BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

domingo, 26 de março de 2017

ONDE FORAM PARAR OS EQUIPAMENTOS HOSPITALARES DO IASERJ E DO HOSPITAL DA POLÍCIA CIVIL?



Prezados leitores, no Rio de Janeiro muita coisa desaparece.
Quem não lembra do desparecimento das vigas da Perimetral, estruturas metálicas enormes e pesando toneladas, despareceram no ar, enquanto o ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB) ficava com "cara de paisagem", sem apresentar até hoje uma explicação (Link para reportagem sobre o sumiço).
O episódio nos faz pensar nos materiais hospitalares do IASERJ e do Hospital da Polícia Civil, os quais foram extintos no governo Cabral-Pezão.
Alguém sabe dizer onde foram parar?
Será que tiveram idêntico destino das vigas da Perimetral?
Por favor, quem souber nos informe sobre os materiais e sobre as vigas.

Juntos Somos Fortes!

POLÍCIA MILITAR: MAJOR PM FAZ DELAÇÃO QUE PODE ATINGIR CORONÉIS PM



Prezados leitores, o Major PM Delvo fez uma delação premiada e ela foi homologada.
Não será surpresa se as denúncias relacionadas com compras realizadas pela PMERJ (FUSPOM) atinjam Coronéis PM, considerando que são Coronéis que exercem a função de diretores das áreas relacionadas com as compras.
O importante é que tudo seja devidamente investigado e que existindo culpados, Oficiais ou Praças, que eles sejam punidos com rigor.

Juntos Somos Fortes!

SESEG E SEAP - OS SECRETÁRIOS IMEXÍVEIS DE CABRAL E DE PEZÃO

Prezados leitores, no governo Sérgio Cabral o secretário de segurança era imexível.
No governo Pezão parece que o secretário imexível será o de administração penitenciária.




Juntos Somos Fortes!

CRÍTICAS E SUGESTÕES ( 5 ) UM POUCO DE HISTÓRIA: AS POLÍCIAS MILITARES NO MUNDO - CEL PM REF HERRERA

Prezados leitores, dando sequência a série "Criticas e Sugestões" da lavra do Coronel PM Ref Herrera, publicamos o quinto artigo.




"CRÍTICAS  E  SUGESTÕES  (5)
UM  POUCO  DE  HISTÓRIA:  AS  POLÍCIAS  MILITARES  NO  MUNDO    

 “Ser Policial é, sobretudo, uma razão de ser”
(Do Hino da PMERJ, autoria do então 1º Ten PM Jorge Ismael Ferreira HORSAE)


A partir de dezembro de 1983, a reformulação da severa Lei de Segurança Nacional gerou natural anseio de “reformular” o país, sob autocráticos governos desde 1964, dando azo ao chamado período de redemocratização”, trazendo no bojo a marcante pretensão de “varrer o entulho autoritário”.
Virou moda, então, ser contra a chamada ditadura militar, que, sem dúvida, deixou-se violentar pela indelével nódoa da tortura. Inadmissível sob qualquer ponto de vista, mormente em regimes democráticos. Esse foi o pecado mortal, que serviu para o forte repúdio da Sociedade à palavra  “militar”. Além, é claro, do maciço emprego da PM como polícia de choque para reprimir manifestações públicas que antecederam a Ditadura Escancarada (no dizer de ELIO GASPARI), iniciada com a decretação do AI-5, em dezembro de 1968. Fatos que vieram a atingir em cheio todas as corporações policiais militares.
Como sabemos, a atual Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) tem sua remota raiz histórica na Divisão Militar da Guarda Real de Polícia, criada em 1809, pelo Príncipe Regente D. João, quando da transladação da Família Real portuguesa para o Brasil. Em tempos atuais, com a fusão dos antigos Estados da Guanabara e do Rio de Janeiro, em 1975, fundiram-se também suas respectivas polícias militares: PMEG e PMRJ transmudaram-se para PMERJ. Isto faz parte da História do Brasil.
Cumpre ressaltar que, no mundo todo, a maioria das organizações policiais no desempenho da função de polícia de segurança (a mal denominada polícia ostensiva), são de investidura militar ou mesmo, quando de estatuto civil, são paramilitares, atuando sob disciplina militarizada. E, no mais das vezes, desempenham o ciclo completo, ou seja, as funções de polícia de segurança e de polícia judiciária.
Alguns exemplos: em PORTUGAL, além de outros organismos policiais, a Guarda Nacional Republicana (militar, integrada no Ministério da Defesa Nacional), a Polícia de Segurança Pública (curiosamente, de estatuto civil, mas disciplina militarizada) e a Polícia Judiciária (civil); sendo todas operacionalmente subordinadas ao Ministério de Administração Interna; na ESPANHA, a Guardia Civil (militar) e o Cuerpo Nacional de Policía (civil, mas com disciplina militarizada), ambas atuando no ciclo completo, subordinadas operacionalmente ao Ministério do Interior; na FRANÇA, tem-se a Gendarmerie Nationale (militar) e a Police Nationale (civil); na ITÁLIA, a Polizia di Stato (também de estatuto civil, mas disciplina militarizada), a Arma dei Carabinieri e a Guardia di Finanza (ambas militares, integrando as Forças Armadas); no CANADÁ, a Royal Canadian Mounted Police (força paramilitar, atuando no ciclo completo, com seus denominados oficiais de paz, submetidos à disciplina militar, e membros civis contratados para funções de administração e de polícia técnica); na América do Sul, o mais marcante exemplo: Carabineros de Chile (militares, integrando as Forças Armadas chilenas).
Como já informou o Coronel PAÚL, em seu blog, recentemente, em 2016, foi criada a polícia militar no MÉXICO: a Gendarmería Nacional, que passou a constituir a divisão militar da Policía Federal Preventiva (civil), atuando com seus diversos Agrupamentos: de Cavalaria, de Operações Especiais, de Segurança Rural, de Segurança Fronteiriça, de Proximidade Turística, de Proximidade Social (polícia comunitária) e de Reação (polícia de choque).
Completou-se, assim, a existência de polícias militares ou paramilitares (civis com disciplina militarizada) em todos os países da América Latina.
O entendimento parece de clareza solar: o rigor draconiano de regulamentos militares mais bem se presta ao imediato controle da organização, ensejando ritos sumários na apuração de malfeitos e sua rápida punição.
Não se pode negar, entretanto, que o desempenho policial, por todo o Brasil, não resulta eficaz. Há muito a fazer, necessariamente, para sua melhoria. De pronto, urge eliminar o ponto comum em todos os Estados: a crônica submissão da Polícia Militar e da Polícia Civil aos interesses político-partidários dos governantes. As garras afiadas da  tecnoestrutura.
Como eu disse em artigo publicado no Jornal do Brasil, nos idos de agosto de 1986, reafirmo que Segurança Pública é assunto muito sério para ser entregue a curiosos ou aventureiros. Há que ser formulada por profissionais dignos e competentes. É, sobretudo, uma questão de mentalidade. De governantes, juristas e policiais.
Aliás, como se procurou fazer em muitos países. Basta estudar.
Na chamada redemocratização, à luz de anacrônica retórica “comunistoide”, fomentaram-se infrutíferas discussões sobre a investidura de policiais: se civis, se militares. Mas, obviamente, focando a condenação da natureza militar. Até hoje.
O tema mais importante, entretanto, nunca foi objeto de discussão, salvo, isoladamente, por competentes policiais: são as funções de polícia (se polícia judiciária, se polícia de segurança), para atingir-se o modelo ideal de ciclo completo em toda organização policial, delimitando-se, apenas, as respectivas áreas geográficas de emprego. Dessa forma, sendo-lhes irrelevantes a natureza e a denominação.
Porém isso encerraria de vez toda discussão político-ideológica, pós-Revolução de 64. E não parece conveniente a enrustidos inimigos da Democracia.
Será que, no modismo de desmilitarização da PM, na rediscussão do modelo policial no nosso país, só os brasileiros estaremos certos no mundo?
NELSON HERRERA RIBEIRO, Cel PM Ref, advogado e professor

