Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

domingo, 29 de julho de 2012

A POLÍCIA MILITAR DEVE SER EXTINTA?


Prezados leitores, bom dia!
FOLHA DE SÃO PAULO.
A Polícia MIlitar deve ser extinta?
No dia 30 de maio, o Conselho de Direitos Humanos da ONU pediu ao Brasil maiores esforços para combater a atividade dos "esquadrões da morte" e que trabalhe para suprimir a Polícia Militar, acusada de assassinatos.
Ao todo, foram 170 recomendações que compõem o relatório elaborado pelo Grupo de Trabalho sobre o Exame Periódico Universal (EPU) do Brasil, uma avaliação à qual se submetem todos os países.
Para vários membros do conselho (como Dinamarca, Espanha e Coreia do Sul), estava claro que a própria existência de uma polícia militar era uma aberração só explicável pela dificuldade crônica do Brasil de livrar-se das amarras institucionais produzidas pela ditadura.
Você concorda com a extinção da Polícia Militar? (Leiam).
Votem na pesquisa (Link).
Juntos Somos Fortes!

8 comentários:

  1. O Governo do Estado do Rio de Janeiro nunca vai querer acabar com a Polícia Militar! A PMERJ tem o pior salário do Brasil e péssimas condições de trabalho, mas ninguém luta por melhorias, por causa do militarismo. Se não fosse Militar, a situação seria diferente...

    O dinheiro público deveria ser utilizado para pagar os profissionais que prestam serviços essenciais à população, como Bombeiros e Policiais Militares. Um Estado que tem a segunda maior arrecadação de impostos do país poderia, ou melhor, deveria pagar aos referidos "heróis sociais" cerca de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais, para cobrir as despesas básicas de sobrevivência, já que o custo de vida no Rio é altíssimo! A insatisfação das tropas da PMERJ e do CBMERJ, por ter o pior salário do Brasil e pelas péssimas condições de trabalho, é evidente!

    ResponderExcluir
  2. 29/07/2012
    A FARSA DA PACIFICAÇÃO DO COMPLEXO DO ALEMÃO

    Reprodução do jornal O Dia


    Notem que isso é porque dizem que o Complexo do Alemão está pacificado e só existiria uma reação de meia-dúzia de traficantes desesperados e enfraquecidos, como dizem Cabral e Beltrame. No momento o efetivo de policiais das UPPs do Alemão totaliza 1.200 soldados, isso corresponde a três batalhões da PM. Agora vai mais um batalhão pra reforçar o policiamento, mais 500 soldados, sem contar o BOPE.

    Só uma coisa me surpreende nessa história toda: como é que com 1.200 policiais militares dentro do Complexo do Alemão, os traficantes continuam vendendo drogas livremente, com filas de usuários para comprar. Será que os 1.200 soldados não conseguem ver isso? Com a palavra o secretário Beltrame, quando chegar da temporada turística nos Estados Unidos. Isso se dos Estados Unidos não der um pulinho pra ver as Olimpíadas de Londres.
    Fonte:
    http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=11448

    ResponderExcluir
  3. Coronel,
    Óbvio que concordo!

    Inclusive, já falamos sobre o assunto quando em pauta o Sistema Policial Brasileiro.

    Somos Policiais Militares e aprendemos a nos comportar exclusivamente como militares, principalmente o oficialato. Mas não podemos ignorar o fato de que este tipo de polícia é capenga, contra a ordem natural de que polícia serve para proteger o cidadão - e não para ir à guerra - e antiquado. Nossa educação militar e corporativista saltam aos olhos, de maneira que o cidadão, principal utilitário dos serviços prestados por uma polícia, sente repulsa. Além do mais - e sem precisar ser muito estudioso nas ciências sociais e segurança pública -, estamos em pleno século XXI, onde há uma Constituição Federal voltada ao cidadão e a intenção de que a polícia trabalhe para proteger o cidadão, e não somente o Estado como se pensou quando foi criado um "exército" estadual.

