BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

sábado, 4 de março de 2017

RIO - "SEM SALÁRIO EM DIA, ALTERNATIVA É INTERVENÇÃO FEDERAL"

deputado Jorge Picciani e ex-governador Sérgio Cabral


Prezados leitores, o deputado estadual Jorge Picciani, presidente da ALERJ, parece que continua dando as cartas no estado do Rio de Janeiro.
Até quando?

"Revista Veja
Maurício Lima
Radar On-line
Brasil
Picciani: ‘Sem salário em dia, alternativa é intervenção federal’
Recado
Por Gabriel Mascarenhas 
3 de março de 2017 
Jorge Picciani já avisou a Luiz Fernando Pezão para esquecer a possibilidade de a Alerj votar a proposta de aumento da contribuição previdenciária do funcionalismo antes de os salários estarem em dia. 
Agora, o presidente da Assembleia vai além: “Se os salários não forem pagos, a única alternativa é o governo federal fazer uma intervenção no Rio de Janeiro (Fonte)”.

Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

  1. Faz tempo que venho dizendo entre amigos que o caso do RJ não tem outra solução. Todas as medidas ensaiadas por este projeto de governador e seus cupinchas da Alerj visam único objetivo: salvar a pele de Pezão até o final do mandato. O proximo governador vai ficar numa fria. Não tenho a menor dúvida de que Pezão foi eleito apenas para tentar encobrir os rastros deixados por Cabral e PMDB/RJ. Imaginem se um Freixo ou um Garotinho, por exemplo, eleito fosse, não iria auditar contas e remexer tudo... O RJ está muito próximo de um colapso. Como está caminhando, não demora muito, teremos uma convulsão social. Portanto, já que o governo/ERJ se mostra incapaz de cuidar da economia, da saúde, da educação e da segurança pública (nem precisamos considerar "n" investigações por corrupção e/ou improbidade administrativa), resta à União intervir ou o caos se instalará. Não sou eu quem diz, é a Constituição Federal. Entretanto, existem dois problemas: Temer não poderá lançar mão de medidas provisórias e Pezão não quer decretar o final de seu "governo" mediocre. Sem intervenção os salários continuarão atrasando, os hospitais, escolas, UERJ, batalhões e delegacias continuarão dependendo do improviso dos seus gestores. Já passou da hora dessa bomba ser jogada no colo do Temer (PMDB/BR) para que o alto escalão do PMDB se vire. Mesmo porque o RJ era um dos filhos ricos do Brasil que ajudava a sustentar os outros 26 irmãos. Agora que o RJ foi roubado, violado, brutalmente espancado, está na hora dos seus 26 irmãos darem uma fortinha. O que não podemos aceitar são servidores e contribuintes cariocas e fluminenses sofrendo por causa de um governo incapaz e mal intencionado.

    Temer, Pezão, PMDB, STF, Brasil... Se virem ou assumam os ricos do caos que poderá ocorrer no RJ pela falência da maquina pública.
    Depois não vão dizer que não foram avisados.

    Sgt Foxtrot.

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.