BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

quarta-feira, 26 de abril de 2017

RIO - POLÍCIA MILITAR PODERÁ PERDER (MAIS) ESPAÇO PARA GUARDA MUNICIPAL



Prezados leitores, ao longos dos últimos anos a Polícia Militar vem perdendo espaço em termos de policiamento ostensivo para as Guardas Municipais existentes nos municípios do estado do Rio de Janeiro, isso é um fato.
Segundo o prefeito Crivella o movimento no sentido de perder terreno continuará.

"Jornal O Globo
Guarda Municipal do Rio assumirá funções de policiamento, diz Crivella 
Corporação recebeu doação de 250 motocicletas, que serão usadas no patrulhamento 
por Renan Rodrigues 
25/04/2017 20:53 / Atualizado 25/04/2017 20:54
RIO - Em meio a uma crise de Segurança Pública do estado do Rio, os agentes da Guarda Municipal do Rio de Janeiro ganharão uma nova função no policiamento carioca. O prefeito Marcelo Crivella anunciou nesta terça-feira, durante um evento com o secretário municipal de Saúde, Carlos Eduardo, em uma clínica da família de Padre Miguel, que "dentro de um mês" os agentes da corporação estarão com 250 motocicletas que serão usadas no patrulhamento de áreas comerciais de bairros como Campo Grande, Méier, Tijuca e Copacabana (Leiam mais)".

Juntos Somos Fortes!

6 comentários:

  1. Eu tenho repetido, mas muita gente ignora... A própria PMERJ, na pessoa dos seus coronéis, está destruindo a sua importância no sistema de segurança pública. Muitos gênios preocupados em assumir o papel de outro órgão esqueceram o que faz uma polícia ostensiva preventiva. Logo, cederam espaço para que outros órgãos (municipais) ganhassem notoriedade, respeito. Parabéns, senhores, o fim está cada vez mais próximo e isso é de inteira responsabilidade de voces. Porém, sempre existirá alguém vestindo uniforme para inibir a ação dos criminosos. O nome da corporação, o regime, a cor do uniforme? Não importam. O que importa são homens e mulheres patrulhando as ruas para garantia da ordem e da paz, coisa que a PMERJ abriu mão de fazer para forçar o ciclo completo de polícia e garantir a existência de um oficialato militar com ares de delegados de policia (vaidade e poder pessoais em detrimento da PM e da sociedade). Gostem ou não os senhores oficiais, saibam que vocês endossaram as vozes que questionam o porquê de existir uma polícia militarizada com milhares de homens trancados em seus gabinetes. A tendência é a polícia ostensiva se tornar um grande empreendimento público X privado por causa dessa bizarrice de existir uma polícia estatal militarizada que empresta seus homens para esses projetos elitistas não menos bizarros como Lapa, Aterro, Méier (tudo Legal ou Presente) e outras "polícias privatizadas" que a imprensa e o fiscal da lei, MPERJ, não questionam. Somente neste Brasil mesmo. O povo paga impostos para serem revertidos em segurança pública, mas o gestor público ignora sua missão constitucional, "aluga" os agentes e os serviços para pessoas juridicas e agentes privados que puderem pagar. E NINGUÉM QUESTIONA NADA, MAS APLAUDE.
    PO, RP e Supervisão diuturnamente. Só que não... Frustrados querem poder, poder e mais poder.
    Seja bem-vinda, GM-Rio, precisamos de vocês para resgatarmos nosso direito de ir e vir.

    Sgt Foxtrot

    ResponderExcluir
  2. O título desta postagem é que está errado, o título deveria ser: “RIO – GUARDA MUNICIPAL OCUPARÁ ESPAÇO ABANDONADO PALA POLÍCIA MILITAR”

    ResponderExcluir
  3. Excelente comentário do sgt Foxtrot, a guarda está fazendo a simples função de PM, assim como fazem os agentes do projeto presente. O básico é o pog tranquilo com visibilidade fazendo ronda e não estático em frente a determinados locais só nos sabemos os motivos. Subir favela para combater tráfico passa para a PF, em relação aos mandados de prisão com a civil. Simples assim, se não fazemos o feijão com arroz não adianta querer ampliar as funções, primeiro vamos nos tornar profissionais no ostensivo depois ... Depois a gente pensa em se meter no caminho dos outros. Vamos arrumar ideia deles entenderem que é melhor municipalizar as polícias, face aos olhos desses caras em poder

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com este país falido e Rio de Janeiro mais do que falido, pode ser que alguém sugira a municipalização das polícias para torná-lase mais eficientes e enxutas. Depois especialistas a soldo e segundas intenções vão dizer que é conspiração comunista para enfraquecer as forças auxiliares do EB. Balela. Desonestidade para manipular a opinião pública. Acordem antes que sejamos extintos.

      Excluir
  4. Clivella deveria ser mais abrangente: colocar a guarda municipal, também, no Complexo do Alemão pra enfrentar a "ponto 30" da rapaziada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está enganado, amigo. Nem a PMERJ deveria estar no Complexo do Alemão pra enfrentar a "ponto 30" da rapaziada... Isso é problema da PF e da PCERJ. Esse pensamento de que polícia militar é uma implacável infantaria está errado. Por isso somente praças perdem a vida, enquanto outros atores enriquecem, levam a família para passear em Orlando e se mantém vivos para um dia receberem o teto salarial do Estado. Deixemos de ser massa de manobra a troco da aventura e migalhas e façamos o que a Constituição Federal manda, feijão com arroz preventivo. Com todo o respeito que você merece, somos os idiotas úteis que mantêm o emprego de muitos bandidos da folha de pagamento do Estado que se aproveitam dessa "idéia do praça ser caçador de traficantes", desde 1809.

      Excluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.