JORNALISMO INVESTIGATIVO

JORNALISMO INVESTIGATIVO
Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

segunda-feira, 15 de abril de 2024

RIO DE JANEIRO: RODRIGO BACELLAR X CLÁUDIO CASTRO



Transcrição:

"A JOGADA DO PRESIDENTE DA ALERJ NA JUSTIÇA ELEITORAL CONTRA CLÁUDIO CASTRO

Rodrigo Bacellar pediu que o Ceperj seja oficiado para responder perguntas que podem comprometer o governador.

O deputado estadual Rodrigo Bacellar (União Brasil), presidente da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro.

Um dos investigados pelo Ministério Público Eleitoral do Rio, o deputado estadual Rodrigo Bacellar (União Brasil), presidente da Alerj, tenta usar uma investigação sobre a “folha de pagamento secreta” da Fundação Ceperj para produzir provas que anulem a eleição de Cláudio Castro e do vice dele, Thiago Pampolha, em 2022. O objetivo é virar governador. Até aqui, no entanto, só conseguiu piorar a própria situação.

Em petição apresentada na quarta-feira da semana passada, a defesa de Bacellar apontou que, ao longo das oitivas da Ação de Investigação Judicial Eleitoral, o representante do MPE mencionou a possível inclusão de novos colaboradores do Ceperj em folha de pagamento já em momento posterior ao marco temporal de 2 de julho de 2022, “ou seja, já durante o período

vedado para contratação de pessoal, o que motivou a elaboração de pergunta específica a diversas testemunhas ouvidas nos autos”.

“O esclarecimento taxativo de tal circunstância é absolutamente essencial não apenas à defesa, mas, em especial, à verdade real do processo, considerada a indisponibilidade de direitos nele envolvidos. Houve pagamentos a colaboradores já durante o período vedado? Em caso positivo, por qual motivo? Houve a contratação pessoal durante o período vedado? Em caso positivo, de quantas pessoas? Essas são questões centrais ao processo e surgiram ao longo da fase de oitiva de testemunhas”, diz a petição.

Bacellar então pediu que a fundação seja oficiada para que esclareça:

1) Se houve pagamentos a colaboradores já durante o período vedado?

2) Em caso positivo, por qual motivo?

3) Se houve a contratação pessoal durante o período vedado?

4) Em caso positivo, de quantas pessoas?

 Fonte: Revista Veja

 _Por Robson Bonin_ 

 _15 abr 24_"

Juntos Somos Fortes!

domingo, 14 de abril de 2024

sábado, 13 de abril de 2024

GOVERNADOR CLÁUDIO CASTRO E ALIADOS SERÃO JULGADOS JUNTOS


Eu considero a decisão muito acertada por permitir uma abordagem mais ampla na política fluminense.

Transcrição:

METROPOLES

"Guilherme Amado

TRE-RJ unifica ações que julgam Cláudio Castro e aliados

Cláudio Castro e Pampolha já eram réus com Bacellar e os outros dez aliados, mas ação corria separadamente na Justiça Eleitoral

 atualizado 

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) decidiu, nessa quarta-feira (10/4), juntar a ação eleitoral que julga o governador Cláudio Castro e seu vice, Thiago
Pampolha, a outra que já tinha os dois como réus, além do presidente da Assembleia Legislativa do estado, Rodrigo Bacellar, e outros dez aliados.

Castro e Pampolha já eram réus com Bacellar e os outros dez aliados, mas corria separadamente, na Justiça Eleitoral, uma outra ação em que o governador e seu vice respondiam sozinhos (Leia a íntegra)".

Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 12 de abril de 2024

VIOLÊNCIA NO RIO DE JANEIRO, COMECE A ENTENDER OS MOTIVOS...