Juntos Somos Fortes!

RIO - PACIFICAÇÃO, FEBRE AMARELA, VACINAÇÃO E TIROTEIO

Prezados leitores, a sonhada "pacificação" não chegou em lugar nenhum do Rio de Janeiro.
A violência está em todos os lugares e ontem atrapalhou até a vacinação contra a febre amarela.


ex-secretário de segurança Beltrame  e ex-governador Sérgio Cabral


"Jornal O Dia 
Vacinação contra febre amarela é suspensa por conta de tiroteio no Parque União 
Postos de saúde do Complexo da Maré suspenderam o atendimento às 14h30 deste sábado 
25/03/2017 18:56:34 - ATUALIZADA ÀS 25/03/2017 19:45:34 
Rio - Um tiroteio no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, interrompeu a vacinação contra a febre amarela em três postos de saúde localizados na região por volta das 14h30 deste sábado. As unidades que foram fechadas são o Centro Municipal Parque União, Centro Municipal Hélio Smidt e Centro Municipal Samora Machel. 
De acordo com a Polícia Militar, o Bope realizou uma operação no Parque União, neste sábado. Uma pessoa foi ferida e encaminhada para o Hospital Geral de Bonsucesso. Duas pistolas e drogas foram apreendidas na operação (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

sábado, 25 de março de 2017

COMISSÃO DE ANÁLISE DA VITIMIZAÇÃO POLICIAL MILITAR DA PMERJ

Prezados leitores, solicitamos atenção para esse convite do Comando Geral da PMERJ 




"PMERJ - Convite
A Comissão de Análise da Vitimização Policial Militar da PMERJ convida você a visitar o endereço www.pmerj.rj.gov.br/analise-da-vitimizacao-do-policial e após ler e analisar o conteúdo, preencher o formulário de propostas e sugestões para controlar e reduzir o problema". 

Divulguem!

Juntos Somos Fortes!

O FIM DA APOSENTADORIA DOS POLÍTICOS BRASILEIROS

video


Prezados leitores, eis uma campanha que merece a participação de todos, considerando que ele representa justiça com relação aos trabalhadores brasileiros.
A campanha está começando nas redes sociais, todos devemos fazer a nossa parte para dar a devida visibilidade ao seu conteúdo.
Em seguida, vamos para as ruas exigir a sua concretização.

Mensagem que está circulando pelas redes sociais:

"Hoje 22/3/2017 o leitor do Globo -Marco Aurélio Souza - escreveu: 
- " Pelo fim das aposentadorias e pensões de políticos. Político não é profissão. Não necessita de formação, nem presta concurso público. O político é escolhido para prestação de serviço temporário, portanto, não tem direito à aposentadoria ou a deixar pensões. O político legislou em causa própria e isto é ilegal.Que sejam anuladas todas as aposentadorias e pensões políticas! Está, sim, é a verdadeira reforma previdenciária." Acho que isso define o desejo de todos nós, brasileiros. Vamos repassar?"

Divulguem!

Juntos Somos Fortes!

PEZÃO NÃO EXONERA ERIR E DESMORALIZAÇÃO SEGUE AUMENTANDO



Prezados leitores, as denúncias de mordomias recebidas pelo ex-governador Sérgio Cabral e pela sua esposa Adriana Ancelmo não param de surgir na imprensa.
Apesar delas o governador Pezão não exonera o secretário estadual de administração penitenciária, Erir Ribeiro Costa Filho, ele que ocupou cargo de destaque nomeado exatamente por Sérgio Cabral.
Nós temos insistido que a manutenção de Erir está desmoralizando o governo Pezão, a SEAP, os sofridos agentes penitenciários, o Ministério Público Federal e o Poder Judiciário.
A solução é tão simples, por que não é adotada?
Não deixem de assistir a reportagem.

