BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

BLOG DO CORONEL PAÚL - RECESSO DE FINAL DE ANO

Caminhada dos PMs em Copacabana
14 DEZ 2014


Prezados leitores, o nosso blog entra hoje em recesso de final de ano.
Agradecemos o apoio recebido ao longo do ano e desejamos a todos e a todas boas festas e um excelente 2015.

Juntos Somos Fortes!

HOJE - ZONA OESTE - LANÇAMENTO DOS LIVROS DO CORONEL PAÚL

Prezados leitores, o Coronel Paúl disponibilizará um local na Zona Norte, onde poderão ser adquiridos os livros sem qualquer acréscimo nos preços.
Hoje o lançamento será durante a festa de confraternização do SOS Bombeiros RJ, evento que será realizado a partir das 10:00 horas, na Rua Tecobé, número 347, Realengo, Rio de Janeiro, RJ.
O livro "A ditadura de terno e gravata" narra a mobilização dos Bombeiros do Rio de Janeiro e as represálias do governo Cabral-Pezão, inclusive a prisão em Bangu 1, sendo uma continuação do livro "Cabral contra Paúl - A PM de joelhos".
O livro "UPP, uma frasa eleitoral", como o nome sugere, desmascara o projeto.



Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

JORNAL PAÚL NELES! - 18 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DO ESCÂNDALO DA PETROBRAS?

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl sugere que todos os brasileiros façam reflexões sobre as consequências no Brasil e no exterior do escândalo da Petrobras.



Juntos Somos Fortes!

AMANHÃ - ZONA OESTE - LANÇAMENTO DOS LIVROS DO CORONEL PAÚL

Prezados leitores, o Coronel Paúl fará o lançamento dos seus livros durante a festa de confraternização do SOS Bombeiros RJ, evento que será realizado amanhã, a partir das 10:00 horas, na Rua Tecobé, número 347, Realengo, Rio de Janeiro, RJ.
O livro "A ditadura de terno e gravata" narra a mobilização dos Bombeiros do Rio de Janeiro e as represálias do governo Cabral-Pezão, inclusive a prisão em Bangu 1, sendo uma continuação do livro "Cabral contra Paúl - A PM de joelhos".
O livro "UPP, uma frasa eleitoral", como o nome sugere, desmascara o projeto.




Juntos Somos Fortes!



JORNAL PAÚL NELES! - 18 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - DEPUTADO DACIOLO x DEPUTADO BOLSONARO

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl comenta o embate que está em curso na internet entre os que estão condenando e os que estão defendendo o deputado federal Cabo BM Daciolo por ter participado do protesto do PSOL contra o deputado federal Bolsonaro.



Juntos Somos Fortes!

APROVADA LEI DA IRRESPONSABILIDADE FISCAL - ALMIR QUITES

Prezados leitores, a seguir transcrevemos dois artigos do blogueiro Almir Quites:  



1) APROVADA A LEI DA IRRESPONSABILIDADE FISCAL 
Aprovada a Irresponsabilidade da gestão financeira! Ainda não deu para engolir e o povo já não pode reagir. Claro, basta que o chefe da Casa Vil da Presidência da República discuta o preço com a ‘fada’ Sininho, que ela prontamente mobiliza seus Black Blocs. Estes porão as máscaras da covardia para divertir-se, dilapidando bens públicos e privados e assustando os cidadãos democratas e civilizados, que apenas desejam exercer o direito constitucional de se fazer ouvir na rua em protesto contra a corrupção institucional do PT de Lula, o Escracho e de Dilma, a Parva. Leia o artigo completo aqui: 

2) INDECOROSA CONDUTA PRESIDENCIAL 
Quase junto com o circo da CPI mista do Congresso, que concluiu com o vergonhoso relatório do deputado petista Marcos Maia dizendo que não havia nada de errado com a Petrobras, veio o Relatório inconstitucional da "Comissão da Verdade" e esta vergonhosa manobra consubstanciada no Projeto da Meta Fiscal, apresentado pelo governo federal, o qual fere de morte a Lei de Responsabilidade Fiscal e objetiva apenas dar à presidente da República a anistia retroativa pelo crime de responsabilidade. Por que este projeto presidencial é indecoroso? Veja aqui: 

Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

RIO: MAIS UM POLICIAL MILITAR ASSASSINADO

Prezados leitores, não temos mais o que escrever para expressar a nossa opinião sobre a péssima gestão da segurança pública no Rio de Janeiro.
O PM assassinado hoje foi o Soldado H. Ferreira RG 95017, conforme mensagem que circula na internet.




"JORNAL EXTRA
Casos de Polícia
17/12/14 18:02 Atualizado em 17/12/14 18:14
Policial militar é morto na Zona Norte do Rio
Um policial militar foi morto durante uma suposta tentativa de assalto, na Rua Pernambuco, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio. De acordo com a assessoria da corporação, ele teria reagido ao ser abordado pelos criminosos. O corpo do soldado tem perfurações de tiros. Agentes da Divisão de Homicídios (DH) fazem a perícia no local (Fonte)".





Enquanto os Policiais Militares continuam sendo assassinados, o secretário de segurança emite essa opinião:

"AGÊNCIA BRASIL
Beltrame diz que blindagem de UPP não é prioridade mesmo com ataques a policiais 
10/12/2014 20h21
Rio de Janeiro 
Edição: Jorge Wamburg
O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, disse hoje (10) que a blindagem dos contêineres das unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) não é prioridade da secretaria. Entretanto, o órgão vai adotar uma série de ações para melhorar a situação dessas bases policiais em 2015 (Leia mais)".

Juntos Somos Fortes!

DIA 19 - LANÇAMENTO DOS LIVROS DO CORONEL PAUL NA ZONA OESTE

Prezados leitores, o Coronel Paúl fará o lançamento dos seus livros durante a festa de confraternização do SOS Bombeiros RJ, evento que será realizado no dia 19 de dezembro de 2014, a partir das 10:00 horas, na Rua Tecobé, número 347, Realengo, Rio de Janeiro, RJ.
O livro "A ditadura de terno e gravata" narra a mobilização dos Bombeiros do Rio de Janeiro e as represálias do governo Cabral-Pezão, inclusive a prisão em Bangu 1.



Juntos Somos Fortes!



JORNAL PAÚL NELES - 17 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - SECRETÁRIO PREMIADO E GUARDA MUNICIPAL ASSASSINADO

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl comenta sobre mais uma premiação para o secretário de segurança pública do Rio de Janeiro e sobre o assassinato de um Guarda Municipal na sede da prefeitura do Rio de Janeiro, atingido por pauladas.




Juntos Somos Fortes!

GOVERNO PEZÃO: 17.000 PMs FORA DO POLICIAMENTO NAS RUAS

Prezados leitores, após oito anos de governo Pezão e do Secretário Beltrame chefiando a segurança pública, o jornal O Globo descobriu que dos 48.000 PMs existentes na Polícia Militar, 17.000 estão fora das ruas.
Como explicar esse absurdo?



(O Globo)


Juntos Somos Fortes!


JORNAL PAÚL NELES! - 17 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - CASO AMARILDO, MAJOR PM EDSON JUSTIFICADO

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl comenta uma matéria publicada ontem pelo jornal O Dia sobre o caso Amarildo.


Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

JORNAL PAÚL NELES! - 16 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - LANÇAMENTO DOS LIVROS DO CORONEL PAÚL

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl comenta o lançamento dos seus livros que ocorreu ontem na AME-RJ, agradecendo a todos e a todas que compareceram.
Novos imagens serão postadas oportunamente.


Juntos Somos Fortes!

