BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

IMPEACHMENT DE PEZÃO: POR QUE PICCIANI NÃO INICIOU AINDA O PROCESSO?



Prezados leitores, as gestões de Sérgio Cabral e Pezão foram catastróficas para as finanças do estado do Rio de Janeiro.
Eles destruíram a saúde, a segurança e a educação públicas.
Nesses quase dez anos, a ALERJ recebeu várias representações solicitando a instauração de processos de impeachment contra esses péssimos gestores, mas não instaurou nenhum.
O resultado não poderia ser outro: a falência.
Agora querem que a população, os militares estaduais (Policiais e Bombeiros Militares) e funcionários públicos paguem a conta.
É hora de apurar responsabilidades sobre os sucessivos erros de gestão dos governos Cabral e Pezão, assim como, a inércia do presidente da ALERJ.
Eles que paguem a conta.

"Jornal Extra 
11/11/16 04:00 
Governo do Rio é notificado de que terá combustível cortado no dia 16
Evelin Azevedo e Nelson Lima Neto 
A partir do dia 16, próxima quarta-feira, o Estado do Rio vai ficar sem gasolina para abastecer sua frota, a começar pelas viaturas das polícias Civil e Militar, além das ambulâncias das unidades de Saúde. Este foi o aviso dado à Secretaria estadual de Planejamento, no último dia 9, pela BR Distribuidora — que fornece combustível para os órgãos da administração pública. A dívida do governo estadual com a empresa, vinculada à Petrobras, é de R$ 31.386.426,38.
A decisão da BR Distribuidora de cortar o abastecimento aconteceu após o governo quebrar um acordo firmado no dia 15 de julho. À época, a administração estadual assinou um ofício em que se comprometia a quitar dívida até aquela data, cujo valor era de R$ 72 milhões (confira os números detalhados ao lado). O problema é que, em outubro passado, a BR Distribuidora notificou o Estado do Rio de que ainda havia R$ 22 milhões a serem pagos do débito antigo. O governo, porém, não se manifestou. A empresa, portanto, decidiu cortar o fornecimento (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.