O Estado do Rio de Janeiro vem sofrendo nos últimos governos um processo de desestruturação das instituições policiais. Esse enfraquecimento na área da segurança pública facilita muito o avanço da criminalidade, tanto a violenta, quanto a sem sangue. Atualmente, a maior parte do território estadual é dominado por facções criminosas, estabelecendo conglomerados de poder, inclusive como currais eleitorais.

O artigo da jornalista Berenice Seara demonstra uma parte dessa desestruturação.

Aconselho a leitura.

"Henrique sai, Brandão não entra: Castro está à procura de um secretário para a PM

Ultima atualização: 12/04/2024 às 16:40 

Levado de roldão pela crise no comando da Segurança Pública do Rio, o secretário da Polícia Militar, Luiz Henrique Marinho Pires, disse hoje ao governador Cláudio Castro (PL), que encerrou seu ciclo na pasta.

Mas até as palmeiras imperiais da Rua Paissandu sabem que o coronel Ranulfo Brandão, indicado pelo secretário de Segurança Pública, Victor Santos, para o seu lugar, não foi aceito por Castro.

No momento, o governador tem um secretário que está saindo — e um indicado que não vai entrar (Leia a íntegra)".

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 11 de abril de 2024

RIO DE JANEIRO: FUGIR OU TENTAR SALVAR?



Tentar salvar o Estado do Rio de Janeiro ou sair dele o mais rápido possível?

Apesar da indiferença reinante na população (brasileira), algo que só é interrompido pelos cidadãos quando passam para a condição de vítimas diretas da violência, logo a população fluminense terá que fazer tal opção: tentar salvar ou fugir.

A minha certeza a respeito da chegada desse momento se deve ao crescimento exponencial do domínio territorial das facções criminosas que infestam o Rio de Janeiro, domínio esse que se transforma em votos para os maus políticos, estabelecendo uma relação criminosa cada dia mais visível.

Apenas para demonstrar esse quadro peço que lembre dos noticiários frequentes sobre o envolvimento de maus políticos ou de seus assessores com a criminalidade organizada.

Não custa lembrar também que os maus políticos estão inseridos nos poderes executivo e legislativo, o que amplia a promiscuidade substancialmente.

Como o problema só cresce cada habitante terá que optar.

O mais seguro é fugir, não resta dúvida, mas poucos tem essa possibilidade, ou seja, refazer a vida familiar fora desse Inferno em construção.

Diante dessa realidade, tentar salvar me parece a opção mais viável.

É óbvio que tentar salvar não passa pelo enfrentamento das facções criminosas que possuem milhares de membros armados com armamento de guerra.

A população terá que dirigir suas ações para afastar os maus políticos do executivo e do legislativo, isso terá que ser uma verdadeira obsessão.

Sem eles a criminalidade perde fortíssimos aliados e poderemos pensar, por exemplo, em instituições policiais dirigidas por bons policiais e não por indicados por maus políticos, não raro.

Deixo a reflexão na certeza de que não tarda o dia da escolha: fugir ou tentar salvar?

Vida que segue...

Juntos Somos Fortes!


quarta-feira, 10 de abril de 2024

EFEITOS DO RIO DE JANEIRO DOMINADO POR FACÇÕES CRIMINOSAS



O fato do Rio de Janeiro estar dominado por facções criminosas é de domínio público, mas nessa matéria de O Globo o que chama atenção são os ofícios trocados entre a concessionária e a Polícia Militar.

Recomendo a leitura.

Transcrição:

"O Globo

Água, luz, internet, TV e telefone: facções barram prestação de serviços no Rio

Segundo a Light e a Enel, bandidos chegam ao ponto de “sequestrarem” profissionais para que eles executem consertos não programados, muitas vezes em ligações clandestinas

Por  Em O Globo — Rio de Janeiro

 

