BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

ATENÇÃO, FAMILIARES DE POLICIAIS MILITARES QUE ESTÃO PROTESTANDO - CUIDADO !



Prezados leitores, nós acabamos de ouvir um áudio  que circula pelo Whats App, o qual nos trouxe grande preocupação, em razão da grave exposição dos mobilizados aos rigores da lei.
Nele  uma voz masculino (autor não se identifica, ele não é bobo) passa orientações para serem seguidas pelos familiares a partir de amanhã, alegando que ocorrerá uma nova estratégia governamental para desobstruir os acessos aos batalhões.
Nós temos publicado no nosso espaço democrático, atendendo à finalidade jornalística do blog, um órgão da imprensa digital, notícias, vídeos e imagens sobre o protesto e sobre as suas consequências, como tem sido feito por toda imprensa e poderíamos continuar nessa linha, nada nos impede. Porém, apesar do nosso cunho jornalístico, nos sentimos no dever de alertar aos familiares dos policiais militares sobre alguns aspectos de extrema importância, após ouvirmos as ORIENTAÇÕES.
Como não conhecemos os organizadores, em razão de nunca termos comparecido a qualquer reunião que tratasse da manifestação, temos que nos dirigir a todos, solicitando que cada um faça uma REFLEXÃO sobre os seguintes temas:
1) O militar não tem o DIREITO DE GREVE, isso é fato INDISCUTÍVEL.
2) Portanto, os Policiais Militares DEVEM cumprir suas escalas de serviço.
3) É OBRIGAÇÃO dos Comandantes de Batalhão colocar o policiamento nas ruas.
4) NINGUÉM pode impedir a entrada ou a saída de Policiais Militares à pé ou em viaturas para o cumprimento de suas missões.
5) NINGUÉM pode evitar que viaturas policiais militares circulem pelas vias públicas na execução do policiamento ostensivo.
6) NINGUÉM pode danificar o patrimônio público (quartéis, viaturas, etc).
Em apertada síntese, esses são alguns aspectos que se analisados levará aos mobilizados a concluírem que NÃO EXISTE LEGALIDADE NA AÇÃO DE OBSTRUIR ACESSOS AOS QUARTÉIS, bem como, NÃO EXISTE LEGALIDADE EM IMPEDIR A CIRCULAÇÃO DAS VIATURAS DA PMERJ.
Diante dessas constatações, solicitamos que os mobilizados façam as devidas REFLEXÕES e passem a AGIR DENTRO DA LEI, sob pena de serem RESPONSABILIZADOS POR SEUS ATOS.
Como comentamos em artigos anteriores, nada impede a coexistência das manifestações próximas aos quartéis, desde que ordeiras e pacíficas, com o a realização do policiamento que é dever constitucional da Polícia Militar.
Protestem, porém não atrapalhem o funcionamento da instituição, QUEM O FIZER (continuar fazendo) SERÁ RESPONSABILIZADO, não tenham dúvida.
É ÓBVIO que também NÃO EXISTE LEGALIDADE NA TRUCULÊNCIA EMPREGADA POR ALGUNS POLICIAIS MILITARES para desobstruir os quartéis ou para fazer com que as viaturas possam circular.
Não esqueçam que QUEM FILMA TAMBÉM É FILMADO.
Como publicamos no Whats App o protesto na fase atual virou uma "luta" familiar de PM contra PM, o que não trará nenhuma vantagem para os Policiais Militares ativos ou inativos, para as pensionistas ou para os familiares.
Ao contrário, todos sairão perdendo, alguém dúvida?
Nós tememos que os mobilizados estejam sendo usados como massa de manobra para desestabilizar a Polícia Militar e o governo, por pessoas que possuem interesses diversos dos nossos e que pouco ou nada se importam conosco. 
Provavelmente, uma gente que NUNCA FOI AO ENTERRO DE UM DOS NOSSOS HERÓIS.
Nossos objetivos são a conquista dos nossos direitos que estão sendo violentados pelo governo Pezão.
Queremos a volta do calendário de pagamento às datas normais, o pagamento do 13o salário e dos demais valores que se encontram em atraso.
Não faz parte dos nossos objetivos NÃO É ATRAPALHAR A POLÍCIA MILITAR, nunca poderá fazer.
Por favor, REFLITAM sobre o contido nesse artigo.
É a nossa contribuição para evitar o PIOR.

