BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

A FOME INSACIÁVEL DO EX-GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL POR DINHEIRO



"Jornal Extra
12/07/17 18:53 Atualizado em 12/07/17 19:15 
Sérgio Cabral admite ter tido conta no exterior nos anos 1990 
O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) admitiu nesta quarta-feira, em depoimento à Justiça Federal do Rio, ter tido uma conta no exterior no fim da década de 1990, chamada de eficiência. Ele confirmou que tinha quase US$ 2 milhões. Cabral depõe no processo da Operação Eficiência e está sendo ouvido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7a Vara Federal Criminal do Rio. 
Essas informações tinham sido trazidas pelos doleiros Renato e Marcelo Chebar em delação premiada. Cabral disse que a origem do dinheiro era sobra de campanha. O ex-governador declarou, no entanto, que, por volta de 2003 comunicou aos irmãos que não queria mais manter as contas no exterior. 
Cabral negou, no entanto, que o dinheiro devolvido pelos doleiros seja dele. Os irmãos Chebar apontaram mais de US$ 100 milhões em contas fora do país e que seriam do peemedebista, do ex-secretário Wilson Carlos e de Carlos Miranda, apontado pelo Ministério Público Federal como operador de Cabral. O ex-governador disse ter ficado feliz do dinheiro ter sido devolvido ao governo do estado (Fonte)".

Policiais Militares e Bombeiros Militares começaram a lutar contra o governo o Sérgio Cabral-Pezão  no meio do ano de 2007, primeiro ano de governo.
A luta era por melhores salários e por adequadas condições de trabalho.
Nela participaram movimentos denominados como "40 da Evaristo", "Coronéis Barbonos" e "SOS Bombeiros".
Apesar do objetivo não ser na época derrubar o governo, a frase "Fora Cabral" logo apareceu nas ruas, saída que teria sido extremamente benéfica para toda população do estado do Rio de Janeiro, como comprova a realidade atual.
Pedidos solicitando a instauração de processos de impeachment na ALERJ foram protocolados e ignorados pelos deputados estaduais.
Em síntese, caso os deputados estaduais tivessem ouvido os clamores dos movimentos dos militares do estado do Rio de Janeiro, o Rio de Janeiro não estaria afundado em uma crise econômica que parece interminável.

Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

  1. Com certeza, Cel Paúl! E somos testemhunhas presenciais desses atos em parte liderados por Va Sa

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.