Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

RIO - MASSACRE DE PMs CONTINUA - HORA DE MUDANÇAS NA ÁREA DA SEGURANÇA PÚBLICA



Prezados leitores, no Rio de Janeiro estamos vivendo um massacre de Policiais Militares, heróis assassinados covardemente por criminosos.
A principal causa dessa tragédia é a péssima gestão da segurança pública, uma verdade que alguns negam em não ver, isso há 10 anos.
Não podemos acreditar que ocorrerão mudanças, sem implantar um novo modelo de gestão, o que só ocorrerá com a troca dos gestores e da estrutura da segurança pública no Rio de Janeiro.
Nada justifica a existência de uma Secretaria de Segurança Pública, um órgão desnecessário e caríssimo, nós temos escrito sobre isso desde 2007.
As mudanças eram para ter sido implantadas ainda no início do primeiro governo de Sérgio Cabral (o que está preso em Bangu 8), mas o que se limitou a fazer nas crises foi mudar os Comandante Gerais da PMERJ e os Chefes da PCERJ.
É indispensável extinguir a SESEG/RJ e mudar os gestores, que devem ser do serviço ativo das instituições e escolhidos por seus pares.
Cabe ao governador Pezão adotar a nova estrutura e promover as trocas de gestor das instituições policiais, as outras serão decorrência natural.

"Jornal Extra
12/01/17 07:57 Atualizado em 12/01/17 08:05 
Soldado de UPP é morto com tiro na cabeça em comunidade na Zona Norte do Rio 
Ana Carolina Torres 
Um policial militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Parque Arará/Mandela foi morto com um tiro na cabeça, na madrugada desta quinta-feira. Por volta das 3h, o soldado Lira dirigia uma viatura quando, ao passar na localidade conhecida como Igrejinha do Mandela, na Favela do Mandela, na Zona Norte do Rio, dois bandidos que estavam numa moto abriram fogo. O agente ainda foi levado para o Hospital Quinta D'Or, em São Cristóvão, ainda na Zona Norte, mas não resistiu ao ferimento. Lira é o sétimo policial militar morto no Rio em 2017 (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes! 

Um comentário:

  1. Até quando vamos permitir esse massacre?

    Essa é uma pergunta que me faço quase que diariamente! Como é possível um pai família sai de casa para trabalhar e não se sabe se vai voltar ou não. De quem é a culpa? Dos Comandantes ou dos Subordinados? A culpa é nossa que não vemos nos policiais militares que estão sempre prontos a nos protegem como uma barreira contra o mal. Quem em sua nobre profissão morre a 3 horas da manhã? São pouquíssimas, mas uma certamente pode ser abatido às 3 horas da manhã, e talvez a 4 horas de acabar seu plantão, é o POLICIAL MILITAR. E foi o que aconteceu com mais esse guerreiro tombado em combate a 3 horas da manhã quando realizava supervisão na UPP da Mandela. Pode, isso acontecer? Claro que não! Esse é o sétimo policial que perdemos, o sétimo! Não é possível uma coisa essa acontecer, é preciso fazermos algo que pare esse massacre! O policial militar deve ser deixado de ser renegado pela maioria de nossa sociedade, pelo nosso governante, deixando-o com uma remuneração digna e condizente, equipando-o com equipamentos que de fato sirvam para sua proteção, como por exemplo, coletes balístico, juntamente com coletes proteção pubianas e braços, capacetes balísticos, armamentos, e tudo isso não for possível salvar sua vida, que não deixe a família dele desamparada, porque ele deu a sua vida à sociedade.

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.