BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

PEZÃO NÃO IRÁ PRIORIZAR PAGAMENTOS DOS SERVIDORES E DOS MILITARES



Prezados leitores, nós não temos nenhuma dúvida de que o ex-governador Sérgio Cabral (que está preso em Bangu 8) e seu vice (atual governador) Pezão não gostam dos servidores, dos militares (PMs e BMs), inativos (aposentados) e pensionistas.
Ao longo desses dez anos os dois deram claras demonstrações nessa direção.
Parece que nós atrapalhamos os interesses deles e dos seus assessores, sobretudo quando não nos curvamos aos seus desmandos e os denunciamos, como tivemos a oportunidade de materializar.
Temos que internalizar que eles não gostam de nós, nós não podemos gostar deles,
Devemos comemorar cada dia que Sérgio Cabral, esposa, auxiliares e amigos estão passando atrás das grades e devemos fazer todo o possível para colocar mais maus políticos na cadeia.
Eis o nosso norte.

"Jornal Extra 
Pezão sanciona orçamento, mas veta artigo que prioriza pagamento de servidor
Por: Fabiana Paiva em 18/01/17 13:31 
O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), sancionou e publicou, no Diário Oficial desta quarta-feira (18), o orçamento de 2017, que conta com um déficit de R$ 19,3 bilhões. O texto prevê uma receita de R$ 58,3 bilhões e pouco mais de R$ 77,7 bilhões em despesas.
Na publicação, o chefe do Executivo vetou o artigo que determinava prioridade no pagamento do salário dos servidores ativos e inativos.
Pezão também barrou a instituição do limite para concessão de novos incentivos fiscais. O artigo estabelecia um indicador de 1% da Receita Corrente Líquida do ano anterior como impacto financeiro para novos programas de incentivos fiscais.
Um terceiro artigo vetado pelo governador previa que os contratos com as OSs para gestão de unidades hospitalares poderiam ser substuídos por contratos com a Fundação Estadual de Saúde.
Além disso, Pezão discordou que fosse uma obrigação o envio dos balancetes dos contratos com as OS. O artigo 23 determinava que os números deveriam ser enviados à Assembleia Legislativa a cada seis meses.
Ele também vetou que o trecho da lei que estabelecia que as compras de medicamentos hospitalares deveriam ser, preferencialmente, pelo sistema de registro de preços.
Como justificativa para os cinco vetos, o governador afirmou que a Lei Orçamentária Anual (LOA) não pode conter artigos que não sejam especificamente sobre fixação de despesa ou receita (Fonte)". 

Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

  1. Todos os vetos são EXATAMENTE a causa da atual crise financeiro do Estado. Vale dizer: todos os vetos facilitam a corrupção, o peculato, as sonegações, o desvio de dinheiro público e a improbidade administrativa.

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.