 

sexta-feira, 5 de abril de 2024

VERDADES SOBRE A GRAM E A GRET



"1) Na PMERJ e no CBMERJ foi quebrada a *PARIDADE e INTEGRALIDADE*, Institutos estes, *inclusive*, previstos como princípios da própria Lei 9.537/2021 que versa sobre o Sistema de Proteção Social dos Militares do Estado do Rio de Janeiro (SPSMERJ), vindo a ocorrer o fato bizarro, discrepante e Inconstitucional em que Militares da Ativa estão percebendo Vencimentos em média de 30% a mais que os Proventos dos Antigos Inativos e dos Pensionistas que se encontravam nessa situação até o dia 31/12/2021, tendo os atuais Ativos levando os mesmos ganhos na Ativa para Inatividade, ou seja, os Policiais Militares e Bombeiros Militares do RJ, mesmo na Inatividade, nos mesmos postos e graduações, e os Pensionistas, estão tendo uma discrepância nos Proventos de 30% a menos em relação àqueles que estão Inativando ou se tornando Pensionistas a partir de 01/01/2022. Pior que isso é a alegação da PGE diante do Judiciário mencionando que o diferencial dessa discrepância que é a Gratificação de Regime de Atividade Militar (GRAM) com percentual de 62,50% sobre a remuneração bruta *trata-se de um pró-labore e diante dessa afirmação estatal nenhum Veterano ou Pensionista, estando nessa condição antes ou depois de 31/12/2021, têm direito a perceber nenhum pró-labote, no caso, a GRAM.

Na verdade a GRAM tem a mesma natureza da GRETPM/BM (Gratificação de Regime Especial de Trabalho Policial Militar Militar ou Bombeiro Militar) que *TODOS OS INATIVOS E PENSIONISTAS RECEBEM INDISCRIMINADAMENTE.* 

Dito isto: *verifica-se que a GRAM é CLARIVIDENTE uma Gratificação Genérica e como no caso da GRETPM/BM DEVE SER PAGA INDISCRIMINADAMENTE A TODOS OS INATIVOS E PENSIONISTAS DA PMERJ e do CBMERJ.

TRATA-SE DE ALGO TÃO SIMPLES E CRISTALINO QUE CAUSA TAMANHA ANGÚSTIA DOS ANTIGOS VETERANOS E PENSIONISTAS AO VERIFICAR A INAÇÃO DO GOVERNO DO RJ EM RELAÇÃO AO TEMA E DA PÍFIA ALEGAÇÃO DA PROCURADORIA GERAL DO ESTADO DO RJ (PGERJ) AO MENCIONAR QUE A GRAM É UM PRÓ-LABORE.

2) A GRETPM/BM também e relacionada ao Trabalho Policial Militar e Bombeiro Militar. Nesse seu pensamento os Inativos e Pensionistas também não teriam direito a percepção da GRETPM/BM.

A VERDADE É QUE NÃO HÁ EXPLICAÇÃO PARA O NÃO PAGAMENTO DA GRAM PARA OS ANTIGOS INATIVOS E PENSIONISTAS E QUE SE ESSA ESTÓRIA DE PRÓ-LABORE PERMANECER, CERTAMENTE NOS TRIBUNAIS SUPERIORES TODOS OS INATIVOS E PENSIONISTAS A PARTIR DE 01/01/2022 TAMBÉM CORRERÃO O SÉRIO RISCO DE PERDEREM O PAGAMENTO DA GRAM. EM TESE, NA ARGUMENTAÇÃO DEFENDIDA PELA PGE/RJ ALEGANDO SER A GRAM UM PRÓ-LABORE, SÓ PODERÃO RECEBER A GRAM OS POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS MILITARES ENQUANTO PERMANECEREM EM ATIVIDADE. TALVEZ, ESSA SEJA A VONTADE ESTATAL

"Luta...luta pelo direito, mas o dia que o direito se opuser à justiça, luta pela justiça" (Eduardo Juan Couture)"

Existem coisas que só acontecem com a PM e com o Botafogo"* (Coronel PM Ref Paulo Roberto)

Major Henrique"

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 4 de abril de 2024

RJ - QUEM SERÁ O NOVO GOVERNADOR



"CLÁUDIO CASTRO  - FANTASMAS DO CEPERJ VOLTAM A ASSOMBRAR A VIDA DO GOVERNADOR. 