JORNAL O DIA DENUNCIA DESCASO COM VIATURAS DA POLÍCIA MILITAR

Prezados leitores, transcrevemos reportagem do jornal O Dia sobre viaturas da Polícia Militar:

Foto: Osvaldo Praddo

"JORNAL O DIA 
16/12/2014 00:09:14 
Viaturas novas da PM ficam ao relento expostas ao tempo e à ação de vândalos 
Veículos foram colocados ao lado dos caminhões em frente ao Batalhão de Choque 
FLAVIO ARAÚJO 
Rio - Além de não cumprir a promessa de providenciar um local adequado para os quatro caminhões de alta tecnologia que passam dia e noite ao relento na porta do quartel desde o fim da Copa do Mundo, o comando do Batalhão de Choque (BPChq) da Polícia Militar resolveu ampliar a frota exposta ao tempo e à ação de vândalos. Há cerca de duas semanas, dezenas de viaturas novas foram colocadas perto dos caminhões que custaram R$ 12 milhões em recursos públicos. Na madrugada de domingo, três dos quatro veículos especiais estavam estacionados na rua. 
Quando O DIA denunciou com exclusividade a situação dos caminhões estacionados do lado de fora do quartel por ter altura superior à da porta do batalhão, o comandante da unidade, tenente-coronel Fábio de Souza, argumentou que os caminhões seriam levados para a nova sede do BPChq, o Comando de Operações Especiais (COE). O imóvel foi construído em 1913 e tombado pelo Patrimônio Histórico. A nova base da Forças Especiais da PM, no entanto, que será construída em Ramos, continua sem previsão de obras, que foram orçadas em outubro de 2012 (Leia mais)".

Juntos Somos Fortes!

JORNAL PAÚL NELES! - 16 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - O PROTESTO DOS POLICIAIS

Prezados leitores, exibimos vídeo com imagens do protesto em Defesa da Vida dos Policiais que foi realizado no dia 14 DEZ 2014, na praia de Copacabana.



Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

HOJE - LANÇAMENTO DOS LIVROS DO CORONEL PAÚL

Prezados leitores, hoje ocorrerão os lançamentos dos livros "A ditadura de terno e gravata, a luta dos Bombeiros e dos Policiais Militares" e "UPP, uma farsa eleitoral", isso na sede da AME-RJ (antigo Clube dos Oficiais) situada na Rua Camerino, número 114, Centro, Rio de Janeiro.
O evento será realizado entre as 17:00 e as 20:00 horas.
Exemplares do primeiro livro "Cabral contra Paúl - A PM de joelhos" também estarão disponíveis.


Em consequência, hoje não publicaremos as duas edições do "Jornal Paúl Neles!".
Amanhã, comentaremos neles o ato de protesto realizado ontem por milhares de Policiais Militares.

Juntos Somos Fortes!

OS PMs AINDA PODERÃO RECEBER AS CESTAS DE NATAL

Prezados leitores, o comandante geral da PMERJ, Coronel PM Íbis Silva, tentará obter recursos junto ao secretário de segurança para que os Policiais Militares recebam as cestas de natal.


(Jornal O Dia)


Juntos Somos Fortes!

PMs PROTESTAM CONTRA MORTES E MAIS UM PM É ASSASINADO

Prezados leitores, ontem, 3.000 participantes lotaram a praia de Copacabana no protesto em defesa da vida dos Policiais Militares.
Infelizmente, ontem, mais um Policial Militar foi assassinado no Rio de Janeiro.


No Posto Seis foram fincadas cruzes com imagem dos policiais militares assassinados
Foto:  Severino Silva / Agência O Dia


 "JORNAL O DIA
15/12/2014 00:19:44 - Atualizada às 15/12/2014 00:39:36
PM é morto a tiros após reagir a assalto em Nilópolis
Soldado teria tentado defender colega de abordagem de bandidos quando foi baleado 
Rio - O soldado Cristiano Rodrigues de Paula foi morto a tiros, na noite deste domingo, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. De acordo com as primeiras informações, ele estava em um bar no bairro Nova Cidade quando um homem anunciou o assalto contra um colega de farda. Cristiano, que era lotado no Centro de Manutenção de Materiais da Polícia Militar, levou dois tiros ao tentar reagir. 
A vítima foi socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cabuis, mas não resistiu aos ferimentos. O policiamento foi reforçado na região. Com a morte de Cristiano, subiu para 110 o número de policiais mortos em serviço ou de folga em 2014. 
Ato reuniu mais de três mil em Copacabana 
Mais de três mil pessoas se reuniram ontem na orla de Copacabana contra a morte de policiais. O movimento organizado por PMs reivindica, entre outros pontos, tornar crime hediondo os assassinatos contra os agentes. 
A passeata começou no Posto Seis e seguiu pela Avenida Nossa Senhora de Copacabana até a Rua Sá Ferreira. O movimento, junto com a ONG Rio de Paz, pretende apresentar as reivindicações para o governo do estado, ainda sem audiência marcada. 
Nas areias, foram fincadas cruzes com imagem dos PMs mortos. Os militares cantaram o Hino da Polícia Militar e algumas bandeiras do Brasil foram colocadas na janela dos apartamentos da orla. Os PMs reivindicam a blindagem dos contêineres das UPPs, o direito de levar a arma do trabalho para casa, uma escala de serviço menos apertada e agilidade na concessão de benefícios aos familiares. Pelas redes sociais, as manifestações em favor de PMs mortos vêm crescendo com a criação do movimento “#basta”, em repúdio aos assassinatos".

Juntos Somos Fortes!

ATUAL SITUAÇÃO DA PMERJ - HÉLIO ROSA



Prezados leitores, a seguir transcrevemos um texto, fiéis aos nossos parâmetros de dar espaço para todas as opiniões, sobre as alterações propostas pelo atual Comandante Geral da PMERJ sobre as diferenças existentes na legislação a respeito dos processos administrativos disciplinares envolvendo Oficiais e Praças da corporação.
A nossa opinião já foi firmada em artigo anterior.
Eis o texto: 