Juntos Somos Fortes!


17 comentários:

  1. Finalmente alguém acende uma lanterna nas trevas...

    ResponderExcluir
  2. Meu estimado amigo e companheiro de lutas e manifestações, diga o que essas GUERREIRAS E HEROÍNAS que já entraram para os anais da história da PMERJ devem fazer então para que este desgoverno nos pague na data acordada os nossos salários, o nosso décimo terceiro salário, o RAS, o PROEIS, e os cumprimentos de metas ???
    Abraços e aguardo as suas instruções, porque este Governo só promete e não cumpre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo Valdelei, eu sugeri no blog, protestem perto dos quartéis, sem impedir o policiamento. Se continuarem serão prejudicadas na forma da lei. Um abraço.

      Excluir
  3. Coronel elas não estão impedindo as VTRs de sair, estão impedindo os seus maridos de arriscarem a vida sem receber os salários. As VTRs podem fazer o PTR... Desde que o façam de maneira autônoma, sem policiais no seu interior. Outro fato dissonante é o termo "greve"! Greve é uma coisa! Cobrar os salários é outra. Pra finalizar, não há o que se falar em restrições constitucionais quando o próprio estado não as cumpre. Com todo o respeito: não quer ajudar? Não ajude! Mas também, não atrapalhe as meninas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Almir Lopes, nem vou comentar a questão de ajudar ou não, depois de 10 anos de luta pela PM e pelos PMs. O que elas estão fazendo é ilegal, se continuarem serão responsabilizadas. Quem está incitando essas guerreiras, está as prejudicando seriamente, não posso me calar diante disso. Elas merecem o meu respeito.

      Excluir
    2. Coronel, pelo pouco que conheço dá tropa dá PMERJ, elas não estão sendo incitadas não. Tanto é que o movimento delas, caminha em separado de todos os outro movimentos reivindicatórios não aceitando nenhuma forma de interferência ou apadrinhamento. Seja de quem for(declaração de uma das participantes a um tele-jornal de grande audiência)!

      Excluir
    3. Falou tudo coronel. Fui tentar alertar e fui chamada de "infiltrada" e tudo quanto é nome! Tem muitos usando essas mulheres como massa de manobra, ficam jogando a pólvora e inflamando enquanto assistem a tudo de camarote de dentro de suas casas e no ar condicionado. Usar a família dos outros como massa de manobra é muito covarde, assim como incitar agressões e cometimento de crimes e ainda aplaudir quem o faz, como acompanhei em vários grupos (com áudios/vídeos/fotos). Eu conheço o senhor e sua luta. Sou uma das mulheres que vai às manifestações na Alerj. Manifestações garantidas e legitimadas por nossa constituição são pacíficas e respeitam a legislação vigente. Agressões, depredações e demais atos agressivos, não nos representam e digo isso de ambos os lados, independente de ser policiais ou manifestantes que perderam o bom senso e a civilidade.

      Excluir
  4. Eu fico me questionanando?Já ouviu vários juristas,dizendo ser proibida a greve para Militares Federais,mas quando atingi a dignidade humana,pode sim ser feita.Sabendo-se quem está no controle dos manifestos são os familiares dos praças,pois para os oficiais está tudo bem ficar sempre pagamento e décimo terceiro.Quem consegue trabalhar sabendo que a sua dispensa está vazia,com os cobradores te cobrando o tempo todo.Qual seria a melhor maneira de se manifestar? O desgoverno sim está desobedendo a Constituição Federal,quando ele deixa de cumprir as suas atribuições e ainda por cima,coloca a culpa nos servidores da quebra do Estado.Porém,sabemos,quem quebrou o Estado foram eles,praticando,atos que não condizem com gestores públicos.Eu apoio à família policial!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O governo está errado, eu coloco isso no blog a todo instante. A opinião que você cita sobre a greve de militares, não prospera, sendo minoritário tal entendimento. Todos devemos protestar, mas não atrapalhando o policiamento.

