BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

PACOTE DE MALDADES: SINAL VERDE PARA AUMENTAR DESCONTO DE 11 PARA 14%




Prezados leitores, os deputados estaduais estão com uma imensa dificuldade para entender que os militares estaduais (Bombeiros e Policiais Militares) e os funcionários públicos NÃO aceitarão qualquer desconto em seus pagamentos.
Não cederemos R$ 0,01.
Eles parecem estar querendo testar a nossa paciência ou não estão acreditando na força da nossa união.
No próximo dia 22, temos o dever de fazer um protesto, ordeiro e pacífico, reunindo, mais uma vez, milhares de mobilizados.

"Jornal O Dia
Coluna do Servidor: Aumento de alíquota tem sinal verde
Projeto que eleva contribuição previdenciária de 11% para 14% é aprovado por comissões da Alerj
18/11/2016 12:42:41 - Atualizada às 18/11/2016 13:16:52
Paloma Savedra
Rio - Foi inevitável. A prisão do ex-governador Sérgio Cabral e o desgaste do PMDB basearam discursos críticos de parlamentares sobre o pacote de austeridade do governo ontem na Assembleia Legislativa. O cenário foi um raio-x da dificuldade que o governo enfrentará para aprovar as medidas em dezembro. Apesar disso, o projeto mais polêmico — que aumenta a alíquota previdenciária do funcionalismo de 11% para 14% — teve sinal verde ao ser aprovado nas comissões. O texto recebeu 106 emendas (Leiam mais)".
 
Juntos Somos Fortes!

2 comentários:

  1. Aquele covil de ladrões(ALERJ) ainda não ouviu o recado! Dia 22/11 a vida deles irá virar um Inferno. Aguardem, canalhas!

    ResponderExcluir
  2. E as outras alternativas possíveis? Como redução dos salários do alto escalão, corte de cargos comissionados, dispensa funcionários cedidos para outros órgãos q recebem dois salários, corte de motoristas, carro e gasolina a milhares funcionários e ainda o cancelamento das isenções fiscais. Esse seria o tal Plano B que o governador se recusa a colocar em prática, prefere cortar na carne de quem já trabalhou a vida inteira ou nos que ganham menos

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.