    Militar, em tese, não pensa... cumpre ordens (inclusive ordens absurdas); mas Policial precisa pensar, pois estará mediando conflitos sociais na maioria da vezes sozinho... sem a companhia dos seus generais. Também não se pode esquecer que o militar é forjado para matar, destruir... é a natureza do ser militar. Então, como podemos querer uma polícia educada, moderna, moderada ao lidar com o cidadão se continuamos formando-os com o pensamento militar? Inclusive praticamos horrores nas academias (praça e oficial) apenas pelos dogmas que, no muito, satisfaz o ego de superiores (pura diversão que moldará com maldades o caráter profissional dos homens).

    Antes que me acusem de odiar a Corporação - o que será apenas um mecanismo de defesa daqueles que não têm argumentos para rebater a minha opinião, somente gostar das pompas militares -, deixo claro que sou altamente militar; contudo, em busca de uma instituição policial eficiente, adequada e humana.

    As técnicas militares aos casos especiais serão sempre o plus para determinadas ações - como é o caso dos atiradores, das intervenções táticas e dos deslocamentos nas áreas em que é sabido haver conflito com marginais tão bem armados. Nos países de primeiro mundo que estamos sempre tentando imitar nas coisas fúteis, não há polícia militar; se há, é para lidar com militares, e não com as pessoas civis.

    Desculpe-me, coronel Paúl, oficial a que tenho muito respeito, MAS POLÍCIA MILITAR SÓ SERVE PARA AQUELES QUE SERÃO CORONÉIS E PARA O ESTADO MANIPULAR A TODOS.

    O cidadão precisa de homens uniformizados nas ruas impedindo que o crime aconteça (Polícia Ostensiva), mas não precisa de banda marcial e congêneres.

    O pensamento militar para lidar com nossos conterrâneos, por si só, já é uma afronta ao que se esperava do processo de redemocratização iniciado em 1979. O LEGISLADOR NÃO NOS EXTINGUIU EM 1988 PARA PODER SE VINGAR, acabou demonstrando uma verdadeira antítese em relação ao processo democrático.

    Sgt Foxtrot

    ResponderExcluir
  4. Caro coronel,não cabe mais a figura de uma polícia militar, policiando cidadãos civis dentro de uma democracia.
    Ao todo, foram 170 recomendações.
    Falta muito para o Brasil poder fazer parte da ONU.

    ResponderExcluir
  5. Caro Cel Paúl.

    Acredito que seja um consenso a necessidade, premente, de modificações na estrutura de Governo, o que abrange o atual modelo do aparelho policial, tanto civil como militar. No entanto, não tenho certeza de que todas as mazelas da nossa Corporação, tenham origem na sua tradição militar ou algo que o valha. Se assim o fosse, nossos Poderes Instituídos, Executivo, Legislativo e Judiciário, não estariam diuturnamente nas "manchetes" midiáticas e não teríamos uma sociedade tão desestruturada. Estão atacando o efeito e não a causa. Apesar de não ter, obviamente, a solução para este impasse, creio que chegaríamos bem próximo dela através da educação de qualidade, para formarmos cidadãos críticos, autônomos, capazes de discernir direitos e conscientes de que a cada um deles, existe uma contrapartida para com a sociedade. Sabedor de que ele não está sozinho e que de sua atitude depende o exemplo, não só para seus descendentes, mas para todos os que o cercam. Um cidadão completo, que saiba representar aqueles que a ele confiam a administração da coisa comum, como condição "sine qua non" para uma sociedade, se não justa, organizada. Que elaborem "NORMAS", não para se beneficiar ou se eximir de responsabilidade, mas para regular conduta e estabelecer punições caso ocorram desvios. Creio, caro Coronel, que assim sendo, os demais elementos necessário para organizar a vida em sociedade, virão por acréscimo. Porém, enquanto tivermos filas nos hospitais, crianças nos "lixões", "cracolândias" a céu aberto, causados pelos "mensalões" e pela IMPUNIDADE, não haverá "fórmula mágica" que consiga organizar este "caos".
    Meus respeitos.