"Atual situação da PMERJ
Muito me preocupa o que se passa atualmente na PM, vou começar a discorrer comentando as observações feitas por mim numa viagem recente ao Chile.
Os Cabineiros Chilenos, são o equivalente as PM’s no Brasil, porém lá eles apresentam uma postura impecável, completamente distinta da que presenciamos aqui, bem uniformizados, sempre de cobertura, ao lado das viaturas ou das motos, nunca próximos a lojas comerciais ou qualquer outro estabelecimento. São respeitados pela população.
Para passar uma ideia de como funciona, estava num grupo fazendo turismo em um ônibus passamos por um ponto que todos queríamos fotografar solicitamos à guia uma pequena parada do veículo a fim de realizarmos nosso intento, ela respondeu imediatamente o motorista não pode fazer isso pois se o fizer os Carabineiros tomam a sua carteira e acrescentou eles não são policiais, são Carabineiros.
No ano passado já havia estado no Chile e por curiosidade quando conversava com as pessoas, perguntava como era o procedimento dos Carabineiros e todos com quem falei foram unanimes em afirmar que eles são muitos enérgicos e honestos.
Também no ano de 2013, tive a oportunidade de ir a Paris onde pude observar o patrulhamento da Champs Élysée, por soldados da Gendarmerie, também com um procedimento irrepreensível em duplas. Note-se que as duas instituições mencionadas são militares, fato que não é impeditivo da realização de um policiamento de alto nível muito pelo contrário, todavia desejo ser sucinto nesta abordagem porque existem outros fatos a tratar agora.
Uma postura totalmente fora de propósito, é essa que vem sendo adotada e propalada pelo comandante em exercício, quando fala em aproximar o modus de punição para os oficiais ao mesmo modus adotado para as praças, ora senhores isso não é uma benesse dada aos oficiais e sim um privilégio pela responsabilidade inerente a função exercida, senão os detentores de outras funções públicas também estariam sujeitos a um modus único de punições e não é o que vemos quando se tratam de juízes, promotores, secretários de estado, auditores fiscais o modus aplicado aos mesmos não é próximo e nem muito menos semelhante, ao dos demais funcionários que atuam nos respectivos órgãos, só para citar algumas funções públicas.
Não prego em momento algum o acobertamento das faltas praticadas, nem tão pouco sou favorável a corrupção, acredito piamente ser ela o câncer que se enraizou na instituição, precisa ser extirpado o mais rapidamente possível, todavia não nos esqueçamos, ter sido a mesma patrocinada e estimulada em vários momentos por políticos inescrupulosos os quais faz muito tempo andam no comando do nosso Estado e também são ajudados pela imprensa irresponsável, que domina as comunicações aqui.
Quem se encontra na cadeira do comando não deve jogar para a plateia, precisa cumprir o estatuto, as normas, regulamentos e fazer com que sejam cumpridos, se acha necessário mudar o estatuto, as normas ou regulamentos, isso deverá ser feito através dos meios legais para sua propositura e não em declarações a impressa.
As praças por sua vez caso estejam insatisfeitas, façam concurso para Academia D. João VI se lograrem êxito no concurso de admissão, ao concluírem o curso passaram a gozar dos mesmos privilégios dos oficiais.
A ideia de suprimir as prerrogativas e privilégios do cargo de oficial é uma ignomínia, trará um malefício devastador a instituição, com as garantias que nos são dadas já houve prisão arbitrária e ilegal de oficiais e praças em Bangu I ( não estou defendendo a atitude tomada naquela época ), o militar tem seu quartel por menagem para prisão.
Agora vem o MP com um TAC, inclusive se arvorando em fazer o controle externo das operações policiais militares, tudo isso acontece única e exclusivamente por falta de atitude dos oficiais do último posto que porventura se encontram em postos de comando da corporação.
Finalizando gostaria de deixar uma pergunta.
Quem faz o controle externo do MP?
Helio Rosa"

Juntos Somos Fortes!

domingo, 14 de dezembro de 2014

AMANHÃ - LANÇAMENTO DOS LIVROS DO CORONEL PAÚL

Prezados leitores, amanhã acontecerá na AME-RJ o lançamento dos livros do Coronel PM Paúl.
Compareçam e divulguem.




Juntos Somos Fortes!

HOJE - COPACABANA - ATO EM DEFESA DA VIDA DOS POLICIAIS



Prezados leitores, todos e todas estão convidados para ombrear conosco no ato de defesa da vida dos policiais que será realizado nesse domingo, a partir das 09:00 horas, na praia de Copacabana.
Na foto (feita no ato anterior) uma demonstração da indispensável união que deve existir nas nossas lutas.
No lado esquerdo o Major Bombeiro Militar  Marcio Garcia, vereador no Rio de Janeiro e no lado direito o Cabo Policial Militar Alonsimar, vereador em Campos.

Juntos Somos Fortes!

sábado, 13 de dezembro de 2014

AMANHÃ - COPACABANA - ATO EM DEFESA DA VIDA DOS POLICIAIS


Prezados leitores, amanhã todos e todas precisam apoiar a luta em defesa da vida dos policiais e contra a violência que tomou conta do Rio de Janeiro.

Local: Praia de Copacabana (Posto 6).
Horário: 09:00 horas.

Juntos Somos Fortes!

RIO - MORTE DE POLICIAIS - PEZÃO E BELTRAME, UMA DUPLA INERTE

Prezados leitores, a inércia do governador Pezão e do secretário de segurança Beltrame, diante da morte diária de policiais no Rio de Janeiro é uma postura de todo condenável.
É um claro desrespeito à população, aos policiais e aos seus familiares.


(Meia Hora)


Juntos Somos Fortes!

PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA FAZ CRÍTICAS À INVESTIGAÇÃO POLICIAL

Prezados leitores, o novo presidente do TJ-RJ fez críticas às investigações policiais, nós também temos feito algumas nesse espaço democrático, como no caso do cruel assassinato da juíza Patrícia Acioli.


(O Globo)


Juntos Somos Fortes!

JORNAL PAÚL NELES! - ASSISTAM AS EDIÇÕES DA SEMANA



Prezados leitores, a seguir publicamos os links do youtube dos "Jornais Paúl Neles!" publicados nessa semana:

- JORNAL PAÚL NELES - 08 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - UPPs, monumentos ao fracasso:

- JORNAL PAÚL NELES - 08 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - Dia 14 todos em Copacabana:

- JORNAL PAÚL NELES - 09 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - Por que Pezão não exonera Beltrame? 

- JORNAL PAÚL NELES - 09 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - Os livros que revelam os erros na gestão da segurança pública: 

- JORNAL PAÚL NELES - 10 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - Ato de protesto em defesa da vida dos policiais: 

- JORNAL PAÚL NELES - 10 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - Fatos interessantes nos casos Patrícia Acioli e Amarildo: 

- JORNAL PAÚL NELES - 12 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - Inacreditável! Beltrame ainda vai receber um prêmio, apesar do caos na segurança: 

- JORNAL PAÚL NELES - 12 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - O fracasso da Comissão Nacional da Verdade: 


Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

JORNAL PAÚL NELES! 12 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - O FRACASSO DA COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl comenta o fracasso da Comissão Nacional da Verdade.




Juntos Somos Fortes!

JORNAL PAÚL NELES! - 12 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - BELTRAME RECEBERÁ UM PRÊMIO

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl comenta um fato inacreditável.
Apesar do caos da segurança pública no Rio de Janeiro, onde ontem mais um Policial Militar foi assassinado, o secretário de segurança pública Beltrame receberá um PRÊMIO.



Juntos Somos Fortes!

ACADEMIA BRASILEIRA DE DEFESA COMENTA RELATÓRIO DA COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE



Prezados leitores, transcrevemos mensagem da Academia Brasileira de Defesa sobre o relatório da denominada Comissão Nacional da Verdade: 

"ACADEMIA BRASILEIRA DE DEFESA
Pro Patria

Alexandre Garcia supôs, em um de seus brilhantes textos, que a presidente fosse autista, por não ver, como não via o antecessor, o que ocorre a sua volta. Infelizmente, não é. Ela sabe muito bem o que quer e o que faz. Autistas somos nós. 

