence ao sujeito, ou seja, o Estado enriquece ilicitamente. Imagine que um reformado por incapacidade definitiva tenha praticado um homicídio quando já estava inativo... Como aquelas Súmulas do STF não são obedecidas, obviamente o inativo será julgado pela justiça criminal e julgado administrativamente para avaliação de sua permanência na inatividade (Conselho ético). Mas por qual razão, caso seja excluído como punição disciplinar, ele deverá deixar de receber os seus proventos? Vale lembrar que o sujeito pagou à previdência. 
É uma iniciativa positiva da Alerj, mas, na minha opinião, é um assunto que nem deveria estar sendo discutido e ocupando os deputados, de tão óbvio que é. 
Afinal, a exclusão é punição ou vingança? 
Sgt Foxtrot"

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

ATENÇÃO, NOTÍCIA IMPORTANTE PARA POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES


"Site G1
RJ vota lei para militar expulso da corporação manter aposentadoria
Pleito na Assembleia Legislativa ocorre nesta quinta (22), em meio às discussões da Reforma da Previdência em Brasília. Projeto abrangeria somente PMs e bombeiros servidores do Estado fluminense".

O ESCÂNDALO NO TCE-RJ




_”(...) O ex-presidente do TCE afirmou ainda que, em 2015, foi chamado para uma reunião com o governador Luiz Fernando Pezão, o então secretário de transportes e atual deputado estadual Carlos Roberto Osório (antes no PMDB, hoje no PSDB) e o então procurador Leonardo Espíndola. O tema teria sido o arquivamento da investigação do TCE sobre os créditos expirados do Bilhete Único. (...)”

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

VÍDEO - UM LADRÃO QUE FOI ROUBAR DO LUGAR ERRADO

Ponto para os mocinhos (40 segundos).


O BRASILEIRO É VÍTIMA E CÚMPLICE DA VIOLÊNCIA

Transcrevo texto oportuno que cicula nas redes sociais:

"Texto de Henrique Martins

*O brasileiro não é vítima da criminalidade.*

O Brasil é o país onde um criminoso condenado em duas instâncias pela Justiça a 12 anos de cadeia lidera a corrida presidencial com 35% das intenções de votos.
7
O Rio de Janeiro é o estado onde crianças foram baleadas dentro do útero da mãe, onde crianças foram baleadas na sala de casa, assistindo TV, onde 688 tiroteios foram registrados em um único mês e, após decretada Intervenção Federal, surgiram milhares de "especialistas em segurança pública" dizendo que a medida é dura demais, é extrema, é ineficaz, etc. Todos esses "especialistas" hibernavam quando esses horrores aconteciam.

O Brasil é o país onde a Ordem dos Advogados, a Defensoria Pública e os Direitos Humanos se preocupam mais em libertar mães presidiárias do que prestar auxílio às mães das vítimas daqueles que estão nas prisões.

O Brasil é o país onde a morte de um pivete gera mais mídia e repercussão do que a morte de 134 policiais em um único ano no Estado do Rio de Janeiro. Aliás, alguém consegue lembrar o nome de um único PM morto?

O Brasil é o país onde 2.000 pessoas saquearam uma carreta carregada com carne que tombou em uma rodovia, antes mesmo que o motorista gravemente ferido fosse socorrido.

O Brasil é o país onde a população acha normal comprar um Iphone por 100 reais, usado e fora da caixa, em barracas de ambulantes, mesmo sabendo que aquele produto só pode ter sido fruto de roubo.

O Brasil é o país onde artistas e cantores fazem passeatas e cara de choro pedindo paz nas favelas, mas por trás das câmeras se fartam do pó fornecido pelo traficante que aterroriza a favela.

O Brasil é o país onde escolas de samba financiadas pelo dinheiro do tráfico, do crime organizado e das milícias, fazem desfiles dando lição de moral contra a corrupção, e os imbecis aplaudem só porque uma delas fantasiou o presidente vestido como vampiro corrupto.