Demorou mas o Ministério Público Eleitoral apresentou as alegações finais do escândalo que contratou milhares de funcionários fantasmas e ficou conhecido como “A Farra do CEPERJ”. Agora, falta a palavra final do Tribunal Regional Eleitoral do Rio.

O MP destaca que as provas colhidas evidenciam que houve no governo do Rio um esquema ilícito a fim de utilizar a máquina pública para obter vantagens financeiras com recursos públicos além de desequilibrar o quadro das eleições gerais de 2022. Por fim, o Ministério Público pede a cassação dos diplomas dos investigados, Cláudio Castro e Tiago Pampolha, além do afastamento do cargo. Pede também a inelegibilidade dos investigados e do então presidente do CEPERJ, Gabriel Rodrigues Lopes.

A decisão parece claríssima, afinal, em outros casos de menor gravidade, o Tribunal Regional Eleitoral e o Tribunal Superior Eleitoral não hesitaram em punir os responsáveis. Cláudio Castro, com a “turma” do CEPERJ, afrontou a lei, cometeu uma série de crimes e não pode passar impune.

Uma pergunta no ar: com a cassação do governador e do vice, assume o Governo do Estado interinamente o presidente da ALERJ Rodrigo Bacellar. Será que não é isso mesmo o que Cláudio Castro quer? Explico. Investigações que correm no STJ e na Polícia Federal devem levar ao seu afastamento.

Nesse caso, assumiria o vice, que hoje é seu adversário, Tiago Pampolha. No raciocínio de Cláudio Castro é melhor entregar o governo a Bacellar do que a um vice que ele destratou nos últimos tempos.

Fonte: X"

Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 3 de abril de 2024

OS HOMO SAPIENS POLÍTICOS DO MAL



O ser humano é gregário por natureza. Desde o nosso início nesse lindo planeta azul nós buscamos nos agrupar por inúmeros motivos, mas sempre tendo como Norte principal melhorar as possibilidades de sobrevivência da nossa espécie.

Eis a realidade comprovada pela história do homo sapiens.

Dando um salto gigante e alcançando o atual século XXI somos forçados a concordar, apesar dos nossos erros ao longo do processo, que somos um sucesso considerando o objetivo inicial da espécie se perpetuar.

Na contramão dos nossos interesses, via de regra, apareceram os homo sapiens políticos, uma subespécie que nos levou inclusive a duas grandes guerras mundiais no século passado que poderiam ter nos dizimados.

Como os nossos agrupamentos cresceram e se transformaram em megalópoles, nesse intervalo de tempo tivemos que construir uma estrutura para promover a organização social e o bem estar de todos nós: o ESTADO (o governo).

E, ao longo desse tempo, os homo sapiens políticos foram se multiplicando e ganhando cada vez mais poder na gestão da vida de cada um de nós.

Os bons impulsionaram o mundo, mas os maus fizeram e fazem tudo apenas em seu benefício, maltratando o povo e enfraquecendo as instituições, as quais criamos para servirem para a promoção do bem do povo.

A humanidade deu voltas.

Por exemplo, a população do Estado do Rio de Janeiro, um ente federativo do país chamado Brasil, a cada dia sofre mais com as ações e com as omissões dos homo sapiens políticos do mal.

A situação é tão grave que existem aqueles que equiparam o Rio de Janeiro a um narcoestado, onde a maior parte do território é dominada por grupos criminosos fortemente armados, os quais criam "currais eleitorais", o que facilita a criação de links entre criminosos que geram milhares de votos com homo sapiens políticos do mal.

Pensar que quando começamos a nos reunir as intenções eram as melhores e acabamos chegando nesse estágio que sinaliza para a destruição.

Vida que segue ou não...

Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 1 de abril de 2024

MANIFESTAÇÃO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA




TRANSCRIÇÃO:

"O TEMPO

LUIZ TITO

Manifestação das forças de segurança

Policiais civis e penais organizam outra manifestação contra o governo de Estado para reivindicar recomposição inflacionária


Lamentável a situação a que chegaram as relações do Estado com os servidores da segurança pública em Minas Gerais. Nesse 1º. de abril, que é uma data muito significativa, identificada popularmente como Dia da Mentira, o SINDPPEN e o SINDPOL foram para a porta da casa do Governador para marcar a convocação das forças de segurança pública para hoje, as 14 horas. Para as lideranças sindicais, Romeu Zema, “além de ser um baita mentiroso e caloteiro contra as forças de segurança pública, ele não está brincando. Não podemos aceitar 3,64% que o governo quer nos dar. Vamos juntos, hoje (segunda-feira) às 14 horas para a porta dos batalhões, das delegacias, das unidades prisionais, colocar nariz de palhaço e vamos protestar contra Zema (link)".

Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 29 de março de 2024

METADE DOS DEPUTADOS PODE TER LIGAÇÃO COM O CRIME



Transcrição:

"CORREIO BRAZILIENSE

Para a PF, metade da Assembleia Legislativa do Rio tem ligação com o crime 

https://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/para-a-pf-metade-da-assembleia-legislativa-do-rio-tem-ligacao-com-o-crime/

Dados levantados pela Polícia Federal, com base nas investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, apontam que pelo menos metade dos deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) tem ligação com o crime organizado, sejam as milícias, sejam os traficantes. 

Não por acaso, muitos policiais se referem à Assembleia do Rio como a casa institucionalizada do crime, onde as leis são feitas para atender, sobretudo, os interesses das organizações comandadas por bandidos. 

“As demandas da população em geral ficam em quinto plano, pois não rendem dinheiro”, diz um agente que mergulhou no assunto. 

Há indícios claros de que os gabinetes de deputado de todos os espectros políticos contam com representantes do crime organizado. São pessoas indicadas pelas milícias e pelo tráfico para acompanhar projetos de interesses desses grupos e, principalmente, para barrar propostas que possam prejudicar seus negócios. 

Essas pessoas também são usadas para intimidar adversários.

Para mapear todo o esquema criminoso dentro da Alerj, os policiais vêm cruzando informações colhidas durante as investigações do caso Marielle com processos que estão encalhados ou foram “esquecidos”. 

Com isso, acreditam que terão condições de, muito em breve, desarticular parte dos esquemas que aterrorizam a população do Rio.

É da Alerj que as organizações criminosas se esparramam por órgãos dos governos estadual e municipal e do Judiciário. “Está tudo muito ramificado, por isso, não há interesse em nenhuma das pontas de que investigações andem”, ressalta um segundo policial. 

“O que temos visto é que há muito, mas muito dinheiro em jogo, com corrupção disseminada”, acrescenta.

Para a Polícia Federal, será preciso em empenho grande o Supremo Tribunal Federal (STF) e mesmo do Ministério da Justiça para que, realmente, se chegue a uma parcela dos agentes públicos que se aliaram ao crime organizado. “Sabemos que não será possível acabar com todos os esquemas. Mas temos condições de chegar a algumas cabeças coroadas dessas organizações”, complementa um terceiro policial."

Juntos Somos Fortes!

domingo, 24 de março de 2024

O RIO DE JANEIRO E O TRIÂNGULO DO MAL





Hoje. 24 de março de 2024, a Polícia Federal exibiu, mais uma vez, que o Rio de Janeiro atingiu o maior grau de degradação com relação à criminalidade, demonstrando a existência do "triângulo do mal" enraizado no Estado.

Triângulo esse que se forma com a união de maus políticos, maus policiais e a criminalidade em geral.

Cada vértice protege o outro nessa relação simbiótica, onde todos os envolvidos ganham muito dinheiro.

