Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

FLA-FLU: TORCIDA TRICOLOR LEIA A MATÉRIA DE UM SITE RUBRO-NEGRO



Prezados leitores, aconselhamos ao Presidente do Fluminense e à torcida tricolor a lerem a matéria que transcrevemos a seguir do site NETFLA - Ninho rubro-negro (Fonte).
A matéria original é do Site UOL.
Nós sublinhamos alguns trechos.
Após a leitura façam uma comparação com os argumentos da decisão pelo arquivamento do Presidente do STJD,

"Resultado do tribunal não caberá recurso, diz presidente do STJD
18 DE OUTUBRO DE 2016 ÀS 14:25
O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Ronaldo Piacente, disse nesta terça-feira (18) que a previsão inicial é de que o caso envolvendo o pedido de anulação do clássico Fla-Flu seja julgado até o dia 15 de novembro, antes da 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, ele admitiu a possibilidade de que a sessão do pleno do STJD seja realizada antes para uma resolução rápida. Piacente deixou claro ainda que o resultado não caberá recurso. 
O UOL Esporte apurou que o julgamento pode ser realizado em Belo Horizonte, até o dia 4 de novembro, na tentativa de dar celeridade ao processo. A definição deve sair em um encontro marcado para quinta-feira. 
"O normal seria 15 de novembro, mas estamos atentos (para adiantar a data) por causa do final da competição. Temos que tomar cuidado, mas se possível vamos adiantar em uma sessão extraordinária. Mas precisamos tomar cuidado para não ter nulidade deste processo. Primeiro vão ser cumpridos todos os prazos legais, da ampla defesa e do contraditório", disse em entrevista ao programa "Seleção Sportv".
Segundo Piacente, a decisão que será tomada no pleno do STJD será definitiva. "Não cabe recurso e a decisão final do processo, que é a questão da anulação, isso não cabe mais recurso. Este processo é originário do pleno, ele julga e não há mais recursos", disse.
Apesar da preocupação para que o caso tenha uma solução rápida e interfira o mínimo possível na disputa do Campeonato Brasileiro, o presidente alerta que será preciso tomar todos os cuidados relativos às questões processuais. "Preciso cumprir prazos, se não vai causar uma nulidade e e estaremos liquidados, porque vai demorar mais tempo ainda", disse.
O Fluminense entrou com um pedido de anulação do resultado do Fla-Flu da última quinta-feira (13) alegando que houve interferência externa na marcação do impedimento de Henrique em lance que empataria o clássico, vencido por 2 a 1 pelo time rubro-negro. O árbitro Sandro Meira Ricci chegou a validar o gol, mas após muita confusão voltou atrás na decisão.
Uma leitura labial reproduzida pela Rede Globo no último domingo indica que o inspetor de arbitragem Sergio Santos disse "a TV sabe" para o árbitro. Na entrevista ao Sportv, porém, Piacente evitou fazer qualquer julgamento do caso.
"Eu não posso me manifestar em relação a uma possibilidade ou não, porque vou participar do julgamento. Não posso opinar. O que eu posso dizer é que vai depender das provas. Não há como, nesse momento, sem ouvir partes, analisar provas, ouvir árbitro, assistente, ter a conclusão desse processo", disse.
Na noite da última segunda-feira, o tribunal solicitou a suspensão do resultado do clássico até o julgamento, o que significou três pontos a menos para o Flamengo na classificação até o julgamento. Desta forma, a vantagem do Palmeiras subiu para sete pontos.
Piacente disse que a decisão de abrir o processo e suspender o resultado do jogo foi meramente técnica. "Requisito é um requisito processual. Ele preenche esse requisito. Eu acolho o pedido e o julgamento final será no pleno do tribunal. O Fluminense está buscando seu direito. Se não tivesse o tribunal, ele iria na Justiça Comum. Isso duraria de três a cinco anos", disse.
Fonte: Uol"

O que motivou uma mudança tão radical de opinião para parar o processo e arquivar?
Quais provas apresentou o Procurar que fizeram com que o Presidente decidisse contra toda a sua convicção anterior?
A decisão técnica exarada por ele não foi técnica?
São inúmeras as perguntas a serem respondidas.

Juntos Somos Fortes!

7 comentários:

  1. http://colunadoflamengo.com/2016/10/presidente-do-stjd-entende-revolta-do-flu-mas-diz-que-justica-foi-feita/

    ResponderExcluir
  2. Coronel, o absurdo da covardia contra o Fluminense FC chegou ao limite. Por favor, leia e divulgue o blog do Menon, no UOL:

    "http://blogdomenon.blogosfera.uol.com.br/2016/10/21/fluminense-nao-merece-tamanha-traicao/"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, li o texto.
      Ridículo.
      Nem graça ele conseguiu produzir.
      Não vou reproduzir no nosso blog, não merece nem para ser criticado.
      Abraço fraterno!

      Excluir
  3. Coronel, essa foi coletada do Twitter:

    https://twitter.com/Garcia_Itaipu/status/789222567097798660?lang=pt

    "Felippe Garcia
    ‏@Garcia_Itaipu

    Com essa decisão esdrúxula de hoje do STJD, fica claro o que teria acontecido se só o Flamengo tivesse escalado jogador suspenso em 2013."

    ResponderExcluir
  4. Do SporTV:

    http://sportv.globo.com/site/programas/selecao-sportv/noticia/2016/10/presidente-do-stjd-entende-revolta-do-flu-mas-diz-que-justica-foi-feita.html

    "[...]Em entrevista ao 'Seleção SporTV', Piacente destacou ainda que a mídia, em geral, elogiou o desfecho do caso [...] No geral, na imprensa, só houve elogio em relação à decisão. Entendo que foi feito justiça. A justiça foi feita -- disse."

    "Mesmo que ele tenha dito, venha essa prova amanhã [...] O inspetor vem e conserta [...] O que levou a mudar, foi a frase? Ele já disse que não. A partir daí, já que ele está falando que não, não tem mais o que fazer além de arquivar -- explicou."

    O sujeito afirma que não disse e está tudo certo? É assim que funciona? Juristas, por favor, esclareçam-nos!

    ResponderExcluir
  5. O calvário da Lusa não acaba... agora a fatalidade da morte de um jogador da base, dentro do clube.
    Curioso notar como o "caso Heverton" é sempre citado como o momento a partir do qual tudo passo a dar errado pra o clube.
    Vejam a abordagem nesse artigo R7:
    http://esportes.r7.com/futebol/morte-de-jogador-agrava-ainda-mais-crise-na-portuguesa-20102016

    "... Por conta da escalação irregular do meia Héverton, que estava suspenso e mesmo assim entrou em campo, a Portuguesa foi punida com a perda de quatro pontos (três de punição e um do empate conquistado no duelo contra o Grêmio). A equipe Rubro-Verde despencou da 12ª para a 17ª posição na tabela do Brasileirão e acabou rebaixada. O jogador estaria impedido de atuar pelo terceiro cartão amarelo.
    A principal dúvida levantada neste caso foi o porquê este erro cometido de forma tão infantil. No entanto, o que foi especulado é que o clube paulista tenha "vendido" a sua vaga em troca de alguns milhares. A partir desse momento, a Portuguesa entraria em seu processo de crise sem fim."

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.