"Site G1
Filho de Cabral visitou o pai fora de dias e horários permitidos, diz relatório obtido pela GloboNews
Deputado federal, Marco Antonio Cabral esteve mais de 30 vezes com o pai após prisão. Outros políticos também estiveram em Bangu 8. 
Por G1 Rio
24/03/2017 19h56 Atualizado há 55 minutos 
O deputado federal, Marco Antonio Cabral esteve mais de 30 vezes com o pai, o ex-governador Sérgio Cabral Filho, preso em novembro. Segundo levantamento a qual a GloboNews teve acesso, 20 visitas foram feitas fora dos dias e horários permitidos. Além disso, ele não foi o único político a fazer visitas a Cabral fora dos dias e horários estabelecidos. O relatório da secretaria de administração penitenciária do rio mostra que o ex-governador Sérgio Cabral está recebendo visitas de forma irregular no complexo de Bangu, Zona Oeste da cidade.
O documento foi obtido com exclusividade pela GloboNews através da lei de acesso à informação. Segundo esse relatório, o filho de Sérgio Cabral, que é deputado federal, se aproveita de uma prerrogativa parlamentar para entrar no presídio a qualquer hora do dia. Em dezembro do ano passado, o Ministério Público já tinha alertado a justiça sobre essa prática.
O pedido pelo relatório foi feito no dia 31 de janeiro. Por lei, a resposta deveria sair em no máximo 30 dias, mas só vinte e dois dias depois do prazo final, a relação de nomes foi enviada (Leiam mais e assistam reportagem)". 

Juntos Somos Fortes!

AS CHANCES DE UM POLICIAL MILITAR SER ASSASSINADO NO RIO DE JANEIRO

Prezados leitores, assistam esse vídeo institucional e avaliem a situação de risco de morte vivenciada pelos Policiais Militares do Rio de Janeiro.


video


Juntos Somos Fortes!

RIO: PAGAMENTO DE MARÇO AMEAÇADO E NÃO SE FALA NO DÉCIMO-TERCEIRO

governador Pezão e ex-governador Sérgio Cabral


Prezados leitores, transcorridos UM ANO dessa notícia, nada mudou, a situação dos servidores públicos e dos militares (policiais e bombeiros) está cada vez pior no Rio de Janeiro, graças aos péssimos governo Sérgio Cabral e Pezão.

"Jornal Extra
Empréstimo é vetado e Estado não tem caixa para pagar servidor em março
Por: Berenice Seara em 24/03/16 10:08
O empréstimo de R$ 1 bilhão, aprovado pelo Conselho Monetário Nacional, pela Assembleia Legislativa e pelo Banco do Brasil há quase 50 dias para o pagamento de aposentados e pensionistas do estado — e que liberaria o caixa do governo para quitar os salários dos servidores — foi vetado, aos 45 minutos do segundo tempo, pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.
A Secretaria estadual de Fazenda só foi informada na última sexta-feira que a operação de capitalização do Rio Previdência — a forma como este tipo de empréstimo já foi caracterizado inúmeras vezes anteriormente — não pode (mais) ser feita por bancos públicos.
Tudo o que havia sido negociado com o Banco do Brasil, então, não tem mais qualquer validade.
Segundo a Procuradoria da Fazenda Nacional, somente os bancos privados poderiam emprestar o dinheiro (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!


DOMINGO - 26 DE MARÇO - 10:00 HORAS - O POVO OCUPARÁ AS RUAS DO BRASIL

Prezados leitores, amanhã, às 10:00 horas, vamos ocupar as ruas do Brasil.




Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 24 de março de 2017

PRISÃO DOMICILIAR PARA ADRIANA ANCELMO PODERÁ ESTENDER DIREITO PARA MILHARES DE PRESAS

ex-governador Sérgio Cabral e sus esposa Adriana Ancelmo


Prezados leitores, advogados e defensores públicos de todo Brasil devem estar preparando suas peças para solicitarem para todas as presas do Brasil que se encontram em idêntica situação que Adriana Ancelmo, o benefício da prisão domiciliar. 

"Jornal O Globo 
STJ concede prisão domiciliar a Adriana Ancelmo 
Liminar reestabelece decisão do juiz Marcelo Bretas, que havia sido revogada pleo TRF-2 
por Daniel Gullino / Gabriela Viana 
24/03/2017 21:41 / Atualizado 24/03/2017 22:32 
RIO — A ministra Maria Thereza de Assis Moura, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), concedeu, na noite desta sexta-feira, uma liminar autorizando a prisão domiciliar de Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador Sérgio Cabral. A decisão, de caráter provisório, reestabelece o que havia sido decidido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, até que o julgamento de um habeas corpus, pedido pela defesa nesta quinta-feira, seja concluído (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

TROCA DE FAVORES? GOVERNADOR PEZÃO SERÁ TESTEMUNHA DE DEFESA DE SÉRGIO CABRAL



Prezados leitores, a Rádio CBN noticiou que o governador Pezão será testemunha de defesa de Sérgio Cabral, o que poderá ser uma troca de favores, tendo em vista que Pezão poderá necessitar que Cabral seja testemunha na sua tentativa de defesa no futuro.
Nós pensamos que terá pouco ou nenhum valor, o testemunho de um em defesa do outro.
Eis a transcrição:

