Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

POLÍCIA MILITAR: O PERÍODO TREVOSO E O NOSSO DINHEIRO JOGADO NO LIXO

Prezados leitores, o jornal Folha de São Paulo publicou matéria nessa segunda-feira, dando conta que nos últimos 10 (dez) anos, a PMERJ expulsou 1.808 (mil oitocentos e oito) Policiais Militares. 
Vale lembrar que nesse período estão incluídos mais de 7 (sete) anos de governo Cabral-Pezão.
Um tema não abordado na matéria é o gigantesco prejuízo que tais expulsões causaram aos cofres públicos, ou seja, ao nosso dinheiro.
Nós investimos o nosso dinheiro no recrutamento, na seleção e na formação dos Policiais Militares.
Gastamos com salários, alimentação e fardamento.
Um investimento muito grande para ao final de cada ano a PMERJ expulsar cerca de 200 (duzentos) Policiais Militares, sendo quase na totalidade Praças.
Não queremos discutir o mérito das expulsões, mas sim o prejuízo que elas nos causam.
Certamente, algo vai muito mal na corporação, para determinar tantas expulsões, como comentamos em inúmeros artigos e vídeos.
Onde está o erro?
No processo de recrutamento e seleção?
Na formação?
Na fiscalização da conduta dos Oficiais e Praças?
Nos salários famélicos?
Nas péssimas condições de trabalho?
Nós optamos por assinalar todas as opções.
Tal realidade deveria determinar que o governo interrompesse qualquer incorporação, isso até que fossem identificados e corrigidos os erros, mas na contramão da boa gestão pública, o governo Pezão anuncia que incorporará milhares de novos Policiais Militares.
Isso é uma afronta aos contribuintes!
Alguém precisa interromper esse processo, o cidadão não pode continuar tendo o seu dinheiro jogado no lixo, enquanto a segurança pública é de péssima qualidade.
Talvez o Ministério Público possa exercer esse controle e estancar essa sangria de dinheiro público.
Uma ação popular pode ser o caminho para interromper as incorporações, nesse período de trevas na Polícia Militar.



(Jornal Folha de São Paulo)


Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

  1. A culpa de grande parte dos problemas o ocorridos na polícia não é do Pezão. Ele assumiu o governo no início desse ano, e mesmo sendo vice de Cabral não era quem dava a palavra final. Acredito que agora ele vá melhor essa situação.

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.