      Excluir
  5. Praça da PM: zero à esquerda vivo, herói morto.

    ResponderExcluir
  6. Coronel, eu concordo em número, gênero e grau com o senhor. Militar não pode fazer greve, militar não pode se sindicalizar, militar não pode manifestar sua opinião (só se for a favor do governo e da instituição) em rede de compartilhamento social. Mas o senhor há de reconhecer também que um movimento como este, o de se colocar nas entradas dos batalhões impedindo a saída do policiamento, se for feito do jeito que o senhor sugere, diga-se de passagem, o correto, acampar ao lado ou próximo às unidades com faixas, cartazes e tudo mais, não surtirá efeito nenhum. Como o senhor tem 100 por cento de razão em suas alegações, e eu também tenho razão no que alego. Melhor não fazer nada. Nem uma coisa nem outra. Deixa como está.
    Resumindo: ao estado, ao governo, não importa se tem mulher manifestando, esticando faixa e etc. Se for só assim, que fiquem um ano lá, dois anos, tanto faz. O que não pode é impedir o policial de sair pra patrulhar e deixar as ruas sem policiamento. Este é o único e exclusivo interesse do governo.
    Agora uma opinião particular minha.
    Aos coronéis pouco importa se o policiamento vai ser realizado ou não, se o praça vai sair pra trabalhar ou não, se a "sensação de segurança" sentida pela sociedade com a polícia nas ruas vai ser sentida ou não. Eles só não querem é perder a boquinha de comandante de uma unidade, que, cá entre nós, é muito boa. Esta é a única preocupação dos coronéis.
    No caso do ES, por exemplo, a princípio os oficiais estavam ao lado dos praças e enquanto achavam que o movimento surtiria efeito logo e suas reivindicações seriam atendidas sem prejuízo pra praças e oficiais, tudo bem, "juntos somos fortes". Mas bastou o governo endurecer com o movimento e anunciar punições e expulsões, os oficias logo roeram a corda e tiraram o corpo fora. Tanto que o comandante geral da PMES teve a cara de pau de dizer em entrevista que o movimento não contava com a adesão de nenhum oficial e a patente mais alta identificada e indiciada por motim era a de sub tenente. Ora, Faça-me um favor!!!
    Conselho meu, de quem só tomou na pseudo greve de 2011 e viu essa atitude dos oficiais da PMERJ, peguem suas mulheres e levem pras suas casas. Isso não vai dar em nada. Nem fechando as portas dos batalhões e impedindo a polícia de cumprir o seu papel, e muito menos do jeito que o senhor sugere, o que é o mais correto, mas sem efeito prático algum.
    No final da história, se surtisse algum efeito e as reivindicações fossem atendidas, ganhariam oficiais e praças. Se der ruim só quem perde e quem vai pagar a conta são os praças, e ainda vão arrumar problemas pras suas esposas.

    ResponderExcluir
  7. Assim fica fácil de governar: roubam e usam a CF/88 para punir suas vítimas, que não suportam e se revoltam contra suas mazelas.
    É uma cleptocracia autoritaria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou o esquerdista tentando levantar bandeira.

      Excluir
  8. A sociedade é composta por pessoas que têm caráter e por pessoas sem caráter, politicamente no Brasil, direita e esquerda moralmente são iguais.

    ResponderExcluir
  9. A constituição que proibe greve de Policiais Militares, é a mesma que defende a dignidade das pessoas. No caso específico, quem em nome da desta constituição está garantindo a dignidade dos Policiais Militares?
    Policiais Militares são pessoas. Ou o que está escrito na constituição, só vale o que convêm aos mandantes, que estão no poder?
    Eu só quero que os políticos devolvam os impostos, em forma de beneficío à sociedade, e que apliquem o rigor da lei em nome da ordem pública e do bem-esta social, e não em nome do que lhes convêm (domínio por domínio).

    ResponderExcluir
  10. Cel o metodo do sr nao da certo. O governo nao vem pra dialogar. Os 40 da Evaristo e os barbonos nao conseguiram nada com essa tatica cheia de mimimi

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.