Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

segunda-feira, 30 de julho de 2012

UPPs: POLICIAIS MILITARES DESMASCARAM A FARSA ELEITORAL

O Rio é uma festa para
Sérgio Cabral (PMDB) e Eduardo Paes (PMDB)

Os nosso leitores mais antigos identificarão na matéria a seguir vários aspectos que temos abordado neste espaço democrático sobre os problemas das UPPs, isso desde 2009.
JORNAL DO BRASIL:  
UPP: o outro lado da moeda, que só os policiais que estão nelas conhecem
Luciano Pádua.
A morte da polícia militar Fabiana Aparecida de Souza, de 30 anos, na segunda-feira (23), assassinada com um tiro de fuzil no peito, próximo  à sede da Unidade de Policia Pacificadora (UPP) da comunidade Nova Brasília, no Complexo do Alemão, pode não ter sido um fato isolado. Foi a primeira baixa entre os policiais recém-contratados, especificamente para atuarem nas UPPs. Como o governo está sendo pressionado a ampliar estas Unidades - o secretário interino de Segurança Pública, Roberto Sá, revelou ao jornal O Globo que aumentará o efetivo policial lotado nelas - isto acaba sendo feito sem os devidos preparos. Desta forma, aumentam os riscos e a falta de infraestrutura para quem ali trabalha (Leiam mais).
Juntos Somos Fortes!

5 comentários:

  1. Agentes da PRF deixam postos da Niterói-Manilha vazios, e aí Dilma Roussseff ?
    .
    Todos os servidores federais estão parando, e aí Dilma Rousseff ?

    Quem diria o pT um dia virar as costas para o servidores !

    Em tempo, será que a Dilma Rousseff vai mandar fazer que nem o ditador Sérgio Cabral, mandar prender todo mundo em Bangu 1 ?

    Reprodução do O Globo On line


    RIO - Os protestos por reajustes salariais e melhorias nas condições de trabalho dos policiais rodoviários federais pelo país já mostram efeitos no patrulhamento de rodovias do Estado do Rio. Apesar de a categoria negar uma paralisação, alguns postos da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão vazios. No domingo, uma equipe do GLOBO percorreu trechos de rodovias e constatou a ausência de agentes trabalhando na Niterói-Manilha. A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais afirmou que, no Rio, os cerca de 600 agentes usam uma faixa branca amarrada no braço esquerdo do uniforme.

    — A PRF continua trabalhando. Não há intenção de greve. Queremos trabalhar, é nossa responsabilidade. Mas precisamos ser valorizados. Somos aproximadamente 600 policiais no Rio e deveríamos ter 900 trabalhando, mas o governo não contrata — comentou Jesus Castro Caamano, diretor jurídico da federação.

    Nos fins de semana, os cariocas têm enfrentado dificuldade nas estradas. Na última sexta-feira, o engenheiro Marcos Roberto Alves saiu de Volta Redonda às 14h e só chegou a Cabo Frio 12 horas depois:

    — Enfrentei um trânsito como nunca antes. Estava com três crianças no carro e fiquei com o motor desligado durante horas. O pior momento foi na Niterói-Manilha. E no trajeto todo não vi policiais rodoviários tomando qualquer providência.

    A assessoria de imprensa do Ministério da Justiça informou, em nota, que as negociações por reajuste continuam, mas negou a existência de um movimento de greve: “Como um movimento nacional, não há nada neste momento, mas o Ministério da Justiça não descarta a possibilidade de haver manifestações isoladas nos estados”.

    Segundo Caamano, o governo não reajusta os salários da categoria desde 2010. Hoje, o salário inicial de um policial é de R$ 5.800. A intenção, de acordo com a federação, é que esse valor chegue aos R$ 10 mil. Caamano afirmou ainda que uma grande mobilização está sendo organizada para acontecer em Brasília no dia 8 de agosto.

    — Queremos melhores condições de trabalho, não apenas melhores salários. Mas o pessoal de Brasília não quer liberar — reclamou um inspetor que não quis se identificar.

    ResponderExcluir
  2. 31/07/2012
    EXCLUSIVO! "Ordens superiores" mandaram Polícia Federal parar de investigar ligações de Paes e Cabral com a Delta
    Fonte:
    http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=11468

    ResponderExcluir
  3. 31/07/2012
    EXCLUSIVO! Paulo Melo contratou empresa de investigação denunciada por espionagem ilegal

    http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=11464

    ResponderExcluir
  4. O Governo do Estado do Rio de Janeiro nunca vai querer acabar com a Polícia Militar! A PMERJ tem o pior salário do Brasil e péssimas condições de trabalho, mas ninguém luta por melhorias, por causa do militarismo. Se não fosse Militar, a situação seria diferente...

    O dinheiro público deveria ser utilizado para pagar os profissionais que prestam serviços essenciais à população, como Bombeiros e Policiais Militares. Um Estado que tem a segunda maior arrecadação de impostos do país poderia, ou melhor, deveria pagar aos referidos "heróis sociais" cerca de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais, para cobrir as despesas básicas de sobrevivência, já que o custo de vida no Rio é altíssimo! A insatisfação das tropas da PMERJ e do CBMERJ, por ter o pior salário do Brasil e pelas péssimas condições de trabalho, é evidente!

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.