Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

OLHEM QUEM VOLTOU AO NOTICIÁRIO: A "TURMA DOS GUARDANAPOS"

Prezados leitores, a "Turma dos Guardanapos" a todo vapor.




"SPORTLIGHT
Em plena crise, integrante da “Turma do Guardanapo” de Cabral abriu 4 bares em 5 meses nos pontos mais caros do Rio
POR LÚCIO DE CASTRO · PUBLICADO 31/01/2017
A expansão atípica de um bar cujos registros apontam para a abertura de quatro filiais nos pontos mais caros do Rio de Janeiro em apenas cinco meses no segundo semestre de 2016 em meio a grave crise econômica, tem um ponto a se destacar: a proximidade dos sócios com Sérgio Cabral Filho e Eduardo Paes. O estabelecimento de vertiginoso e incomparável crescimento tem um sócio que é membro da “Turma do Guardanapo” e da “República de Mangaratiba”, confrarias formadas pelos mais íntimos parceiros de Sérgio Cabral Filho. Por trás das tulipas de chope, estão nomes e relações muito próximas ao maior escândalo de corrupção da história do Rio de Janeiro, e parceiros em volumosas relações comerciais com o estado, assim como com a prefeitura do Rio de Janeiro durante a gestão de Eduardo Paes. Ao mesmo tempo em que a Operação Lava Jato se acirra e atinge aos dois ex-governantes. 
São sócios do fenômeno comercial “Riba”: Marco Antônio de Luca, que aparece nas fotos da “Turma do Guardanapo” em Paris e José Mantuano de Luca Filho, cujas empresas, a Masan Alimentos e Serviços e a Comercial Milano respectivamente, fornecedoras do governo estadual e da prefeitura, estiveram envolvidas em escândalos recentes. As relações de poder do estabelecimento vão além da esfera de Cabral e chegam a Eduardo Paes, já que a também sócia Cristianne de Luca teve vínculos societários com Guilherme Paes, irmão do ex-prefeito. Somando-se o ganho das duas empresas dos sócios do Riba na prefeitura entre 2008 e 2016, anos de Eduardo Paes no comando, chega-se a quantia de R$ 728.867.747,32 (setecentos e vinte oito milhões, oitocentos e sessenta e sete mil, setecentos e quarenta sete reais e trinta e dois centavos), como pode ser constatado no “Rio Transparente” (Leiam mais)" 

Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

  1. Caro companheiro Coronel PMERJ Paul,
    Esse triste espetáculo de ópera bufa,pensado, planejado, perpetrado e protagonizado pelo mega criminoso sergio cabral, luxuosamente assessorado pelos seus asseclas, aconteceu nas barbas do ministério público estadual, alerj e tribunal de contas, além de passar ao largo pelo nariz do secretário de segurança, sem que ninguém adotasse providências que o criminoso fato requeria.
    Foi preciso que cabral caísse nas garras dos juízes, procuradores e delegados e investigadores da operação lava jato, quase cinco anos depois, para que a ponta do iceberg começasse a aparecer.
    saudações
    PAULO FONTES

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.