BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

CAOS NO ESPÍRITO SANTO - PSICOLOGIA DE POLÍCIA E BANDIDO

Prezados leitores, transcrevemos um texto que circula nas redes sobre um tema que abordamos em artigo anterior sobre o comportamento de parte da população do Espírito Santo ao constatar a ausência do policiamento ostensivo.
Nós consideramos o texto excelente e parabenizamos o autor.




"PSICOLOGIA DE POLÍCIA E BANDIDO. 
Na greve da PM no Espírito Santo cidadãos comuns foram vistos realizando saques em lojas e supermercados. 
A ausência da polícia revela uma realidade assustadora: o caos ético e moral que se encontra o nosso país. 
Quando a polícia se torna a regra de conduta das pessoas, o instrumento de controle que as impede de cometer crimes percebe-se a falta de consciência ética e moral. 
Retirada a polícia vem a tona o desejo latente de um povo corrupto.
Idiotice pensar que só políticos são desonestos, tendo oportunidade, muitos se tornam criminosos. 
A conclusão é a seguinte: Se precisamos de polícia para sermos honestos, somos uma sociedade de bandidos soltos! 
Sérgio Oliveira – Teólogo e psicólogo"

Juntos Somos Fortes!

2 comentários:

  1. Será que ele constatou isso agora? Há quanto tempo falamos que nossos políticos não vem da Suécia, do japão ou de Marte? Eles saem daqui mesmo dessa sociedade sem educação e sem cidadania, daí ser uma sociedade doente e criminosa. O "ólogo" aí demorou muito pra descobrir o óbvio...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem gente que precisa fazer uma faculdade de engenheiro mecânico para saber que foi o Lula que torneou o eixo da terra quando ele era metalúrgico.

      Excluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.