Não é fruto do acaso o fato de que nos últimos anos vários políticos e policiais tenham sido presos em razão do envolvimento em crimes.

Isso é o resultado dessa convivência dentro do "triângulo do mal".

Não foi a primeira vez e não será a última que ele foi exposto, considerando que não realidade existem vários.

Tal pluralidade de grupos harmônicos sinaliza ser quase irreversível o quadro, mas não se pode desistir, portanto, parabéns Polícia Federal!

À população de bem do Rio de Janeiro resta torcer pela multiplicação do combate contra esses "triângulos".

Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 19 de março de 2024

A DEMOCRACIA À BRASILEIRA E A POLITIZAÇÃO DO JUDICIÁRIO

 


Tenho escrito aqui e ali que sonho em vivenciar uma democracia no Brasil, considerando que ainda não experimentei a sensação de estar vivendo em um país que seja no sentido amplo, geral e irrestrito um estado democrático de direito.

Sim, leio e ouço sobre democracia e sobre estado democrático de direito, diariamente, mas não consigo perceber tal existência.

Vivencio um desrespeito à legislação, inclusive violações à apelidada como "Constituição Cidadã", texto repleto de direitos próprios da cidadania, ignorados pelo Estado através dos seus agentes.

Como aceitar a existência de uma democracia no Brasil diante dessa realidade?

Para mim a cumplicidade com os que apregoam essa democracia à brasileira é impossível.

Diante desse quadro ouço e leio com plena satisfação sobre a politização do Judiciário, algo que fere de morte qualquer ambição democrática.

Fico feliz porque sei que o primeiro passo para resolver um problema é conhecê-lo.

Torço para que um grande eco colabore para deter tal politização.

Quem sabe apesar dos meus sessenta e seis anos, ainda possa vivenciar um estado democrático de direito no Brasil.

Vida que segue.

Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 18 de março de 2024

IMPRENSA EXPÕE MAZELAS DO GOVERNO CLÁUDIO CASTRO



Na semana que passou a imprensa deu publicidade a duas situações bastante desfavoráveis para o governo Cláudio Castro.

A primeira matéria foi publicada no Jornal O Dia, a qual foi lida no nosso canal do YouTube (Link) em um vídeo de 5 (cinco) minutos, revelando forte interferência de deputados da ALERJ na gestão da segurança pública estadual.

Não precisa ser especialista na área para concluir que sendo verdade o noticiado, fica em parte explicado o estado caótico da segurança.

A segunda foi publicada no Jornal Extra e reproduzida nesse blog (Link), onde foram expostos alguns dos escândalos relacionados com o pagamento da Gratificação de Risco da Atividade Militar para alguns grupos e o não pagamento para outros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar.

A matéria deixou o Executivo com duas opções: suspende os pagamentos ou paga para todos os grupos, o que é o certo.

Quem ler as duas matérias poderá concluir que a primeira explica a segunda, considerando o caos total.

A situação atual além de estar prejudicando milhares de famílias por mais de dois anos, está desmoralizando os três poderes e todos os órgãos de controle estaduais.

Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 15 de março de 2024

23% DE AUMENTO PARA OS POLICIAIS

 


Entre os trabalhadores do Brasil, segundo a Constituição Federal, os militares são aqueles que possuem o menor número de direitos, isso é fato.

Tal realidade aumenta a representatividade dos seus Comandantes e com ela aumenta a responsabilidade.

Por exemplo, as tratativas com o Poder Executivo sobre as questões dos salários, dos proventos e das pensões é responsabilidade direta do Comandante da Instituição Militar, ela é indelegável.

Parabéns aos profissionais da segurança pública do Estado de São Paulo.

