Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

terça-feira, 25 de julho de 2017

PRISÃO PERPÉTUA - O EX-GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL PODE CONVIVER CONOSCO?

ex-secretário de segurança Beltrame e ex-governador Sérgio Cabral


Prezados leitores, no Brasil não temos a previsão da pena de prisão perpétua, alteração que tenho defendido.
A pena seria aplicada em crimes específicos (assassinato de policiais e desvio de dinheiro público, citando exemplos) e quando ficasse evidenciado que o condenado não reúne condições de viver em sociedade, existindo um risco contínuo de reincidir nas práticas criminosa, caso seja colocado em liberdade.
Óbvio que o condenado a tal pena teria que trabalhar no cárcere para pagar as despesas do seu encarceramento, tendo em vista que nada justifica que a população as pague.
Prisão perpétua já!
Segundo o que tem sido noticiado, caso tudo seja confirmado ao longo dos julgamentos, o ex-governador Sérgio Cabral deveria ser condenado a prisão perpétua, sendo afastado definitivamente do convívio social.

"Jornal Extra
25/07/17 06:00 Atualizado em 25/07/17 06:55 
Traficante Marcinho VP conta em livro que Cabral pediu ajuda durante campanha 
Bruno Alfano 
O traficante Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, revela em livro que ajudou o ex-governador Sérgio Cabral na campanha de 1996 — quando o então deputado presidente da Assembleia Legislativa do Rio disputou o cargo de prefeito e perdeu. No texto, um manuscrito a que o EXTRA teve acesso com exclusividade, o traficante conta que a equipe de Cabral pediu o apoio dele no Complexo do Alemão e que o ex-governador esteve com ele durante uma hora num camarote na favela durante um show do Molejo. 
Na época do encontro, Marcinho já chefiava o tráfico local. Cerca de um mês depois, ele foi preso em Porto Alegre. Marcinho VP foi condenado a 44 anos de prisão — 10 por tráfico e outros 34 por mandar matar duas pessoas, crime que ele nega (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.