"CBN
Pezão confirma que vai depor como testemunha de defesa de Cabral 
Depoimento ocorrerá no próximo dia 7 em processo relacionado à Operação Lava-jato. Essa é a segunda vez que Cabral convoca seu ex-vice para depor a seu favor. 
Luiz Fernando Pezão confirma presença em juízo por e-mail 
Crédito: reprodução 
Por Lucas Soares 
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, confirmou presença em juízo no próximo dia 7 para depor como uma das testemunhas de defesa do ex-governador Sérgio Cabral. Ele vai ser ouvido na sede da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, onde correm os processos relacionados à Operação Lava-jato no estado. A resposta ao juiz Marcelo Bretas foi enviada por email às 12h30 desta quinta-feira. 
Além do atual governador, Cabral lista outras testemunhas de defesa: o senador Eunício Oliveira, do PMDB; Antonio Bernardo, dono da joalheria homônima; Ricardo Pernambuco, da Carioca Engenharia; José Irã, presidente da Comissão de Licitações da Secretaria de Estado de Obras do Rio; Ícaro Moreno Júnior, presidente da Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro, a Emop, e Henrique Alberto Santos Ribeiro, ex-presidente do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem, o DER-RJ. 
Essa foi a segunda vez que Cabral convocou seu ex-vice pra depor a seu favor. Ele também vai prestar depoimento junto à 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, do juiz Sérgio Moro, no dia 6 de abril. Na ocasião da intimação, Pezão também confirmou presença por email, de um celular. 
Como testemunha, o governador não pode escolher ficar em silêncio, a não ser que alguma resposta possa o incriminar". 

Juntos Somos Fortes!

RIO - POLÍCIA MILITAR EXERCE DIREITO DE RESPOSTA E JORNALISTA SE RETRATA NO AR

Prezados leitores, graças ao trabalho competente que está sendo desenvolvido pela Seção Jurídica do Gabinete do Comando Geral, a instituição conseguiu que um jornalista se retratasse no ar das críticas feitas em programa anterior.
Parabéns a toda equipe da seção jurídica.




video


Juntos Somos Fortes!

ESPÍRITO SANTO - POLÍCIA MILITAR - PRETERIÇÃO TEM RELAÇÃO COM MOBILIZAÇÃO SALARIAL?



Prezados leitores, o governador do Espírito Santo tinha ameaçado fazer uma reformulação na Polícia Militar durante a mobilização dos familiares por melhores salários.
O afastamento dos dez Tenentes-Coronéis afastados das promoções fazem parte dessa ameaça? 

"Site G1 
23/03/2017 10h28 - Atualizado em 23/03/2017 10h28
Dez coronéis ficam de fora de promoções após mudanças na PM
Novo quadro de avanços na carreira foi criado por legislação.
Merecimento intelectual, empenho e antiguidade são critérios de promoção. 
Vilmara Fernandes
De A Gazeta
Pelo menos 10 oficiais da Polícia Militar foram eliminados da lista de promoções para o posto de coronel da corporação. Foi o que revelou o novo quadro de avanços na carreira militar, criado por legislação aprovada no início do mês, e divulgado nesta quarta-feira (23).
No caso dos coronéis, eles não alcançaram a nota mínima, prevista nos critérios da nova legislação ou são alvo de processos judiciais e administrativos. A lista final contempla 41 nomes, cuja seleção será feita pelo governador Paulo Hartung. Os 11 escolhidos vão ser anunciados no próximo dia 6. 
Outras
As novidades se estenderam ainda para outras patentes, onde foi verificada uma expressiva troca de posições. Militares que, nos critérios anteriores, lideravam a lista de promoção, por exemplo, foram para a 19ª posição. Foi o que aconteceu com um major que aguarda para subir ao posto de tenente-coronel (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

VÍDEO - GOVERNADOR PEZÃO DEVE EXONERAR SECRETÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA

Prezados leitores, o Coronel PM Ref Paulo Ricardo PAÚL faz um apelo ao governador Pezão no sentido de que exonere o atual Secretário de Administração Penitenciária, o qual foi nomeado para cargo importante no governo Cabral, diante das incontáveis denúncias de mordomias que Cabral e sua esposa Adriana Ancelmo estariam recebendo em Bangu 8. 
O laço precisa ser rompido. 





Juntos Somos Fortes!

SEAP - GRAVE DENÚNCIA - COMO DEVE SER CHAMADA A DETENTA ADRIANA ANCELMO?



Prezados leitores, hoje surgiu mais uma denúncia envolvendo a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária.
Uma agente penitenciaria teria sido transferido por ter se referido à detenta Adriana Ancelmo como detenta.
Se a transferência não tiver outra motivação, demonstrará, mais uma vez, a força do casal Cabral-Adriana no sistema penitenciário.

"Band.com.br
quinta-feira, 23 de março de 2017 - 17h04 
Atualizado em quinta-feira, 23 de março de 2017 - 20h20
Agente penitenciária é transferida de unidade ao chamar Adriana Ancelmo de detenta
Denúncia foi feita pelo colega da funcionária 
Uma agente penitenciária foi transferida de unidade depois de chamar Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) de detenta e pedir que ela colocasse as mãos para trás. 
O responsável pela denúncia é um colega de profissão da funcionária da Administração Penitenciária do Estado do Rio ouvido pela BandNews FM. 
Ele afirmou ainda que a direção do presídio Joaquim Ferreira de Souza, em Bangu 8, onde Adriana está presa, tem medo da mulher de Sérgio Cabral (Leiam mais e ouça)". 

Juntos Somos Fortes!

CRÍTICAS E SUGESTÕES ( 4 ) - A PRETENDIDA POLÍCIA CIDADÃ - CORONEL PM REF HERRERA



Prezados leitores, eis o quarto da série da lavra do Coronel PM Ref Herrera.