    Hiran Quintanilha
    TEN PM RR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belo texto, tenente!
      Contudo, a degradação social não é o que está em pauta, mas sim este sistema esdrúxulo e contrário à Democracia plena como os brasileiros desejaram e conquistaram ao longo das últimas décadas. Policiar as ruas por meio de uma polícia MILITAR enquando a nação é governada por civis?! O cidadão evoluiu do regime autoritário para o Regime Democrático... e disto estamos tratando para que tal regime alcance as PMs do país inteiro. Não lhe parece esquisito ter um governo, uma sociedade e uma Constituição Federal banhados de liberdade e de direitos enquanto a polícia que lhes assegura a paz seja, em essência, uma tropa de guerra?

      É lógico que não são todas as mazelas da corporação originadas nas tradições militares, mas a maior parte de nossa ineficiência tem origem nos dogmas e paradigmas puramente militares. A corrupção é um mal da sociedade como um todo, e não exclusividade de qualquer polícia, como citado pelo senhor. Agora, se acha que o fato de poder prender, esfolar e cercear direitos - como fazem conosco, policiais militares, faz da corporação uma excelência em prestação de serviços, deixo um aviso: ESTAMOS CAMINHANDO CADA VEZ MAIS PARA UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO POLICIAL COMUNITÁRIO - como a sociedade exige -, MAS O POLICIAL NÃO ESTÁ ACOMPANHANDO ISSO. Sabe por quê? Porque somos militares autoritários conforme nossa formação manda. Como poderemos tratar o cidadão civil da maneira exigida na democracia, se somos preparados para a guerra e para o autoritarismo? Lembrando que a Microsoft, a Coca-Cola e a OGX não são corporações militares.

      Século XXI, Constituição dita cidadã, liberdade de imprensa e de opinião... mas uma polícia marcial, onde o integrante fica preso por falta de chapéu na cabeça e depois precisa ser civilizado com o público - parece piada paradoxal - como nos países do primeiro mundo onde o policial é um cidadão cuidando de outros cidadãos.

      Até me faz lembra a parábola dos dois ratinhos "Who Moved My Cheese".

      Meus respeitos... e minha opinião de policial do século XXI, nada pessoal.
      Sgt Foxtrot.

      Excluir
  6. OS MAIS ANTIGOS LEMBRAM(O SR.DEVE LEMBRAR MUITO BEM),QUE A ALGUNS ANOS ATRÁS, ESTAVA TUDO CERTO PARA A UNIFICAÇÃO DAS POLICIAS,QUANDO OS CELS.PMS FIZERAM UMA CAIXINHA E FORAM A BRASILIA CONVERSAR(KKKK)COM ALGUNS DEPTS QUE ESTRANHAMENTE MUDARAM DE OPINIÃO E Ñ VOTARAM A UNIFICAÇÃO.O QUE OS CELS VÃO FAZER SE DEIXARAEM DE SER MILITAR?COM QUEM ELES VÃO FAZER AS ARBITRARIEDADES SE Ñ TIVEREM MILITARES?BASEADO EM QUE ELES VÃO PEDIR AS PRISOES QUANDO HOUVER MANIFESTAÇOES?E O EGO DE PRENDER E DETER,COMO FICA?E O EGO DE COMANDAR,DAR ORDENS?ESQUEÇAM,O MILITAR ESTÁ PRESO A REGULAMENTOS QUE A DEMOCRACIA DE HOJE Ñ ACEITA,SÓ NÓS AGUENTAMOS ,SÓ NOS SABEMOS O QUE PASSAMOS DENTRO DOS MUROS DOS QUARTEIS.

    ResponderExcluir
  7. eu vi uma viatura da pm de sc parar na rua e levar um cachorinho atropelado numa clinica veterinaria .Apm de hj nao e mais a mesma do tempo da ditadura la dentro 99% sao muito humanos o que podera acontecer sera uma rigorosa seleçao dos futuros pms e expulsao dos maus policiais mas a extinçao seria imposivel pois ja e uma força solidificada na sociedade brasileira ;

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.