BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS ESGOTADOS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os próximos livros a serem publicados pelo Coronel Paúl, basta encaminhar e-mail para pauloricardopaul@gmail.com e forneceremos informações.

terça-feira, 9 de maio de 2017

VÍDEO - RIO - VIOLÊNCIA - SERÁ QUE O GOVERNO FEDERAL VAI REPETIR OS ERROS DO PASSADO ?

Prezados leitores, infelizmente, tudo indica que apesar da anunciada ajuda do governo federal, a tendência é que a violência aumente no estado do Rio de Janeiro.
Salvo melhor juízo, o governo federal não quer assumir as suas responsabilidades no enfrentamento dos grupos armados que dominam partes do território brasileiro (comunidades carentes).




"Jornal O Globo
Ministro da Defesa diz que plano de segurança para o Rio será semelhante ao implementado na Olimpíada Raul Jungmann destaca que maior urgência é atacar a 'cadeia de comando' do crime organizado no estado 
08/05/2017 15:59 / atualizado 08/05/2017 17:09
RIO - O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou nesta segunda-feira que o plano de segurança que está sendo elaborado para o Rio será semelhante ao implantado no estado durante os Jogos Olímpicos, no ano passado. Segundo informações do portal de notícias G1, Jungmann considera que a maior urgência para enfrentar a crise na segurança é atacar aquilo que classifica como "cadeia de comando do crime".
Ao falar sobre o envio das tropas da Força Nacional ao Rio, o ministro ressaltou que o modelo será diferente do feito com base na Garantia da Lei e da Ordem (GLO), utilizada antes do Carnaval.
- Não adianta você ficar pegando o pequeno traficante, o pequeno criminoso, quando os barões continuam soltos. Nós precisamos pegar a cadeia de comando do crime para poder de fato ajudar a mudar a sensação de insegurança que o carioca vive. 
Jungmann ressaltou que a utilização de tropas federais na rua funciona como uma solução momentânea, com a criminalidade voltando a subir depois que militares das Forças Armadas e agentes da Força Nacional deixam o estado.
- Aquilo (a GLO) dá uma sensação de segurança, dá um alívio, como baixar uma febre, mas aquilo não resolve os nossos problemas. Quando você põe as tropas nas ruas, o crime se retrai, quando você sai ele volta. Nós precisamos fazer com que essa dinâmica não aconteça - resumiu (Leiam mais)".

Juntos Somos Fortes!

3 comentários:

  1. Os barões vão continuar soltos sim, e dos que foram presos, alguns já foram postos em liberdade pelo STF.
    Se pegar a cadeia de comando do crime, quem substituirá Temer e seus ministros denunciados na Lava Jato?

    ResponderExcluir
  2. O crime, no Rio em especial, e nas grandes e medias cidades já é uma "Cultura"! Essas "promessas e iniciativas, são continuação da tentativa de sempre, do Estado, de enrolar a população com mentiras e ineficácias políticas! Tá na hora do Governo liberar o porte de arma para população ter meios de defender suas famílias, mecher na Legislação aumentando a punição, acabar com o "politicamente correto" nos presidios, a começar pir instação geral de bliqueadores de celulares e visitas mais esparsas e controladas etc, desmantelamento da "inteligencia" do crime, maior autonomia do policia agir em resposta ao crime, atualização de armamento , veículos e aparelhamento para a Policia , e desvinculamento do comando das Polucias de influencias politicas ou como lacaios do judiciario e trabalhos internos, revisão do programa "UPPs" , e muito mais!! Na verdade não acredito mais em soluções políticas ; já nascem estragadas nas idéias até na implementação; a verdade é que o Estado está em colapso; e deles nâo há nada a esperar e sim só devemos fazer exigencias e pressão , enquanto nos articulamos como sociedade civil num "estado paralelo de sobrevivencia"

    ResponderExcluir
  3. Tá na hora é da desobediência civil.

    Quem sabe, sem o dinheiro que pagamos através dos impostos, Estado e União entendam que precisam agir de vdd, e não somente para a produção de matérias jornalísticas?

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. O conteúdo dos comentários são de sua responsabilidade.