Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

quarta-feira, 27 de março de 2019

O ABISMO QUE SEPARA O LEGISLATIVO DO POVO QUE DEVERIA REPRESENTAR



No Brasil a palavra reforma tem sido usada durante tanto tempo no cenário político, sem produzir qualquer resultado prático, que ficou desgastada e perdeu credibilidade.
A reforma da previdência é a mais nova versão e essa pelo menos parece que gerará alguns resultados, os quais não poderão ser avaliados em toda sua extensão em curto prazo.
Antes dela a reforma tributária, a reforma do sistema da educação, a reforma eleitoral, a reforma do judiciário, a reforma do executivo, a reforma do legislativo, estão entre as que povoaram (e ainda aparecem) no noticiário.
Penso que teremos imensas dificuldades para promover algumas dela, sendo que considero quase impossível de ser realizada a reforma do legislativo.
Quem em sã consciência crê que parlamentares aprovarão qualquer legislação que possa cercear seus direitos pecuniários, por exemplo.
Não legislarão contra eles.
Tal realidade criou um abismo largo e profundo entre os interesses do povo brasileiro e o desempenho dos seus representes eleitos.
Triste não vejo como pela via democrática possa ocorrer a consolidação de uma reforma no poder legislativo que atenda aos anseios populares e aos interesses do país.
Concluo dessa forma porque depois de tantas eleições que presenciei na atual existência, nenhum Congresso se moveu na direção das mudanças.
Salvo melhor juízo, o povo terá que encontrar outro caminho.

4 comentários:

  1. Representam mas é o povo lá da casa deles.

    ResponderExcluir
  2. O caminho do aeroporto; para cuidar de si mesmo e o resto que se lasque, copiando asimm o agir dos políticos.

    ResponderExcluir
  3. O povo é só um detalhe.
    O que os políticos querem do povo é tão simples : "Pague teus impostos, vote e cale tua boca."
    É pedir demais, povo ?

    ResponderExcluir
  4. Por que o senhor sumiu da Internet, Coronel? Está tudo bem? Um abraço!

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.