BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

PROTESTO NA ALERJ: ATUAÇÃO DO BATALHÃO DE POLÍCIA DE CHOQUE



Prezados leitores, uma apertada síntese sobre uma situação complexa.
O Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) foi a primeira tropa considerada de elite da Polícia Militar.
Os seus integrantes recebiam treinamento especializado no controle de distúrbios civis.
Um treinamento extremamente rigoroso.
Nunca foi fácil ser do Choque e sempre foi uma honra pertencer ao Choque.
Só que em determinado momento, considerando o grande efetivo, o BPChq passou a ser empregado diretamente no policiamento ostensivo, inclusive em operações policiais militares em comunidades carentes, como se fosse um segundo Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE).
O resultado não poderia ser diferente e ao longo do tempo foi ocorrendo a perda da melhor capacidade técnica para atuar no controle de distúrbios civis.
A volta dos protestos populares nas ruas do Rio de Janeiro, encontrou um BPChq menos preparado e a imprensa usou e abusou em apresentar imagens com erros de seus integrantes.
Hoje o BPChq foi empregado no posicionamento ostensivo para proteção da ALERJ, assim como, o Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE), entre outras Unidades Operacionais.
Nas redes sociais o BPChq está sendo julgado em função da ação de alguns integrantes que atuaram de forma excessiva para controlar o distúrbio que se instalou após parte dos manifestantes derrubarem as barreiras perimétricas (cercas) instaladas.
Sem dúvida, ocorreram excessos, as imagens não deixam qualquer margem para dúvida, mas as condutas precisam ser individualizadas para a responsabilização de quem as praticou.
Ao atacarem o BPChq estão tomando a parte pelo todo, um erro grosseiro.
Não podemos esquecer que dois Policiais Militares do BPChq estão presos por terem se recusado a reprimir os manifestantes.
Isso sem falar em áudios do Whats App que citam que outros integrantes do BPChq se recusaram ao enfrentamento, inclusive permanecendo no quartel.
Não podemos também esquecer a conduta de integrantes do BPChq quando os Bombeiros Militares ocuparam o Quartel Central, eles se recusaram a invadir o Casarão Vermelho.
É melhor conhecer todos os fatos, antes de formar opinião.
Tomar a parte pelo todo é um erro, nesse caso, pode ser uma grande injustiça.

Juntos Somos Fortes!

4 comentários:

  1. De forma alguma os policiais em serviço devem confrontar servidores estaduais. Imaginem se juízes iriam condenar serventuarios da justiça e aposentados que se manifestassem ? É bizarro o que alguns Cmts vem fazendo. A quem defendem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, The Great, defendem promessa de promoções e gratificações. Sérgio Cabral destruiu a PM distribuindo promoções e gratificações. A PM não é mais uma PM, são várias PM dentro da PM.

      Excluir
  2. Infelizmente Cel a nossa sociedade é generalista, tem um ditado que diz fez com um fez com todos, os inocentes pagam pelos pescadores, e hoje fica impossível olhar para esse batalhão e não culpar a todos pelos atos que uma minoria deles cometeram.

    ResponderExcluir
  3. http://m.oglobo.globo.com/brasil/cabral-alvo-da-lava-jato-acusado-de-liderar-grupo-que-desviou-224-milhoes-em-contratos-de-obras-20478201

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.