Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

domingo, 18 de janeiro de 2015

POLÍCIA MILITAR - WHATSAAP - (02) POR QUE A REVISTA VEJA NÃO REVELOU ESSAS MENSAGENS?



Prezados leitores, hoje damos sequência à série de artigos relacionados com a reportagem da Revista Veja sobre a Polícia Militar, baseada em mensagens de WhatsApp trocadas entre Oficiais e Praças da Polícia Militar, que obteve com exclusividade. 
Na reportagem foram publicadas mensagens que fariam apologia à violência no controle dos protestos de rua no Rio de Janeiro e ao nazismo.
A revista Veja informou que são milhares de mensagens trocadas entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, as quais estão reunidas em 230 páginas de um inquérito da Corregedoria-Geral da PM.
A revista não poderia publicar todas as mensagens, logo deve ter feito uma seleção das que considerou mais importantes.
Nós começamos a publicar algumas  que tivemos conhecimento, como as publicadas no primeiro artigo (Link), que não foram publicadas pela Revista Veja.
Hoje publicaremos uma mensagem, fazendo novamente a ressalva de que como são dados não confirmados, não podemos garantir que a mensagem seja real e que conste no IPM da Corregedoria Interna, mas se constar é muito grave, merecendo uma investigação muito rigorosa para o seu esclarecimento.

"01/01/14 19:43:01: +55 21 7756-0570 Morte ao Porco, Morte ao Ambiguo," (sic).

Será que a Revista Veja não recebeu essa mensagem tão séria ou recebeu e não selecionou para publicação?
Uma ameaça ou uma brincadeira de péssimo gosto?
Quem seria o "Porco"?
Quem seria o "Ambíguo"?
Eles estão vivos? 

Juntos Somos Fortes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.