BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

domingo, 6 de novembro de 2016

PACOTE DE MALDADES: PICCIANI, PRESIDENTE DA ALERJ, NA MIRA DA LAVA-JATO



Prezados leitores, o grande aliado do governo Pezão-Dornelles, o presidente da ALERJ, deputado estadual Jorge Picciani (PMDB), foi denunciado como tendo recebido propinas em delação da Operação Lava-Jato.
Ele deveria ser afastado da presidência enquanto as investigações não fossem concluídas, mas apesar da gravidade das denúncias ele continuará ditando as regras naquela que foi no passado conhecida como a "casa do povo", mas que foi transformada na "casa do governo".
Salvo melhor juízo, o deputado não reúne condições para conduzir de forma vitoriosa o pacote de maldades do governo do PMDB.
A população, o funcionalismo, os Policiais Militares e os Bombeiros Militares imporão uma grande derrota ao governo.

"Jornal O Globo
Delator diz que Picciani pediu propina em três campanhas eleitorais
Braço-direito de Marcelo Odebrecht contou que dinheiro foi depositado em contas do BVA
por Chico Otavio / Daniel Biasetto
05/11/2016 4:30 / Atualizado 05/11/2016 14:21
RIO — O engenheiro Benedicto Barbosa Júnior, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura e braço-direito do empreiteiro Marcelo Odebrecht, contou em sua delação à força-tarefa da Operação Lava-Jato que o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Jorge Picciani (PMDB), cobrou propina da empreiteira em três campanhas eleitorais consecutivas. O dinheiro, segundo o executivo, foi depositado em contas que o BVA — banco de José Augusto Ferreira dos Santos, já liquidado pelo Banco Central — mantinha no exterior.
A delação de mais de 70 executivos da Odebrecht, entre os quais Benedicto Júnior, está prevista para ser assinada nos próximos dias. Por ora, não há detalhes sobre os valores de propina transferidos, números de contas bancárias ou obras diretamente relacionadas ao pagamento da propina. Como a competência para julgar Picciani no âmbito criminal é do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), o trecho da delação que diz respeito ao presidente da Alerj deverá ser remetido para o Rio de Janeiro (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

2 comentários:

  1. Que a delação saia rápido! É de grande relevância para enfraquecer essa figura nefasta que preside a ALERJ!

    ResponderExcluir
  2. AMIGOS DA PMERJ,

    ESSE SENHOR, QUE CHEGOU AO ERJ EM 1990, PROVENIENTE DO DO MATO GROSSO, COM UMA MÃO NA FRENTE E OUTRA ATRÁS, FUNCIONÁRIO DAQUELE ESTADO, EXONERADO A BEM DO SERVIÇO PÚBLICO, POR CRIME DE CONCUSSÃO E PREVARICAÇÃO, COM PENA ACESSÓRIA DE DEMISSÃO DO CARGO PÚBLICO QUE EXERCIA, É DEPUTADO HÁ QUASE VINTE E SEIS ANOS E MANDA E DESMANDA NESTE INFELIZ (EX)TADO.

    ESTE CIDADÃO, COM A FICHA MARAVILHOSA, ABAIXO COLACIONADA, É O DONO DO PMDBOSTA AQUI NO RJ, E SE DIZ A FAVOR DAS MEDIDAS ILEGAIS QUE O GOVERNADOR TENTA APROVAR NA CORRUPTA ALERJ E VAI APOIÁ-LO, E NÃO DUVIDO QUE VÁ CONSEGUIR!!!

    ESTE SENHOR CONSEGUIU ELEGER OS SEUS FILHOTES COMO DEPUTADOS E UM É MINISTRO DOS ESPORTES!!!!

    QUEM VAI NOS PROTEGER DO SENHOR PICCIANI????

    PAULO FONTES

    BLOG DO NÃO PICCIANI
    26 SETE 2010
    PICCIANI FOI ACUSADO E PROCESSADO PELOS CITADOS CRIMES DE PREVARICAÇÃO E CONCUSSÃO, EM PROCESSO DA 1ª VARA CRIMINAL DE RONDONÓPOLIS (MT).

    Os crimes teriam sido praticados em 1986, quando ELE TRABALHAVA COMO FISCAL DE RENDA no Estado. Chegou a ser expedido contra ele MANDADO DE PRISÃO PREVENTIVA.

    EXONERADO A BEM DO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A CONCLUSÃO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO, PICCIANI passou a responder pelos crimes no Fórum de Rondonópolis em 1990, mesmo ano em que se elegeu Deputado Estadual pela primeira vez, no Rio de Janeiro.
    “Processo nº. 0143648-07.1998.8.19.0001
    1998.001.141028-0
    Primeira instância - Distribuído em 04/08/1998
    Comarca da Capital Cartório da 26ª Vara Criminal
    Ofício de Registro: 4º Ofício de Registro de Distribuição
    Ação: Carta Precatória Criminal.
    Autor MINISTERIO PUBLICO
    Réu JORGE SAYED PICCIANI”

    Para arrematar seus FEITOS JUDICIAIS, o sr. JORGE PICCIANI ainda responde a outros dois PROCESSOS NA JUSTIÇA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO, QUE TRATAM DE DANOS AO MEIO AMBIENTE:


    1º Processo - nº 2005.51.08.000691-3 6001

    AÇÃO CIVIL PÚBLICA
    Autuado em 19/07/2005
    AUTOR: MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL
    PROCURADOR: HELDER MAGNO DA SILVA
    01ª Vara Federal de São Pedro da Aldeia.
    Objetos: MEIO AMBIENTE


    2º Processo - nº 2005.51.08.000717-6 10008
    Cautelar inominada.
    Autuado em 02/08/2005.
    AUTOR: MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL
    PROCURADOR: ORLANDO MONTEIRO
    01ª Vara Federal de São Pedro da Aldeia.
    Objetos: MEIO AMBIENTE
    (…)expedição da certidão de objeto e pé requerida pelo réu JORGE SAYED PICCIANI (…).

    MAIS GRAVE AINDA
    PICCIANI FOI EXONERADO a bem do serviço público do cargo de fiscal de rendas do Estado do Mato Grosso, como PENALIDADE aplicada após a conclusão de processo administrativo disciplinar instaurado contra ele.
    Certamente, de ex-fiscal de rendas a pecuarista milionário ele progrediu muito...

    Presidente da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, Jorge Sayed Picciani, do PMDB, é dono de uma empresa que consta da "lista suja" do trabalho escravo. Criada em novembro de 2003, a lista é elaborada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e relaciona pessoas ou empresas flagradas ao explorar trabalhador em condições análogas à de escravo em suas propriedades rurais.

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.