O Brasil vive uma situação esdrúxula. Parece que o uso de técnicas de desinformação – verdadeiras lavagens cerebrais desenvolvidas nos porões da Gestapo e da KGB, muito bem adaptadas aos porões não menos imundos do partido do governo – não impediu as pessoas de verem os fatos, mas lhes tirou a capacidade de interpretá-los corretamente. 
O homo medius brasileiro aceita, como justificativa para o assalto violento, o fato de que outros já tenham praticado pequenos furtos antes, e se considera culpado pela violência sofrida. 
Quando um governante demagogo diz que vai tirar dos ricos para dar aos pobres, até quem ganha 20 salários mínimos, um tanto mais, um tanto menos, por exemplo, considera-se um pobretão e se vê como candidato a receber as benesses e usufruir do suor alheio, sem perceber que, para o governo petista, ricos são os que ganham mais de 3 salários mínimos. Os verdadeiramente ricos nada sofrerão – por enquanto. Ele, que, ganha os tais 20 salários mínimos, é que sofrerá perdas sucessivas para ajudar o seu hipotético benfeitor a trocar bolsas por votos e se eternizar no poder. Quando descobrir o engodo, será tarde demais: já se terá transformado, ele mesmo, em um bolsista dependente. 
Da mesma forma, aceita que o governo achate as aposentadorias na vã esperança de que disso resulte transferência de renda em seu favor, mais uma vez, sem perceber que jamais verá um desses centavos, pois todos os cifrões serão desviados para enriquecer a nomenclatura avara e corrupta que assaltou o poder no País. 
É nesse quadro, que, toda vez que o governo se sente ameaçado pelos mecanismos constitucionais de defesa da Nação contra os crimes praticados por seus integrantes, surgem virulentas campanhas de desmoralização das Forças Armadas. 
Um caso antológico foi a tentativa de imputar aos militares o assassinato dos ex-presidentes João Goulart e Juscelino Kubitscheck, mortos, respectivamente, por enfarto do miocárdio e em acidente automobilístico. Ainda que todas as perícias contratadas, a peso de ouro, em ditaduras comunistas, não encontrassem nenhuma evidência dos crimes alegados, insistem, em propagar tal hipótese absurda, no caso de João Goulart. A fortuna em dinheiro público que se gastou com as referidas pericias teria sido muito mais bem empregada, se usada para apurar os assassinatos dos prefeitos de Santo André, Celso Daniel, e de Campinas, Toninho do PT. 
Outra evidência de autismo social é sujeitarem-se as Forças Amadas a permanência prolongada, praticamente definitiva, no exercício de atividades policiais. Esse emprego somente caberia, se de curta duração e para eliminar, rapidamente, as ações criminosas organizadas que ultrapassassem a capacidade de resposta das Polícias, mas sempre orientadas para o interesse público do Estado. 
O emprego das Forças Armadas em missões permanentes de “Garantia da Lei e da Ordem”, para dar sustentação a governos incompetentes e corruptos, é tão criminoso quanto criminosas são as ações dos bandidos que irão combater. 
Hoje, foi divulgado o relatório da comissão nacional da verdade – cnv (sic), mais um deliberado ato indigno, próprio da campanha sórdida contra as Forças Armadas. Como previsto, ele contém um festival de mentiras, insinuações e parcialidades. Mas não há surpresa nisso. Tal relatório, rebento monstruoso, de 2000 páginas, jamais seria equilibrado e imparcial, porquanto trabalho executado por perdedores rancorosos e inconformados por terem sido impedidos de instalar, no Brasil, um regime totalitário, pautado no hibridismo ideológico de esquerda, por seguirem distintas linhas das mais radicais, em cujos objetivos finais, no entanto, convergiam: a destruição do Estado democrático brasileiro. 
As recomendações propostas pelos comissários são um festival de más intenções pré-fabricadas, muitas defendidas pelos vândalos em suas manifestações de rua. Vejamos algumas. 
Para começar, insistem no chavão de que as Forças Armadas devem esquecer o bem que fizeram, e pedir perdão pelo mal que não fizeram. Não vimos, porém, os terroristas (esses, sim, devedores de muitos pedidos de perdão) pedirem perdão à Nação pelos inocentes que mataram ou mutilaram. 
Propõem, também, a proibição das comemorações da redentora Revolução Democrática de 31 de Março, mas continuarão a incensar seus companheiros bandidos e terroristas, nacionais e internacionais. 
Proibições desse tipo somente existem nas piores ditaduras! 
A comissão não pediu a revogação explícita da Lei da Anistia. Isso poderia ser perigoso para eles mesmos. Simplesmente, pedem que a lei somente se aplique a uma das partes envolvidas, excluindo-se os agentes do Estado que os combateram e derrotaram, ignorando todos os crimes que seus correligionários terroristas cometeram. 
Por outro lado, o relatório insistiu na opção preferencial pelos criminosos, ao pretender a desvinculação dos institutos médicos legais e dos órgãos de perícia criminal das secretarias de segurança pública e das polícias civis; a dignificação do sistema prisional e do tratamento dado ao preso; a extinção da Justiça Militar estadual; a exclusão de civis da jurisdição da Justiça Militar federal; a eliminação da figura do auto de resistência à prisão. Tudo pensado para assegurar a impunidade e “dar boa vida” aos criminosos, proclamados pelas ideologias de esquerda como vítimas das elites exploradoras. É inquestionável que o sistema prisional e o tratamento aos presos clamam por urgentes melhorias, mas, antes disso, é indispensável dignificar o atendimento do SUS aos não-criminosos e melhorar o tratamento dado ao cidadão comum, particularmente aos idosos, todos frequentadores de extensas filas para serem atendidos, quando o são. 
A explicação para essa opção irracional é-nos dada pelo Professor Edgard Leite Ferreira Neto, fruto de suas pesquisas em fontes do comunismo internacional: 
“A luta política marxista atua também no sentido de conspirar contra as leis e as estruturas existentes, tidas como instrumentos de preservação do poder. Haveria, assim, diferenças de qualidade entre o crime comum e a ação revolucionária, mas ambas ações estariam impregnadas da 3 mesma inclinação crítica ao poder. A convergência dos dois movimentos, em certas circunstâncias confirma tal perspectiva”. (In Revista Aeronáutica, Rio de Janeiro, p. 44 - 45, 01 mar. 2014). (http://pt.scribd.com/doc/214532426/Revista-Aeronautica-n-286-Edicao-Comemorativa). 
A cnv não cumpriu a Lei que a criou, nem na abrangência, nem no tempo, deixando de apurar os abusos contra os direitos humanos praticados pelos terroristas, no que eles chamam de “luta armada”, ou cometidos fora do período dos governos militares, como também não cumpriu o objetivo de “promover a reconciliação nacional”, uma vez que somente tem aumentado os ressentimentos, com sua parcialidade escandalosa. Igualmente não assegurou o “direito à verdade histórica” nem “à memória”, pois, ao contrário, só tem deturpado os fatos, encenando a maior fraude histórica deste País e registrando, a título de memória, vergonhosa obra de ficção mal-intencionada. 
Por outro lado, ultrapassou os limites de sua competência ao propor a punição dos agentes do Estado por ela acusados, arbitrariamente, como, também, ao propor mudanças no ensino militar, um dos melhores do Brasil, talvez o único voltado exclusivamente para os interesses nacionais e, até hoje, imune à contaminação ideológica sectária, apátrida e de inspiração e financiamento alienígenas. 
A maior das ignomínias, no entanto, foi praticada ao acusaram, irresponsável e criminosamente, da prática de crimes pessoas inocentes, de reputação ilibada, brasileiros abnegados, verdadeiros estadistas, a quem muito deve a Pátria. 
Por tudo isso, esse relatório inútil deveria ser considerado nulo de pleno direito. 
Finalmente, o maior de todos os autismos é o que acomete a maioria dos políticos que se dizem de oposição e dos jornalistas “politicamente corretos”, quando fazem coro com os governistas e insistem em falar de uma ditadura que não houve, há meio século, e fingem não ver a que já está instalada no Palácio do Planalto, e se agrava a cada dia. 
Embora procurem negá-lo, os Militares também são cidadãos, e em sua esmagadora maioria, excelentes cidadãos que, voluntariamente, abriram mão de alguns dos seus direitos mais básicos para mais bem defender a Pátria. Eles não querem o poder, como nunca quiseram. Somente agiram em momentos extremos, para salvar o que restava da destruição imposta por maus brasileiros. 
Foi para atender ao pedido de socorro da Nação que, em 1964, a sociedade viu-se obrigada, no exercício da mais sagrada legítima defesa, a impor ordem ao caos pela força das armas, justamente para impedir que esse grupo, hoje no poder, implantasse, no País, a ditadura que, parece, está em vias de se consolidar. 
A Marinha, o Exército e a Aeronáutica, legítimos braços armados da Nação, não se furtaram, então, de cumprir o seu dever: atenderam ao apelo e salvaram o Brasil de ser mais uma vítima do comunismo internacional.
Reclamam esses vis políticos e jornalistas da imposição arbitrária da vontade durante os governos ditos militares, mas, uma vez mais, fingem ignorar que isso continua a ser feito, muito mais intensamente, não obstante, sem o espírito público que sempre norteou os militares eleitos para o governo. 
A ordem, quando imposta manu militari, objetivava a defesa da Pátria, de sua soberania, de seus valores, de sua gente, e somente era praticada contra os terroristas, os guerrilheiros, os subversivos, os corruptos, os assaltantes e os traidores da farda. 
Hoje, são os corruptos, os subversivos, os guerrilheiros e os terroristas de ontem que impõem o arbítrio per manum pecuniae, e por outros meios, contra a Nação, em defesa de seus interesses antinacionais, particulares e ideológicos, para nos minar a soberania, solapar os valores, escravizar o povo e destruir a Pátria. 
Os políticos que criticam nossos Soldados não batalham pelo bem do Brasil. 
Querem, isso sim, acesso à chave do cofre e à caneta, para continuar a roubar despudoradamente e a nomear parentes e correligionários corruptos, em um nepotismo institucional sem fim. 
Os detratores de plantão que se opõem ao governo, mas batem impiedosa e injustamente nas Forças Armadas, e delas “fogem como o diabo da Cruz”, não percebem ser elas a última instância que poderá salvar o Brasil, quando tudo mais tiver falhado. Não é a primeira vez, nem será a última, que crucificam o salvador. 
A decadência social e política em que vivemos foi criada pelos políticos, cabe-lhes, portanto, colocar novamente o País nos trilhos. Adaptando-se o dito popular, pode-se dizer: “quem gerou Mateus que o embale”. Se não o fizerem, a sociedade o fará, apesar deles. 
Mas os Militares também fazem parte da sociedade e, se renunciaram a alguns direitos, não perderam a capacidade de pensar, de ter opiniões próprias, de acompanhar os fatos políticos com a isenção de agentes do Estado. Marinheiros, Soldados e Aviadores jamais permitirão que as Forças Armadas se transformem em guarda pretoriana de qualquer governo ou que o Brasil deixe de ser uma nação livre e soberana, em um Estado democrático de direito. 
Lembrem-se todos: as Forças Armadas são as instituições que gozam de maior credibilidade junto ao nobre povo brasileiro. É hora de esquecermos divergências do passado ou do presente e unirmos todas as nossas forças contra o perigo comum que nos ameaça. 
Os políticos ainda não aprenderam, mas o povo sabe. 
O povo sabe que pode confiar em Deus e em suas Forças Armadas. 
Rio de Janeiro, 10 de dezembro de 2014 
Luís Mauro Ferreira Gomes
Presidente 

