BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

POLICIAIS E BOMBEIROS ESTÃO COLHENDO O QUE PLANTARAM

(40 da Evaristo - 2007)


Prezados leitores, a semeadura é livre, a colheita obrigatória.
O ensinamento muito empregado em religiões, serve para explicar a crise relacionada aos pagamentos que está sendo enfrentada pelos Policiais Militares, Policiais Civis e Bombeiros Militares.
Ao longo dos últimos anos integrantes das citadas categorias realizaram mobilizações tendo como principal objetivo unir e fortalecer as suas instituições, isso para conquistar os objetivos imediatos de melhorar as condições de trabalho e receber salários justos.
Os salários e as condições de trabalho até melhoraram nesses quase dez anos de mobilização, iniciada em 2007 com os 40 da Evaristo e com os Coronéis Barbonos.
Na época as represálias sofridas pelos 40 da Evaristo e pelos Barbonos passaram em branco, ninguém se mobilizou contra as covardias, alguns ainda se beneficiaram.
A autofagia falou mais alto.
Nada de união, nada de fortalecimento.
Em 2011 os Bombeiros Militares deram um exemplo de união espetacular e algumas conquistas aconteceram.
Apesar do sucesso da união demonstrada não foi assimilada, não passou a nortear o pensamento e as ações da tropa, acabou se perdendo em razão dos interesses de pequenos grupos.
Nem Bombeiros Militares, nem Policiais Militares e nem Policiais Civis aprenderam nada com essa mobilização que reuniu dezenas de milhares de participantes.
Nada de união, nada de fortalecimento.
Uma prova clara dessa perda foi a prisão em 2012 de Policiais Militares e Bombeiros Militares e o encarceramento ilegal em Bangu 1.
Naque momento de mobilização das três categorias, o grupo que representava os Policiais Civis deu para trás na primeira cara feia do governo, dando meia volta e avançando, enquanto apresentava justificativas sem qualquer sentido.
Por sua vez, apesar da ilegalidade flagrante das prisões, as mobilizações contra esse ato ditatorial deveriam reunir todo o efetivo dos Policiais Militares e dos Bombeiros Militares, mas reuniram um número muito enorme, apesar do esforço dos que participaram, sobretudo, os familiares dos presos.
Nada de união, nada de fortalecimento.
Ao longo desses quase dez anos nós fomos semeando a desunião e o enfraquecimento das instituições, hoje estamos colhendo o que plantamos.
O governo não nos respeita, nem poderia, nós não nos respeitamos.
Nossas pensionistas e nossos Praças inativos de idade avançada estão passando por tremendas dificuldades, mas isso não nos faz mover um músculo.
O governo não paga em dia nossos salários, pensões e proventos, mas a inércia continua sendo a nossa marca registrada.
Não aprendemos a nos unir, só olhamos para o nosso umbigo.
Nada de união, nada de fortalecimento.
Vida que segue.

Juntos Somos Fortes!

5 comentários:

  1. O senhor falou tudo, agora infelizmente estamos pagando um preço altíssimo.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelas colocações, Coronel Paulo Ricardo Paul!
    É triste dizer, mas sempre soube que não seria diferente.
    Infelizmente, muitos oficiais estão ocupados tecendo a teia do ciclo completo; outros, com suas promoções, gratificações e nomeações, enquanto a maior parte das praças estão de quatro para continuar tendo tempo e escala de serviço para ir para a segurança, já que não vou falar sobre os que estão envolvidos com atividades ilícitas porque não são policiais militares, são bandidos.
    Sinto dizer, mas a desunião ainda vai aumentar muito. Estamos prestes a chegar naquele ponto em que os náufragos à deriva em um bote salva vidas comem uns aos outros para sobreviver.
    Sgt Foxtrot.

    ResponderExcluir
  3. Os culpados são os oficiais. Sempre foram. Não nos representam

    ResponderExcluir
  4. cilço Rufino- Boombeiro RReformado. Bacharel em Direito, Teólogo, compositor, político e escritor-poéta.

    O que é a Constituição?

    Muitos responderão , que é um contratão, RRealmente , é um Contrato Social. Mas quem assina um contrato?
    Todos nós assinamos indiretamente as Constituições, leis Orgânicas Municipais,, seja a Federal seja a Estadual, é claro do respectivo estado do brasileiro, carioca, etc, conforme o seu Estado, ora vejam bem, cada brasileiro é associado de um país chamado Brasil, cada carioca, cada gaucho , etc, são respecitivamente associados dos seus respectivos Estados e Municipios . Se um Estado vai bem, tem saldo na balança, no tesouro, todos os associados participam, se deve todos os associados pagam a conta> Um dos deveres dos associados é vigiarem para que a sociedade se comporte dentre de todos os princípios éticos, comerciais, não gaste além do convencionad no contratão, enfim para que a sociedade de pautem sem nenhuma distorsão, visando sempre o bem comum, dos associados, se estes se comportarem "relapsamente" , se não participam da fiscalização desta sociedade, ela pode falir e todos serão responsáveis pelos débitos, portanto o Coronel Paulo, articulista foi muito feliz na sua formação de opinião. PARABÉNS CORONEL!!!

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.