CRÍTICAS  E  SUGESTÕES  (4)
A  PRETENDIDA  POLÍCIA  CIDADÃ
                                                                    
Hoje vemos um país que está à deriva,
que não sabe o que pretende ser, o que quer ser e o que deve ser”
(Gen Ex EDUARDO DA COSTA VILLAS BOAS, Comandante do Exército)


O Brasil é o único país do mundo que mantém atividades policiais, em nível estadual, a cargo de instituições diferentes: a Polícia Civil e a Polícia Militar. Originaram-se do nosso processo de colonização, tendo permanecido no Império e na República. E não há como banir a História na equação de soluções atuais.
Países desenvolvidos também possuem organismos policiais diversos, entretanto com duas importantes diferenças: são de âmbito nacional e atuam com ciclo completo, ou seja, cada qual procede ao desempenho de ambas as funções de polícia, delimitadas apenas as respectivas áreas geográficas de atuação.
Sem rodeios, não me inibo em afirmar que, além da velha cantilena da nossa Esquerda festiva, quem mais deseja a “desmilitarização da PM”, em verdade, são os maus policiais militares: ocultos criminosos que se valem da arma e da carteira que a sociedade lhes deu. Mas, se fossem policiais civis, seria bem mais lenta e complexa a apuração dos desvios de conduta e a decorrente exclusão do serviço público.
A meu ver, em sua descuidada redação, estipula o § 5º, do art. 144, da Constituição federal: “Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública”. Ou seja, em cada Estado e no Distrito Federal, incumbe à respectiva Polícia Militar a função de polícia de segurança (ou administrativa), com a missão precípua de manutenção da ordem pública.
Do mesmo modo, compete à Polícia Civil o desempenho das funções de polícia judiciária (em suas variantes de polícia de investigações e de polícia técnica) “e a apuração de infrações penais, exceto as militares”. Porém, de forma insofismável, vem atuando com nítido desvio de função, executando privativas funções de polícia de segurança, por meio de operações ostensivas, sendo dotada de viaturas blindadas, helicópteros, canil, esquadrão antibombas, e até pessoal uniformizado! 
A desorganização administrativa do Estado (com parcos recursos para a Segurança Pública), ante o descontrolado aumento da criminalidade, poderia explicar o desvio de função da Polícia Civil. Mas não se pode justificar, pois passou a atuar de forma indevida. Até seria, como no dizer popular, “descobrir um santo para cobrir outro”. A Polícia Civil, que já apresenta crônico mau desempenho de suas precípuas funções, pouco acrescenta quando, desviada, atua como “polícia ostensiva”.
Atualmente cresce o clamor público por uma Polícia Cidadã, para culminar com a fusão das polícias estaduais. Mas será a mera desmilitarização da PM a milagrosa solução dos males da Segurança Pública?
Será que essa ansiada Polícia Cidadã (?), resultante da fusão das atuais Polícias Civil e Militar, será a solução salomônica para tornar-se eficaz e eficiente, e, num passe de mágica, livrar-se do ranço de suas falhas e vícios? Ou será mera panaceia política?
E será mesmo oportuno tratar de assunto tão complexo no momento atual em que “vemos um país que está à deriva, que não sabe o que deve ser”?
Ou, sob o festivo viés esquerdista, seria esta uma excepcional oportunidade para levantar tema tão polêmico, no jogo sujo do “quanto pior, melhor”, visando a escusos objetivos?
A recente paralisação dos policiais militares no Espírito Santo demonstrou, embora de forma trágica, que a extinção da PM se torna improvável, haja vista não haver outro organismo que, de pronto, a possa substituir. A região da Grande Vitória foi abalada por intenso caos, mesmo com a Polícia Civil atuante e, ainda, com o eventual emprego de tropas da Força Nacional e do Exército. Torna-se difícil e complexo substituir o efeito capilar do policiamento ostensivo: estar, diuturnamente e ao mesmo tempo, nas mais variadas localidades.
No Rio de Janeiro, concomitante à recente atitude reivindicatória dos PM (por meio das manifestações de seus parentes), os policiais civis permanecem em greve, desde 30 de janeiro, mas de forma legal, pois lhes são garantidos os direitos de sindicalização e de greve. E o que dizer também da recente greve no DETRAN/RJ? E quando os serventuários da Justiça paralisam suas atividades?
São graves interrupções de serviços públicos essenciais, muito prejudiciais a cada cidadão e à Sociedade como todo. Mas parece que, nas manchetes midiáticas, só a velha Polícia Militar se torna foco de preocupação e de críticas severas.
Em sã consciência, será esta Polícia Civil que aí está, que todos conhecemos –  também mal preparada e mal remunerada, há tempos desviada de sua precípua função de polícia judiciária, com direito de greve e sujeita aos meandros da luta sindical, com notória ineficácia (estatísticas mostram 5% apenas de elucidação de crimes no Brasil),  – será esta a Polícia Cidadã que os cidadãos de bem tanto almejamos? 
A conferir. Se estivermos munidos de boa-fé, devemos refletir muito em busca de melhores soluções.
Mas, por favor, que os leitores analisem sem paixões humanas e sem destorcido espírito de corpo, atendo-se apenas aos fatos, para que eu não seja acusado de fomentar a cizânia entre policiais civis e militares.

NELSON HERRERA RIBEIRO, Cel PM Ref, advogado e professor



Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 23 de março de 2017

DENÚNCIA ENVOLVENDO SEAP - CÂMERAS QUE DEVIAM VIGIAR SÉRGIO CABRAL NÃO FUNCIONAM



Prezados leitores, assistam a reportagem da Rede Globo e constatem que tudo indica que Sérgio Cabral deve estar recebendo um tratamento diferenciado em Bangu 8.
O mais acertado seria sua transferência para um presídio federal.
Não custa lembrar que o atual secretário de administração penitenciária, Erir Ribeiro Costa Filho, foi nomeado por Sérgio Cabral para cargo no seu governo.

Assistam a reportagem (Link).

Juntos Somos Fortes!

VÍDEO - REFORMA DA PREVIDÊNCIA - QUEREM NOS FAZER DE PALHAÇOS

Prezados leitores, assistam o vídeo e constatem os valores que empresas devem à previdência e o governo Temer quer que nós paguemos esse rombo.
Temer quer fazer em âmbito nacional, o que o governador Pezão quer fazer no Rio de Janeiro, ou seja, cobrir o rombo com o dinheiro do povo.
Digam não à reforma da previdência.
Os governos devem cobrar primeiro das empresas.



video



Juntos Somos Fortes!

1981 - FLAMENGO X ATLÉTICO MINEIRO - UMA PARTIDA QUE VIROU UM ESCÂNDALO

Prezados leitores, uma rara matéria da imprensa nacional contra o Flamengo, embora seja uma repercussão de uma matéria internacional.