Prof.ª Dr.ª Aileda de Mattos Oliveira; Alte.-Esq. Alfredo Karam; Cel. Aer. Antônio Celente Videira; Prof. Antoniolavo Brion; Jorn. Aristóteles Drummond; Gen.-Ex. Carlos Alberto Pinto Silva; Prof. Dr. Denis Lerrer Rosenfield; Dr. Emílio A. Souza Aguiar Nina Ribeiro; Gen.-Div. Francisco Batista Torres de Melo; Prof. Dr. Francisco Martins de Souza; Cel. Ex. Gelio Augusto Barbosa Fregapani; Dr. Gustavo Miguez de Mello; Dr. Herman Glanz; Maj.-Brig. Hugo de Oliveira Piva; Vice-Alte. Ibsen de Gusmão Câmara; Ten.-Brig. Ivan Moacyr da Frota; Prof. Dr. Ives Gandra da Silva Martins; Dep. Fed. Jair Messias Bolsonaro; Prof. Dr. João Ricardo Carneiro Moderno; Sen. José Bernardo Cabral; Dr. Luciano Saldanha Coelho; Cel.-Av. Luís Mauro Ferreira Gomes; Gen.-Ex. Luiz Cesário da Silveira Filho; Gen.-Ex. Luiz Gonzaga Schroeder Lessa; Econ. Marcos Coimbra; Emb. Marcos Henrique Camillo Côrtes; Prof.ª Dr.ª Maria Helena de Amorim Wesley; Prof.ª Dr.ª Mina Seinfeld de Caracushansky; Ten.-Brig. Octávio Júlio Moreira Lima; Vice-Alte. Othon Luiz Pereira da Silva; Dr. Paulo Antônio Uebel; Gen.-Ex. Paulo Cesar de Castro; Ten.-Brig. Reginaldo dos Santos; Gen.-Ex. Rubens Bayma Denys; Desemb. Semy Glanz; Ten. R/2 Sérgio Pinto Monteiro; Vice.-Alte. Sérgio Tasso Vasquez de Aquino e Maj.- Brig. Umberto de Campos Carvalho Netto.

Juntos Somos Fortes!

CLUBES MILITARES RESPONDEM À COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE

Prezados leitores, os clubes militares publicaram na página dos obituários do jornal O Globo a relação das 126 vítimas do terrorismo durante os governos militares:




Juntos Somos Fortes!

VEREADOR CESAR MAIA COMENTA RELATÓRIO DA COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE

Foto: O Globo

Prezados leitores, a seguir transcrevemos discurso do vereador Cesar Maia sobre o relatório da denominada Comissão da Verdade:

"DISCURSO DE CESAR MAIA, NA CÂMARA MUNICIPAL (10), SOBRE O RELATÓRIO DA COMISSÃO DA VERDADE! 
1. Hoje a Comissão da Verdade entregou o seu relatório. Todos nós esperávamos um relatório que mostrasse a memória do absurdo que aconteceu durante o regime autoritário, citando mortes, desaparecimentos, torturas, identificação dos responsáveis diretos por essas atrocidades, essas barbaridades. Infelizmente, Senhor Presidente, não foi isso que aconteceu. Infelizmente a Comissão da Verdade ficou fora do que se esperava dela. 
2. Uma lista ampla de nomes como se as responsabilidades por aqueles atos fossem as mesmas. Como o Presidente Castelo Branco pode ter responsabilidade direta ou indireta por mortes ou torturas? Eu falo com a autoridade de quem foi preso ficou ao todo quase dois anos na prisão. Portanto, antes e depois do AI-5. Fui condenado duas vezes, cumpri uma pena na prisão e fui exilado. Eu falo também com autoridade de quem participou diretamente do grande Ato de Conciliação Nacional, que foi a Assembleia Constituinte de 1987/1988. 
3. Eu lembraria que o Presidente Geisel, na época da repressão mais dura era o Presidente da Petrobrás, e quando assumiu a Presidência conduziu pelo governo, o processo de democratização. E ministros e nomes diversos, e claro, misturados com torturadores. Não é justo. 
4. Senhor Presidente, o pior de tudo é que o relatório da Comissão da Verdade propõe a revisão da Lei de Anistia. O que eles querem com isso? A lei de Anistia foi uma lei de pacificação nacional. Aqui no Brasil, nós não temos a situação como se tem, por exemplo, no Chile, de um forte grupo pinochetista, com referencia a um ditador. Desde a Emenda Constitucional nº 11, patrocinada pelo Ministro Petrônio Portela, que esse processo foi de desaceleração até a pacificação política. 
5. Os Ministros do Supremo Tribunal Federal têm posição firmada a respeito. Nesse domingo o Ministro Marco Aurélio Mello reafirmou que a Lei de Anistia não pode ser revista. Então, para que propor a revisão da Lei de Anistia? O que quer a Comissão da Verdade? O que quer esse relatório? Provocação? Para quem, por que, para que? Quer transformar conflitos em posições irreconciliáveis, confrontos? Quer que a gente volte aos anos 30, 40, 50, à guerra fria, onde as posições políticas se confrontavam e se tornavam irreconciliáveis?
6. Repito: o que quer esse relatório da Comissão da Verdade? Ele vai mais longe, ele pede a extinção das Polícias Militares. O que tem a Comissão da Verdade com as Polícias Militares? É uma discussão de Segurança Pública. Mas esse não é o escopo, o fito, o objetivo, o foco da Comissão da Verdade. Agora, esse relatório da Comissão da Verdade puxa setores democráticos, setores de centro em direção aos setores de mais a direita pelas provocações e excessos. 
7. Como vão reagir as pessoas, as famílias, quando lerem nomes de quem nem indiretamente têm a ver com o processo de tortura. Senhor Presidente, o relatório da Comissão da Verdade, em todos os países, vinha acompanhado de duas palavras: memória e reconciliação. Assim foi no Peru, Chile, na Argentina, na Guatemala, em El Salvador etc. Era sempre: memória e reconciliação. Quanto a esse relatório da Comissão da Verdade, ele busca o quê? Busca o estressamento das relações políticas no Brasil? Acabar com a Lei de Anistia? O que é isso? É estranho extinguir a Polícia Militar por uma proposta da Comissão da Verdade, que nada tem a ver com isso. 
8. Ora, Senhor Presidente, esse é um fato político que terá repercussões – não tenho dúvidas. Espero que as principais lideranças civis e militares, inclusive as que serviram nos governos militares, tenham a condição e a capacidade de acalmar as reações e de levar a que eventuais injustiças não de pretexto aos radicais. Que segurem aqueles que estão permanentemente buscando pretextos para tirar o Brasil do quadro atual de pacificação política de consenso em torno da democracia. Eu tenho absoluta certeza que essas extravagâncias, no relatório da Comissão de Verdade, não terão respaldo de nenhum partido político com representação parlamentar. De nenhum! Obrigado, Senhor Presidente". 