O Brasil é o país onde apenas 8% dos homicídios são solucionados e 92% ficam impunes, mas a grande pauta do Supremo Tribunal Federal é impedir a prisão de condenados em segunda instância, porque, afinal, somos um país onde se pune muito os bandidos. Nada a ver com a tentativa de livrar um ex-presidente da cadeia, imaginem... 

O Brasil é o país onde toda semana a mídia martela na sua cabeça que a Polícia é malvada, que as cadeias são muito lotadas, que a Justiça prende demais, que cadeia não é solução, ao mesmo tempo que desempregados são assaltados de madrugada em filas para distribuição de cestas básicas e o crime organizado possui armas de guerra que nem o exército utiliza.

O brasileiro não é vítima da criminalidade, o brasileiro é, também, CÚMPLICE."

INTERVENÇÃO FEDERAL - O QUE A PM E OS PMs PODEM GANHAR?



A intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro segue em "stand by" enquanto está sendo desenvolvido o planejamento que deveria ter sido todo realizado antes da decretação,  fato que por si só dificulta o sucesso do processo.
O interventor terá DEZ MESES para controlar a violência, algo que os governos Sérgio Cabral e Pezão não conseguiram em ONZE ANOS e DOIS MESES. 
O fracasso desses dois governos  deve ser considerado pelo interventor sobretudo para não repetir NOMES e/ou ESTRATÉGIAS.
Nomear, por exemplo, alguém que participou desse desastre de mais de uma década é dar um tiro na cabeça.
Tentar reforçar as UPPs outro tiro.
É hora do novo!
Os Coronéis de Polícia devem pensar institucionalmente ao longo desse período pelo menos, garantindo que a Instituição e os Policiais Militares, que continuarão sendo os responsáveis pelo controle da violência no pós intervenção, tenham ganhos.
A Polícia Militar ganhe recursos materiais e os Policiais Militares ganhem melhor qualificação e maior valorização.
Se o saldo da intervenção for só esse, pelo menos uma vitória terá sido alcançada, considerando que a população do Rio de Janeiro terá uma segurança pública de qualidade melhor que a atual, executada por Policiais Militares mais valorizados e melhor qualificados.

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

ESCOLA DE SAMBA BEIJA-FLOR NÃO TEM NADA PARA ENSINAR



Texto que circula nas redes sociais:

"Duas ou três palavras sobre pobreza, corrupção e a Beija Flor.

Trabalhei em Nilópolis durante cinco anos. Fui titular de uma vara que tinha competência, entre outras, para julgar ações contra o município. Também fui juíza eleitoral e fiz três eleições na cidade. Era responsável pelo registro das candidaturas, ou seja, por barrar os candidatos “ficha suja” (como se sobrasse alguém...)

Logo na entrada da cidade, depois da estação de Ricardo de Albuquerque, tem um portal com um beija-flor prateado de uns cinco metros de altura, que é para não deixar dúvidas sobre quem manda ali.

Na primeira semana, minha secretária perguntou aos funcionários nilopolitanos se tinha perigo andar a pé pelo centro da cidade. Naquela época, pré UPPs, não tinha. “Aqui é muito tranquilo. Mês passado andaram acontecendo umas saidinhas de banco, mas depois apareceram cinco garotos executados na porta da agência do Bradesco e as saidinhas acabaram”. Era assim, bolsonaramente, que se resolviam os problemas de segurança pública na cidade.

Já nos outros serviços públicos essenciais não se via tanta eficiência.

Diariamente eu deferia liminares determinando que o município fornecesse remédios a doentes crônicos, ou que internasse pacientes graves. Mas lá, para o secretário de saúde, a decisão judicial era uma mera sugestão, geralmente não acolhida.

Perdi a conta de quantos atestados de óbito a defensora pública juntou aos processos. Perdi a conta de quantos bebês nasceram com paralisia cerebral por anoxia de parto, adiado ad infinitum pela equipe médica de plantão que não tinha condições de atender tanta gente.

Culpa dos políticos?

Além do envolvimento com o jogo do bicho, com a escola de samba, com a milícia, a família Abrahão Davi se reveza na política da cidade há décadas. São prefeitos, vice prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais. Até um senador da república esse minúsculo e paupérrimo município da Baixada Fluminense conseguiu eleger.

