BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

domingo, 28 de setembro de 2014

DENÚNCIA: NAS ELEIÇÕES A UNIÃO DA IMPRENSA COM OS INSTITUTOS DE PESQUISAS É DECISIVA



Prezados leitores, vocês devem ter ouvido a expressão "levanta que eu corto".
Oriunda de jogadas do vôlei, a expressão significa entre outras interpretações, uma união de propósito, onde um tema é introduzido por alguém e explorado para outra pessoa, isso para que ambos alcancem o sucesso.
O raciocínio vale também para instituições.
Uma eleição deveria ser decidida nas urnas tendo como parâmetro o bom histórico e as propostas dos candidatos, mas como no Brasil a população não está nem aí para a política, como comprovam as abstenções, os votos em branco e os votos nulos, a regra não vale.
No Brasil, o cidadão vota para cumprir um dever, não para exercer o direito de escolher seus representantes, eis a verdade, infelizmente.
Nesse cenário surgem duas instituições que praticamente definem o rumo das eleições majoritárias (presidente, governador, prefeito e senador): a imprensa e os institutos de pesquisa.
Quem levanta a bola são os institutos de pesquisas.
Eles entrevistam cerca de 0,01% do total de eleitores, isso em menos da metade dos municípios e não indicam quais foram os municípios onde foram realizadas as pesquisas.
As pesquisas não são auditáveis, não podem ser conferidas.
Como comentamos em vídeos e artigos, os resultados da forma como são divulgados não deveriam servir para nada, mas servem para ganhar a eleição.
A imprensa corta e marca o ponto.
Como ela faz isso?
Repercute maciçamente esses resultados nas televisões, nas rádios, nos jornais e nas revistas.
A imprensa referenda os resultados.
No Rio de Janeiro, estamos assistindo algo que seria inexplicável se não soubéssemos a atuação dos institutos de pesquisa e da imprensa.
Pezão foi vice-governador de Sérgio Cabral por mais de sete anos.
O governo foi pessimamente avaliado e Cabral quase foi arrancado do Palácio Guanabara pelo povo que foi para as ruas gritar: Fora Cabral!
Cabral teve que se esconder e não participa da campanha de Pezão, uma tentativa de descolar seu nome do nome de Pezão.
Os escândalos são sucessivos e não param.
Apesar dessas verdades, sendo o quadro totalmente desfavorável ao candidato Pezão, os institutos de pesquisas indicam um crescimento de Pezão a cada pesquisa.
Por sua vez, a imprensa espalha esses dados invadindo a mente dos incautos.
A cada escândalo que surge envolvendo Pezão e seus aliados, mais ele cresce nas pesquisas.
Eleitor, você está sendo manipulado, isso é de clareza solar.
A imagem que ilustra o artigo corresponde a uma pesquisa não encomendada pelas Organizações Globo e não realizada por instituto de pesquisa. Não confiem nos dados revelados.

Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

  1. A REDE GLOBO é a maior manipuladora de pesquisa que existe no Brasil, ela é comprometida com o governo Dilma, com o governo Sergio Cabral assim como no futebol é comprometida com o C.R flamengo. O BNDES é o grande credor desse cancer das comunicações. Se o futebol está perdendo a graça por conta das manipulações a favor do flamengo na politica não está sendo diferente.

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.