Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

RIO - A INTERVENÇÃO FEDERAL E O CONTROLE DA VIOLÊNCIA



Tenho o hábito de preservar as Instituições.
Mantendo essa rotina considero que seja dever de todos que trabalham ou trabalharam na área da segurança pública deixar claro para os habitantes do Rio de Janeiro que a missão dada ao Exército Brasileiro, à Polícia Federal, à Polícia Rodoviária Federal, à Polícia Militar e à Polícia Civil é extremamente difícil.
Na última década, o domínio da criminalidade que existia anteriormente, foi geometricamente ampliado.
O Rio de Janeiro está sob o julgo de facções criminosas (tráfico de drogas e armas + milícias) e de um sem número de quadrilhas que praticam os mais variados crimes.
A violência se generalizou.
Reverter o quadro atual de descontrole da criminalidade violenta é um desafio quase que insuperável, não podemos ignorar essa verdade.
Diante desse quadro, temos que alertar a todos antes que as cobranças atinjam injustamente as Instituições e os mandatários das Instituições que o fracasso é uma possibilidade que não pode ser desprezada.
Torço pela consecução de todos os objetivos, mas não posso me calar diante da realidade.
É hora de acertar, os governos já erraram muito na área da segurança pública.

Um comentário:

  1. É preciso começar certo para acertar. Como esperar acertar, no caso da retomada do cintrole da Segurança Pública , no Rio,(e no Brasil) , sem começar pela exigência das mudanças nas Leis atuais (e suas emendas) e na impunidade, maioridade penal, revisão da Constituição, combate à "Cultura do crime" ( e sua apologia) etc, que tais Leis , etc, só favorecem o Crime, criminosos e a vida marginal?! Em que momento o Estado vai ver que o Crime no Brasil virou uma "Cultura"?! e que o trabalho militar e de inteligência deve ser feito paralelo a um trabalho midiático de Contra-Cultura do Crime?! No entanto o Governo favorece a "Cultura do crime" , abriu as fronteiras, desarmou a população de bem, abandonou as periferias e só as usou como "curral eleitoral"?! Como esperar sinceridade alguma que o Estado quer a Segurança da População?! Vale apena a fidelidade de instituições gloriosas de defesa da população , à farsa do Estado creptocrático atual?!

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.