De todas as atrocidades que eu tomei conhecimento nesses cinco anos lá, duas coisas me impressionaram demais.

O caso de uma menina de 9 anos, que era tão negligenciada, tão miserável, tão invisível, que nunca na vida teve uma boneca. E aceitou ser estuprada por três homens de mais de sessenta anos, em troca da primeira boneca, que ela escolheu nas Lojas Americanas, com os olhos brilhando.

E o choque que eu tomei quando a Polícia Federal apreendeu mais de um milhão de dólares e euros em espécie, no bunker do bicheiro Anísio Abrahão Davi, lá mesmo naquela cidade. Lembro de ir trabalhar nesse dia, vendo as crianças nas ruas brincando nas vielas de esgoto, a caminho do fórum, sem acreditar no tesouro escondido naquele lugar.

E, por fim, o dia mais deprimente do ano era a quinta feira seguinte ao Carnaval. Ver todas aquelas pessoas, que sofriam com o descaso do Estado o ano inteiro, sorrindo, cansadas, de ressaca, os restos de fantasias, plumas e paetês pelas ruas, entorpecidas com pão e circo, porque a escola tinha, de novo, sido campeã, garantindo assim mais uma eleição para a família que se perpetuou no poder.

“Oh pátria amada, por onde andarás?
Seus filhos já não aguentam mais!
Você que não soube cuidar
Você que negou o amor
Vem aprender na Beija-Flor”.

Sinto muito estragar a festa. A Beija Flor de Nilópolis não tem nada para ensinar.

Vanessa Cavalieri Félix - juíza de direito"

INTERVENÇÃO FEDERAL - ESTABELICIDA UMA PRIORIDADE



A corrupção policial deve ser combatida.
Resta saber quais serão as outras prioridades.

"O Globo
Corrupção policial será prioridade da intervenção".

https://m.oglobo.globo.com/rio/combate-corrupcao-policial-sera-prioridade-da-intervencao-no-rio-22409039?

GENERAL E JORNALISTA COMENTAM SITUAÇÃO DOS POLICIAIS DO RIO DE JANEIRO



General Heleno e jornalista Alexandre Garcia comentam a situação dramática dos policiais do Rio de Janeiro.
Assistam:

INTERVENÇÃO FEDERAL - A PRIMEIRA CONSTATAÇÃO

Livro

Após alguns dias do anúncio e da decretação da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro promovida pelo presidente Temer, surge a primeira constatação.
Embora a necessidade da atuação das Forças Armadas no controle da violência na zona conflagrada que se transformou todo território fluminense era evidente há anos, a rapidez do anúncio e da decretação teve razões políticas.
Isso está evidente diante da absoluta falta de planejamento anterior, como o noticiário tem demonstrado.
O presidente fez um lance no xadrez político que poderá ser perdedor para o seu partido e para os partidos aliados.
Para isso basta que a intervenção não consiga controlar a violência, um objetivo muito difícil de ser alcançado.
Normalmente quando o planejamento prévio é mal feito, o fracasso é o resultado mais esperado.
Imagine quando o planejamento nem é realizado.
Um exemplo recente: as Unidades de Polícia Pacificador (UPPs).

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA - ATENÇÃO, FUNCIONALISMO, POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES



Justo!

"Jornal Extra
MP pede a suspensão da lei que elevou o desconto dos servidores para a Previdência 
Nelson Lima Neto 
O Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) considera ser inconstitucional a lei que elevou a contribuição para a Previdência, de 11% para 14%, feita sobre boa parte dos funcionários públicos vinculados aos três poderes do Estado do Rio. Em parecer assinado pelos procuradores Joana Fernandes, Carlos Cícero Duarte e Sérgio Roberto Ulhôa, o MP-RJ recomendou que o Tribunal de Justiça do Rio suspenda o desconto aplicado sobre os servidores. 
“A manutenção da norma em questão implica em desconto indevido da remuneração de milhares de servidores públicos, o que compromete de modo significativo os seus gastos básicos com alimentação, saúde, moradia e educação”, destacaram (Fonte)".