BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

GOVERNO QUEIMOU 700 TONELADAS DE REMÉDIOS E QUEREM QUE NÓS PAGUEMOS



Prezados leitores, lembram da queima dos remédios?

"Revista Veja
Governo do Rio queima 700 toneladas de medicamentos e material hospitalar
Relatório obtido por VEJA revela leniência e má gestão em meio à crise que se abate sobre a saúde pública fluminense
Por Da Redação
23 fev 2016, 15h36
Filas, pacientes em macas nos corredores, médicos sem receber e remédios e material hospitalar em falta são alguns dos sintomas da crise que devasta a saúde pública do Rio de Janeiro, um misto de ineficiência, desvios e escassez de recursos que levou o sistema ao colapso. Em dezembro, os serviços de pronto socorro das principais unidades fecharam as portas e o governador Luiz Fernando Pezão decretou situação de emergência no estado. Pois nesta situação em que falta de tudo uma investigação da própria Secretaria da Saúde, a que VEJA teve acesso, revela que 700 toneladas de remédios e materiais foram incineradas (isso mesmo, sumariamente queimadas) entre junho de 2014 e março do ano passado. O prazo de validade dessa montanha de suprimentos essenciais expirou sem que ninguém evitasse o desastre anunciado, um erro básico de gerenciamento de estoque e inequívoco retrato da incompetência. Era de esperar que ao menos os responsáveis fossem severamente punidos. Mas não: o governo optou por abafar o caso e desmobilizar a equipe investigadora (Fonte)".

"Site G1
02/03/2016 15h16 - Atualizado em 02/03/2016 20h16
RJ pagará quase R$ 3 milhões para queimar medicamentos vencidos
Informação foi divulgada nesta quarta-feira (2), na Alerj.
Foram achadas centenas de toneladas de material vencido em depósito.
Nicolás Satriano
Do G1 Rio
Em meio à crise financeira, o governo do Rio de Janeiro terá que desembolsar quase R$ 3 milhões para concluir o trabalho de incineração dos medicamentos fora da validade estocados na Central Geral de Abastecimento da Secretaria de Estado de Saúde, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (2), na Assembleia Legislativa (Alerj)- (Leiam mais)".

Juntos Somos Fortes!

Um comentário:

  1. isso sempre foi assim,os funcionários são os primeiros a negar dizendo que não tem,vai chegar malditos !! ai a pessoa desiste ai eles jogam fora e coloca a culpa no administrador que é também omisso e vida que segue a conta? já estamos pagando, mais nem assim esses malditos que trabalham para destruir tomam jeito,agora sofrem do mesmo mal, salários atrasados . desde do império que era assim,está no DNA do servidor publico.

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.