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

JORNAL PAÚL NELES! - ESCLARECIMENTO



Prezados leitores, em face do desenvolvimento de preparativos para o lançamento dos livros do Coronel PM Paúl, hoje não publicaremos as duas edições do "Jornal Paúl Neles!".

Juntos Somos Fortes!

15 DE DEZEMBRO - LANÇAMENTO DOS LIVROS DO CORONEL PM PAÚL

Prezados leitores, no próximo dia 15 (17:00 às 20:00 horas) o Coronel PM Paúl lançará dois livros na AME-RJ, situada na Rua Camerino, número 114, Centro, Rio de Janeiro, RJ.
O seu primeiro livro também estará disponível para aquisição.




Juntos Somos Fortes!

JÁ CHEGOU A HORA DE BELTRAME SAIR?

Prezados leitores, expressem as suas opiniões.
A nossa estamos expressando desde do ano de 2008: Beltrame deve ser exonerado.


(Jornal O Dia)

(Jornal O Globo)

Juntos Somos Fortes!

A COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE "VIAJOU NA MAIONESE"...



Prezados leitores, diante da notícia da proposta contida no relatório da denominada "Comissão Nacional da Verdade" no sentido de serem extintas as Polícias Militares, nos resolvemos avançar no assunto, inclusive para verificarmos se fazia parte das atribuições da comissão apresentar a proposta que está inserida no item 20 do relatório (Link):

"(...)
20 - Desmilitarização das polícias militares estaduais
"A atribuição de caráter militar às polícias militares estaduais, bem como sua vinculação às Forças Armadas, emanou de legislação da ditadura militar. Essa anomalia vem perdurando, fazendo com que não só não haja a unificação das forças de segurança estaduais, mas que parte delas ainda funcione a partir desses atributos militares (...)"

Analisando a lei que criou a comissão e o seu regimento interno entendemos que a comissão pode fazer recomendações:

Lei nº 12.528, de 18 de novembro de 2011 (Link).

Analisando os artigos 3º e 4º só conseguimos encontrar como "possível" justificativa para a proposta de extinção das Polícias Militares, o inciso VI do Art 3º: 

"Artigo 3º - São objetivos da Comissão Nacional da Verdade: 
(...)
VI - recomendar a adoção de medidas e políticas públicas para prevenir violação de direitos humanos, assegurar sua não repetição e promover a efetiva reconciliação nacional; e
(...)".

Do exposto, somos forçados a concluir que a comissão propôs o fim das Polícias Militares  para prevenir a violação de direitos humanos e assegurar sua não repetição.
Um absurdo!
É lamentável que uma comissão pluridisciplinar que demorou quase três anos para gerar um relatório, consumindo dinheiro público, possa considerar que extinguindo as Polícias Militares irá prevenir a violação de direitos humanos no Brasil.
Será que seus integrantes não sabem que diariamente os direitos humanos são violados em todo país, sem qualquer participação das instituições militares?
Inclusive os direitos humanos dos Policiais Militares?
Será que seus integrantes desconhecem as ações desenvolvidas no tempo dos governos militares pelas Polícias Civis e seus integrantes?
Por que não apresentaram como proposta o fim das Polícias Civis?
Não bastassem esses aspectos, a comissão "viaja na maionese", usando um linguajar jovem, ao escrever que "... essa anomalia vem perdurando, fazendo com que não só não haja a unificação das forças de segurança estaduais..."
Os integrantes da comissão demonstraram com esse trecho, isso de forma inequívoca, que desconhecem por completo as razões que impedem a unificação das Polícias Militar e Civil.
Isso sem falar que abordam um tema complexo, a unificação das polícias, sem apresentar o como fazer.
Respeitosamente, o item 20 do relatório nem deveria existir, ele depõe contra a própria comissão e afronta a inteligência mediana.

Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

JORNAL PAÚL NELES! - 10 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - FATOS "INTERESSANTES" NOS CASOS AMARILDO E PATRÍCIA ACIOLI

O Coronel PM Paúl comenta fatos digamos "interessantes" nas investigações e nos julgamentos dos casos do cruel assassinato da juíza Patrícia Acioli e do desaparecimento de Amarildo.


Juntos Somos Fortes!

GOVERNADOR PEZÃO JÁ ENCONTROU SOLUÇÃO PARA CRISE NA SEGURANÇA PÚBLICA

Prezados leitores, a crise na segurança pública do Rio de Janeiro se agrava a cada momento.
Apesar disso, a população fluminense pode ficar tranquila pois o governador Pezão já nunciou a solução: trocará o Comandante Geral da Polícia Militar.
O governo Cabral-Pezão alcançará o sétimo Comandante Geral em oito anos.

(Jornal Destak)

(Jornal O Dia)

(Jornal O Dia)

Juntos Somos Fortes!


JORNAL PAÚL NELES! - 10 DEZ 2014 - 1 a EDIÇÃO - MORTE DE PMs: POPULAÇÃO E POLICIAIS PROTESTAM, GOVERNO SE CALA

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl comenta o ato realizado ontem pela ONG Rio de Paz e convida a todos e a todas para o ato em defesa da vida dos policiais que será realizado no domingo, dia 14 de dezembro de 2014, a partir das 09:00 horas.



Juntos Somos Fortes!