Juntos Somos Fortes!


quarta-feira, 13 de março de 2024

GOVERNO CLÁUDIO CASTRO "HUMILHA" SERVIDORES E MILITARES



A presença de centenas de servidores públicos e de militares do Estado do Rio de Janeiro, às 10:00 horas, desse dia 13 de março de 2.024, em frente ao Palácio Guanabara, era do conhecimento do governador Cláudio Castro e dos seus assessores há semanas. Eles também sabiam a motivação: a cobrança das parcelas atrasadas da recomposição salarial e do IPCA 2.023. 

Apesar dessas verdades, ninguém do governo se dignou a receber a comissão designada para negociar, pelo menos até onde eu consegui saber.

Se verdade, isso é uma humilhação!

Um desrespeito total com relação aqueles que servem à população fluminense.

Transparece uma impressão que políticos fluminenses estão se sentindo "blindados" diante de tantas violações às legislações que cometem abertamente.

É hora de responsabilizá-los duramente.

Salvo melhor juízo, respeitosamente, considero que o Ministério Público e a Polícia Federal não estão com a velocidade compatível com as exigências da péssima política em exercício no Rio de Janeiro.

Vida que segue...

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 7 de março de 2024

SERVIDORES E MILITARES - ATO PELO PAGAMENTO DA RECOMPOSIÇÃO E DO IPCA



O governo Cláudio Castro está em dívida com o funcionalismo público do Poder Executivo e com os militares do Estado do Rio de Janeiro, isso é fato.

Aos servidores públicos deve duas parcelas do acordo de recomposição salarial e o IPCA 2.023, por exemplo.

Aos militares deve além disso, a restauração da paridade, o que está prejudicando milhares de veteranos, sequelados e pensionistas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar.

Diante dessa realidade fica evidente que existe uma pauta comum às duas categorias, ou sejam, os servidores e os militares.

Logo a programação de um ato de protesto com participação de servidores e de militares, ordeiro e pacífico, trata-se de um movimento natural.

Uma convocação está sendo realizada pelas redes sociais para um ato a ser realizado no próximo dia 13, às 10:00 horas, em frente ao Palácio Guanabara. 

A luta é de todos: servidores públicos e militares do Estado do Rio de Janeiro.

Fico com o otimismo e com a esperança que a "politicagem" falte ao ato de protesto.

Sugiro que acompanhem pelas redes as convocações e avaliem.

Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 4 de março de 2024

CASSAÇÃO DE CLÁUDIO CASTRO - ONDE JUDICIÁRIO É LENTO, NÃO HÁ JUSTIÇA

 


Devo estar errado, mas penso que quando o que está sendo avaliado é a existência ou não de mal uso do nosso dinheiro, o Poder Judiciário e os Órgãos de Controle que tratam do tema devem ter a maior celeridade possível, inclusive avaliando o afastamento dos investigados das suas funções, considerando a possibilidade da "sangria" continuar.

Penso e devo estar errado novamente, que no tocante a esse tipo de investigação, em dúvida devemos defender os interesses da população.

No próximo dia 7 está prevista a oitiva das testemunhas de defesa do Governador Cláudio Castro no Tribunal Regional do Estado do Rio de Janeiro.

Lembro que o noticiário sobre o pedido de cassação da chapa Castro-Pampolha feito pelo Ministério Público Federal foi público nos dias 14 e 15 de dezembro de 2.022 (link), ou seja, há mais de 14 (quatorze) meses.

Concluo, talvez ainda em erro, que considero muito tempo com o nosso dinheiro continuando a ser gerido por "investigados".

A população não pode correr o risco de continuar pagando os cafézinhos, se é que alguém me entende.

Vida que segue...

Juntos Somos Fortes!


domingo, 3 de março de 2024

A "DEMOCRACIA À BRASILEIRA" É UM ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO ?


Ato de protesto de Militares Estaduais

Início da Concentração

Ocorrido no Rio de Janeiro 

Atendo o interfone e ouço o funcionário falar em pânico que tinham roubado minha Ferrari vermelha que estava no estacionamento.  Ato contínuo tento acalmá-lo informando que meu veículo é vermelho, mas não é uma Ferrari, longe disso.

