Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

POLÍCIA MILITAR: O EFEITO DA CRISE SERÁ O ENDURECIMENTO DO MILITARISMO



Prezados leitores, ontem, publicamos um artigo no sentido de que a crise nas Polícias Militares de alguns estados teria trazido de volta a discussão da unificação das polícias estaduais (Link para o artigo), embora a nossa opinião sempre foi no sentido de que a desmilitarização das Polícias Militares e a unificação não ocorreu tão cedo, apesar das discussões, isso se forem efetivadas algum dia.
É nosso hábito apresentar diferentes versões sobre o mesmo tema para que os leitores possam formar a própria opinião.
No caso das mobilizações que estão em curso nas Polícias Militares do Espírito Santo e do Rio de Janeiro e da provável mobilização na Polícia Militar de Minas Gerais no início de março, elas não deverão empurrar para a desmilitarização e/ou a unificação, ao contrário devem acarretar um endurecimento no militarismo, forma de organização das instituições.
Os regulamentos deverão ficar mais rigorosos e deverão ocorrer alterações que facilitem sobretudo a punição administrativa demissionária.
Vamos aguardar.

Juntos Somos Fortes!

7 comentários:

  1. Que militarismo? Esse onde quem posa de defensor dos regulamentos recebe envelopes dos bicheiros, mas prende soldado por falta de chapéu na cabeça?

    ResponderExcluir
  2. A cupula tem olho de monica. O dia q a pf investigar vai ter muito cel preso por negociar com trafico.
    Antes da manifestacao morria um pm por dia. É de se estranhar q durante a manifestacao nao houve casos novos. Sera q foi feito um acordo com o trafico? Quem sabe um dia a pf descobre. Esse militarismo tem q acabar mesmo. Chega a ser nojento.
    Cadê os larapios do hpm?

    ResponderExcluir
  3. O regulamento é usado como chicote que só açoita praças. A corrupção é generalizada, uma metástase, sobretudo entre os oficiais. A PMERJ foi sucateada em todos os aspectos, partindo de materiais que vão do armamento, passando pela formação e treinamento regular dos praças e oficiais e chegando até as viaturas, que só circulam ainda porque os soldados, cabos, sargentos e sub tenentes dão um jeitinho brasileiro. Tá difícil... tá muito difícil.

    ResponderExcluir
  4. É Paul, talvez não seja bem o que você induz que pensemos..."Trate seus soldados como filhos e eles te seguirão há qualquer lugar, trate-os como filhos queridos e eles darão a vida por você. ( A arte da guera, GENERAL Sun Tzu )

    ResponderExcluir
  5. Infelismente não concordo com o titulo da matéria! O resultado será ainda mais desmotivação e coação em quem está motivado!

    ResponderExcluir
  6. Pelos menos para os praças sempre foi assim, por isto não vai mudar nada, mas já que os regulamentos vão ficar mais regorosos, os oficiais que se cuidem, porque o tal de corporativismo vai acabar, e patente não vai mais proteger e nem conferir privilégio, a quem quer que seja, que cometer desvio de conduta ou crime à luz da justiça militar. A severidade e a celeridade, agora será a mesma para todos, de soldado a coronel, de agora em diante, todos serão iguais perante a lei.

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.