Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A FACE DA DESUMANIDADE DENTRO DO CBMERJ

Prezados leitores, transcrevemos artigo publicado no SOS Bombeiros RJ.




"domingo, 8 de janeiro de 2017
A FACE DA DESUMANIDADE DENTRO DO CBMERJ
Oficial enfermeira é presa em cela no quartel do Humaitá simplesmente por não ter condições de saúde para dar continuidade ao serviço, mesmo tendo informado ao médico coordenador da regulação suas debilidades de física e emocionais. 
Essa é uma daquelas histórias de enojar. Era só questão de tempo para que um militar que corre na ambulância do SAMU tombasse, mas o pior não é tombar, mas sim ser empurrado para o buraco por aqueles que deveriam acolher. O tratamento dispensado à Tenente Melissa foi CADEIA. 
Melissa, tenente enfermeira do CBMERJ, neste último final de semana, correndo na ambulância de campo grande (quem conhece sabe que é chapa muito quente) depois de várias ocorrências no dia, informou ao médico coordenador da regulação do SAMU que não estava bem e não poderia dar continuidade ao serviço. Solicitou ajuda, havia chegado no seu limite. Do outro lado da linha o médico frio, um tanto quanto sarcástico, desacreditou dos relatos da militar, desconsiderou seu histórico clínico de síndrome de esgotamento e tratamento de depressão (faz uso de fluoxetina, Clonazepam e imipramina uso regular) e determinou que a mesma continuasse. Imediatamente se negou, agora ela é quem precisava de socorro. Quando regressou ao quartel recebeu do oficial de dia voz de prisão por insubordinação vinda por ordens superiores (Cel Simas). Ainda tentaram convencê-la de ir para o evento seguinte a fim de amenizar, porém a Ten Melissa não tinha a menor condições e não foi. 
Conduziram na até a corregedoria, lavraram o auto de prisão em flagrante (mesmo alegando necessidade de atendimento médico e apresentando sintomas diversos) prometeram levá-la até a psiquiatria, contudo jogaram na numa cela insalubre no quartel do Humaitá com água potável somente na garrafa (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

2 comentários:

  1. Me desculpem, mas esse militarismo da PM e do BM só serve para isso aí, cometer arbitrariedade contra subordinados usando como desculpa o regulamento disciplinar do Exército e o código penal militar. Nenhum desses diplomas legais que citei foram criados pensando em policiais (defensores da cidadania) e bombeiros (defensores da cidadania). Se ainda chamam esses feitores de oficiais é para justificar a existência de um auditoria militar estadual, igualmente inútil e consumidora de verbas por nada que a justifique. Vocês não perdem por esperar pq está chegando o dia que a sociedade abrirá os olhos e exigirá instituições estatais desprendidas de qualquer traço que contenha arbitrariedade. É o que um anônimo falou em algum comentário outro dia, os oficiais das forças armadas devem sentir muita vergonha de vocês receberem os mesmos títulos.
    "Aqueles que se opõem à revolução de forma pacífica viabilizarão uma revolução violenta".

    ResponderExcluir
  2. Só não ver quem não quer, os servidores estão doentes!
    Este governo de abutres do PMDB (cabral e cia) destruiu o Rio de Janeiro. Nossos servidores estão doentes levado a exaustão por causa da carga extenuante de trabalho e não remuneração digna por esse trabalho. Um oficial do CBMERJ pede socorro e não é atendida. Sendo ela um profissional responsável pelo atendimento da população que necessitam de socorro, não foi afastado do serviço para se cuidar e acabou sendo presa, porque não trabalhar a escala de serviço. Um policial civil entra em confronto balístico com seu irmão também policial civil por causa de herança e morre. Que ponto chegamos, a força de segurança do nosso Estado se deteriorando como zumbis. O que precisaríamos fazer para reverter este quadro caótico que se imergiu o Rio? Só vejo uma saída, a RENÚNCIA JÁ! PEZÃO E CIA. NOVA ELEIÇÕES JÁ!!!!

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.