O brasileiro recebe de forma constante e massiva a informação que o Brasil é uma democracia. É uma completa imersão nessa afirmação que, via de regra, sai da boca dos políticos e dos jornalistas.

A palavra é usada sem qualquer constrangimento como se a população vivesse um verdadeiro estado democrático de direito, o que não acontece.

Aliás, basta observar a sonegação dos direitos constitucionais, para concluir que o país não é uma democracia.

A propalada  democracia brasileira deveria ser referenciada como "democracia à brasileira', isso seria mais palatável.

Democracia não se resume na possibilidade de votar e escolher os representantes, o conceito é muito amplo, incluindo, por exemplo, o total respeito à legislação.

O Estado do Rio de Janeiro é um atual e claro exemplo da inexistência de um estado democrático de direito no Brasil.

O governo Cláudio Castro feriu de morte legislações federais e estaduais quando quebrou a paridade dos Militares Estaduais, quando não paga a recomposição salarial e o IPCA 2.023, tanto para os Militares, quanto para o Funcionalismo Público do Executivo.

Simplesmente não paga.

Diante disso o que fizeram nesses vinte e seis meses os órgãos de controle (ALERJ, Ministério Público e Tribunal de Contas)?

"Dando curso a "democracia à brasileira", nada!

Onde está essa democracia?

Talvez junto com a minha Ferrari vermelha no mundo irreal.

Eu quero uma democracia para viver, melhor, preciso de uma.

Vida que segue...

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

RJ - PODER EXECUTIVO PREJUDICA SEUS SERVIDORES



No Estado do Rio de Janeiro os servidores públicos do Poder Judiciário e do Poder Legislativo devem ser considerados pelo governo Cláudio Castro como melhores que os servidores do próprio Poder Executivo.

Os servidores do Executivo foram os únicos que até hoje não receberam a segunda e a terceira parcelas da recomposição salarial, conforme o contido na reportagem do jornal Extra:

"No Rio, apenas estatutários do Executivo não receberam três parcelas de recomposição salarial

Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas, Ministério Público e Defensoria Pública começaram a pagar incremento nos vencimentos deste mês. Executivo não iniciou a segunda parte, prevista para o ano passado

Por  — Rio de Janeiro

 

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

GRAM - UM "BECO SEM SAÍDA" NO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RJ ?



Em tese, as denúncias apresentadas ao Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) sobre a sangria milionária do dinheiro público promovida pelo governo ao pagar a GRAM sem amparo legal, ao longo de mais de dois anos, para milhares de Militares de Polícia, de Militares do Corpo de Bombeiros e de Pensionistas com a rubrica de pensão especial, devem ter deixado todos os Conselheiros do TCE em um "beco sem saída".

Salvo melhor juízo, a falta de amparo legal está caracterizada pelo fato do governo declarar a GRAM como pro labore faciendo, inclusive no curso de ações judiciais, conforme manifestações recorrentes da Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Portanto, parece que diante do problema não deve existir outra providência aos Conselheiros do TCE que não seja intimar o governo para esclarecer e, caso não seja clarificada a questão, indicar o saneamento de tal problema gigante.

Cumpre destacar que dessa feita não parece válida a argumentação de que o fato está judicializado, PORQUE NÃO ESTÁ, o que existe são ações individuais para a obtenção da GRAM e uma Ação Civil Pública com idêntico objetivo para todos.

NÃO EXISTE NADA JUDICIALIZADO SOBRE AS DENÚNCIAS DE PAGAMENTOS SEM AMPARO LEGAL.

Poderá até existir no futuro, caso o TCE informe ao Ministério Público sobre tais denúncias e esse por sua vez adote as providências cabíveis.

Por derradeiro, lembro que basta o governo fazer com que a paridade seja restabelecida para que os atuais pagamentos passem a ter o amparo legal.

Juntos Somos Fortes!