Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

RÉVEILLON - PREFEITO EDUARDO PAES "FOGE" E NÃO CONTESTA CARTA ABERTA DA AOMAI



Prezados leitores, a "fuga" do prefeito Eduardo Paes para não comentar o conteúdo da Carta Aberta da AOMAI demonstra o acerto da nossa medida ao pedir o cancelamento das festas nas praias para PRESERVAR A INTEGRIDADE DAS PESSOAS.
A postura do prefeito aumentou a sua responsabilidade na garantia da segurança das pessoas.

"UOL Notícias
Paes foge de polêmica com PM e diz que Réveillon em Copacabana será "festa linda"
Vinicius Konchinski
Do UOL, no Rio 29/12/201611h22
Um dia depois de a Aomai (Associação de Oficiais da PM e Corpo de Bombeiros) recomendar em carta aberta o cancelamento da festa de Réveillon de Copacabana, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), confirmou a realização do evento. 
"Claro que vai ter Réveillon. Será uma festa linda em Copacabana", afirmou Paes, questionado sobre o pedido de policiais. 
Policiais e bombeiros do Rio sugeriram o cancelamento da festa devido à "grave crise política e financeira que atravessa o Estado". Servidores estaduais, incluindo os policiais, têm convivido com constantes atrasos em pagamentos de salários por falta de recursos. 
Paes não quis comentar a situação de funcionários do Estado. Disse que essa questão deve ser discutida com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). Mesmo assim, descartou o cancelamento das festividades de Ano Novo, que são organizadas pela prefeitura. 
Só a festa de Réveillon em Copacabana, praia da zona sul da cidade, costuma reunir até 2 milhões de pessoas. O evento custa cerca de R$ 5 milhões, que são gastos com shows e fogos de artifício (Leiam mais)". 

Juntos Somos Fortes!

4 comentários:

  1. Se eu fosse o prefeito diria o seguinte: "caros senhores, quando vcs estão no topo do comando na ativa não medem esforços no sentido de atender aos desejos do governador, sejam eles legitimos e legais ou não, seja com o custo da exploração indiscriminada em escalas absurdas, sem agua e comida. Agora querem bancar os profetas do apocalipse. Se os senhores estivessem no comando, diante das atuais circunstancias, o que fariam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja inconformado, mas não seja ignorante com relação aos fatos. A carta foi elaborada e assinada por Oficiais que enfrentaram o governo Cabral quando estavam na ATIVA. Eu era o CORREGEDOR INTERNO.

      Excluir
  2. E qual a parte que é mentira coronel em que os coroneis sempre fizeram de tudo para cumprir a missão dada pelo governador, ainda que não houvesse os meios necessários?
    O sr enfrentou o Cabral, sim, e o Garotinho? E o seu secretário pro-drogas Luiz Eduardo Soares com a sua Nova Policia? Fazem o que querem conosco até hj pq a Institui~ção não se posiciona tecnicamente coronel. Se o governador manda o medico usar a moto-serra no lugar do bisturi ele não o faz; já a PM se sujeita a fazer tudo da maneira que pode é dá, sem nunca reclamar "o seu bisturi." Igmorãncia é não perceber que o sr ajudou a construir essa cultura institucional de fazer de tudo a qualquer custo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você já se deu conta que não existe. Você é um apelido. Uma sombra. Alguém escondido atrás da porta, vociferando queixumes em meu desfavor. Primeiro, exista, como eu, terei o maior prazer em argumentar.

      Excluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.