BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

quarta-feira, 29 de junho de 2016

JORNAL O GLOBO FAZ GRAVÍSSIMAS ACUSAÇÕES CONTRA BOMBEIROS E POLICIAIS

video


Prezados leitores, são gravíssimas as acusações feitas pelo jornal O Globo contra Policiais Militares, Policiais Civis e Bombeiros Militares, os quais estão enfrentando incontáveis dificuldades financeiras em função da péssima gestão do dinheiro público no estado do Rio de Janeiro.
A situação vivenciada pelos mobilizados é uma calamidade de imensas proporções, o jornal O Globo conhece os fatos.
Será que desconhece as dificuldades que as pensionistas estão enfrentando para sobreviverem?
Temos certeza que não.
As acusações estão contidas no Editorial que transcrevemos nesse artigo.
Por terem sido feitas na forma de Editorial as ofensas ganham maior dimensão considerando que o Editorial representa a opinião do jornal e não a opinião de um ou dois jornalistas.
É a opinião da organização, não é uma opinião pessoal. 
Indo em frente!
"Chantagem" todos nós conhecemos bem o significado, mas o que seria "quase terrorismo"?
Um "quase crime"?
O Globo deveria definir o significado, tendo em vista que "terrorismo" é um crime contra a humanidade.
Um ato de "quase terrorismo" deve ser considerado algo de extrema gravidade.
Erra o jornal O Globo.
O certo é que os mobilizados manifestaram o seu direito de livre expressão e o fizeram em conformidade com o que vive a população do Rio de Janeiro, em razão da também péssima gestão da segurança pública pelo governo fluminense.
Irresponsabilidade não é jogar contra as Olimpíadas, isso é ser responsável.
Irresponsáveis foram os que trouxeram a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e as Olimpíadas de 2016 para o Brasil.
Esses sim devem ser investigados, julgados e condenados, não os policiais e os bombeiros que estão sem receberem seus pagamento e  realizaram um ato pacífico e ordeiro, como a lei determina.
Os que trouxeram esses grandes eventos foram os que praticaram o "quase terrorismo" contra todos aqueles desavisados que nos visitarão e poderão morrer vítimas de uma bala perdida ou nas filas dos hospitais públicos, sem socorro, como morremos nós, os brasileiros, diariamente.
Tudo indica que não são apenas os mobilizados que tiveram motivações além do esporte, parece que os interesses comerciais também estão falando mais alto que o esporte.
Pior, os interesses comerciais estão acima do risco de morte a que estarão submetidos todos os atletas, turistas e jornalistas que vierem para o "inferno" que o governo transformou o Rio de Janeiro, isso com uma mãozinha de boa parte da imprensa, não custa lembrar.
Nós não participamos dessa mobilização, mas participaremos das próximas, como de costume.

"Jornal O Globo
A irresponsabilidade de jogar contra a Rio-2016 Movimento de policiais e bombeiros não disfarça o viés político por trás de chantagens e atos de quase terrorismo cujos alvos são turistas que chegam ao Rio para os Jogos
por EDITORIAL
29/06/2016 0:00 
A mistura de esporte e política (e manifestações, sindicais ou corporativistas, dela derivadas) é, invariavelmente, indigesta. Tomar atividades voltadas em última instância para o entretenimento como refém de pautas a elas estranhas é sintoma, e grave, da doença do oportunismo, o sempre condenável, por definição, aproveitamento das circunstâncias para alcançar, pelo caminho mais curto, não raro eticamente condenável, algum resultado de interesse pontual. O país já experimentou, por exemplo, trocar apoio de partidos pela construção de estádios para satisfazer interesses de caciques, condicionar votos à participação de times de futebol em torneios etc. Os resultados costumam, sem exceção, ser ruinosos para os dois lados do balcão. 
Não é outro, senão a motivação política, e em sua mais deletéria abordagem, o propósito do movimento que, a pouco mais de um mês do início dos Jogos Olímpicos, junta bombeiros a policiais civis e militares em ações que beiram o terrorismo. Alegadamente, eles cruzam os braços, em serviços essenciais no âmbito da segurança pública, e atemorizam turistas, cercando-os com faixas nos portões de entrada do Rio, contra o atraso de pagamentos que generalizadamente atinge o funcionalismo fluminense. Fazem da Rio-2016 instrumento de uma chantagem cujos objetivos passam ao largo dos interesses do esporte. 
A irresponsabilidade dos policiais, agentes públicos que têm o dever, acima de quaisquer circunstâncias, de prover a segurança da sociedade revela um perigoso descompromisso com as atribuições que lhes são próprias — até por dever constitucional. Este é um dos ângulos das condenáveis ações, em curso ou por serem adotadas, que resultam no desamparo da população. Como tal, precisa ser enfrentado pelas autoridades com o rigor que a situação exige. 
Por sua vez, a manipulação política visível no movimento de protesto que, anteontem, levou agentes públicos ao desembarque do Galeão — a mais ampla e movimentada porta de entrada da cidade que abrigará a Olimpíada — também precisa ser enquadrada no manual de comportamento e deveres dessa especial categoria de servidores estaduais. A faixa que eles abriram à vista de quem chegava ao Rio (“Bem-vindo ao inferno. A polícia e os bombeiros não recebem pagamento. Quem vier para o Rio de Janeiro não estará seguro”, com dizeres em inglês) dá a medida de o quanto as organizações sindicais patrocinadoras extrapolaram os limites da civilidade. 
Atraso dos salários é efeito direto da crise financeira do estado (de resto, do país). De fato, compromete o orçamento familiar de todos os servidores. A economia fluminense aderna, e, por certo, é preciso buscar responsabilidades. Mas isso deve ser feito no âmbito doméstico, dentro da esfera apropriada — nunca por meio de chantagens contra um evento que trará benefícios às próprias finanças estaduais. Jogar contra a Rio-2016 é opção irresponsável e contraproducente (FONTE)." 