ASSASSINATO DE PMs - POPULAÇÃO E POLICIAIS REAGEM COM ATOS DE PROTESTOS

Prezados leitores, o martírio dos Policiais Militares começou a provocar a reação da população e dos Policiais Militares nas ruas do Rio de Janeiro.
Ontem, a ONG Rio de Paz fez um protesto na praia de Copacabana e no domingo novo ato será realizado em Copacabana.
O Jornal do Brasil publicou matérias sobre os fatos em reportagens da jornalista Cláudia Freitas:


1) Jornal do Brasil 
09/12 às 18h29 
Rio tem semana marcada por manifestações contra violência
Cláudia Freitas 
Depois da manifestação organizada pela ONG Rio de Paz que reuniu centenas de pessoas na manhã desta terça-feira (9/12) na praia de Copacabana, Zona Sul do Rio de Janeiro, contra as mortes violentas de policiais militares registradas nas últimas semanas, outro protesto ganha força nas redes sociais em torno da mesma questão. Agendado para o próximo domingo (14), também na orla de Copacabana, o ato com concentração no Posto 6 teve inspiração no movimento #basta, criado pela PM Flávia Louzada e pela jornalista Roberta Trindade, que usou o seu blog e perfil no facebook para postar mensagens e fotos enviadas por internautas aderindo a campanha. A caminhada vai contar com a presença de familiares e amigos dos policiais assassinados ou que sofreram algum tipo de violência nos últimos meses. 
Segundo Roberta Trindade, até a tarde desta terça (9) mais de mil pessoas confirmaram presença no protesto através do facebook do movimento. De acordo com a policial Flávia Louzada, o movimento tem ainda a finalidade de apoiar a proposta de transformar em crime hediondo o assassinato de servidores da segurança pública, com o endurecimento das penas. Roberta Trindade tem recebido milhares de fotos a favor da campanha. Ela que acompanha as estatísticas de mortes de policiais desde 2009, se surpreendeu com os números registrados no decorrer deste ano, que apontam para seis PMs baleados por semana. 
A jornalista foi uma das participantes do ato solene organizado pela ONG Rio de Paz, que tomou as areias de Copacabana na manhã desta terça-feira (9). Os voluntários da ONG armaram na praia 152 cruzes pretas com os nomes de policiais militares assassinados no Rio nos dois últimos anos. Além de uma cruz de três metros de altura, formada com os uniformes da Polícia Militar manchados de tinta vermelha e um Um cartaz posto na frente da instalação exibindo a mensagem: "Em memória dos policiais militares que tombaram pela população do Estado do Rio de Janeiro (Leia mais)". 


2) Jornal do Brasil 
09/12 às 18h27 - Atualizada em 09/12 às 18h58 
Após mortes, PMs que querem armas nas folgas ganham apoio parlamentar 
Cláudia Freitas
Na véspera do policial militar Geraldo Luiz da Silva ser assassinado por criminosos enquanto aproveitava a sua folga para visitar familiares, no último sábado (6/12), em uma comunidade na Zona Oeste da cidade, uma carta aberta dirigida ao comandante-geral da PM, Coronel Íbis Silva Pereira, era divulgada nas redes sociais, em um blog criado por um grupo de PMs anônimos identificado como sospoliciais.com, alertando sobre os riscos que a classe corre fora dos dias de serviço, quando não estão portando nenhum tipo de armamento. O deputado estadual Geraldo Pudim (PR/RJ), também apresentou na semana passada uma proposta para alterar o Estatuto da PM, com a finalidade de igualar os direitos entre policiais civis e militares com relação a porte de arma fora do horário de trabalho.
O Projeto de Lei (PL) 3269/2014 apresentado pelo deputado Pudim na sessão da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) da última quinta-feira (4) prevê que o governo deve fornecer armas de fogo para os PMs portarem mesmo fora do seu plantão. O deputado solicita a inclusão de um inciso no artigo 48 do Estatuto da Polícia Militar, que se for aprovado obrigará o governo estadual a fornecer o armamento que ficará sob responsabilidade dos policiais durante o horário de folga, como já ocorre com os policiais civis. Atualmente, as armas dos PMs ficam acauteladas no batalhão quando eles finalizam as suas atividades diárias. “Nada mais justo que ele possa ter uma arma fornecida pelo Estado proteção sua, de sua família e da sociedade. Não é preciso explicar como são óbvios os riscos inerentes a esta profissão. O policial civil já tem esse direito. Por que não estender o mesmo benefício aos policiais militares?”, justifica o parlamentar (Leia mais)".

Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

JORNAL PAÚL NELES! - 09 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - OS LIVROS QUE REVELAM OS ERROS DA SEGURANÇA PÚBLICA

Prezados leitores, os livros do Coronel Paúl não revelam apenas a luta dos Bombeiros e Policiais Militares por melhores condições de trabalho e por salários dignos, revelam as represálias do governo Cabral-Pezão contra eles e os erros na gestão da segurança pública.



Juntos Somos Fortes!

15 DEZ 2014 - LANÇAMENTO DOS LIVROS DO CORONEL PAÚL

Prezados leitores, a seguir publicamos os dados sobre o lançamento dos livros do Coronel PM Paúl.


Juntos Somos Fortes!

JORNAL PAÚL NELES! - 09 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - PEZÃO DEVE EXPLICAR PORQUE NÃO EXONEROU BELTRAME

Prezados leitores, o Coronel Paúl comenta que o governador Pezão deve publicamente explicar à população fluminense os motivos que impedem que ele exonere o secretário de segurança pública Beltrame.



Juntos Somos Fortes!

GOVERNADOR PEZÃO, POR QUE O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA AINDA NÃO FOI EXONERADO?



Prezados leitores, o governador Pezão deve esse esclarecimento à população do Rio de Janeiro diante do caos completo que se transformou a gestão da segurança pública no Rio de Janeiro. 

"JORNAL O DIA 
08/12/2014 22:26:11 - Atualizada às 08/12/2014 23:10:19
Mais três PMs são baleados na Favela Nova Brasília
Um dos feridos foi atingido no peito e está em estado grave 
FLAVIO ARAÚJO
Rio - Mais três policiais militares da UPP local foram baleados na noite desta segunda-feira na favela Nova Brasília, Complexo do Alemão, em confronto com traficantes de drogas na localidade Largo da Vivi. Segundo as primeiras informações, o soldado identificado como Ximenes foi atingido no peito e está em estado grave no Hospital Getulio Vargas, na Penha, para onde também foram socorridos os outros dois PMs. 
O soldado Max Silva foi baleado após um tiro de fuzil 7.62 acertar uma parede e ricochetear. Ele levou pontos na testa e está fora de perigo. Já o soldado Baltar, atingido na perna e no rosto, também está no centro cirúrgico, mas em estado estável. 
Mais cedo, por volta das 18h, um sargento, identificado como Hércules, foi ferido por estilhaços na perna e, socorrido para a mesma unidade, foi liberado em seguida. A situação é tensa no Complexo do Alemão e equipes de outras UPPs reforçam o patrulhamento em busca dos criminosos (Fonte)".

Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

JORNAL PAÚL NELES! - 08 DEZ 2014 - 2a EDIÇÃO - DIA 14, TODOS EM COPACABANA

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl faz uma convocação para o ato em defesa da vida dos policiais no Rio de Janeiro, o qual será realizado na Praia de Copacabana (Posto 6), a partir das 09:00 horas, do dia 14 de dezembro de 2014 (domingo).



Juntos Somos Fortes!

JORNAL DA SEGURANÇA PÚBLICA - 08 DEZ 2014 - 1a EDIÇÃO - UPPs, MONUMENTOS AO FRACASSO

Prezados leitores, o Coronel PM Paúl comenta reportagem da Revista Veja sobre o assassinato do Cabro Mikami do Exército Brasileiro, ocorrido no Complexo da Maré, publicada nesse espaço democrático e faz correlações com o conteúdo do livro "UPP, uma farsa eleitoral", que será lançado no próximo dia 15 de dezembro de 2014, a partir das 17:00 horas, na AME-RJ.



Juntos Somos Fortes!