 


"Yahoo Esporte 
Maior roubo da história do futebol?
Principal jornal da Inglaterra lembra Atlético-MG x Flamengo de 1981
O polêmico embate entre Atlético-MG e Flamengo, pela Copa Libertadores de 1981, voltou a ser lembrado nesta quarta-feira (22), desta vez pelo maior jornal da Inglaterra. Em coluna semanal na qual responde perguntas de leitores, o jornal The Guardian reviveu a partida e chamou o clássico pela competição continental de "farsa". 
Um leitor pediu ao jornal que fornecesse mais informações sobre o jogo em que o Galo teve cinco expulsos. O Guardian, então, afirmou que o duelo foi "bizarro" e uma "farsa", e citou o livro Club Soccer 101, de Luke Dempsey, para dar mais detalhes sobre o clássico pela Libertadores.
"O árbitro José Roberto Wright lembra 'uma atmosfera muito pesada', embora ele indubitavelmente tenha contribuído para a farsa que estava prestes a ocorrer", diz a publicação - que não tem tradução em português - escolhida pelo jornal para explicar o episódio. 
"O primeiro jogador do Atlético a receber o cartão vermelho, depois de apenas 20 minutos, foi Reinaldo, após um carrinho inócuo em Zico; minutos depois, Éder o seguiu no túnel, tendo acidentalmente trombado com o árbitro enquanto corria para cobrar uma falta. Éder, compreensivelmente, caiu de joelhos aterrorizado pelo cartão vermelho", completa. 
"Houve uma invasão de campo do banco do Atlético, e na confusão mais dois jogadores foram expulsos, Palhinha e Chicão. A polícia então foi para o campo. Aos 37 minutos o quinto e último expulso do Atlético, agora o defensor Osmar Guarnelli. Com só seis jogadores no time do Atlético, Wright não tinha escolha - a partida foi abandonada. O juiz foi embora, de cabeça erguida e orgulhoso, e o Flamengo foi declarado vitorioso", encerra a citação de Dempsey (Fonte)". 

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO 2013: FATOS NOVOS, SERÁ QUE O MP-SP VAI REABRIR INVESTIGAÇÕES?



Prezados leitores, o meia Héverton concedeu uma entrevista para o site do Globo Esporte e trouxe fatos novos, que não tinham sido citados quando foi ouvido pelo MP-SP através de carta precatória, quando estava no Pará.
Na entrevista Héverton afirmou:

1) "Foi uma história mal contada. Só quem viveu sabe o que aconteceu. As pessoas usaram o clube para fazer que a Portuguesa chegasse como chegou".

2) "Não sou eu quem vou falar que "fulano" ou "cicrano" me deixou jogar."

Quem usou o clube?
Como  "fulano ou cicrano me deixou jogar"?
O que ele está escondendo?
Quem o deixou ele jogar irregularmente?
Por que deixou ele jogar?

"Globo Esporte 
22/03/2017 15h57 - Atualizado em 22/03/2017 17h18
Pivô de queda da Lusa, Héverton larga futebol e investe em padaria
Dono de imóveis, ex-meia fez três cursos de administração e está focado em gerir empresas. Ele não descarta voltar à Portuguesa na condição de investidor 
Por Lucas Strabko
São Paulo 
Héverton agora é um empreendedor. Conhecido por ser o pivô do rebaixamento da Portuguesa no Brasileirão de 2013, o ex-meia diz ter se desiludido com o futebol e decidiu pendurar as chuteiras para focar na vida empresarial. Aos 31 anos, ele está prestes a abrir uma padaria no bairro da Mooca, na zona leste de São Paulo.
– Chega uma hora que cansa. Tem que dar um basta. O cara tem que ter muita cabeça para jogar futebol. Começa a pingar de time em time, joga em clubes ruins, que não pagam. Você não tem muita vida quando joga bola. Perdi muitas oportunidades. Não estava acordando com alegria para jogar. Não adianta fazer algo em que não se está feliz – diz Héverton.
O ex-meia está se preparando para a nova vida: fez três cursos na área de administração. Dono de imóveis, Héverton apostará na padaria Nova Veredas, que está em reforma e deve ser reaberta em pouco mais de um mês.
– Sou empreendedor. Quando eu jogava, não tinha tempo de administrar meus imóveis. Esse negócio da padaria é um sonho. Conheço muita gente que mexe com isso. Eles têm me dado respaldo grande. 90% de chance de dar certo. Não gosto de falar muito porque ainda não está aberta. Dá dinheiro, mas tem que saber administrar. Falta acabar a reforma e alguns trâmites legais para abrirmos – afirma o atual empresário.
No futuro, Héverton não descarta fazer investimentos na Portuguesa. O ex-jogador, porém, não pensa em voltar a algum cargo no meio do futebol.
– Quem sabe? Não tenho projeto agora. Eu não vou abandonar a Portuguesa nunca. Tenho muito carinho pelo clube. Talvez um dia eu tente investir. É o começo para ajudar de alguma forma – diz Héverton. 
– Lá, tem mais gente para atrapalhar do que para ajudar. Quero separar as coisas. Tudo ainda é muito recente. Quando alguém me pergunta, eu digo que nunca joguei bola. As pessoas falam muita besteira de jogador – completa o ex-jogador.
O último clube dele foi o XV de Piracicaba, no começo do ano passado. Após lesão no púbis, decidiu abandonar o futebol, ideia que cultivava desde 2013, quando se viu em meio ao caso que culminou no rebaixamento da Portuguesa no Brasileirão. Ele estava suspenso e foi escalado na última rodada do torneio, contra o Grêmio. 
– Esse caso da Portuguesa foi o grande causador para eu querer parar. Minha vida virou de cabeça para baixo. Hoje sou mais tranquilo em relação a isso. Foi uma história mal contada. Só quem viveu sabe o que aconteceu. As pessoas usaram o clube para fazer que a Portuguesa chegasse como chegou. Eu não fiz nada. Eu era funcionário, trabalhador – explica.
Quase quatro anos após o "caso Héverton", o ex-meia prefere não dar detalhes sobre sua opinião sobre o ocorrido.
– É muito difícil falar. Até hoje não provaram nada. Não sou eu quem vou falar que "fulano" ou "cicrano" me deixou jogar. Foi um erro muito grotesco. Quem mais se prejudicou foi o clube. Espero que a Portuguesa volte a ser o que era antes. Tínhamos um clube, por mais que enrolaram e fizeram um monte de coisa. Vai voltar, tenho certeza absoluta – finaliza Héverton, que não teme represália de torcedores da Lusa à sua padaria (Fonte)". 