Juntos Somos Fortes!

3 comentários:

  1. Tem que protestar,sim! Todo apoio aos servidores!

    ResponderExcluir
  2. Sr Cel Paul boa noite, parabenizo pela divulgação desse Editorial do Jornal O Globo, que ao meu ver, na lógica de entendimento como leitor "Se é assim que o jornal convém que seja interpretado". Entendi que o Editor mistura Política Administrativa (Estado)com sentimento de cidadania (Insatisfação). Explorando os aspectos sociais e de Política de Segurança Pública, trazendo a tona a velha artimanha de "Induzir a informação" e de "colher a prova". Evidente que a Edição foi posta na singularidade, ou seja, o autor acha isso e não se pode dar o fato de ser a verdade! Essa especulação não deveria ser publicada, pois, fere a individualidade de cada cidadão. Faço prova nas seguintes perguntas; 1-Todo servidor estadual está contente ou feliz em ter seu pagamento em atraso e na iminência de não o ter a receber ?
    2-O Povo brasileiro está feliz de ter sediado a Copa do Mundo e de ter levado de 7 a 1 da Alemanha, e no final, ver um rombo de bilhões nos cofres Públicos, porquanto a má gestão dos recursos ?
    3-Estaria mesmo o Brasil, ou, propriamente dito o "Rio de Janeiro" pronto politicamente e financeiramente para receber tamanha responsabilidade internacional, de promover a unífica e milenar Olimpíadas, se nem mesmos nossos compatriotas, tem seus direitos básicos garantidos ?
    A partir das respostas, saberemos se foi possível a análise crítica do Editor em expor seu pensamento. Mas, no entanto, em hipótese nenhuma seria Terrorismo. Uma vez que, no Brasil, desde sua formação genérica de País, jamais houve atos de terrorismo por parte da Corporações Policiais Militares e Bombeiros e bem como, das Instituições Policiais Civis, mesmo havendo insatisfações com atos de reivindicações e publicidades, creditado na hipótese de seus governantes ouvirem suas argumentações e necessidades.
    Com isso, foi pobre de talento o Editor!

    Uma boa Noite, essa é minha posição de interpretação e é uma pena que o Jornal O Globo, um grande Jornal, mais uma vez tenha perdido tempo e dinheiro com essa Edição, somando as reais necessidades que o Povo Fluminense precisa de ser informado.

    ResponderExcluir
  3. O INFERNO DE DANTE

    POR MIM SE VAI À CIDADE DOLENTE,
    POR MIM SE VAI À ETERNA DOR ,
    POR MIM SE VAI À PERDIDA GENTE.

    JUSTIÇA MOVEU O MEU ALTO CRIADOR,
    QUE ME FEZ COM O DIVINO PODER,
    O SABER SUPREMO E O PRIMEIRO AMOR.

    ANTES DE MIM COISA ALGUMA FOI CRIADA
    EXCETO COISAS ETERNAS, E ETERNA EU DURO.
    DEIXAI TODA ESPERANÇA, VÓS QUE ENTRAIS!

    A faixa exibida por servidores policiais e bombeiros com os dizeres "WELCOME TO HELL É UM PROTESTO MAIS DO QUE JUSTO PELO QUE ESTÁ ACONTECENDO NO RIO DE JANEIRO.

    O editorial do jornal O Globo é que se mostra terrorista, cabotino, pusilânime, ao negar aos servidores o direito de reclamar pelos alimentos que sustentam a si e sua família;

    E para comprovar o acerto do aviso contido na faixa, hoje um caminhão bau com material no valor de 400 mil euros, foi interceptado na Av Brasil e teve sua carga furtada, logo depois recuperada por Policiais Militares em Magé.
    Essa Olimpíada só serve aos interesses escusos dos políticos e da própria rede globo que vai faturar bilhões com venda de cotas de (pai)trocínio.

    O projeto OLIMPÍADA 2016 no Brasil já iniciou de maneira equivocada e criminosa pois em 2012 uma equipe vinculada ao COB tentou furtar dados de um software arquivados num computador d Comitê inglês, caso que não só virou um imbróglio internacional como fez o Brasil pagar mico no final daquela competição.
    VAMOS LUTAR, VAMOS DENUNCIAR ESSA TERA ROUBALHEIRA QUE TRANSFORMOU O BRASIL NUMA BANDIDOCRACIA, CLEPTOCRACIA, DEMOCADÁVERCRACIA, o que a Rede Globo não faz porque a ela não interessa!!
    JSF
    PAULO FONTES

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.