MICHEL TEMER, O VICE-PRESIDENTE, JÁ ESTÁ SENDO INVESTIGADO PELO STF

Prezados leitores, o vice-presidente também está sendo investigado.
Será que a presidente Dilma também já faz parte da lista?

"REVISTA VEJA
Política Suspeito de corrupção, Temer é investigado pelo Supremo 
Vice-presidente teria participado de esquema de corrupção em porto de Santos 

O vice-presidente Michel Temer, citado em inquérito do STF sob
 suspeita de corrupção ativa e passiva. (Elvio Romero - Agência Estado/VEJA) 
]
O vice-presidente da República Michel Temer é alvo de uma investigação do Supremo Tribunal Federal sobre corrupção e cobrança de propina no porto de Santos, informa reportagem do jornal Folha de S.Paulo na edição desta terça-feira. 
De acordo com o jornal, o STF investiga uma rede de corrupção ativa e passiva que atua viciando contratos administrados pela Codesp (Companhia de Docas do Estado de São Paulo). Presidido por Marcelo de Azeredo entre os anos de 1995 e 1998, o órgão público era influenciado policitamente pelo PMDB, partido de Temer. 
À época deputado federal, Temer é investigado pelo STF sob a suspeita, entre outras, de ter recebido 614 mil reais para facilitar o contrato de exploração da empresa Libra no porto. Érika Santos, ex-mulher de Azeredo, apresentou documentos e planilhas em processo de separação de união estável em 2000. Um deles aponta o recebimento de dinheiro por "MT". A Polícia Federal e a Procuradoria da República acreditam tratar-se de Temer (Fonte)". 

Juntos Somos Fortes!

A RESPONSABILIDADE DO COMANDO - CORONEL EB WESLEI MARETTI



Prezados leitores, transcrevemos artigo do Coronel EB Weslei Maretti sobre a morte do Cabo EB Mikami, assassinado em serviço no Complexo da Maré. 

A RESPONSABILIDADE DO COMANDO 
Cel Weslei Maretti
Os exércitos usam divisas e insígnias para identificar hierarquicamente os militares. As divisas são utilizadas pelos praças e usadas no braço porque o braço é o símbolo da força, da ação; são os praças que constituem a força viva de qualquer exército e são a massa que impõe a vitória sobre o inimigo. Os oficiais usam as insígnias sobre os ombros porque os ombros simbolizam a responsabilidade. O maior atributo de um oficial é ser responsável em razão do exercício do comando. É impossível ser um bom comandante se o oficial não for responsável por suas atitudes e não se sentir responsável pelo destino de seus comandados. Assim, sobre os ombros de um oficial pesa a responsabilidade de bem conduzir seus comandados. 
A morte em ação de um militar não pode ser um fato espantoso ou que cause grande comoção. Apesar da dor da perda de um companheiro de armas, ao ingressar no Exército o militar presta um compromisso de dedicar-se inteiramente ao serviço da pátria cuja honra, integridade e instituições deve defender com o sacrifício da própria vida. Assim, a morte é, em última instância, inerente à atividade militar. 
No dia 26 de novembro, o Cabo do Exército Michel Augusto Mikami, de 21 anos, foi morto em um confronto com marginais na favela da Maré. A sua morte pode ter sido causada pelo emprego inadequado e irresponsável das tropas do Exército em favelas do Rio de Janeiro. Essa prática de ocupação de favelas de forma continuada iniciou no governo do governador Sergio Cabral e por determinação do Presidente Lula. O governador não teve vergonha de reconhecer que seu governo era incapaz de controlar a criminalidade por não ter recursos humanos e materiais para cumprir uma obrigação de seu governo. É bom lembrar que essa mesma autoridade frequentou as manchetes por ter sido acusado de ligações espúrias com empresários que assaltavam o Estado com licitações fraudulentas. Assim, os recursos públicos, aparentemente, estavam sendo empregados de forma pouco republicana, e o governador não se sentiu envergonhado de demonstrar a sua incompetência e passar a responsabilidade da manutenção da ordem pública em favelas conturbadas às forças federais. 
Esse acordo entre políticos que buscavam atingir interesses pessoais e partidários é até compreensível em um país como o Brasil em que o interesse público, normalmente, não é o que prevalece. O mais grave é que os comandantes da Força Terrestre deixaram de realizar o emprego da tropa como uma força de combate e a transvestiu em forças policiais. Começou com a denominação idiota de Força de Pacificação. Força de Pacificação é como as tropas da ONU são denominadas porque atuam em países em conflito onde não têm soberania. Caso haja o insucesso nessa missão, como na maioria das vezes acontece, a Força de Pacificação se retira. Não é o caso do Rio de Janeiro onde o que se busca é o restabelecimento da soberania porque o Estado perdeu a capacidade de exercer o controle de determinadas áreas. 
As Forças Armadas são empregadas como o último recurso do Estado — se falharem resta somente a contratação dos Blackwater, forças mercenárias norte-americanas. Como última medida de força, seu emprego deve ser feito em um período pequeno buscando, como em qualquer operação militar, a utilização dos princípios de guerra. Dentre esses princípios podem-se destacar como imprescindíveis para o sucesso de uma operação dessa natureza o emprego da surpresa, da segurança, da massa, da manobra e da unidade de comando. Parece que nada disso foi feito. O que se viu noticiado na imprensa foi um patrulhamento por frações sem que haja uma ação de massa contra os marginais. Não se observa o comando unificado sobre as forças policiais estaduais, o emprego dos meios governamentais de implementação de ações públicas ligadas ao ensino, saúde, limpeza urbana e obras de urbanização bem como um trabalho próximo das instancias judiciais e da promotoria pública. O que faltou foi que os chefes militares dissessem a quem deu a ordem para o emprego da Força Terrestre que a mesma seria empregada como uma força militar e isso tem um custo. O constrangimento à população, o risco de confrontos armados decorrentes da pressão sobre bandidos seria inevitável. A área onde se dá o emprego militar deve ser saturada para possibilitar a prisão de marginais ou a sua eliminação física quando confrontarem a força de ocupação. A denominação mais apropriada não é de Força de Pacificação e sim Força de Ocupação. Com certeza, frente a uma Força de Ocupação o governo do Estado do Rio de Janeiro procuraria os meios para acelerar a sua saída do seu território. 
Parece que o sangue do Cabo Mikami deve ser depositado sobre os ombros de quem empregou o Exército de forma tão leviana que possibilitou que um grupo de marginais não temessem o confronto com o Exército. A morte do Cabo Mikami NÃO FOI UMA FATALIDADE : foi resultado do mau emprego da força militar. Muitas vezes procura-se responsabilizar os generais pela atuação pouco combatente e altiva do Exército, mas todos os que estão na cadeia de comando tem a sua parcela de culpa por não ter protestado, criticado e dito ao rei que o mesmo estava nu. 
Voltamos à responsabilidade. Dentre todos aqueles para quem um oficial deve prestar contas de seus atos é aos subordinados que essa responsabilidade é maior. A vida dos mesmos depende de sua capacidade de decidir e empregar os seus homens. Parece que muitos falharam e a consequência foi uma esposa viúva que se transformou em chefe de família, um filho que vai crescer sem a proteção e a condução de um pai e pais e irmãos que sentirão sempre a dor da perda de um ente querido. 
Cães de guarda não são bem quistos porque podem trazer problemas para os seus donos quando mordem, mas impõem respeito a quem se aproxima dos mesmos. Cachorros de madame são bonitinhos, graciosos, são sempre apresentados como animais interessantes mas não trazem proteção aos seus donos. É preciso optar em ser um cão de guarda ou um cachorrinho de madame. 

Os grifos são nossos.
Assinamos com o Coronel EB Weslei Maretti, a quem parabenizamos.

Juntos Somos Fortes!