Juntos Somos Fortes!

CRÍTICAS E SUGESTÕES ( 3 ) - A CRISE NO COMANDO DA PMERJ - CORONEL PM REF HERRERA

Prezados leitores, após a publicação da introdução, do primeiro e do segundo artigos, eis o terceiro da série da lavra do Coronel PM Ref Herrera.




CRÍTICAS  E  SUGESTÕES  (3)
A  CRISE  DE  COMANDO  NA  PMERJ

Profissionais não se improvisam e o mando deve caber ao mais digno e competente“
(Gen JOSÉ DA SILVA PESSOA, Cmt da Brigada Policial do Distrito Federal, em 1911)


Causou grande repercussão, nos idos de 1976, o artigo de autoria do Ten Cel PM Carlos Magno Nazareth CERQUEIRA, intitulado “Dona Sandra, a PM e os outros”,  publicado em destaque no jornal O Globo, no qual se referia aos envolventes meandros do governo, a que os franceses denominam “technostructure”: criando verdadeira teia política, o governo nela se detém, impedindo mudanças necessárias. Embora seja conhecido traço comum em todo o mundo.
E, assim, o Ten Cel Cerqueira criticava crônicos erros internos, mas repelindo os ríspidos pronunciamentos da deputada Sandra Cavalcanti contra a Polícia Militar, que era apoiada por significativa ênfase na mídia. Já se vê que isso vem de longe.
Claro que sofreu punição. Contudo, em ambos os governos Leonel Brizola  – que sempre foi ferrenho adversário político da referida deputada –, o já Coronel Cerqueira foi nomeado Comandante Geral e titular da recém-criada Secretaria Extraordinária da Polícia Militar. Mas, ao tempo, o bravo coronel também acabaria sendo devorado pelo monstro da  tecnoestrutura, que ele mesmo havia criticado corajosamente.
Se adotados os chamados “governos de coalização”, como na prática brasileira, dado o inevitável “loteamento” do poder, qualquer órgão de governo, tal como a Polícia Militar (PM), o Corpo de Bombeiros Militar (CBM), a Polícia Civil (PC)  –  por natural imposição, aqui e em qualquer país – resultarão sempre tragados pela tecnoestrutura, ao sabor de interesses políticos momentâneos. É público e notório.
Entretanto as instituições envolvidas diretamente em Segurança Pública (PM e PC) e na Defesa Civil (CBM) –  por carecerem de indispensável Plano Estratégico, evitando sofrer solução de continuidade – deveriam ser mantidas ao largo dos cios eleitoreiros, por serem instituições permanentes e profissionais, com missões constitucionais específicas, devendo atuar em favor da sociedade, e não, aos ventos sazonais dos objetivos imediatos de governantes.
A pragmática submissão político-partidária das corporações de Segurança Pública e de Defesa Civil vem colecionando graves prejuízos interna corporis, muito contribuindo para levar a população ao estado de verdadeira calamidade, que todos conhecemos. E por que esse tão deprimente estado a que chegamos?
Fácil entender: criaram-se polpudas gratificações para os chefes ocupantes dos cargos de Comando e Direção Geral, assim como em todos os órgãos do governo ao seu redor. Em sã consciência, qual Coronel PM ou CB, qual Delegado de Polícia, no ápice da carreira, dispensaria tão atrativas “premiações”?
Só se apenas estivesse imbuído de alto grau de amor corporativo, relegando interesses pessoais e da própria família. Admitamos sem hipocrisia.
Em meu mais de meio século de policial militar, eu mesmo só tomei conhecimento de algo semelhante em única ocasião na História da PMERJ: sendo Comandante Geral o Coronel UBIRATAN Angelo, nos idos de 2007, os autodenominados Coronéis Barbonos – grupo composto por 9 integrantes, inclusive o Coronel PAÚL –, mesmo arriscando cargos e gratificações, dirigiram carta aberta ao governo, examinando as reais necessidades operacionais e logísticas da Corporação, cujo enfoque básico seria o denominado “ resgate da cidadania do PM.
A reação foi prontamente desencadeada. Ao invés de analisar a fundada crítica do Alto Comando da Corporação, a exacerbada vaidade do criminoso (des)governador Sérgio Cabral, além de exigir a exoneração do digno Coronel UBIRATAN, tratou de alterar o Estatuto dos Policiais Militares, reduzindo de 6 para 4 anos o tempo de permanência de coronéis na ativa. E, atualmente, o governador Pezão, diz não entender como um coronel da PM pode ser reformado com 49 anos de idade!
Parece “samba do crioulo doido”.
Mas, com isso, obrigou os Barbonos à reforma, exceto o coronel Gilson Pitta Lopes, que, traindo o anterior compromisso de lealdade, aceitou o cargo de comandar a PMERJ. O repulsivo (des)governador Cabral cuidou também de decretar significante reajuste das gratificações superiores. De imediato, não faltaram os demais substitutos. Chegava a cada um sua vez em participar da tecnoestrutura, sendo todos suavemente por ela tragados. Alguns pela própria reles consciência.
O primeiro passo para cogitar soluções sérias para o recorrente problema da Segurança Pública reside na extinção de cargos comissionados na PMERJ, na PCERJ e no CBMERJ, ensejando a preservação das respectivas Corporações ante as terríveis garras corruptoras da tecnoestrutura.
Na sequência, implicaria profunda reestruturação organizacional, visando à extinção da Secretaria de Segurança Pública, onerosa estrutura com pífios resultados – um elefante branco, que consome demasiadamente. Aliás, não detenho a originalidade da ideia: o Coronel PAÚL, tecnicamente, já havia sugerido tais medidas.
Segurança Pública e Defesa Civil, por óbvio, devem encerrar Política de Estado, e não, programa de governo, para que não naufraguem nas marés político-partidárias da alternância do poder. Torna-se medida essencial em instituições permanentes.
Ainda assim, os chefes não permaneceriam imunes ao atrativo de cargos em comissão nos demais órgãos governamentais. Porém, ao menos internamente, haveria maior desprendimento nas soluções de problemas institucionais, resguardando o emprego estratégico de cada Corporação, em prol da Segurança Pública. Parece elementar.
Afinal, para quem ingressa como militar estadual ou delegado de polícia ascender a cargos de comando ou de chefia traduz o natural objetivo; seria em decorrência da própria carreira. Então, por que haver polpudas gratificações especiais, onerando sobremaneira os cofres públicos, para apenas atender a eventuais inquilinos do poder, em seus imediatos interesses políticos, no mais das vezes, não-republicanos?
Cabem aqui, por extensão, as sábias palavras do Ministro do STF, Luís Barroso, ao criticar o foro privilegiado e a impunidade: “O poder tem que ser um instrumento do bem e da justiça. Não pode servir para ajudar os amigos e perseguir os inimigos. Esta é a virada ética de que precisamos no Brasil.”
Contudo, na dimensão brasileira, serão exequíveis tão corajosas decisões?
Ou, se formos um país sério, será que poderão advir leis específicas para tal fim?
Só o futuro dirá. Mas o futuro a Deus pertence.
NELSON HERRERA RIBEIRO, Cel PM Ref, advogado e professor

Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 22 de março de 2017

CUIDADO! TEMER EXCLUI SERVIDORES ESTADUAIS DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

presidente Temer e ex-governador Sérgio Cabral


Prezados leitores, a exclusão dos servidores estaduais da reforma da previdência social não significa que não sofrerão os efeitos de uma reforma.
Ela apenas mudou de mãos.

"Site G1
Temer recua e exclui servidores estaduais da reforma da Previdência
Presidente fez anúncio no Planalto após reunião com lideranças partidárias do Congresso. 'Surgiu com grande força [na reunião] a ideia de que deveríamos obedecer a autonomia dos estados', disse.
Por Luciana Amaral, G1, Brasília
21/03/2017 20h02 Atualizado há 10 horas 
O presidente Michel Temer anunciou nesta terça-feira (21) que a reforma da Previdência atingirá somente servidores federais e trabalhadores do setor privado. Segundo ele, a reforma das previdências estaduais ficará a cargo dos governos dos estados.
Após reunião no Palácio do Planalto, ele fez o anúncio ao lado de ministros; do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); dos líderes do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), e na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB); e de deputados, entre os quais Carlos Marun (PMDB-MS) e Arthur Maia (PPS), presidente e relator, respectivamente, da Comissão Especial da Reforma da Previdência.
A exclusão dos servidores estaduais foi a primeira concessão do governo em relação a mudanças na reforma da Previdência. Integrantes da equipe econômica do governo vêm defendendo a aprovação do projeto no Congresso sem alterações.
"Surgiu com grande força [na reunião] a ideia de que deveríamos obedecer a autonomia dos estados", disse Temer, após reunião com líderes partidários no Palácio do Planalto. "Reforma da Previdência é para os servidores federais", declarou (Leiam mais e assistam a reportagem)". 

Juntos Somos Fortes!

MAIS R$ 350 MILHÕES DESVIADOS POR CABRAL DEVERÃO VOLTAR PARA OS COFRES PÚBLICOS

deputado Jorge Picciani e ex-governador Sérgio Cabral


Prezados leitores, a devolução aos cofres públicos do dinheiro desviado pelos bandidos da política brasileira, como o ex-governador Sérgio Cabral, sempre foi uma cobrança da população, um sonho que está sendo efetivado.
Uma devolução de R$ 250 milhões já ocorreu e existe a possibilidade de uma devolução ainda maior.

"Revista Veja
Radar On-lie
Maurício Lima
Brasil
Governo do Rio pode ter novo ressarcimento de 350 milhões
Montante diz respeito a verbas desviadas por Sérgio Cabral
A devolução de 250 milhões de reais ao governo do Rio de Janeiro, surrupiados dos cofres públicos por Sérgio Cabral e cia, será apenas uma primeira etapa deste ressarcimento milionário. O dinheiro será usado para pagar o 13º salário atrasado de 146 000 aposentados e pensionistas. 
O Palácio Guanabara e o Ministério Público Federal calculam ser possível devolver mais 350 milhões de reais ao erário. O dinheiro viria de outras contas, além da venda de diamantes, joias e ações de empresas nas mãos da quadrilha do ex-governador. 
Nesta terça (21), está marcado um evento com a presença de Rodrigo Janot para celebrar o ressarcimento ao Palácio Guanabara. Luiz Fernando Pezão escapou do constrangimento. Quem vai representar o governo no evento é procurador-geral do Estado, Leonardo Espíndola (Fonte)". 

Juntos Somos Fortes!

VÍDEO - O ANTAGONISTA - CUIDADO, VEM AÍ #VOLTALULA

Prezados leitores, o site O Antagonista alerta a população brasileira para o surgimento da #VOLTALULA
Segundo o site uma grande empresa de São Paulo foi contratada para iniciar a propaganda petista.
Vamos aguardar...
Alguém poderia a mesma ideia e contratar uma empresa para começar uma campanha #FORATEMER , #FORA PEZÃO , #FORARENAN , #FORAPICCIANI , #FORARODRIGOMAIA , ... 


video


Juntos Somos Fortes!