Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

quarta-feira, 19 de julho de 2017

"O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO 2013 - "... FOI MUITO BEM FEITO ..."



Prezados leitores, os promotores do GAECO do Ministério Público de São Paulo precisam ouvir a entrevista do advogado Osvaldo Sestário que defendeu o jogador Héverton da Portuguesa quando ele foi suspenso e ficou impedido de enfrentar o Grêmio no dia 8 de dezembro de 2013, mas acabou sendo escalado.
Sestário recentemente ganhou uma ação indenizatória da Portuguesa, onde ficou definido que ele comunicou a Portuguesa que Hérverton estava suspenso, portanto, existem indícios de que pode ter ocorrido uma escalação irregular intencional.
A entrevista é esclarecedora e ao final o entrevista afirma "... foi muito bem feito ...".
Um grupo de torcedores tem lutando pela reabertura e o aprofundamento das investigações, pois a permanência da dúvida só acarreta malefícios para os clubes e para o futebol brasileiro como um todo.
Lamento que a imprensa esportiva não esteja em campanha pela reabertura das investigações, embora tenha consciência que isso pode ser uma medida defensiva para não expor parte da imprensa.
Pior é a inércia da torcida do Flamengo, uma torcida gigante que deveria cobrar a reabertura do caso e com sua força teria boas chances de obter sucesso, mas os torcedores parecem estar preferindo esquecer o caso, talvez pelo fato do clube ser o grande beneficiado pela escalação de Héverton.
Se o Ministério Público de São Paulo não reabrir e aprofundar as investigações, perderá muito o pobre futebol brasileiro.
Não deixem de ouvir a entrevista.

"Advogado Da Lusa Na Época Do Caso Héverton Quebra O Silêncio 
Por FLUnômeno — 14:14 
Quem aí se lembra do advogado da Lusa em 2013, Osvaldo Sestário?! Já falamos sobre isso com mais detalhes em A Verdade sobre o Caso Héverton, mas voltamos rapidamente por aqui: André Santos (do Flamengo) foi escalado irregularmente na partida do Flamengo contra o Cruzeiro, válido pela última rodada do Campeonato Brasileiro, ocorrida no Sábado. No Domingo, no fim do jogo entre Portuguesa x Grêmio (se não estou enganado), Hevérton é escalado. No fim do Campeonato Brasileiro, Flamengo e Portuguesa foram punidas com 4 pontos. Com isso, a Lusa acabou rebaixada para a Série B em 2014. 
Na ocasião, o advogado da Lusa foi acusado de não ter avisado da escalação irregular da Lusa. Recentemente, ele ganhou uma causa contra a própria Portuguesa, provando que ele tinha avisado da escalação irregular. Em um podcast pelo portal Netflu, o advogado respondeu algumas perguntas sobre o caso. Confiram a entrevista abaixo. Muito bom. 
Só para lembrar: além de ter um livro escrito sobre o caso, a investigação do Ministério Público acabou sendo encerrada por falta de provas. Ou seja, ninguém realmente tem como saber o verdadeiro responsável pela queda da Lusa, o que é muito triste. Nós temos as nossas suspeitas, mas como não temos como provar por A+B, as coisas deverão ficar desse jeito mesmo..." (Acessem e ouçam a entrevista)".

Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

  1. Coronel Paúl, é difícil aceitar que um crime tão claro como esse, de tanta repercussão e conseqüências não teve a investigação que deveria ter tido.
    O ex-promotor do caso Roberto Senise ia bem e estava prestes a apontar corruptos e corruptores.
    Quando aconteceu um problema de cunho pessoal, ele passou o inquérito para o GAECO o qual, ao invés de melhorar o nível e a eficiência, nada fez a não ser repassar novamente o processo, desta vez para uma promotora, que acredito (com um pouco de preconceito, me perdoe) que entende tão pouco de futebol tanto quanto eu entendo de moda.
    O resultado foi o arquivamento do processo, com uma série de dúvidas pendentes, pessoas que não foram interrogadas (o principal suspeito, Héverton, foi ouvido por carta precatória) e até o seu livro sobre o assunto não foi lido pelos investigadores.
    Segundo o dicionário, prevaricar é
    1. Faltar, por interesse ou má-fé, aos deveres de seu cargo.
    2. Abusar do exercício de suas funções, cometendo injustiças ou causando prejuízos.
    3. Crime cometido por funcionário público quando, indevidamente, este retarda ou deixa de praticar ato de ofício, ou pratica-o contra disposição legal expressa, visando satisfazer interesse pessoal.
    Todos os dias o Sr. e vários torcedores colocam nas redes sociais notícias, informações e pistas para ajudar a desvendar esse caso. Nada é aproveitado e no final só nós estamos trabalhando e nos preocupando com o caso André Santos.
    Alguns dirão: “É coisa de torcedor”.
    Mas é por isso que a sociedade tem que ficar sem resposta? Por ser um crime ligado ao futebol? Então a partir dessa constatação, todos os crimes ligados ao futebol não podem ser punidos, porque é coisa de torcedor?
    Ou seja, quando um crime é cometido no ambiente do futebol, é permitido prevaricar?

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.